História Apenas (a)normal - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 13
Palavras 926
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Crossover, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Científica, LGBT, Luta, Magia, Misticismo, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi :3

Espero que gostem
Boa leitura
Me desculpem qualquer erro

Capítulo 13 - Seguir aquele conselho


Fanfic / Fanfiction Apenas (a)normal - Capítulo 13 - Seguir aquele conselho

Na casa da Merlin nada de muito estranho aconteceu.

A gente ficou conversando, e até que tínhamos muita coisa em comum, mas eu ainda sentia que ela escondia algo.

Porém conversando com ela não entendi porque a odiavam, ela era mais uma daquelas pessoas legais que são chutadas pela sociedade só por serem diferentes.

Mas e aqueles olhares?

Sei que não eram por ela ser estrangeira, eram olhares muito diferentes.

Ficamos na sala até ela dizer que precisava ir ao trabalho.

Assenti ela foi se trocar, pegou suas coisas e saiu, reforçando a frase de "não toque nas minhas coisas".

Tentei investigar ao máximo.

Mas, não encontrei nada de muito revelador.

Descobri que ela curtia muito terror, ocultismo, magia, entre outras coisas sobrenaturais e ocultas pelos seus livros.

Sempre tive um certo medo disso, pois sei lá eu acredito que exista, por isso não mexo com essas coisas. Óbvio que já fui chamada de louca várias vezes por causa disso, mas sempre pensei nós somos tão frágeis, o que impede de que algo que não sabemos o que é acabar com a gente?

Acho que, simplesmente nada!!

Afinal, somos só míseros humanos não é?

Bom sem nada de muito revelador sobre minha nova colega de quarto, fui arrumar um jeito de matar meu tempo.

********************

Como pensei, a garota nova era legal. 

Mas como disse iria não me aproximar muito, assim ela não correria riscos.

Se bem que, morando comigo ela já estava correndo, mais correria menos riscos comigo afastada.

Apenas ofereci um quarto porque ninguém merece suportar a Haruyo e suas vadias, assim como o ódio compartilhado por elas nós temos muita coisa em comum.

Ela tem medo de coisas relacionadas ao sobrenatural e ao terror, e por mais engraçado que pareça sua série favorita é de terror, e a mesma que a minha.

Ah, pobre menina, nem sabe o quanto perigo corre todos os dias só por viver em meio a esses humanos putrefatos!!

Mesmo que eu queira saber novamente como é ter sensações humanas, reconheço que todos os humanos são nojentos.

Eles não acreditam em monstros.

Porém criam mostros.

Mas no meu caso eles só me alimentaram com tudo o que me fizeram passar.

Niara era muito inocente, por assim dizer.

Como eu também ela nunca havia tido um relacionamento com alguém, no mínimo só se apaixonou e se fodeu.

Porém não me refiro a esse tipo de inocência, e sim a inocência que existe em cada ser humano, daquela que eles não sabem do que os espreitam no escuro, que não fazem idéia de que aquela sensação de estar sendo observado é real, que aqueles barulhos a noite não são coisas de sua cabeça, que aquele frio que vem de repente do nada é algo muito maior do que um simples frio, entre outros fatores.

Como em anos ela foi a única pessoa não idiota comigo não iria fazê-la correr riscos. Para que ela também não perdesse sua vida como eu perdi a minha ainda muito cedo.

Chegando a minha "amada" cafeteria, fui me trocar e começar a trabalhar.

Hoje estava tudo calmo demais.

Até demais.

Bom pra mim, pois havia acordado apenas um pouco mais mal humorada que o normal.

Enquanto eu varria a cafeteria a porta se abriu.

E ADIVINHA QUE FILHO DA PUTA, ME APARECE??

Isso é sério mesmo?

Dois dias seguidos no meu trabalho?

Só podia ser zoeira do universo cara.

Só podia ser zoeira.

Mas por sorte outra garçonete o atende, assim pude continuar a varrer novamente.

********************

Passado meu turno, aquele filho da puta ainda não havia ido embora.

Beleza, universo o que você está querendo aprontar comigo agora?

Fui me trocar, colocando novamente meu blusão de frio vermelho, minha calça preta, meus tênis brancos e soltando o cabelo.

Quase havia me atrasado então, havia colocado a mesma roupa de ontem.

No momento em que saio e fico na calçada esperando o sinal abrir, Jun para e me cumprimenta.

Beleza o que acaba de acontecer?

Só por educação respondi.

-Konnichiwa.

-Konnichiwa.

-Estranho, essa rua é sempre movimentada.

-É mesmo. Porém tira a atenção da rua e me responde, porque está falando comigo?

********************

Fui a cafeteria denovo.

E fiquei lá, esperando a Merlin sair.

Tentaria seguir aquele conselho maluco de Hideki e Nimaru, tentaria falar com ela.

Socorro o que eu estou fazendo?

Mas agora que fiquei aqui, não tem mais como voltar atrás.

Quando ela está na calçada, eu a cumprimento.

-Konnichiwa.

-Konnichiwa.

Pai do céu o que eu fiz?

Não tinha idéia do que dizer, e acabou saindo qualquer coisa.

-Estranho, essa rua é sempre movimentada.

-É mesmo. Porém tira a atenção da rua e me responde, porque está falando comigo?

-...........

-O Arata te mandou fazer isso? Bem convencional!

-Não, ele não me mandou fazer nada!!

-Então, quer dizer que você não é pau mandado?? Que incrível!!

Ai cheguei a sentir uma dor no coração agora.

-Você é sempre tão irônica assim?

-Ironia é meu sobrenome.

-Da pra ver.

-Mas você não me respondeu, porque está falando comigo?

-N-não sei, deu vontade. Algum problema?

-Não, nenhum problema, mas pra fazer isso ninguém deve estar em sã consciência.

Mas eu estou.

Bom, mais ou menos.

-Porém, eu estou!

-Tem certeza que não está sobe efeito de drogas?

-Hai.

-Esquisito, nunca pensei em você andando sem o Arata por perto.

NÃO ENVOLVE ESSE DESGRAÇADO NO MEIO!!

- Eu mereço descanso de vez em quando né? Respirar é sempre bom. Além que daqui a pouco tenho que buscar o Minoru no basquete.

-Que amigos unidos.  Bom, mas eu vou indo, quero ver se a minha nova inquilina não botou fogo na casa. Sayonara!

-S-sayonara.

CARALHO EU CONSEGUI!!

EU CONSEGUI CACETE!!

ESTOU VIVO!!

Eu falei com ela, não acredito no que fiz!!

Sou tirado de meus devaneios de vitória ao escutar o toque do meu celular.

-Ai filho da mãe, não vai vir me buscar não? Tá esquecido que eu machuquei o pé?

-Foi mal, Jiyuu eu já estou indo aí.

-Aconteceu algo pra não vir?

-.............

-Vem me buscar logo, e me conta no caminho!

Ele desliga na minha cara.

Bicho intrometido!!


Notas Finais


Vai ficar melhor prometo!!

Espero que tenham gostado :3

Xau ♡♤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...