1. Spirit Fanfics >
  2. (Apenas) chefe e babá - Kim SeokJin >
  3. Dias de glória, dias de luta

História (Apenas) chefe e babá - Kim SeokJin - Capítulo 3


Escrita por: Pjmx_Knjx

Notas do Autor


Apareci com capituluzinho novo <3 hihi
Vem vem vem

Capítulo 3 - Dias de glória, dias de luta


 

Pont of View Kim SeokJin

 

Minha cabeça lateja tanto que eu mal escuto o que o meritíssimo diz, apenas o bater do martelo finalmente me desperta para a realidade. São mais de nove da manhã e eu não sabia se Isadora tinha mesmo aparecido no meu apartamento para cuidar das minhas filhas; isso me preocupa mais do quê ter que encarar minha ex-mulher. Alivio a gravata que sufoca meu pomo de adão, suspirando tão alto que o som ecoa entre as paredes da sala enorme.

— Com tudo dito a mim, acredito que deixar a guarda com o pai seja a melhor coisa a ser feito. A mãe poderá visitar as filhas, portanto os pais devem estar a favor de conversarem e entrarem em um consenso de datas para a visita da senhorita Petit, isso incluí momentos de lazer também — o modo como ele falou retirou um peso das minhas costas, o sufoco aliviou drasticamente. Eu poderei cuidar das minhas filhas em uma perfeita paz a partir de agora. — O caso está encerrado. Tenham um bom dia.

Ele bateu o martelo pela última vez e solto o ar sufocante preso em meus pulmões, cumprimento meu advogado e segui até Mariana, esta mordiscava a haste dos óculos de sol.

Nós nos divorciamos recentemente, pelas minhas contas não deu nem três meses e nos prontificamos em assinar os papéis necessários e ela saiu do condomínio, resolvemos tudo muito rápido, pois ambos — eu — queria me livrar logo de mais um peso desnecessário. Foi bom enquanto durou. Sentir o abraço quente de uma pessoa que eu amei, os beijos e carícias, ter a cama de casal preenchida. Contudo preciso me desapegar rapidamente da ideia de desejar alguém do meu lado.

Encaro a morena enquanto me aproximo; não posso distanciá-la das meninas, ela continuará sendo a mãe eu querendo ou não. “Errar” — segundo Mariana — duas vezes em noites quentes me trouxeram bênçãos maravilhosas pra minha vida. Não me arrependo de nada do nosso casamento, porém não faço ideia de quando começara a dar errado.

— Não irei mais perturbá-las tanto, Jin. Porém sobre os momentos de lazer eu aceito, marcamos um almoço para conversar sobre isso? — ela ficava irreconhecível com aqueles óculos de sol grandes demais para seu rosto delicado. O batom vermelho era algo que combinava e ela usa desde que a conheço.

— Claro. Almoço seria bom se eu não estivesse tão ocupado — sorrio rouco, ironicamente —, conversamos por telefone mesmo. — passo a mão pelo cabelo e assinto para Mariana, dando as costas para sair. Estou tão cansado que meus olhos desfocam de minuto em minuto. Pressiono as palmas das mãos contra os olhos rapidamente.

— Com maturidade e calma, huh? Soube que a babá se despediu e que já conseguiu outra, competente sempre, Jin.

Paro de andar, engolindo seco.

— Celine. Claro.

Fecho o punho ao ver o sorriso traiçoeiro de Mariana após girar os calcanhares, voltando-me para ela, e respiro fundo mantendo a postura.

— Acertou, Kim.

Assenti vagamente e caminhei para fora da sala, olhei pro relógio que marcava quase dez da manhã e passo a mão pelo rosto. Isso já está quase acabando com meu psicológico. Destravo o carro ainda de longe e assim que entro, relaxo no banco, sentindo vontade de chorar e socar o volante. Ou um cigarro, um cigarro seria uma boa opção.

“Não quero vê-lo com isso na boca papai. Você mesmo dizia que isso adoecia a mamãe por dentro, não quero que fique doente também.”

Nada de cigarro.

Ligo o carro ao ver a moça com a roupa preta e branca combinando e acelero, girando o volante até chegar à empresa. Celine havia mandado várias mensagens dizendo que os encarregados da parceria me esperavam, e preciso urgentemente conversar com ela para não compartilhar mais sobre minha vida pessoal com Mariana. Aquelas duas juntas fazem um estrago enorme com minha vida.

