1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas Diversão >
  3. Cinderela.

História Apenas Diversão - Capítulo 10


Escrita por: xPINK

Notas do Autor


Boa noite, gostaria de comunicar QUE provavelmente (ainda não sei, porque sou indecisa) só vou postar capítulo novo quando eu terminar a minha outra fanfic porque estou me enchendo de coisas para fazer, tenho vários trabalhos para fazer e não comecei nenhum, kkkk. Está tudo pegando fogo em minha volta e eu estou sentada tomando chá e esperando o fogo me queimar, enfim. Não sei se realmente vou fazer isso porque né, me conhecem, sempre mudo de ideia. Mas amanhã vai ter capítulo novo porque já revisei. sz

Capítulo 10 - Cinderela.


Eu perdi completamente o juízo, pra não dizer que enlouqueci. Ontem à noite naquele bar, eu fui direito para o banheiro com o propósito de ser seguida por ele. Eu queria provoca-lo um pouquinho, deixar clara as minhas intenções de que queria apenas diversão. Isso significa que me rendi ao papo do sexo casual, mas depois que fui embora um pouco de arrependimento me consumiu, o pior que se eu realmente mudar de ideia, pois ainda estou caminhando na corda bamba em relação ao assunto, nem poderei culpar o álcool pois o máximo que fiz foi dar uma golada na cerveja da Levy.

Mas eu estou determinada quanto à isso, apesar de não ter uma reposta concentra. Acho que se eu tiver um pouco de sexo casual, somente com o Natsu, isso vai me ajudar. Refleti que depois do que aconteceu no armário, o meu estresse evaporou e o meio bloqueio de criatividade foi embora, me fazendo fazer uma obra incrível. Será que sexo realmente é a solução?

Juvia me espeta com outro alfinete e eu reclamo dando um espasmo de dor. A azulada pede desculpas baixinho e continua o seu trabalho. De repente, alguém bate na porta do seu quarto e ela suspira abrindo a porta.

— Deixaram isso pra você. — uma garota morena diz entregando uma enorme caixa branca nas mãos de Juvia que franze o cenho curiosa.

Após fechar a porta ela se vira e lê o bilhete e confusão domina sua expressão facial.

— É de um admirador secreto? — a provoco.

— Estamos no quarta série agora? — ela brinca, sentando-se na cama e puxando a fita vermelha.

— Então de quem é? — questiono curiosa, me aproximando dela. Tenho um palpite de que o presente seja do Gray, mas não digo nada.

— Não sei. — respondeu dando de ombros, ao puxar a tampa da caixa o meu queixo caiu.

Consolos, de todos os tamanhos e cores. É o que havia dentro daquela caixa misteriosa de presente. Juvia me encarou, boquiaberta também. Mas depois de meio segundo, ela ficou vermelha. Não de vergonha, mas sim de raiva.

— Vamos. — ela esbraveja, fechando a caixa e a colocando debaixo do braço. A mesma segura em meu pulso, me puxando para onde quer que fosse.

— Pra onde? — questiono confusa e ainda chocada com o presente inusitado.

— Devolver o presente pro desgraçado. — resmungou pisando fundo no chão.

Céus, Gray Fullbuster é um babaca. Talvez eu devesse reconsiderar essa minha ideia de sexo casual com o Natsu porque bem... Os dois são melhores amigos. Fiquei sabendo disso ontem. E se eles andam juntos, o rosado deve saber desse presente ridículo. Provavelmente deu risada e incentivou o amigo a envia-lo para a minha amiga. Que agora caminha estressada e com pura raiva para devolver o que lhe foi entregue.

Caminhamos pelo campus por uns longos minutos. Os meus pés começaram a reclamar de dor por estar usando saltos. O que me fez perceber do porque todo mundo estar virando o pescoço para me olhar. São sete horas, quase oito horas da manhã e eu estou usando um vestido curto e luxuoso feito por Juvia. Devo estar parecendo uma maluca ou alguém que acabou de chegar de uma balada ou coisa parecida. Ajeito o vestido para baixo, me sentindo um pouco desconfortável e então suspiro quando ela empurra uma porta dupla de madeira e entramos numa sala de musculação, cheia de homens que viraram seus rostos em nossa direção.

Para todo lado que eu olhava havia músculos e mais músculos, o ar estava com um cheiro forte de suor e desodorante.

— Foi mal, eu não sabia que ia estar tão cheio... — Juvia comenta num murmuro para mim e percebo que de raivosa, ela passou a ficar nervosa. Mas mesmo assim, varria a multidão de homens com o olhar para encontrar alguém em especial.

Não digo nada, pois o meu coração está disparado e o meu rosto vermelho. Estou usando algo tão ousado no meio de tantos caras que vivem por sexo e provavelmente morreriam pelo mesmo motivo. Sem contar que... Porque todos os atletas são bonitos? Isso é algum tipo de requisito para se tornar um? Céus, eu quero desparecer daqui. 

