1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas nos (taeyoonseok namjin jikook) >
  3. Enfermeira e seus amantes - o fim - exclusividade?!

História Apenas nos (taeyoonseok namjin jikook) - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


Eu sei! Eu sei! Eu sei que demorei pra voltar mas eu voltei, é que eu tô passando por uns problemas pessoais e tá sendo um pouco difícil pra mim, espero que entendam.

⚠️Atenção⚠️

Nesse capítulo eu vou falar de relacionamento abusivo, só que de uma forma superficial, então caso você tenha algum tipo de gatilho e/ou Não goste do assunto recomendo que pulam algumas partes, mas não tem nada passado não, e como eu disse antes não vou me aprofundar muito, por que aliás esse não é o foco da fanfic.

Agora sim, boa leitura🥰

Liam as notas finais

Capítulo 32 - Enfermeira e seus amantes - o fim - exclusividade?!


                          Jimin

Decidi ficar depois das aulas pra ensaiar uma música que eu tava fazendo, o nome dela era serendipity, teve uma hora que eu me senti sendo observado, mas eu resolvi esquecer isso, afinal estava muito concentrado na minha dança. Já estava dançando a um bom tempo, por isso estava encharcado de suor, realmente nojento.

Quando a música para de tocar e a dança acaba, ouço palmas vindo em direção a porta, naturalmente, eu tomo um susto. Um semblante conhecido por mim, que possuía cabelos negros e olhos profundos, era cafajestes que só ele, mas encantador ao mesmo tempo, sim, infelizmente estamos falando de Jeon Jungkook. A razão de minhas recente lágrimas, o mesmo ser que me fazia ter frios na barriga era o mesmo que me dava raiva e ódio, ó se dava, Jeon Jungkook eu te odeio... ou .... gosto de você?

- Você dança muito bem.- o demônio fala se aproximando, seu tom era gentil e sereno, vejo que estava um pouco vermelho. Não queria ter olhado naquela parte, mas havia um pequeno volume em sua calça, ele não estava excitado? Estava?

- Muito obrigado, querido.- falo com ironia.

- Querido?! - fala levantando uma de suas sobrancelhas.

- Sim! - falo normal mas logo voltou com a minha cara de deboche - Querido demônio da minha vida, agora vaza.

- Gentileza passou longe.- Jungkook debocha.

- O que você quer? - falo cruzando os braços sem paciência.

- Vim pegar meu celular que eu esqueci aqui.- Explica.

- Então pega e vaza.- Falo com grosseria novamente.

- Tá nossa.- fala ofendido e logo vai pra uma parte da sala, eu ia ficar por mais um tempo e ensaiar a dança, então liguei a música novamente.

Comecei a dançar, mas parei bruscamente quando sinto um par de mãos me virarem e abraçarem a minha cintura, ficando de cara com o demônio, vulgo, Jungkook. Ele ataca meus lábios. Eu tento me soltar mais ele me prende mais forte, tento negar o beijo mas ele insiste e eu acabo cedendo. Seus lábios eram sempre doces, seus toques sempre me faziam arrepiar e eu odeio isso.

Quando o beijo é interrompido pela falta de ar o empurro pra longe de mim, ele acaba cambaleando.

- FICA LONGE DE MIM! - grito furioso limpando meus lábios, mostrando que não tinha gostado do beijo.

- Qual é?! Para de se fazer de difícil Jimin.- fala tentando se aproximar mas eu o afasto.

- Eu não tô me fazendo de difícil, eu só quero você longe de mim.- falo meio baixo, mas alto o bastante pra ele ouvir, na minha voz havia um pouco de insegurança, aliás eu não queria ele longe de mim, mas mantê-lo por perto do iria me machucar.

- Por que tenho a impressão que você tá mentindo? - PORQUE EU TO! SEU IDIOTA!

- Você pode só ir embora, eu quero ensaiar.- falo tentando me acalmar.

- Jimin por que você é assim? - Me pergunta e eu arregalo os olhos.

- Por que eu sou assim?! - indago e ele assente - Por que eu sou assim Jeon Jungkook, por que VOCÊ É ASSIM?!