Entrando na empresa sigo diretamente para minha sala sem ouvir as falas de Celine, já sabia o que fazer então apenas quis que ela compreendesse isso sozinha. As visitas me esperavam e todos pareciam mais cansados que eu, cumprimentei-os e começamos a conversar sobre a parceria da empresa para ajudar com o levantamento do jogo.

Então finalmente recebi uma mensagem da babá nova.

“Tudo sobre controle senhor Kim. Minji está pintando na sala e Hyeli estudando no quarto”

Revirei os olhos por ela realmente pensar que Hyeli está estudando, então digitei:

“Certifique-se sobre Hyeli.”

Enviei e depois bloqueei o celular, voltando à atenção para a conversa.

 

Ponto of View Isadora Leroy

 

Meu celular toca repetidamente e eu não ouso acordar, estou cansada demais, mal consigo abrir os olhos. O trabalho novo! Alcanço meu celular e verifico as horas com certa dificuldade em manter os olhos abertos. São oito da manhã!

Pulo da cama correndo até o banheiro para tomar banho. Droga, chegar atrasada no primeiro dia! (coisa de mademoiselle* Isadora). Ligo o chuveiro e não dou nem tempo para encher a banheira nem um showzinho e nem teria a oportunidade de lavar o cabelo, paro de frente a pia e escovo os dentes segurando a escova com uma mão enquanto passo um produto no rosto com a outra mão. Eu queria tanto quatro braços agora. Batuco as unhas no mármore e molho o cabelo rezando que amarrar ele seria uma boa solução.

Volto para o quarto e visto as roupas que Oliver separara e dobrara ontem à noite antes de ir embora, calço as botas pretas e então me olho no espelho; não estava tão mal. Verifico se havia o necessário na minha bolsa e coloco o celular e carregador dentro caso precisasse, saio apressada de casa desejando bom dia ao meu irmão, dizendo também que ele desse uma arrumadinha na bagunça e então paro de frente a moto, subo girando a chave na ignição.

Que Jin não me mate, que Jin não me mate.

 

 

Respondo as mensagens de Doni esperando alguém vir abrir a porta do apartamento 43 do condomínio no quinto andar. Porque inventaram tanto andares? Porque pessoas que não moram no condomínio tinham que usar as escadas? Pela cara da recepcionista, é claro que ela falou isso de propósito para me passar a perna. Agora eu estava grudenta de suor.

Suspiro fundo e a porta abre lentamente, ouvi a voz de uma moça que não parecia ser mais velha que eu, com bochechas rosadas e pálpebras pintadas com sombra azul.

— Ah! Você deve ser a nova babá. — sua voz cansada evidenciava o tanto que já falara aquilo tantas vezes, porém ainda era animada. Sorrio concordando com a cabeça e guardo meu celular na bolsa.

— Isadora.

— Sim, sim, Jin falou mesmo esse nome. Seja bem vinda — ela abriu um sorriso enorme e deu espaço para que eu entrasse. Escuto gritos e barulhos altos reconhecíveis de algum jogo ecoando pelas paredes do corredor de entrada e limpo a garganta. Seco minhas mãos suadas na roupa. — Muito bem, ahn, acho melhor começar com seu trabalho, estarei na cozinha caso precisar de algo ou então grite. As meninas estão na sala brincando, vou tirar isso do meu rosto. E não se deixe levar muito pela quietude delas.

A mesma abana apontando o rosto cheio de maquiagem e seguro a risada, vendo-a ir a alguma direção. Mordo o lábio, tensa, e vou caminhando até onde o barulho vinha.

Avistei uma adolescente bonita de traços fortes, sentada de qualquer jeito no sofá, rosto sério mascando um chiclete, enquanto manuseava o controle do vídeo game e com a outra mão o celular. A outra menor cantarolava baixo enquanto balançava a cabeça de um lado para o outro, fazendo movimento com suas marias-chiquinhas.

— Olá meninas. — chamo a atenção das duas e a pequena abre a boca devagar, ela não tinha os dois dentes da frente e era uma fofura com as pálpebras pintadas de rosa cintilante e a boca pintada de rosa.

— A nova babá chegou maninha.

Minji avisou em um tom baixinho e deixei minha bolsa no chão perto da parede, sorrindo para a menor; esperava que ela fosse mais agitada.

