1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas amigos? - BakuDeku >
  3. Discussão

História Apenas amigos? - BakuDeku - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Hello!
Como vocês estão meus bbs? (づ ̄ ³ ̄)づ

Aqui vai mais um capítulo pra vocês, dessa vez beeeemm grandão sksksk é o maior que eu já fiz, não tenho muita inspiração, mas quando essa vem, mds!
Espero que vocês gostem!
Sei que a fanart não tem nada a ver com o título, mas achei ela super bonitinha então decidi colocá-la.

Beijinhos na bochecha e boa leitura!

Capítulo 10 - Discussão


Fanfic / Fanfiction Apenas amigos? - BakuDeku - Capítulo 10 - Discussão

= Katsuki = 

 

 

Kacchan: 

Deku

Deku

ME RESPONDE CARAMBAAA

Sei que tá aí

 

 

Eu e o Deku nos conhecemos desde sempre e isso já é sabido, mas além disso sabemos bem as manias e os hábitos um do outro. Eu sei que quando meu amigo esverdeado está com raiva seus lábios atingem a cor cinza, ele geralmente não fala nada e suas mãos tremem em resposta à sua ansiedade. Quando está triste, evita olhar nos olhos de qualquer pessoa à sua frente e morde o lábio inferior (creio que pra não chorar). Já na alegria, Deku fica bem falante e sorridente mexendo as mãos sem parar e soltando altas risadas. Eu o conheço bem, muito bem eu diria. O problema é que ele é tão bom quanto eu nisso. 

 

Eu sou o tipo de cara que não curte demonstrar emoções o tempo inteiro, principalmente se a emoção for tristeza. Mas eu não sou muito bom em esconder o que sinto, na verdade eu sou péssimo. Quando sinto raiva isso fica bem aparente - bem aparente mesmo kkkk -  já cheguei a me descontrolar, e isso fez com que muita gente se afastasse de mim. Os únicos que são capazes de me acalmar nesses momentos de fúria são meus pais e o Deku. Por conhecer tão bem assim meus limites, o esverdeado tem o dom de saber levar minha mente de volta à razão e eu gosto disso. 

A ligação que temos é a mais forte que já vi, é a relação mais pura e verdadeira que tenho. Pelo mesmo motivo de termos laços tão fortes, é que sabemos o que o outro sente, ou quer. Conhecendo meu amigo, sei que ele não vai desistir até arrancar o que quer de mim. 

 

Kacchan: 

Deku responde logo

Eu te conheço, você tá lendo pela barra 

 

Alface: 

VOCÊ ME ACORDOU

Toda hora notificação mds. 

Eu tbm te conheço bem o suficiente

pra saber que está escondendo algo

Anda desembuxa Sr. Granada. 

 

Kacchan: 

Sr.Granada?

Deku isso faz 10 anos

10 ANOS! 

 

Alface: 

Não muda de assunto

 

Kacchan: 

Ok, ok

Você quer dar uns pegas no meio-a-meio?

 

Alface:

--------▶️--------  0:03

{Que? KKKKKKKKKKKKKK}

----------▶️---------- 0:10

{Eu não acredito KKKKKK  que você me acordou pra isso Kacchan KKKKKKK}

 

Kacchan: 

É sério seu idiota

Quer trocar saliva com ele ou não?

 

Alface: 

Eu sei lá

Acho que não kkkk

 

Kacchan: 

Acha? 

 

Alface: 

É ue

Acho

 

Kacchan: 

Eu te proíbo

 

Alface: 

De quê mesmo?

 

Kacchan: 

De beijar o Todoroki Junior

 

Alface: 

Isso é zoeira né?

 

Kacchan: 

Óbvio né seu lesado

A boca é sua, beije que bueiro você quiser

PORÉM NÃO ACONSELHO A BEIJAR O SER EM QUESTÃO

Ele é como diz o ditado: 

'Por fora bela viola, por dentro pão bolorento'

Se bem que nem por fora o mlk é bonito kkkkk 

Tenso 

 

Alface: 

Que isso jovem?

Pra quê tanto ódio? 

 

Kacchan: 

É sério Deku kkkkkk

O cara é tóxico

Devia sempre usar uma camisa escrito: 

CUIDADO, PERIGO

 

Alface: 

KKKKKKKKKKKKKK

A minha seria: 

Cuidado, frágil

E a sua?

