1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas nós (Romance Gay) >
  3. A verdade cruel e fria!

História Apenas nós (Romance Gay) - Capítulo 21


Escrita por:


Capítulo 21 - A verdade cruel e fria!


Povs Lucius

Mais tarde

As aulas acabaram e fui para casa.

Quando cheguei a casa e o André foi falar comigo.

-Lucius arruma tuas coisas – Disse o André.

-Porquê, vais me expulsar – Perguntei.

-Claro que não, apenas que eu estive a falar com aquele homem do governo que te trouxe e disse que eu gostaria de ficar contigo mas que o teu lugar é com tua mãe e ele aceitou te dar mais uma chance – Disse o André.

-SÉRIO – Perguntei animado.

-Sim, sério mesmo, quando precisares aparece por cá – Disse o André.

Eu fui no meu quarto arrumar minhas coisas muito feliz, nem acredito que vou voltar para casa!

Depois de um tempo eu fui para minha casa no carro do André.

Quando cheguei toquei a campainha e quem me abriu foi minha mãe que me deu um abraço apertado.

-É bom te ver Renata – Disse o André dando um sorriso.

-Também gostei de te ver e obrigada por cuidares do meu filho – Disse minha mãe correspondendo o sorriso, para mim até foi estranho essa atitude.

-Não tem problema – Disse o André.

Eu entrei em casa e o Nuno apareceu e a primeira coisa que me fez foi abraçar.

-ENTÃO CAMPEÃO – Disse.

-Como estás mano – Pergunta o Nuno.

-Eu estou bem e tu – Perguntei.

-Eu também, senti saudades tuas – Disse o Nuno.

Povs Andrew

Eu estava no quarto a fazer uns trabalhos de casa até que alguém bateu na porta.

-CHEGOU O MEU PREFERIDO – Disse a Lyla.

-Preferido – Pergunta o Parker.

-És muito falsiane maninha, tu ainda a algum tempo dizias que o teu preferido era o Gui – Disse rindo.

-Tenho que ir ajudar os empregados no grande jantar – Disse a Lyla indo embora.

-Como estás – Pergunta o Parker fechando a porta.

-Melhor agora que estou longe da escola – Disse.

-Acho que foi bom acontecer isso – Disse o Parker.

-Foi não, foi péssimo – Disse.

-Não sejas que nem eu, não podes ficar trancado a pensar no que queres da tua vida, tens de mostrar as pessoas o que tu sentes e o amor que sentes por ele, quando as pessoas começaram a desconfiar o que se passava entre mim e o Lucius eu fui um covarde e magoei a mim e aos meus amigos que pensavam que apenas o Lucius que queria dar em cima de mim, só depois de ele ser expulso eu senti um peso na minha cabeça e no meu coração, meus pais não me aceitaram durante alguns meses e eu tive a ajuda de meus amigos que no inicio não aceitaram mas depois de um tempo conversaram comigo e aceitaram numa boa – Disse o Parker.

-Como foste tão covarde a um ponto de magoar tanto o Lucius?

-Porque eu não sabia como lidar com isso e acabei por fazer desgraça mas tu não precisas de fazer o que eu fiz, tu podes ser melhor que eu – Disse o Parker.

Depois ficamos durante um bom tempo a falar sobre o Lucius, ele me explicou melhor sobre a expulsão do Lucius e sobre como ele se apaixonou por ele na época.

-Ei o pai nos chamou para comer – Disse a Lyla aparecendo.

-Hum comer, estamos indo – Disse.

Saímos do quarto e fomos para a grande sala de jantar onde estava alguns pais e NÃO, a Anna estava ali, ESTAVA NA MINHA CASA!

-Não, ela não deveria estar aqui – Disse o Parker no meu ouvido.

-Não importa – Disse.

Nos sentamos e começamos a comer, eles como sempre nestes jantares falam sobre negócios.

-Vai ser uma menina, a comandar a sua empresa – Pergunta meu pai para o pai da Anna.

-Ah, não, ela vai se casar com um homem rico para comandar a empresa!

-Podia ser com meu filho, ele já percebe do assunto e ele precisa de uma mulher para ter filho homem – Disse meu pai.

-Coitado, por isso ele anda desesperado porque nunca vai conseguir uma mulher ao nível dele  – Disse a Anna.

-ANNA, QUE ISSO – Pergunta o pai da Anna furioso.

-Ela fala mas ela também não consegue um homem de jeito – Disse.