- O QUE EU TE FIZ?! - pergunta já alterado.

- VOCE NÃO FEZ NADA PRA MIM! EU QUE FIZ! ME ILUDI DE NOVO POR UM PEDAÇO DE BOSTA QUE NEM VOCÊ! - grito beirando as lágrimas.

- EU NÃO TE ENTENDO! - Jungkook grita confuso.

- NÃO É PRA VOCÊ ME ENTENDER! VOCÊ SÓ É UM PEDAÇO DE MERDA MAL CARATER, UM CAFAJESTE, UM VAGABUNDO, UM CACHORRO E UM PUTA GOSTOSO POR QUEM EU ESTOU ME ILUDINDO! - grito extravasando toda a minha raiva, eu não queria ser sincero, mas acabei sendo – VOCÊ ACHA QUE EU NÃO SEI?!

- DO QUE VOCÊ TA FALANDO?! DO QUE VOCÊ SABE?! - pergunta confuso, acho que ele só gritou por causa do clima hostil que pairava sobre nós.

- EU SEI O QUE VOCÊ TAVA FAZENDO COM A YUMI ONTEM! NÃO SÓ EU! MAS TODOS NOS! EU, TAEHYUNG E O JIN VIMOS A MERDA QUE VOCES ESTAVAM FAZENDO NAQUELA SALAS VAZIAS! - não sei por que falei isso, mas falei. Falei e vi seu semblante ficar ainda mais confuso, mas ele logo muda pra uma mais triste.

- Foi por isso que você tava chorando ontem? - pergunta com voz carregada de tristeza, por que ele estava tão triste?

- Foi exatamente por isso que eu estava chorando ontem.- falo me acalmando um pouco, não queria admitir isso pra ele, mas admite.- eu não queria, mas me machuca te ver com outra pessoa e é por isso que eu quero se afaste, não quero mais me machucar, não quero mais me iludir.- Jungkook tenta me abraçar novamente mas eu o afasto - Não me toca! Por favor.- imploro.

- Se é isso que te incomoda eu não saiu com mais ninguém - ele fala olhando no fundo de meus olhos, pude ver sinceridade em seus olhos - Eu mudo, por você.

Já não aguentava mais, já beirava as lágrimas, que logo começaram a cair descontroladamente.

- Para Jungkook! - esbravejo, as lágrimas não paragem de cair - Você nunca vai mudar! Não é um homem de uma pessoa só!

- Eu mudo por você Jimin! - Me implorava com os olhos já cheios d'água.- Mas só por você.

- Então me prova! - falo já com as lágrimas escorrendo por minhas bochechas - Eu preciso que você me prove!

- Então eu preciso que acredite em mim.- fala tentado me abraçar novamente, mas dessa vez conseguindo.

- Não! Eu não quero me machucar - falo me afastando dele novamente - Como você pode me provar isso? - pergunto e o vejo ficar com uma expressão pensativa.

- Eu não saio com mais ninguém, nem você, vamos nos priorizar - fala cerrando os punhos, aquilo parecia ser difícil pra ele. Meu queixo caiu na hora, não acreditava no que ele estava falando - Exclusividade.

PRIORIDADE?! EXCLUSIVIDADE?! TA DE SACANAGEM!

- Você não vai conseguir.- falo baixinho desacreditado.

- Vou sim, por você, eu vou.- fala convicto e eu me viro de costas pra ele.

- Se você quer tanto assim. - Me dou por vencido, mas não! Eu queria que ele sofresse o que eu sofri, eu sei que esse não era o melhor caminho, mas eu queria muito - mas com uma condição!

- Qual? - Me pergunta esperançoso.

- Isso só vai valer pra você, eu posso sair com quem eu quiser.- falo ainda de costas, mas pude ouvir um suspiro descontente.

- Sério isso? - pergunta incrédulo.

- Se não quiser não faz, mas desiste de se aproximar de mim.- falo cruzando os braços, já estava mais calmo, mas minhas lágrimas continuavam a cair.