 

Kacchan: 

Cuidado, cão bravo

 

Alface: 

Kkkkkkkk 

Eu prefiro: 

Cuidado, risco de explosão

 

 

 

Acordei tarde com o celular do lado. Abri o chat do Deku pra ver o que ele havia dito e percebi que deixei ele no vácuo antes de dormir.

 

Alface:

Kacchan? 

Você dormiu? 

Não acredito que você me acordou 

Pra perguntar essa baboseira

E agora foi dormir me deixando aqui 

Sozinho e sem sono

Eu te odeio Granada. 

 

Kacchan: 

I love you too, Deku 

Ótima forma de acordar ein

Lendo um "eu te odeio"

JÁ DISSE PRA NÃO ME CHAMAR DE GRANADA

Aliás, 

Bom dia ;)

 

Ele não estava online, provavelmente ajudando a tia Inko com a casa ou as roupas. Depois de fazer minhas higienes matinais eu desci pro café - ou almoço -e encontrei minha mãe animada. 

 

-Bom dia. - cumprimentei, ainda sonolento -  O que aconteceu pra tanta felicidade? 

 

- Bom dia Katsuki. - ela respondeu me passando seu celular - Eu encontrei o lugar perfeito! Não é longe daqui, fica em uma rua movimentada por conta do comércio, e o melhor: Eu posso comprar o imóvel! Assim não preciso pagar aluguel... você sabe.

 

- Que bom mãe! Já decidiu quem vai nos ajudar a atender o clientes? - perguntei-lhe entregando o celular após ter dado uma boa olhada nas fotos. 

 

- Eu estive pensando, como você ficará lá a tarde, decidi que irei contratar pessoas apenas para meio período, ou seja, alguém ficará comigo pela manhã e a tarde alguém ficará contigo. Então você poderá escolher quem vai te ajudar;

 

- O Deku! - respondi de imediato

 

- Estive pensando a mesma coisa - sorriu de canto, mas este sorriso logo se desfez - Inko me disse que está difícil pagar as contas, o aluguel está bem atrasado e se não pagarem até o final do mês que vem... 

 

- Serão despejados...

 

- Sim. Eu tentei oferecer uma ajuda, mas ela é orgulhosa, não aceitou. 

 

- Podemos ajudá-los assim! - disse - Deku é de confiança e um excelente cozinheiro, ele pode me ajudar a servir as mesas e fazer os lanches.

 

- Sim! Fale com ele! 

 

- Irei falar - disse e pensei um pouco - Amanhã, na escola. 

 

- Ok, agora me ajude com o almoço. 

 

- E o café?

 

- Você sabe que horas são Katsuki? 

 

- Eu n-

 

- 12 HORAS! 

 

 

 

 

Dia seguinte... 

 

= Deku = 

 

É manhã, e hoje infelizmente tem aula. 

Eu curto a escola, mas não tanto quanto pensam. Apesar de gostar de estudar me sinto muito entediado com as aulas - com exceção das aulas de Ed. Física (lê-se Natação). 

Me levanto com dificuldade depois de ouvir o alarme tocar por uns dois minutos seguidos. O barulho além de chato e absurdamente DESAGRADÁVEL me estressa muito e me faz querer dormir mais ao invés de despertar. 

Quando não podemos ter algo, o queremos mais ainda. 

Instintivamente não penso em dormir mais, e sim num certo loiro de olhos vermelhos. 

Não posso ter. 

Assim como não posso ter mais dez minutos de sono. 

Tenho que despertar disso. Preciso. 

O banho é rápido e frio, a água quente me faz ficar ainda mais preguiçoso do que já sou. Visto meu uniforme e vejo que o café não está na mesa, procuro minha mãe pela nossa pequena casa e não a encontro. 

Ainda não acordou. Deve estar bem cansada. 

Minha mãe trabalha feito uma condenada em um restaurante aqui perto, ela tem que sair cedo porquê além de trabalhar na cozinha ela também cuida da limpeza. 

O que ganha dá para pagar as contas e para comermos algo legal nos fins de semana, mas as vezes vejo ela triste por não poder "me dar mais". 