-Como se tu tivesses um homem de jeito – Disse a Anna dando uma risada provocadora.

-QUE CONVERSA É ESSA – Pergunta meu pai furioso.

-Ela tem demência, está doente porque levou um fora do Andrew – Disse o Parker.

-PARKER – Disse o pai do Parker.

-Anna, cala a boca e tem respeito senão vais ver em casa – Disse o pai da Anna furiosa.

-EU SÓ LEVEI UM FORA PORQUE ELE É UM MOLE – Disse a Anna.

-Porque deste um fora nela Andrew, tu sabes que tu precisas de uma mulher para te casares e ter filhos!

-Não é a hora – Disse.

-ELE ME DEU UM FORA PORQUE É GAY, GAY – Disse a Anna furiosa com lágrimas nos olhos.

-Que se passa com vocês – Pergunta minha mãe confusa.

-O que estás a dizer Anna – Pergunta meu pai de um jeito chateado.

-TEU FILHO É GAY, VOCÊ NÃO PERCEBEU AINDA?

-Invenção dela PORQUE NÃO A SUPORTO, SÓ PENSA EM DINHEIRO!

-MENTIRA, MEU PAI É MAIS RICO QUE TU E NÃO PRECISO FINGIR AQUILO QUE NÃO SOU -Disse a Anna.

-DEIXA MEU IRMÃO EM PAZ – Disse a Lyla furiosa.

Logo após isso o Parker deu a mão da Lyla e foram os dois para o quarto mas ela estava quase para dar porrada na Anna.

-VAGABUNDA – Disse.

-BICHA – Disse a Anna.

-CHEGA DESTA DISCUSSÃO, PARECEM UNS RETARDADOS A DISCUTIR – Disse um homem da empresa que não sei quem é.

-Chega Anna, estás a fazer essas acusações porque estás com raiva dele, porque amas ele mas posso te garantir que meu filho não é gay e nunca vai ser – Disse meu pai.

-AH É, TENS A CERTEZA – Pergunta a Anna atirando um papel com fotos dentro para o meu pai, e a minha mãe também foi ver.

-AGORA COMO TE VAIS DEFENDER ANDREW – Pergunta a Anna furiosa.

Depois disso eu fiquei a olhar para ela com o maior ódio e o Parker voltou.

Meu pai não disse nada e eu fui na beira do meu pai.

-Pai…

-Quando o jantar acabar precisamos conversar Andrew, ter uma conversa muito séria, não vamos falar disso a frente de todo o mundo – Disse meu pai.

Depois disso todo o mundo continuou a jantar e logo após o jantar acabar e todo o mundo ir embora eu continuei sentado na mesa de jantar.

-TU ESTÁS LOUCO ANDREW – Pergunta meu pai agressivamente junto com minha mãe.

Nesse momento eu não consegui responder nada e só consegui soltar lágrimas.

-Pai eu…

-COMO TENS CORAGEM DE IR TÃO BAIXO, TU CARREGAS MEU NOME NAS COSTAS, TINHAS UM GRANDE FUTURO PELA FRENTE, ÉS UMA VERGONHA – Disse meu pai furioso.

-Não preciso de ter vergonha pai…

-NÃO ME CHAMES DE PAI, EU SEMPRE DESCONFIEI QUE ERAS ASSIM MAS TODOS ME FALARAM QUE JÁ DESCONFIAVAM SOBRE COMO ERAS E EU NUNCA ACREDITEI, EU PENSEI QUE IAS TE CASAR E IA ESTAR TUDO BEM MAS PRECISOU DE VIR UMA MENINA AQUI PARA CONTAR A VERDADE – Disse o meu pai me atirando as fotos a cara.

-Eu pelo menos fui discreto, se não fosse ela ninguém saberia!

-NUNCA ISSO DEVERIA TER ACONTECIDO, DEVIAS ERA TER TE CASADO COM UMA MULHER E VIVER UMA VIDA COM REPUTAÇÃO, TU ME DÁS NOJO E ALÉM DISSO TU ESTRAGASTE NOSSA REPUTAÇÃO, NADA DE HOMENS, EU NÃO QUERO MENINOS GAYS NESTA CASA!

-Eu tentei superar isso mas não consegui quando me apaixonei, eu sempre me senti diferente mas se eu pudesse escolher nunca seria assim!

-Isso não é amor Andrew, estás errado, é apenas uma coisa na tua cabeça – Disse minha mãe com um olhar triste, ela como sempre fica do lado dele, não sei o porquê.

