História Apenas mais um clichê - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Historia Original, Romance
Visualizações 7
Palavras 1.321
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiii gente, essa é minha primeira fanfic, não sei exatamente os dias que vou postar, mas espero que vocês gostem.
Desculpe se houver algum erro ortográfico logo serão arrumados.
Boa leitura❤

Capítulo 1 - Livraria


- Nat, acorda!!! Você tem que me dizer se essa roupa ficou boa. - Diz Lara, minha irmãzinha.

Acordo com minha irmãzinha me chacoalhando na cama e meu cachorro lambendo meu rosto, estava dizendo algo que não estava entendendo muito bem, pois estou afetada pelo sono. Fiquei a noite inteira assistindo meus seriados preferidos, estava tão entretida que nem me lembro quando finalmente peguei no sono.

- Hein? - Digo com a voz sonolenta implorando por mais alguns minutos na cama.

- Essa roupa está bonita? - Diz Lara com um ar de empolgação.

Minha visão está um pouco embaçada, então esfrego os olhos com as mãos para analisar melhor a roupa. Lara estava usando um short jeans preto básico, uma regata de gola alta branca e um All Star de couro branco.

- Eu achei linda, mas você vai para onde? - Pergunto realmente curiosa, não me lembrava de nada que tinha marcado hoje, era uma manhã de sábado comum.

- Oiii, você se esqueceu? Hoje é a minha festa do pijama - disse com um tom de deboche.

Como esquecer? Lara não para de falar nisso nem por um minuto. Achei que ainda faltava alguns dias, o tempo realmente passou muito rápido, como assim já são férias?

- Suas amigas vão chegar só a tarde, porque você já tá se arrumando? - Falo me levantando para escovar os dentes, pelo visto Lara não vai me deixar dormir mais.

- Quero você fora de casa como combinamos. - Diz Lara deixando minha pergunta no ar.

Eu já tinha planejado que iria ao shopping para deixar Lara e suas amigas mais a vontade em casa.

Falta meia hora para as meninas chegarem e decidi que vou me arrumar. Eu não sou uma dessas meninas que fica horas escolhendo uma roupa e passa muita maquiagem.
Escolho uma roupa simples, não planejo me encontrar com ninguém, estou usando uma calça jeans escura boca-de-sino, uma camisa preta curta, mas que não chega a ser um cropped, tem escrito "queen" em letras grossas e brancas e uso um sapato preto com solado branco tratorado. Passo um BB cream, pouco Blush apenas para dar um ar de saúde e rímel.

Quando eu ando no shopping sozinha normalmente as pessoas me dão um olhar de pena, devem achar que eu não tenho amigas ou que levei um bolo do namorado, mas na verdade eu não ligo de estar sem companhia, não significa que eu não tenha amigos, eu posso muito bem me divertir sozinha.

Estou indo para o andar do cinema ver quais filmes estão em cartaz. Encontrei um que está recebendo críticas muito boas e me parece interessante, mas a sessão começa só daqui a uma hora.
Comprei uma bebida do Starbucks e entrei em uma livraria, estou procurando por livros da minha autora preferida Paula Pimenta. Estou tão distraída que sem querer esbarrei em um menino que parece ter minha idade, ele é muito atraente, alto tem cabelos castanho claro e olhos cor de mel, seu cheiro é muito bom.

- Eita, desculpa - Digo um pouco envergonhada, pois quase derrubei café gelado em sua roupa.

- Essa foi por pouco. - Diz em um tom de brincadeira que me tranquilizou, sua voz era suave.

Notei que ele estava segurando um livro de uma coleção que já havia lido.

- Huum, cidade dos etéreos, já li a coleção inteira, é muito boa - Digo em um tom amigável.

- Também gostei muito do primeiro livro, estou desesperado para terminar a coleção.

- Você já assistiu o filme? - Pergunto curiosa, não é sempre que encontro alguém que já leu essa coleção.

- Ainda não, escolhi ler o livro primeiro, mas as críticas são muito boas, e você já assistiu? - Ele diz em um tom amigável.