- Eu faço - quase não o ouço, olho de relance e vejo que ele também chorava, e vai em direção a porta e o vejo sussurrar, foi quase inaudível, na seu conseguir ouvir - Eu vou te provar.

Taehyung

Yoongi aperta mais minha cintura e dessa vez eu sinto meu membro acordar, Hoseok atacou meus lábios, era um beijo quente e apaixonante, era viciante e luxurioso. Meus braços abraçavam seu pescoço, já a suas repousavam em meus ombros. Yoongi ainda beijava meu pescoço, mas agora tratava de deixar chupões por onde passava.

Quis aprofundar mais o beijo, e foi isso mesmo que eu fiz, o deixei mais intenso mais prazeroso. Quando a falta de ar se fez presente me separei de Hoseok e me virei pro Yoongi, que parou de beijar meu pescoço e passou a beijar minha boca. Agora era a vez de Hoseok beijar meu pescoço, e... céus! Era uma sensação tão incrível, seu lábios tão delicados tocando meu pescoço, enquanto Yoongi me beijava tão ferozmente.

Diferente dos lábios delicados e suaves de Hoseok, que me proporcionavam um beijo doce porém viciante e luxurioso, os lábios de Yoongi eram ferozes e selvagens, um beijo frenético.

Estava tudo tão bom, estava ótimo... Estava, por que tinha que lembrar disso justo agora?! Me lembrei de ontem, quando eu vi os dois fudendo aquelas garotas. E-eu não tô chateado, aliás eles não eram nada pra mim mesmo, não passam de colegas de classe, é! É isso, Não colegas de classe, apenas isso. Com a falta do ar, descolados nossos lábios e por minha "sorte" não poderíamos continuar, já que a enfermeira abriu o armário.

- Já podem sair - a enfermeira fala saindo da porta, eu sou o primeiro a sair do armário.- eu consegui mandar ele embora, mas acho melhor vocês irem também.

- Você vai ficar bem? - pergunto preocupado.

- Vou sim! Por que está tão preocupado comigo? - pergunta confusa e eu logo fico meio triste por lembrar do passado.

- Eu não sei, gosto de cuidar das pessoas.- falo simples - posso ir fazer a sopa agora?

- Se você puder.- fala sorrindo gentil.

- É claro que eu posso.- falo indo em direção ao quarto e indo em direção a cozinha, sendo seguido por Yoongi e Hoseok.

- Taehyung - Hoseok chama a minha atenção - Por que você se importa tanto?

- Não posso mais.- falo procurando as panelas.

- Pode...- Hoseok começa a falar.

- Mas você não a conhece, é meio estranho.- Yoongi fala completa.

- O que tem de errado em me importar? - pergunto incrédulo e sem paciência.- olha eu só quero fazer a sopa.

- Ok! - Hoseok se dar por vencido - podemos te ajudar pelo menos?

- Se vocês quiserem.- os dois se entre olham e assentem e eu sorrio minimante - Legal, então mãos massa.

Acontece que eu não gosto de me lembrar do meu passado, ainda não o superei, mas ele tá tido gravado, em pequenos arquivos, mas isso é outra historia.

Fizemos a sopa e até que os meninos me ajudaram bastante, mas a visão de ver os dois com outras pessoas, em uma sala vazia, não saia da minha cabeça e isso me machucada muito.

(Autora: pra quem não entendeu ou tá confuso vou explicar: no capítulo 28 quando o Jimin viu o Jungkook trasando com a Yumi ele ficou mal, mas não foi só Jimin que viu, quando Taehyung e Jin olharam nas salas do lado, viram o Namjoon, Hoseok e Yoongi com a Nabi e suas amigas, só que em salas diferentes, mas todos fazendo a mesma coisa).

Foi tão divertido que eu queria que durasse mais, mas isso não aconteceu, o que aconteceu foi da gente entregar a sopa e conversar com Jae Hwe a tarde toda. Ela era uma boa companhia.

O tempo passou e já deu hora de ir embora, então nos despedimos e saímos. Mas quando já íamos entrar no carro pra ir embora, a vizinha da enfermeira nos chamou.