-NÃO É, EU JURO – Disse.

-ANDREW TU SABES O QUE SE PASSOU AQUI NÃO SABES, POR CULPA DE TUAS BRINCADEIRAS ESTRAGASTE NOSSA REPUTAÇÃO, ISTO VAI SER FALADO EM TODO O LADO, E SEM CONTAR QUE DEIXASTE SER FILMADO A FAZER ESSAS VERGONHAS!

-Sobre as fotos eu não reparei em nada eu juro e eu tentei não ligar a isso, EU TENTEI, mas é mais forte que eu mas eu sempre me senti diferente, eu nunca pensei que chegar até aqui mas é assim que me sinto bem!

-TU SENTES-TE ASSIM PORQUE NUNCA PEGASTE NENHUMA MENINA, NUNCA ANDREW, NUNCA FOSTE HOMEM O SUFICENTE PARA ELAS, NÓS TEMOS DINHEIRO TEMOS UMA CASA LINDA, TODOS OS MEIOS PARA TER UM FUTURO GRANDE, EU NÃO POSSO TER UM FILHO GAY!

-Não é vergonha hoje em dia…

-É SIM, Andrew esse tipo de pessoas está a mexer tua cabeça – Disse minha mãe.

-PORQUE NÃO ACEITAM, NÃO É UMA COISA TÃO RUIM!

-É SIM, UM FILHO GAY, AH NÃO ANDREW, TU VAIS FICAR COM A MINHA EMPRESA E POR NADA NÃO PODES SER ASSIM, TU VAIS PERCEBER O QUE É SER UMA PESSOA DE RESPEITO – Disse meu pai furioso.

-Estou farto disto TUDO, EU NÃO POSSO SER NINGUÉM NA MINHA VIDA?

-VAIS SER UM PARASITA DE RUAS ANDREW?

-Quem devia tomar vergonha era a Anna pelo que ela…

-ESSA MENINA FICOU REVOLTADA PORQUE SE CALHAR ELA QUERIA ALGUMA COISA CONTIGO E EM VÊS DE FICARES COM UMA MENINA LINDA, TE CASARES E SER FELIZ, NÃO, TROCAS ELA POR UM HOMEM, TU ÉS UMA VERGONHA ANDREW, UM LIXO DE PESSOA, ANDREW TU JÁ TENS DESSASSEIS ANOS, CRESCE DE UMA VEZ OU TU NÃO VAIS NEM COLOCAR OS PÉS NA MINHA EMPRESA!

-Como - Perguntei limpando algumas lágrimas.

-OUVISTE BEM, EU NÃO VOU SUPORTAR O QUE OS OUTROS VÃO DIZER SOBRE O JANTAR DE HOJE, MEU FILHO GAY, NUNCA E ACHO QUE SEM MIM NÃO SERIAS NADA!

-ACHAS MESMO ISSO – Perguntei me levantando.

-MAS EU SEI DE UMA COISA QUE PODES FAZER PARA ESQUECERMOS ISTO!

-O que é – Perguntei curioso.

-Tu vais fazer as pazes com a Anna, quando acabar o ano tu vais lhe pedir em casamento, criar uma família, SER UM HOMEM TAL COMO SEMPRE FOI PLANEADO, se não fizeres isso vai embora!

 -Não achas que estás a exagerar – Disse minha mãe para o meu pai.

-NÃO ESTOU NÃO LUCY, ESTE BASTARDO TEM QUE CRESCER – Disse meu pai furioso.

-DE TODAS AS ESCOLHAS QUE EU TIVE CHANCE ESTA FOI A ÚNICA EM QUE EU ME SENTI BEM, ME SENTI UMA PESSOA COM SONHOS, UMA PESSOA FELIZ!

-Melhor para mim era não ter um filho gay…

Eu peguei num casaco e eu abri a porta para sair de casa, já estava completamente farto de o ouvir, a primeira coisa que eu pensei era ir embora.

-AONDE PENSAS QUE VAIS ANDREW, QUARTO AGORA!

-ESTOU FARTO, EU VOU EMBORA!

-Andrew se tu sais por essa porta, NUNCA MAIS ENTRAS AQUI E EU DOU UM JEITO DE TE TIRAR DO MEU TESTAMENTO, FICAS SEM NADA PARA…

-NÃO QUERO SABER, ESTOU FARTO, PREFIRO MORAR DEBAIXO DA PONTE DO QUE CONTIGO!