Dona Inko é meu orgulho, minha razão de sorrir. É a mulher da minha vida com certeza. 

Vê-la dormir tão tranquilamente me dói pois sei que devo acordá-la. Sua patroa é a pessoa mais asquerosa que tive o desprazer de conhecer. 

 

- Mãe... - digo baixinho tocando seu braço. - Mãe acorda....

 

- An...Izu... Eu.. Meu Deus, não fiz seu café meu filho... - Ela pula da cama num salto, indo para cozinha - Eu vou fazer algo rápido, tem um pedaço de bolo que comprei ontem, faço um café pra você. Espera aí. 

 

- Mãe...

 

- Eu vou fazer rapidinho ok? 

 

- Mãe? Ei!  - levanto um pouco mais a voz pra ela me ouvir. Estava procurando uma chaleira em meio as panelas e andava de um lado para o outro freneticamente.

 

- Oi?  - agora lhe encarei bem. Está com olheiras, mal dorme. O cabelo verde tem alguns fios brancos e ela está com uma expressão cansada. Preciso fazer algo, preciso. Por ela. 

 

- Tome um banho. Eu faço seu café 

 

- Mas eu... 

 

Fui rápido no quarto dela, peguei uma toalha e a entreguei. 

 

- Eu cuido disso. 

 

Estava quase atrasado. Então fiz o café rápido pra ela e deixei um bilhete em cima da mesa. 

Tive que sair rápido mãe, estava atrasado. 

Tome café direitinho, beba água e passe protetor solar ok?

Que seu dia seja tão lindo quanto você é mãe. 

Com amor, Izu. 

 

 

Eu estava chegando no colégio quando encontrei Todoroki no caminho. Viemos conversando até entrarmos na sala de aula. 

 

- Bakugou realmente me odeia não é? - ele disse e deu um sorriso de canto, quando já estávamos sentados do lado um do outro.

 

- Eu não diria odiar...

 

- Ah.. com certeza odeia haha - solta uma risadinha enquanto encara o loiro à sua frente

 

- Qual é a dessa competição entre vocês? - pergunto arqueando uma sobrancelha

 

- Nada demais. Eu gosto de testar meus limites e gosto mais ainda de testar os limites de outras pessoas - respondeu

 

- Não te aconselho a testar a paciência dele - falei - Conheço Kacchan desde sempre, e posso dizer com certeza que você não vai querer ser socado por ele. 

Todos que despertaram seu ódio saíram bem, bem machucados. 

 

- Hahah eu não quero sair no soco com ele. Isso é só uma guerra fria. - responde e logo me olhou com um sorriso maroto - E não me subestime Midoriya Izuku, você ainda não sabe do que sou capaz. 

Ainda. 

Ainda não sei. 

Tremi até o mais pequeno dos ossos com a frase. 

 

- Eu espero que não passe disso... - disse esforçando-me para não gaguejar enquanto desviava o olhar. 

A aula começa. 

 

 

 

Durante o intervalo sinto o olhar de reprovação do meu amigo loiro. Tento fingir que não me incomodo mas é quase impossível. Quando o intervalo acaba eu o chamo para uma conversa na sala. 

 

- Pare de me olhar assim! O que eu fiz? An? 

 

 - Você espera que eu fique feliz vendo você todo amiguinho daquele merda? Eu só não desço a porrada nele pra não magoar você, senão já teria feito isso. 

 

- Aff. - solto um longo suspiro - O que faremos com isso então? 

 

- Eu não sei Deku - respondeu indo até sua cadeira. A sala onde estávamos estava vazia - Pergunta pro seu amiguinho playboy. 

 

- Para de insultar o garoto, ele nem faz isso contigo Kacchan. 

 

- Ele me olha com desdém

 

 - Você também olha pra ele assim

 

- Por quê ele é irritante, e muito! - levantou. 

 

- Você também é - solto e depois me arrependo. Mas já era tarde

 

- O que disse? Eu sou o quê Deku? - se aproxima de mim. Seu olhar expressa chateação e ao mesmo tempo raiva. 

 

- ... - fico calado. Tento olhar para a parede atrás dele mas é impossível desviar minha atenção do seu rosto. Estava chateado, eu o comparei com quem ele mais odeia. 