- Psiu! - a vizinha chamou nossa atenção, ela era a vizinha do lado direito da casa da enfermeira e aparentava ter a mesma idade que ela - venham aqui.

Nos entre olhamos pra ver qual decisão iríamos tomar, mesmo que o medo fosse evidente dos olhos de Hoseok, concordamos e seguimos rumo a casa. O nervosismo fazia minhas mãos soarem, a ponto de ter que ficar passando elas toda hora na minha perna. Já dentro da casa da pessoa desconhecida ela nos guiou até o seu sofá.

- Olha eu vou ser bem direta - a mulher começou a falar - Eu não conheço vocês e tô morrendo de medo de vocês querem me matar, mas eu precisava falar com vocês.

- O que quer falar com a gente? - Yoongi pergunta sério, sinceramente, esse tom me fez arrepiar todinho, foco Taehyung!

- Quero que me ajudem a ajudar a Jae Hwe.- fala com claro tom preocupado na voz.

- O que?! - pergunto confuso.

- Eu vou contar tudo pra vocês ok? - pergunta e nos assentimos - a três anos atrás a Jae Hwe se mudou pro meu lado, na hora eu e ela viramos amigas, depois de um tempo descobrimos que trabalhávamos no mesmo lugar, na Universidade. Ela foi se envolvendo com o Soong Bong, o diretor da universidade, era tudo escondido mas eu sabia, aliás, eu sou a melhor amiga dela. Enfim, eles começaram a sair, logo depois a namorar mesmo errado e perigoso o amor era sincero e terno, pelo menos era o que ela dizia. Depois de um tempo ele começou a bater nela, por tudo, ela não podia mais sair com os amigos, nem fazer nada que ele não aprovasse.

- Por que você não denunciou? - pergunto incrédulo.

- É claro que eu denunciei! - fala um pouco alterada - mas a polícia não deu a mínima, em se quer vieram aqui. Mas continuando, fizemos de tudo pra ele parar, até que ele nos afastou dela, tentei ser um apoio pra ela mesmo de longe, Jae Hwe está tentando sair disso a tanto tempo.- fala com um ar melancólico na voz, eu entendo a sua dor, realmente entendo - Depois de um tempo a Hwe começou a se aproximar do Choi Kawan, o secretário, ele parecia ser um bom homem, mas não era. Diferente do Bong, Kawan nunca levantou a mão para Hwe, mas a xingava de tudo quanto é nome.

- Isso tudo faz quanto tempo? - pergunto curioso.

- Dois anos e meio, mais ou menos, por que? - pergunta confuso.

- Só pra saber, como podemos te ajudar? - pergunto voltando pro motivo de termos entrado na casa.

- Queria que vocês me ajudassem de dentro, eu não posso mais entrar no campus, eu fui expulsa.- Explica.

- Expulsa?! - Hoseok pergunta assustado - p-por que?

- Tentei descobrir as coisas e Soong Bong usou o seu "poder" pra me afastar, eu era a antiga professora de dança.- a professora de dança?! Uau!

- Podemos sim! - falo me levantando e tirando meu celular do bolso - vamos trocar os números, assim fica mais fácil.

- Claro.- fala gentil se levantando e também tirando o celular do bolso, ela deu uma rápida olhada na janela e seus ficou estática.

- O que aconteceu?! - pergunto olhando pra mesma, vejo Hoseok e Yoongi também a olharem assustados, Yoongi se vira em direção a janela e aponta pra uma pessoa que estava chegando perto da porta da enfermeira.

- Aquele não é o secretário?! - Yoongi fala apontando pro homem que entrava na casa de Jae Hwe.

- É ele mesmo.- falo desacreditado, agora todos nós quatro encaravamos a janela.

- E aquele não é o diretor?! - Hoseok fala apontando pra figura de um homem saindo de um carro.

- Por que ele voltou?! - pergunto incrédulo. Ele vai em direção a porta e bate a campainha esperando uma resposta.

- Merda! - a mulher esbravejou. Jae Hwe atende a porta, não conseguimos ver sua reação, mas pela reação do diretor, parece que ela não o deixou entrar.

