História Apenas colegas. - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jhope!bottom, Jikook, Namgi, Namjin, Vhope, Vtop
Visualizações 38
Palavras 1.304
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - No banco detrás.


–Me desculpe por aquilo, eu te fiz passar vergonha no restaurante...– Taehyung sorriu fraco quando os dois entraram no carro. A crise de choro de Taehyung havia chamado muita atenção e algumas pessoas se aglomeraram ao redor deles, curiosos pelo motivo daquela cena toda.

–Tudo bem... Você não estava bem... As pessoas é que são chatas demais, querendo se meter na vida alheia...– Hoseok respondeu com ternura e levou a mão mais uma vez para os cabelos do mais novo, era um hábito gostoso entre eles.

–Obrigado por você estar comigo... Eu não sei o que seria de mim sem você...– Taehyung se virou um pouco no banco e acariciou também os cabelos do namorado antes de se inclinar pra ele e lhe selar os lábios. Eram sempre tão doces, tão macios, quentes. Um selar só nunca era suficiente. A cada contato, cada célula de seus corpos pediam por mais. E as mãos automaticamente procuravam, afoitas, tatear a pele alheia.

–Eu não acredito que você esteja com clima pra isso, depois de tudo!– Hoseok riu e Taehyung riu também, pela primeira vez na noite.

–É que sexo no carro é tão erótico!– Ele se explicou e Hoseok bateu em seu peito. Taehyung não existia! 

E o mais velho ainda rindo da safadeza do namorado, voltou a beijá-lo na boca. Um beijo ardente e sensual e massageou o pênis alheio por sob o tecido da calça, o sentindo despertar em sua palma. Nunca precisava de muita coisa pra Taehyung endurecer consigo e Hoseok gostava daquilo. E lambeu os beiços admirando o volume desenhado nas roupas, antes de se livrar delas. E quando o fez, soltou um risinho satisfeito ao ver o membro alheio saltar para fora, já completamente ereto e duro de tesão. Olhou diretamente nos olhos de Taehyung e passou eroticamente a língua pelos próprios lábios se inclinando na direção do falo teso. 

–Me diga o que você quer que eu faça... Taehyung-ssi...– Hoseok imitou uma voz afeminada e inocente, arrastando a pele do pênis alheio numa masturbação lenta e Taehyung sorriu ladino com a provocação. Hoseok era tão sexy.

–Me chupa gostoso, minha puta safada...– Estremeceu e se arrepiou com a voz profunda do mais novo, sem se irritar pelo apelido grosseiro. Hoseok gostava daquilo e massageou o orifício da glande com a ponta da língua, obediente. Circulou toda a cabeça rosada e a pôs entre os lábios, o movimento de sucção que fez a seguir, fez Taehyung gemer um pouco mais alto e, sem querer, apertar a buzina do carro. Eles riram juntos, um pouco assustados pelo o barulho repentino do veículo e Hoseok voltou a se concentrar em seu trabalho. Taehyung tinha entre os dedos os cabelos do mais velho, os olhos vez ou outra cerrados e jogava a cabeça pra trás, respirava pesado. O parceiro tinha tanta habilidade com a boca que as vezes Taehyung sentia ciúmes só de imaginar em como ele havia adquirido tanta experiência.

E levou a mão para acariciar as costas alheias. Adentrou a mão pela calça alheia e apertou as nádegas durinhas nas palmas grandes procurando a entrada alheia, afim de prepará-la para o próximo passo. Hoseok levantou de sua posição e se livrou da própria calça. A falta de espaço atrapalhava seriamente a realização daquele ato e Taehyung, inclinado para si, lhe beijando a boca, o pescoço e tudo que seus lábios alcançavam, também não estava lhe ajudando em muita coisa. Afoito e desajeitadamente, Hoseok saiu de seu banco pra se sentar no colo do mais novo. A buzina do carro soou mais algumas vezes e eles riam, a situação estranha e o perigo eram tão excitantes.

Taehyung ligou o rádio do carro tentando achar uma playlist mais sensual para completar o clima enquanto Hoseok rebolava sobre seu colo, esmagando seu membro entre as nádegas malhadas. Eles se beijavam com pressa e fome. Estava quente e o cheiro de sexo impregnava o ambiente. O ar era rarefeito e os gemidos inevitáveis. O carro balançava no ritmo dos movimentos de seus corpos e eles riam compartilhando do pensamento erótico de que os passantes sabiam exatamente o que eles estavam fazendo ali dentro.