Percebi que ele tem sotaque carioca e eu amo, mas achei melhor não comentar nada sobre o assunto, nem o conheço afinal.

- Sim, eu assisti o filme primeiro, mas ainda sim senti a emoção, o filme é muito diferente.

Estou me empolgando com a conversa, ele realmente é um menino interessante.

- Não conheço muitas pessoas que já leram esse livro, aposto que você vai gostar bastante. - Digo empolgada

- Como você tem tanta certeza disso? - Ele diz em um tom sedutor que fiquei até sem jeito.

- Eu apenas presumi - Penso rápido e digo.

Fiquei tão distraída que estava quase me esquecendo do filme, olhei para um relógio da biblioteca e falta cinco minutos, é o tempo de ir para a sala do cinema.

- Foi bom te conhecer, mas preciso mesmo ir - Digo apressada.

- Espera aí, você não vai nem me falar seu nome? - Diz me seguindo para fora da biblioteca.

- Meu nome é Natalia, mas pode me chamar de Nat - Digo me afastando

- Foi um prazer Nat - Ouvi sua voz de longe.

O filme foi muito bom, vou dar mais algumas voltas no shopping antes de chamar um Uber e voltar para casa.
Estou sentada em um banco longo em frente a portaria jogando Candy Crush no celular esperando meu Uber que acabei de chamar, sinto alguém sentar ao meu lado, me assunto ao ver que é o mesmo garoto da biblioteca.

- Você não tem muitos amigos, não é mesmo? - Ele diz como se estivesse com dó de mim.

- Por que? Só pelo fato de estar sozinha no shopping? Isso não significa que eu não tenha amigos.- Digo em um tom tranquilo.

- Talvez não, mas jogar Candy Crush ao invés de conversar com alguém sim. - Ele rebateu também em um tom tranquilo.

- Ei, você também não parece estar acompanhado, você não tem muitos amigos, não é mesmo? - Rebato com uma pergunta que ele fez anteriormente.

- Não, eu não tenho muitos amigos, pelo menos não nesta cidade. - Ele diz em um tom amigável.

- Como assim? Você não mora aqui? - Pergunto. sem entender muito bem a resposta.

- Não, estou visitando meu pai. Vou ficar na cidade até o início das aulas no fim de janeiro.

- E você está gostando da cidade? - Pergunto.

- Eu ainda não a conheci muito bem, cheguei ontem a noite. Sabe, eu adoraria conhecer todos os pontos turísticos e você parece conhecer a cidade muito bem, o que você acha de ser minha guia turística? - Diz com um ar de empolgação e dúvida ao mesmo tempo.

Fiquei muito assustada com a pergunta, eu nem o conheço, não sei nem seu nome, ele pode muito bem ser alguém com más intenções. Por esse motivo recusei.

- Tudo bem, eu entendo, você não me conhece, juro que não tenho más intenções, mas não conheço ninguém na cidade e meu pai está ocupado com o trabalho, eu prometo que não vou tentar nada com você. - Ele diz sério

Sua resposta me deu um pouco de dó, além do mais eu não tinha planejado nada para fazer nas férias, não seria uma má idéia apresentar a cidade para alguém.

- Vou pensar no seu caso - Digo séria

- É sério? Muito obrigado! - Ele diz realmente muito animado.

- Sim é sério, não consigo acreditar que vou apresentar a cidade para alguém que eu nem sei o nome. - Disse em um tom de brincadeira.

- A - Ele pareceu um pouco confuso - Me desculpe, acabei me esquecendo, meu nome é Lucas. - Ele disse me estendendo a mão.

Trocamos nossos telefones e meu Uber chegou.

Quando finalmente cheguei em casa cumprimentei as amigas da minha irmã e fui direto me trancar no quarto para não atrapalhar a noite das meninas.

Quando estava deitada tentando dormir me peguei pensando no Lucas, o menino de hoje a tarde. Estava ansiosa para me encontrar com ele. Pelo pouco que conversamos se mostrou ser alguém muito interessante.

Logo peguei no sono. 


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado, não se esqueçam de comentar o que acharam e até o próximo episódio. 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...