- O que a gente faz agora?! - Hoseok pergunta, não era a melhor situação pra isso, mas eu achei fofo como ele se envolveu na história. O diretor acaba entrando a força.

- E-eu não sei.- a mulher fala desolada. Não demora muito até ouvirmos os gritos.

- QUE PORRA É ESSA?! - O diretor esbravejou.- SE ACALMAR É O CARALHO!

- QUEM VOCÊ PENSA QUE É PRA GRITAR COM ELA SEU MERDA!? - Foi a voz do secretário que ecoou.

- PAREM POR FAVOR?! - era a voz suplicante da enfermeira que soou um pouco mais baixa.- POR QUE ESTÃO FAZENDO ISSO?!

"Para por favor!" Não, isso de novo não, essas memórias.... essas lembranças...... não!

- SUA VADIA! - a voz do secretário soou mais uma vez.

- NÃO A CHAME ASSIM! - O diretor a defendeu.

"Você é só uma putinha que dá pra qualquer um"

"Não é bem assim"

SLAP!

Se pode ouvir o barulho de um tapa.

"SLAP!"

- NÃO PODE BATER NELA SEU VAGABUNDO! - Foi o secretário que gritou agora.

"NÃO PODE ME BATER"

CRASH

O que julgo ser um vaso de vidro se quebra.

"CRASH

A porta de vidro se quebrou, os cacos de vidros nas costas, e o sangue escorria até o chão"

NÃO! Não tá na hora de me lembrar do passado e sim no que tá acontecendo na minha frente.

- O que foi isso?! - Hoseok pergunta desacreditado.

- Temos que impedir! - a mulher fala indo em direção a porta - vamos!

Todos fomos em direção a casa ao lado, a porta ainda estava aberta e Jae Hwe estava no chão, os cacos de vidro também estavam ao seu lado, como suspeitava era um vaso que se quebrou.

O diretor estava tentando bater na Jae Hwe e Choi Kawan tentava impedir. A mulher sem pensar dias vezes entra na casa e empurrando Soong Bong, o levando para longe de Jae Hwe.

"NÃO SE INTROMETE! - esbravejou no chão."

Hoseok e Yoongi foram lá impedir também, mas eu estava estático, as memórias... as lembranças..... todas elas..... de volta!

Peguei meu culular e disco 180 no teclado da chamada, ele chamou dias vezes até que ouvi uma voz do outro lado.

- Alô, é a polícia? - pergunto saindo do meu transe, as lágrimas que se acusavam em meus olhos começaram a cair.- Polícia Militar?

- Sim, polícia.- a pessoa responde do outro lado da linha, não sabia dizer se era um homem ou mulher. Agora Soong Bong e Choi Kawan tentava bater em Jae Hwe, enquanto Yoongi, a mulher e Hoseok os impediam.

- Por favor me ajuda, tão batendo na minha amiga! É o namorado dela.- falo tentando ficar calmo e falhando logo em seguida.

- Calma, me passa seu endereço.- a pessoa do outro fala tentando me acalma.

- Rua ******, endereço ******, número *** - falo tentando me lembrar de onde estávamos.

- Já estamos indo.- a pessoa fala desligando a chamada.

"- Manda uma viatura e uma ambulância por favor.- implorava ao celular.... Mas era tarde demais".

Daqui pra frente tudo ficou nebuloso, não entendia mais nada, tudo começou a rodas e as lágrimas ficaram mais grossas. Comecei a escutar o barulho das sirenes.

"Oouuiiiwoouiuiwiiiiii

O barulho da ambulância se ouvia de longe, mas ele estava perto.

- Eu sinto muito...- o Médico começou a falar".

Os policiais pegaram Soong Bong e Choi Kawan, os colocando na viatura, tudo acontecia em câmera lenta. Uma ambulância também estava aqui, a enfermeira estava seriamente machucada e iriam levá-la ao hospital. A mulher foi com ela.

- Taehyung, Taehyung! - Hoseok me chamou.

- O que? - pergunto confuso.

- Chegamos.- Yoongi fala e percebo que estávamos na frente da minha casa.

- O que aconteceu? O que aconteceu com a Jae Hwe?- pergunto confuso.