 

- Sou irritante não é? Ok, Deku. - disse e colocou as mãos no bolso. Seu rosto estava pálido, e os lábios já não tinham mais a cor rosada. - Ok

Raiva. 

 

- Eu não quis dizer que você é igual ele ou nada assim... Só disse q- 

 

- Que suas preferências o levem para o melhor. - concluiu saindo da sala. 

 

 

Falei com Ochako quando íamos saindo da escola. Ela me aconselhou a ir ver o Todoroki como tinha combinado. 

 

- É uma boa oportunidade pra você esquecer essa discussão Deku - disse a castanha

 

- Eu sei Ocha, mas o problema é que vai ser na casa dele... Eu sei lá, não me sinto muito bem com isso... Kacchan está chateado comigo e...

 

- Bakugou tem que deixar de ser infantil, ele está te tratando como uma propriedade e você não é isso. Nem seu namorado ele é, e mesmo se fosse não poderia fazer isso contigo Deku. 

 

- É... 

 

- Pera, voltando ao que você disse - falou, dessa vez animada - Na casa dele?? Vocês não iam sair?

 

- Sim, vamos sair. Mas antes vamos treinar nado, ele quer ajuda no nado borboleta, como lá na casa dele tem piscina vamos treinar lá  - esclareci - Depois marcamos de ir num barzinho.

 

- Não fique bêbado ok? Vai que você faz coisas erradas e fica grávido

 

- Não estamos em um omegaverse Ocha! - dei um tapinha nela e nós dois caímos na risada  - Mas relaxe, prometo não fazer nada de errado

 

 - Hummm

 

- MASSS, se ele quiser me beijar eu não posso simplesmente virar a cara não é?

 

- Verdade, verdade! - rimos mais

 

 

Chegamos em casa e pedi para Ochako entrar, pois minha mãe está morrendo de saudade dela. 

Assim como Kacchan, Ochako é muito mimada pela Dona Inko. 

 

- Ochako! - ela veio e agaarrou minha amiga para um abraço apertado - Você não veio mais me ver... Estive com saudade querida

 

- Me desculpe Dona Inko é que eu andei meio ocupada com os treinos da academia - "ela luta Muay Thai mãe" eu disse - E não tive muito tempo nesse último mês. É correndo pra casa almoçar e logo depois indo pra academia, uma correria só. 

 

- Imagino... Vamos entre - abre espaço pra entrarmos - Quer almoçar conosco?

 

- Eu adoraria! - sorriu - Arrumei um tempinho hoje especialmente pra vir me deliciar com esse almoço! 

 

Duas puxas sacos uma da outra, haha. 

Eu realmente não entendo, mas parece que meus melhores amigos também são melhores amigos da minha mãe. 

Todo mundo ama essa mulher, meu Deus. 

Mas eu compreendo eles, ela é incrível. 

 

Terminamos de almoçar e minha mãe teve que voltar pro trabalho. Ela só vem aqui durante sua hora do almoço e apesar do pouco tempo que tem, faz uma boa comida para nós - as vezes, quando está muito cansada compra alguma coisa do restaurante em que trabalha. 

 

- Eu tenho que ir, se cuidem! - disse dando um beijo em nossas testas. 

 

- Mas já? - Ochako pergunta

 

- Sim querida, meu trabalho é até as 5 da tarde. Tchau! - falou e deu uma piscadela

 

- Tchau... - respondemos em unissóno. 

 

- Sua mãe trabalha demais... 

 

- Sim... 

 

- Vamos? Você tem que se arrumar pra ir ver o gostosão lá! 

 

- Me arrumar? Eu só preciso de uma sunga e umas roupas pra ir num bar.. nada demais. 

 

- 'Nada demais' - fez uma voz irritante tentando me imitar - Izu vocês vão num encontro, você não pode estar de qualquer jeito.

 

- Encontro? Kkkkkk Tá doida é? A gente só vai... dá um rolê

 

- Rolê é o mesmo que encontro seu tapado. Só vai tá vocês dois, num barzinho conversando. Ou você acha que encontro é só quando o casal vai num restaurante italiano e se senta numa mesa à luz de velas? - deu um tapinha na minha nuca - Acorda Izu! Tem que chegar, chegando mesmo! 

 

- Aff... - bufo

 

- Vamo, corre pro banho! - ela me puxou pelo braço e eu fui pro banheiro de muito mal gosto. 