— Você! — Juvia grita de repente e eu posso sentir que a raiva dela retornou rapidamente.

No meio da multidão, percebo que Gray estava lá. De braços cruzados e cenho franzindo, assistindo nós duas. A azulada começa a caminhar e eu decido ficar onde estou, perto da porta pronta para correr quando essa situação terminasse.

Por incrível que pareça, ela não vai na direção do Gray e a minha expressão se torna pura confusão. Ela para na frente de um cara alto, cabelo platinado e olhos azuis. O sujeito sorri com confiança, mostrando todos os dentes brancos para ela e isso pareceu ser um tipo de combustível para a explosão de raiva que Juvia sentia.

— Você é um babaca! Idiota e medíocre! A próxima vez que uma garota te der uma pé na bunda porque é um broxa do caralho, aceite isso de uma maneira mais adulta por favor. — ela pede com educação, mas está sendo irônica. Seu comentário fez todos os caras rirem e caçoarem do Lyon, esse era o nome dele. Ele é jogador de basquete, me lembrei agora porque ele brigou em um jogo na temporada passada. — Alias, obrigada pelo presente. Me satisfazerem mais que você. — novamente ela é irônica e sem dó alguma abriu a caixa derrubando aqueles consolos no chão.

Uma fúria de risadas preencheu toda a sala de musculação, enquanto eu fiquei tão chocada que não tive reação. Simplesmente fiquei boquiaberta e ainda tampei a minha boca como se tivesse acabado de assistir uma peça teatral incrível.

Espera, isso significa que ela estava tendo sexo casual com o Lyon e o Gray?

Quando para pensar nisso, sinto que meu cérebro vai fritar dentro da minha cabeça.

— Oi. — um cara chego perto de mim, ele é ridiculamente musculoso. O mesmo olha para as minhas pernas antes de me olhar nos olhos e sorri malicioso. — Me passa o seu número? — pediu.

— Não... — murmurei sorrindo e me afastando.

— Já acabou? — Lyon questiona quando Juvia dá as costas e eu volto a prestar atenção ao que acontecia. Vejo minha amiga bufar feito um touro e se virar, voltando na direção dele.

— Não. — respondeu firmemente e usou o seu joelho para acertá-lo no meio das pernas. Ele fez uma terrível cara de dor e caiu se apoiando numa máquina qualquer. Além de risadas, pude ouvir lamentos, provavelmente alguns caras sentiram a dor do amigo também.

Finalmente uma risada escapa da minha garganta e eu cruzo meus braços, de repente um certo homem me chama a atenção, um segurança. Ele vem caminhando em minha direção com a cara fechada. O que significa que não era para estarmos aqui e aquilo nos colocaria em problemas.

— Droga... — murmuro caminhando em direção a minha amiga. — Temos que ir, não posso ter problemas com a direção. — me desespero ao imaginar a possibilidade de perder a minha exposição pelo simples fato de estar aqui. 

— Ai droga. — Juvia repete ao ver o segurança. — Vamos fugir. — concordei no mesmo instante e segurei em sua mão para ser guiada para a tal rota de fuga.

Havia uma porta nos fundos, corremos em direção à ela e quando a mesma foi aberta, Natsu e Gajeel apareceram rindo de alguma coisa no celular do moreno que tem um olhar assustador. Ainda não sei como Levy está saindo com esse cara, ele é totalmente o oposto da garota fofa e gentil que ela é. Mas os opostos se atraem e eles são a prova viva disso.

Natsu me encara e depois me olha de cima a baixo com o cenho franzido. Julgando o seu olhar, ele gostou de ver o que eu vestia mas se perguntava o porquê de estar usando isso e estar ali.

— Chave do carro? — pergunto desesperada ao rosado, que enfiou sua mão no fundo do bolso da bermuda esportiva e tirou a chave. — Obrigada. — praticamente roubo a chave da sua mão e passo correndo no meio dos dois.

— Eu preciso do meu carro! — ele grita em um aviso e eu ainda ouso olhar para trás enquanto procurava por seu carro.

— Tá, depois eu devolvo! — grito de volta.

— Alias, perdeu o sapato Cinderela! — gritou me avisando novamente, a voz repleta de humor ao levantar meus saltos brancos nas mãos. Juvia iria me matar, mas eu abandonei os saltos quando passamos pela porta porque não aguentava mais, sentia que meus tornozelos iriam se quebrar se eu corresse mais meio metro usando eles.

— Meia a noite eu pego de volta então! — nossa conversa se encerrou e eu pude analisar o seu sorriso de divertimento por meio segundo quando entrei no seu carro.

— Primeiro vamos sair daqui. — Juvia disse colocando o cinto de segurança. — Depois eu te mato por tirar os saltos!


Notas Finais


É isso mesmo pessoal, Juvia é um Natsu da vida, porém sabemos como o Natsu está agora... O mesmo acontece com ela em relação ao Gray, mas eu não contei nada, hein.

Shhhhh...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...