— Sim estou vendo Minji. — Hyeli respondeu sem interesse, jogando e digitando jogando e digitando. Acenei para a menor e me apresentei enquanto ia em direção a mesma. Minji ficou parada me olhando, hesitante em levantar a mão e pedir alguma coisa.

— Você quer brincar de maquiar? — indago ao reparar quantidade de paletas abertas no chão e sobre uma mesinha de centro.

— Sim por favor. Maggie foi fazer o almoço — suas marias-chiquinhas estavam balançando de novo e ela sofria em retirar os fios da franja de vez em quando. Maggie deve ser a moça que me atendera. — E acho que ela não gostou da minha maquiagem, você gosta de maquiagem? — perguntou antes de colocar um biscoito de morango na boca cheia de batom rosa.

— Um pouquinho. — fiz um gesto com os dedos.

— Posso te maquiar?

— Porque não?

Mexi os ombros procurando uma postura mais confortável e resmungo ao sentir minha coluna estralar, mantenho-a ereta, então ajeito os óculos. Minji abriu um sorriso pequeno e bateu palmas subindo no sofá.

— Hyeli vou pegar suas maquiagens. — disse saltitando sobre o sofá quase acertando os pés na irmã.

— Nem pensar! — Hyeli foi rápida em responder, e mais rápida ainda em levantar do sofá ao dar pause no jogo e sair correndo por um dos corredores, arrastando de volta Minji pelo braço.

— Por favooooor. — a pequena esganiçou chorosa e a irmã mais velha urrou alto em protesto, negando com a cabeça.

— Você tem as suas. — estalou a língua, dando play no game. A mais nova veio murmurando até mim e consegui apenas lembrar do relacionamento ótimo com meu irmão anos atrás; eu era como Hyeli; a adolescente repulsiva mandona com opinião única.

— Ela precisa aprender a dividir. — Minji murmura embolado e faz um bico fofo, organizando as paletas usadas e coloridas. Sorri fraco de coração quentinho.

— Eu trouxe algumas, quer? — cruzei as pernas no chão depois de retirar minhas botas e percebi o olhar da irmã mais velha, rápido e discreto, e depois volta pro jogo.

— Sim sim sim! — a timidez da pequena sumiu de repente e ela quase cai no meu colo de tanto pular como pipoca, então aponto para minha bolsa e Minji foi correndo buscar, como um raio. Ela começou a vasculhar, tirando tudo que tinha ali dentro e guardei meu celular no bolso para evitar acidentes e também coloquei coisas desnecessárias de volta dentro da bolsa. — Vou te deixar muito bonita, seu cabelo é bonito, seu rosto é bonito, seus olhos também. —falou enquanto passava meu blush cuidadosamente nas minhas bochechas e tive que apertar o nariz dela.

Fui presenteada com sombra azul e verde nos olhos, blush forte chinelada, batom colorido de sombra e rímel todo borrado, mas tanto eu quanto Minji nos divertirmos. As horas da manhã foram passando até Maggie chamar as meninas para almoçar. Consegui respirar fundo finalmente. Arrumei a bagunça da sala e calcei as botas novamente, agora a procura de um banheiro para limpar a obra de arte em meu rosto.

Dou uma amarrada firme no cabelo e procurei a cozinha, bem ao lado da sala de estar, encontrei as três conversando e comendo, em uma mesa média cheia de comida. Minji balançava os pés enquanto bebia suco no copinho e sua irmã não parara de digitar um instante.

— Hyeli — a chamo várias vezes até conseguir a atenção desta — Poderia largar o celular um pouco? — tento parecer mais calma possível, e estava sendo. A adolescente bufou e passou a língua por dentro da bochecha.

— Cala a boca, você é só a babá. — ela se virou para a direção oposta de mim e voltou a encarar a tela do celular. Ajeito os óculos e dou de ombros.

— Hyeli...!

— Sem problema Maggie, ela tem razão. Sou apenas a babá — pisco os cílios e passo para o outro lado do balcão. Maggie balançava a cabeça negativamente, então sorri fraco. — Jin não virá almoçar?

— Dificilmente ele aparece para almoçar, ainda mais quando tem muito trabalho na empresa.

— Hm. Há algo que eu possa fazer? — pergunto dando uma olhada nas minhas unhas e Maggie recupera o fôlego ao deixar uma panela sobre o mármore.

— Poderia lavar a louça? Eu vou olhar se Minji não está se sujando toda. — joga um pano no ombro e assinto, indo para a pia.