–Vamos pro banco detrás... É a sua vez de cansar as pernas...– Hoseok falou divertido, saindo de cima de Taehyung e indo para a traseira do veículo, sendo seguido por ele. Deitou as costas no couro caro e ergueu as pernas, o mais novo se pôs entre elas e se encaixou novamente no interior aconchegante do perceiro e voltou a estocar no ritmo sensual da música que tocava. As respirações eram irregulares e os olhares cúmplices, sacanas. Hoseok tinha as mãos nas nádegas alheias, puxando Taehyung mais para dentro de si.

–Isso... Ah... Assim... Uh... Você fode tão gostoso, Tae-Tae...– Hoseok dizia entre os gemidos, propositalmente mais sensuais para incentivar o mais novo.

–O seu cuzinho é que é delicioso, minha puta gostosa... Geme mais pra mim, minha cadela... Diz do que é que você gosta...– Taehyung falava rouco rente ao ouvido do mais velho, naquela brincadeira suja deles.

–Eu gosto... Hum... do seu pau... Ah... na minha bunda...– Hoseok curvou as costas, sentindo a onda de prazer, ao ter a próstata acertada, lhe trazer ao limite.– Uh... A sua vadia safada... Gosta... Quando... Você... mete... gostoso... Ah...– os espasmos do orgasmo eminente lhe dificultava a pronúncia das palavras. –Ah... Caralho... Eu... Uh... Gozar...

E bastou fechar a boca pra se desfazer entre os abdômens. Quando o prazer do orgasmo se foi, respiração se tornou mais fraca e o corpo amoleceu. Algumas ondas de prazer ainda arrepiavam seu corpo e Taehyung lhe tomou de novo os lábios. 

–Quem disse que você podia gozar antes de mim, em? Agora você vai ter que limpar essa bagunça!– o mais novo falou brincalhão saindo de dentro de si e se pondo sentado no banco. Hoseok riu anasalado e se levantou também se pondo de joelhos entre as pernas alheias.

–Eu gozei por sua culpa, mas eu vou fazer isso só porque eu sou bonzinho!– Pronunciou divertido e beijou-lhe boca, descendo-lhe pelo pescoço. Lambeu o próprio esperma que sujava a camisa alheia, erguendo-a e aproveitando pra morder a barriginha saliente do namorado para lhe causar cócegas.

Taehyung contraiu e escondeu os músculos da barriga entre os braços, rindo e dando fim a provocação e Hoseok desceu a boca pela virilha alheia. Alguns pelos, já a algum tempo não aparados, arranharam seu rosto. Hoseok não gostava muito daquilo, mas deixaria passar daquele vez e abocanhou novamente o pênis alheio, deixando-o descer por sua garganta. Fez movimentos de vai-e-vem ligeiros e habilidosos e Taehyung suspirou alto. Aquilo era incrivelmente bom. E naquele movimento profissional, Taehyung não demorou a sentir seu ápice se aproximar.

–Aaaaah... Você mama tão gostoso... Ah... Eu não consigo mais segurar!– O mais novo avisou e Hoseok o tirou da garganta e lhe masturbou o falo de forma intensa.

–Vai, goza na minha cara!– Hoseok abriu a boca e pôs a língua pra fora, a espera. Taehyung riu ladino. Hoseok era tão sexy. E lhe agarrou os cabelos, tomando o ritmo da masturbação, incentivado pela imagem sensual do namorado. E gozou, lambuzou todo o rosto bonito do mais velho. Aquilo havia sido muito intenso e ver Hoseok engolir tudo com gosto, foi a cereja do bolo.

Então, cansados só se beijaram antes de se recomporem. Uma sacanagem daquelas era sempre bom e o fazia sempre esquecer de todos os problemas, era como se entrassem num mundo só deles. Hoseok lhe completava em todos os sentidos, era o que Taehyung achava. Eles podiam ser o que quissem quando estavam juntos, como Taehyung poderia abrir mão daquilo?

–Hoseok-ah... Eu te amo tanto, sabia?!– Taehyung pronunciou as palavras sem medo e Hoseok sorriu.

–Sabia... E eu também sei que esse seu sentimento é bem recíproco... Eu te amo, Tae-ah... Como eu nunca amei ninguém...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...