Quando saído banho vi a cama do meu quarto cheia de roupa e meu guarda roupa todo bagunçado

 

- Tá maluca Uraraka??? - quase gritei vendo a situação do meu quarto. 

 

- Não tô não -responde sarcástica sem nem olhar pra mim - Não consigo me decidir

 

- Você vai arrumar essa merda... Ahh vai! 

 

- Vem aqui me ajudar a escolher

 

- Escolher minha roupa? Eu já tenho idade pra isso não acha? 

 

- Qual você prefere? - ela tá me ignorando de propósito só pode! 

 

- Tsk... Essa aqui - apontei pra um short jeans e uma camisa branca escrito: Plus Ultra! 

 

- Você não pode tá falando sério - ela me olhou incrédula

 

- Estou oras! Porquê?

 

- Não acredito Deku! Não vou deixar você sair assim - disse e pegou uma calça preta rasgada e uma camisa branca de marca boa (a única roupa cara que tenho) lisa, sem estampa e um tênis cinza. 

 

- Mas essa é minha melhor roupa Ocha! 

 

- Exatamente por isso, eu tô olhando agora e acabei de me decidir. É essa!

 

- E agora é você quem escolhe o que eu visto? 

 

- Deku, te dizer uma coisa: O Shouto tá doido pra te foder logo, se você não parecer interessado em chupar ele, vocês não vão ficar nunca! Então sugiro que você vista uma roupa no mínimo decente para a ocasião e vá com um sorriso no rosto sendo simpático o tempo inteiro

 

- Ma-

 

- E nada de sorrir demais, é artificial. Pergunta sobre as coisas que ele gosta. Ouvi as "baba-ovo" da escola falarem que ele gosta de música clássica e obras de arte. Você deve saber dessas coisas mais do que eu. Ah, ele também gosta de livros, principalmente Sherlock Holmes. 

 

- Assisti a séri..

 

- Pois é fala com ele - dizia tudo muito rápido enquanto dobrava tudo mais rápido ainda pra colocar de volta do guarda roupa - Pergunta também se ele tá confiante que vamos ganhar o campeonato desse ano e se ele vai cantar no palco junto com o Kami e a Jiro. 

 

- OCHA! CALMA! 

 

- O que foi? Tô calma ué... 

 

- Devagar.. respira 

 

- Eu tô calma Deku

 

- Eu tô falando pra mim mesmo, preciso do meu remédio meu Deus... Você vai me deixar maluco com tanta informação - disse tomando uma pílula do meu remédio pra ansiedade. 

 

- Você tá doente?

 

- Ah, é pra ansiedade.

 

- Também tomo... - veio na minha direção e me entregou a roupa junto com uma sunga que ELA ESCOLHEU - Veste a roupa pra eu ver como ficou e vê se tira essa toalha, você é meu amigo? Ok. Eu gosto do Iida? Ok. Mas se você continuar expondo essa barriguinha sarada na minha frente eu vou te agarrar. - disse séria e eu corei

 

- É BRINCADEIRA SEU BESTA! KKKKK - caiu na risada e eu continuei corado - Vai logo se vestir

 

- Você é doida demais... - cantei baixinho - Você é doida demais, DOIDA, MUITO DOIDA... - cantei alto no banheiro ao lado do meu quarto pra que ela pudesse ouvir. 

 

- Sou mesmo! - riu em resposta

 

- Você é doida demaissss - ri com ela e logo saí do banheiro já vestido

 

- Aí, tô "decente" agora? - perguntei 

 

- Nossa... caralho amigo! Você é mesmo gay? Tem certeza que não é bi?

 

- Olhaa..vou falar pro Iida! 

 

- É brincadeira! É brincadeira! - exclamou - Você tá... um gato! 

 

- Obrigado - sorri sem jeito  - Mas ainda acho um exagero... 

 

- Que nada! Você tá perfeito assim! Adorei essa roupa, sério - ela me olhava animada e com um sorrisinho malvado - O Shouto vai adorar! 

 

- Ochako! Pare de me empurrar assim pro garoto... É como eu disse, somos amigos, mas se ele quiser uns beijos eu... 

 

- Você empina a bundinha pra ele, sabemos Deku.

