História Apenas bons amigos - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Romance
Visualizações 15
Palavras 1.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Capítulo 5 - A briga


EMMA NARRANDO

Entrei em casa dando pulos de alegria... Ahhhhh, ele me beijou! Nossa, que emoção! Aquele gatinho lindo me beijou! Minha mãe não estava em casa , que estranho ....  

- Heey, cadê a minha mãe?

- Tá na casa do seu outro namorado...

- Hãn?

- Sua piriguetizinha.

- Do que você está falando peste?

- Tá pegando os dois ne, não tem vergonha não?

Eu apenas ri da cara dela e subi as escadas indo pro meu quarto.

- É né, pode rir, eu vou contar pra ele, você vai ver!  

Eu estava sonhando acordada quando minha mãe entrou no meu quarto e acabou com o meu encanto.

- Preciso falar com você mocinha.

- Ihhh, lá veem bronca, o que eu fiz dessa vez? Cheguei em casa na hora certa tá!?

- Você está proibida de sair com esse Gabriel.

- O que? Como assim? Porque?

- Isso mesmo, o Gustavo já me explicou direitinho o tipinho desse ai.

- Ah tá, aquele idiota já foi te encher ne?

- Olha, o Gustavo tem muito mais moral comigo do que esse garoto ai.

- É, e você confia mais em um garoto que você conhece a dois dias do que na sua própria filha?

- E o Gabriel? Você conhece a quanto tempo? Um ano? Dois? Tá decidido garota. - sai do quarto - 

- Mas mãe... -joga a almofada no chão - Que saco, garoto idiota!  

No dia seguinte eu estava indo pra escola e encontrei com o Gustavo na porta de casa.

- Hey garoto, que historia é essa de encher a cabeça da minha mãe?

- Hãn?

- Não seja sínico , deixa a minha vida em paz, que saco!

- Affs, eu falei aquilo brincando, eu disse isso a ela, se ela entendeu errado problema dela!

- Seu imbecil, eu sei que foi de proposito.

- Aham, por que eu faria isso? Não estou nem ai se vocês estão juntos ou não garota.

- Ah se toca meu filho.

- Eu te odeio, não quero mais saber de você.

- Eu também te odeio -vai chegando mais perto-

Maria: Oi Meu amor.

Nos separamos e olhamos pra ela.

- Oi, minha vida!

Maria: Será que estou atrapalhando alguma coisa aqui? -disse em um tom agressivo-

- Claro que não, eu só tenho olhos pra você, minha vida! - a beija-

- É isso ai, eu odeio esse garoto! Ele é todo seu. -saio irritada- 

     

NA SALA DE AULA

- Gostou de ontem meu amor?

- Foi demais, meu lindo!

- Podemos sair amanhã se você quiser.

- Não posso, tenho que estudar, tem prova de química depois de amanhã, esqueceu?

- Ah, é. Tudo bem então, outro dia!

- Ok.

- Não vai andar com o Gustavo no recreio hoje?

- Não, não mesmo! -disse olhando pro Gustavo que estava cabisbaixo- 

- Certo, acho que vou andar com você!

- Certo, MEU AMOR. 

Eu disse em um tom um pouco mais alto para que o Gustavo pudesse me ouvir e ele levantou com raiva de sua mesa jogando suas coisas no chão.

Gustavo: Que saco garota, da pra me deixar em paz?

- Tu está falando comigo?

Gustavo: Tem outra garota idiota aqui?

- Hey, olha o jeito que você fala com ela rapaz.

Gustavo: Dá licença que a conversa não chegou no maconheiro.

O Gabriel deu um soco em Gustavo e a professora entrou bem na hora.

- Gabriel nãaao!

- Ele só teve o que merecia.

Eu fiquei sem palavras, fiquei triste por que ele tinha levado um soco por minha causa, era como se eu tivesse sentido, mesmo que ele fosse um imbecil completo, foi ele quem me ajudou quando eu cheguei aqui, ele quem me disse coisas lindas, quem sorriu pra mim, ele quem me deu as boas vindas, eu tinha sido muito injusta com ele... Quer dizer nem tanto né, ele me chamou de idiota, disse que o Gabriel era um maconheiro, e eu ainda quase beijei esse garoto, affs...  

- Hey, você está bem? A culpa é minha...

Gustavo: Não quero que me veja assim. -disse e saiu da sala-

Professora: Gabriel você também, pra coordenação agora! Os demais abram o livro na pagina 18, volto em um minuto.

Natália: Por que eles brigaram?

- A culpa é toda minha! O Gus é sempre chato e idiota assim?

Natália: O Gustavo? Não, não mesmo, ele é o garoto dos meus sonhos!

- Nossa, que bonitinho, por que não fala isso pra ele?

Natália: Tem a Maria, ela não deixa ninguém se aproximar dele.

- Affs.

Natália: Mas sabe, eu só quero ver ele feliz.

- Hum, e o Gabriel? -sorrindo-

Natália: Não gosto dele, dizem que ele usa drogas, ele é lindo mas ás vezes vem muito esquisito pra aula.

- Nossa, eu não sabia, pensei que o Gustavo estava brincando! Nossa, eu xinguei ele!

Natália: O Gustavo não merece isso, ele é um amor, eu amo ele, não faça isso!

- Né, mas ele me chamou de idiota!

Natália: Ele faz isso por que gosta de você.

- Nada a ver garota, e vamos esquecer isso. -viro pra frente-

     

NO RECREIO

Pedro: Emma você não podia ter deixado ele bater no Gus.

- Queria que eu fizesse o que, entrasse no meio dos dois?

A Maria estava vindo na nossa direção me encarando com raiva, la vem mais bronca...

Maria: Olha aqui garota, a próxima vez que o meu Gus levar um soco por sua culpa eu vou te dar um pelo mesmo motivo.

Marcos: Hey, hey. Calma, não precisa disso tudo!

- Ah tá, e o medo que eu tenho de você? Onde tá?

Maria: Idiota, você é uma qualquer mesmo.

- Prefiro ser uma "qualquer"  do que ser burra. Afinal não sou eu que repeti de ano não é mesmo!?

Maria: Agora eu te pego. -avançou pra cima de mim com raiva-

Pedro: Nada disso. -pegou ela- Vocês não vão brigar, chega de brigas por hoje!  

Nesse momento o Gustavo e o Gabriel apareceram com suas mochilas nas costas.

Maria: Amor, como você está?

Gustavo: Estou bem. -olhou pra mim abraçada com o Gabriel super triste-

Maria: Pra que essa mochila?

Gustavo: Levei uma suspensão, não posso mais vim na aula essa semana!

Maria: Parabéns Emma, isso tudo é culpa sua!

Eu fiquei de cabeça baixa sentindo a culpa.

Gabriel: Ah garota se toca, a culpa não é da Emma e sim desse mane ai!

Maria: Ah tá, agora a culpa é dele? Se enxerga, essa menina retardada está estragando a escola!

Gustavo: O Gabriel tem razão Maria, a culpa é toda minha. A Emma não teve nada a ver com tudo isso!

Ele saiu de lá tão triste, foi horrível ver aquela cena, horrível! Bateu o sinal pra irmos embora e eu fui correndo pra casa, me senti sozinha no caminho, sem o Gus, foi tão ruim! Eu senti-a falta dele... Eu precisava falar com ele, pedir desculpas por tudo, ele não merecia isso! Coitado dele, a culpa era toda minha, toda minha! Eu estava decidida a ir ate a casa dele, depois do almoço! Sim, eu tinha que pedir desculpas, era a coisa certa a fazer...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...