-TENS TANTA SORTE DE NA FOTO NÃO DAR PARA VER O RAPAZ, SENÃO TAMBÉM ACABAVA COM A VIDA DELE!

-Eh pai, parece que tiveste azar NÃO FOI, NÃO VOLTES A FALAR COMIGO, NÃO VOLTES A ME LIGAR  – Disse de um jeito muito agressivo.

-FAZ O QUE QUISERES MAS AMANHÃ JÁ VAIS ESTAR DE VOLTA!

Depois de ele falar aquilo eu sai de casa e fechei as portas com força e ia entrar no meu carro até que ouço alguém e me chamar.

-Foi muito mau lá dentro – Pergunta um homem idoso aparecendo, ele esteve no jantar mas não o conheço.

-Foi péssimo – Disse.

-Aquele rapaz da foto é igual ao meu filho – Disse o homem.

-Impossivel, o pai dele morreu quando ele tinha doze ou treze anos – Disse.

-Vamos para minha casa – Disse o homem abrindo a porta do banco de passageiro de seu carro luxuoso.

-Está bem – Disse.

-Meu nome é Ruan Phillips – Disse o homem.

-Intendi senhor Phillips.

Entramos no seu carro.

-Os comportamentos do teu pai me são familiares – Disse o homem.

-Você teve um pai parecido – Perguntei.

-Não, eu era assim, mas pelo menos és certinho, meu filho também tinha de ter um futuro de empresário, se casar com uma mulher qualquer e só se focar nisso!

-E o que aconteceu com ele?

-O meu filho se tornou uma pessoa muito metida, um revoltado em casa, ele se apaixonou por outra menina , humilde, estudiosa, inteligente, bonita, ele se tornou pai aos dessásseis anos, logo após eu descobrir a gravidez da menina dele, eu o expulsei de casa e nunca mais o vi, anos depois descobri que ele faleceu num acidente!

-Eu sinto muito – Disse desanimado.

-Meu filho cresceu para gerir a maior fortuna e ele acabou por nem gerir nada.

-Mas você nunca viu seu neto?

-Nunca o conheci e me arrependo muito, ele com certeza foi feliz sem mim.

-Mas com certeza você não era contra o seu filho ser gay?

-Sim possivelmente, na altura eu não estava a pensar direito nas coisas, apenas em dinheiro mas hoje em dia tenho um neto bissexual que vive comigo, mas ele é o mais problemático na minha casa, ele só faz desgraçada na vida dele

-Mas você nem sabe onde está o seu neto?

-Não, o meu filho depois de tudo desapareceu do mapa e só depois de vários anos eu o tentei procurar!

-Eu sinto muito pelo seu filho, era o único?

-Não, tenho mais outro mais velho mas ele está em viagem, só está o meu neto Luke.

Chegamos na mansão dele e saímos do carro.

-Esta é a minha casa  - Disse o homem.

-Que bonita – Disse.

Entramos na casa e o homem ligou as luzes.

-Como foi o jantar avô – Pergunta um rapaz aparecendo.

O rapaz tinha cabelos castanhos quase loiros, olhos castanhos, ele era realmente muito bonito, parecia que tudo brilhava enquanto ele estava a minha frente.

-Quem é esse?

-Este é o Andrew, devido a uns problemas ele vai ficar aqui em casa, Andrew, Luke, Luke, Andrew.

-Está bem, olá Andrew – Disse o Luke me estendendo a mão.

-Tudo bem – Perguntei.

-Sim e contigo – Pergunta o Luke.

-Também – Disse.

-Tem um quarto vazio onde podes ficar esta noite, me segue – Disse o Luke.

Comecei a seguir ele até ao tal quarto, este menino é muito lindo, como é possível?

Chegamos no quarto.

-Dorme bem, amanhã é um novo dia – Disse o Luke.

-Amanhã não vou na escola – Disse.

-Que rebelde, porque não vais?

-Meu pai vai estar lá – Disse.

-Acho que tive uma ideia – Disse o Luke.

-Que ideia – Perguntei confuso.

-Espera até amanhã – Disse o Luke.

O Luke saiu do quarto e eu comecei a preparar minhas coisas para dormir, não sei porquê mas eu sinto que ainda vai acontecer muita coisa, isto não é o fim, é apenas o começo!


Notas Finais


Vish pessoal, este ep foi quente, vocês não acharam? 😜
Espero que tenham gostado
Amo vocês FUIII!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...