 

- Q-quê.. e-eu.. 

 

- Se você não quiser, não vai faltar mina que queira ok? Ele é bi, então pega mulher também, fica esperto e não deixa a chance passar meu garotão! 

 

- Você trabalha pro FBI né? Fala a verdade - disse encostando ela na parede em um rápido movimento

 

- Talvez...  - respondeu sorrindo sarcástica 

 

- O que mais sabe? - indaguei ainda na brincadeira

 

- Sei que você está meio mexido com esse lance de voltar a ser amigo do Bakugou... E quero te ajudar a superar isso Deku - falou e eu a soltei, me virando de costas

 

- Não é verdade

 

- É sim

 

- Não é

 

- É sim Deku. 

 

- Sabe mais do que eu da minha própria vida? Haha

 

- Te conheço a três anos e pode ter certeza, em certos assuntos e te conheço mais do que você. 

 

- Hahahah

 

- Você cora quando um certo loiro chega muito perto de você e fica extremamente feliz quando ele está perto - eu fiz uma expressão de espanto - Relaxe apenas eu consigo perceber isso em você. Bakugou é um tapado porquê você deixa mais do que óbvio o que sente. Deku você faz uma expressão de tristeza quando vê a Mina ou o Kirishima perto dele, é uma pequena expressão, mas dá pra notar porquê você desvia o olhar e nunca senta próximo ao Bakugou quando ele tá acompanhado dos dois... E v-

 

- Ok, ok. Já entendi. 

 

- Eu amo você - disse colocando as mãos no meu rosto - Como meu irmão mais velho e quero te proteger Deku, não quero te ver com o coração partido de novo. Eu não odeio o Bakugou, não podemos culpá-lo por ser um completo e absoluto estúpido que não vê o que está bem na frente dele, ok podemos culpá-lo mas não vamos fazer isso certo? - assenti com a cabeça e ela me abraçou - Eu tô com você meu amor, sempre tá? Só quero ver você feliz, é tudo que importa pra mim. 

 

- Eu também amo você Ocha.. e obrigado por.. tudo - respondi - Mas... 

 

- Mas? 

 

- Você estava animada quando me aproximei do Kacchan, porquê agora não está? 

 

 - É como eu disse, eu quero ver você feliz Deku, e o Bakugou não parece estar correspondendo aos seus sentimentos, já o Shouto... Bem... ele te chamou pra sair e tal. 

 

- Entendo. Agora vamos que já estou atrasado! 

 

- Vamos, vamos!

 

- Preciso ir com outra roupa, essa aqui é pra sair - rapidamente minha amiga me entregou outra roupa - selecionada por ela, pra variar - e eu fui no banheiro me vestir. 

 

- Tudo pronto? - perguntou quando eu já estava junto à ela na sala 

 

- Sim - respondi

 

- Claro que não né seu lesado! - correu no meu quarto e logo voltou com um perfume - você esqueceu. 

 

- Ah! - me perfumei e ela pareceu aprovar o cheiro. 

 

- Muito bom! Você vem pra cá depois né? Pra tomar banho e sair com ele? 

 

- Sim. 

 

- Use esse perfume de novo. Não troque. 

 

- Então tá né - é doida essa garota. 

 

Saímos de casa - à pé pois minha mãe estava com a moto - pegamos o ônibus e fomos juntos até a casa de Ocha, onde ela desceu depois de me dar um beijo na bochecha e me desejar um boa sorte. 

 

 

Toquei a campainha, e quando vi a maçaneta da porta mexer me veio um frio na barriga ao lembrar de como encontrei o bicolor da última vez que vim em sua casa. 

Dessa vez, ele abra a porta vestido para minha sorte. Seu cabelo estava bagunçado e úmido e ele carregava uma toalha no ombro. 

 

- Ah, você chegou, entre Izuku - disse dando passagem 

 

Na sala dei de cara com a figura paterna do meu amigo bicolor: Enji Todoroki. 

- Boa tarde senhor. 

 

- Boa tarde -  disse seco

 

- Vem! - Shouto me puxou pelo braço até a área da piscina. 

 

 

 

 

 

 

 

Continua...


Notas Finais


E aí? O que acharam? ♡
Gente, cês querem beijo Tododeku agora ou não?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...