 

 

— O que quer fazer agora? — termino de fazer a trancinha no cabelo macio, cheiroso e lavado de Minji e ela ergue a xuxinha para que eu prendesse. Fico contente com sua carinha pensativa. Ela está mais solta desde quando cheguei.

— Acho que pintar... Vou buscar o caderno no meu quarto e você vai pintar comigo. — apontou o dedinho gordo ao meu nariz e afirmo com a cabeça. Ela saiu correndo, ouço seus passos atravessando o corredor e sorrio negando com a cabeça.

Olho se não havia nenhuma notificação e respiro fundo, encarando a TV gigante presa a parede.

— Ahn, Hyeli.

— Hm?

— Não acha que já está bom de jogar e celular? Seu pai disse que precisa estudar — começo a falar calmamente, não querendo irrita-la, porém nada feito. Ela parecia um dragão que não queria ser incomodado de forma alguma. Hyeli revirou os olhos e me ignorou, estalei a língua e levanto. — Tudo bem, já entendi. Você é uma daquelas adolescentes que se acham superiores, certo? Muito bem, estou aqui para cuidar de você e da sua irmã obedecendo aos pedidos e ordens do seu pai, a menos que queria ouvir reclamações dele mais tarde acredito que estudar seria uma boa — os olhos escuros dela estavam presos em mim, raivosos. Hyeli levanta uma sobrancelha e bufa, estendi a mão na direção da mesma, então recebo um olhar confuso. — Ele pediu o celular.

Seu olhar indignado sumiu assim como os passos pesados  de acompanhamento. Já havia andado pela casa, foi fácil memorizar os corredores por mais de eu me perder com os belos quadros decorativos nas paredes. Todo corredor há uns diferentes, me senti em um labirinto.

Mando uma mensagem para Jin quando Minji volta com um caderninho de figuras para pintar e seu estojo cheio de lápis de colorir, cantarolando uma música infantil de desenho.

“Tudo sobre controle, senhor Kim. Minji está pintando na sala e Hyeli estudando no quarto”

Ele responde:

“Certifique-se sobre Hyeli.”

Franzo o cenho e bloqueio o celular, dizendo para a menor que voltaria logo. Sigo os mesmos passos de Hyeli até parar em uma porta pintada a mão de figuras pretas e uma placa de "não entre sem permissão". Dou batidinhas rápidas e coloca a mão na maçaneta, não foi preciso eu abrir para ver a carranca dela.

— O que é? — disse, tediosa, lendo o livro de história.

— Só vim ver mesmo se você estava estudando — cruzo os braços de queixo erguido. Passo meus olhos por trás de Hyeli. Um quarto bem organizado com exceção da bagunça na cama, fotos com amigas e pôsteres espalhados pelas paredes, livros nas estantes, mais jogos, porta retratos, objetos de viagens e leds coloridos no teto. — Quarto maneiro.

— Obrigada — percebi a timidez na sua voz e ela logo balança a cabeça, encarando os dedos. — Agora pode sair?

— Estude.

— Tudo bem!

Fechei a porta devagar e voltei para a sala, ouvindo gritos animados de Minji, o que me fez apressar os passos, preocupada. Maggie dera um beijo na bochecha da criança desejando boa noite e veio ao meu encontro, desejei boa noite logo seguido dela e vejo-a passar por uma das portas. Ela deve dormir aqui pois eu não fico permanentemente. Sento-me no sofá e observo a garota com cabelo trançado pintar os desenhos do filme da pequena sereia.

Escuto barulho de chaves na porta e logo depois um suspiro pesado.

— Papai! — Minji saiu em disparada ao mais velho, este que a pegou nos braços, mesmo fazendo uma careta de cansaço. Levanto do sofá rapidamente e engulo seco.

— Oi princesa, se comportou? — Jin retira o paletó devagar e desabotoa os primeiros botões da camisa branca, depois de retirar a gravata. Desvio o olhar dele.

— Sim. — a pequena respondeu balançando a cabeça e mostrou a trança que eu havia feito, Jin continuou desconfiado e me olhou, como se pedisse a mim que confirmasse ou não.

— Ela se comportou sim.

— Ótimo — outro suspiro pesado escapou de seus lábios e reparei em como seu olhar era cansado. — Vejo você amanhã. Boa noite.

 


Notas Finais


Esperuuu que tenham gostado! IRRRUUUUU

beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...