- Os dois foram presos e a enfermeira foi pro hospital.- Hoseok me explica.

- É verdade - falo pra mim mesmo - obrigado.- falo saindo do carro.

- Taehyung! - Yoongi me chamou.

- Sim.- falo me virando.

- O carro é seu, não vai estacionar? - Yoongi pergunta.

- Deixa aí, eu vou chamar o Jin.- falo e vejo os dois sair do carro - Tchau!

- Tchau.- Hoseok fala sem graça.

- Adeus.- Yoongi fala começando a andar em direção a sua casa.

Faço o mesmo, diante da porta, giro a maçaneta e entro em casa. Jimin devia as escadas com os cabelos molhados, talvez estivesse tomando banho, já Jin assistia alguma coisa na sala.

- Taehyung?! - Jimin pergunta confuso.- Você tá bem?!

- Acabou! O caso da enfermeira.- falo finalmente me dando conta de tudo o que aconteceu - um final feliz - Jimin sem entender nada vem e me abraça - finalmente.

...

Estávamos todos em volta da mesa contando tudo o que aconteceu hoje. Já estava melhor.

- Exclusividade?! - pergunto surpreso.

- Né! - Jimin concorda comigo, mas ele logo se vira para Jin lançando um olhar malicioso. - como foi com o Suk em Jin?

- Bom, nos conversamos e passamos um tempo bacana juntos.- fala simples.

- E...? - pergunto o incentivando a continuar.

- E o que? - se faz de sonso.

- Você transaram? - Jimin pergunta sendo direto.

- T-talvez.- fala envergonhado.

- Hmmmmm.- eu e Jimin falamos ao mesmo tempo, olhando com malícia para Jin.

- Vocês parem! - fala ainda envergonhado - Eu vou ajudar ele a conquistar a pessoa que ele gosta!

- Operação cupido? - pergunto interessado na conversa.

- Não Tae, eu só vou dar uns concelhos.- Jin fala já sabendo aonde eu queria chegar.

- Tá bom.- falo me dando por vencido.

Jungkook

Depois daquela "conversa" que tive com Jimin fui pra casa e fiquei refletindo sobre isso, estava sozinho em casa, já que Yoongi e Hoseok se mataram em sei lá aonde e Namjoon tinha saído pra qualquer lugar.

Decide pensar no que fazer e como conquistar Jimin, quando vi já era tarde e os meninos já estavam todos em casa, Hoseok parecia distante e Yoongi aflito, Namjoon estava normal, pelo menos um né?

Contei tudo pros meninos e eles claramente me zuaram, falando coisas do tipo: "Jeon Jungkook pedindo prioridade?! Essa é nova", "Salvem-se quem puder! O mundo está acabando!".

O que eu achei estranho era que eles não zuaram muito, ainda mais depois que eu contei que os meninos tinham nos pegado no flagra, o clima ficou meio pesado depois disso, então cada um foi pra seu quarto e fomos dormi.

...

No dia seguinte Jimin e seus amigos nos ignoram, mas já esperávamos por isso, então resolvemos dar um espaço pra eles. Só nos vimos na aula e nos ensaios pra aula de dança, mas eles não tratavam como colegas de classe. Eu sei que merecíamos o que eles estavam fazendo com a gente, mas essa distância matava, a distância, estava novamente entre nós.

Eu sei que devia dar essa distância, mas toda essa porra já durou duas semanas.
























              Contagem regressiva:

                            5 dias 



                      CONTINUA...


Notas Finais


Qual será o passado de Taehyung ein?! Ein?!

O número 180 é um número aqui no Brasil pra defesa contar a violência da mulher, eu só queria deichar isso claro, e caso vcs precisam também, mas eu espero que não.

O barulho da sirena foi proporcionada pelo Google, então na falam nada kkklkkk

Os créditos pelas partes Jikook e o caso da enfermeira são da @yulla_jikook obrigada 🥰🥰

Qualquer dúvida ou surto, favor tratar no grupo do zap:https://chat.whatsapp.com/BwbCo3CuNxc419u8298SIJ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...