1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas para disfarce >
  3. 11: Beijos de despedida

História Apenas para disfarce - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpa não postar ontem, o idiota aqui queimou um pouco as mãos lavando a louça e doeu para digitar.

Sinto cheiro de PENÚLTIMO capítulo?!
Omfg's, sim é isso mesmo que vocês leram seres que aqui leem.
Acho que esse é o fluffy mais fluffy que eu já escrevi nessa história e em toda a minha vida.

Anyway, APROVEITEM!

Capítulo 12 - 11: Beijos de despedida


Fanfic / Fanfiction Apenas para disfarce - Capítulo 12 - 11: Beijos de despedida

Abriu os olhos lentamente ao que a claridade que adentrava através das frestas da cortina e atingia sua face, coçou os olhos bocejando.

Sentiu um peso leve em sua cintura fazendo-o se virar para trás vendo os fios loiros arrepiados de Katsuki que ressonava a sua frente. Cuidadosamente levou a mão até o seu cabelo afagando calmamente. Em uma velocidade lenta o outro foi acordando, abrindo os olhos fixando as íris carmins no esverdeado.

– Bom dia, Kacchan! – sorriu largamente, vendo o outro resmungar algo.

– Bom dia, moita. – ele fechou os olhos novamente, semanas atrás havia começado o verão o que, curiosamente, tornou Katsuki mais sonolento pelas manhãs e extremamente ativo durante o horário de meio dia. – Que horas são? – se levantou um pouco vendo o relógio atrás do loiro na mesa de cabeceira, conseguindo ver o horário.

– Agora são cinco e meia da manhã. – o loiro bufou, se ajeitando melhor no colchão e puxando o menor para mais perto de si. – O que foi?

– Vou voltar a dormir. – sorriu ínfimo. Infelizmente não poderá ficar com o maior agora, pois havia marcado dias atrás de se encontrar com All Might para darem uma caminhada pela manhã. Lentamente tirou o braço alheio de sua cintura, se levantando da cama dirigindo-se até o armário.

Trocou seu pijama por uma roupa confortável para a caminhada, pegando apenas uma barrinha de proteína e um copo com água para se alimentar naquele momento, logo calçando seus tênis vermelhos gastos. Quando foi destrancar a porta escutou o barulho de passos lentos atrás de si, se virou deparando-se com Bakugou vindo em sua direção cambaleando com os olhos quase fechados.

– Kacchan, vou me encontrar com All Might, volte para a cama, por favor. – ele parou em sua, apoiando a testa no ombro do menor. – Você está dormindo, volte pra cama Kacchan. – o loiro resmungou algo e logo depois endireitou a postura, dando um selinho no menor que corou na mesma hora. – Kacchan!?

E assim como havia aparecido na sala, ele saiu em um caminhar cambaleante em silêncio, sem mais nem menos.

 

#

 

Acenou para o mais velho ao o avistar parado frente a grade observando a praia de areia limpa graças a si anos atrás.

– Midoriya-shounen! – acelerou a caminhada ao o escutar.

– All Might! Tudo bem com você? – se abraçaram assim que chegou ao lado do outro.

– Claro! Mas então, temos muita coisa para conversar não é mesmo?... 

Passaram a caminhar lado a lado pela praia, conversando sobre aqueles três anos que passaram sem conversar apropriadamente, apenas enviando mensagens de texto em horários não combinados sobre o trabalho.

Risadas e brincadeiras acabaram se tornando constantes a cada passo que davam pela areia limpa da praia, o tempo passando despercebidamente pelo mentor e o aprendiz. Até que o assunto se voltou para a investigação em que ambos são responsáveis.

– Por que você me escolheu para essa missão? – o mais velho se virou para o menor, confuso. – É que eu fiquei pensando, há tantos heróis e heroínas aqui em Musutafu e por todo o Japão capacitados para isso. Então, por quê?

– Quando os documentos pararam na mesa do meu gabinete, inicialmente no planejamento original, os heróis designados para participar disso eram você e Kaminari-shounen. Já que conhecendo você, eu sabia que quando aparecesse uma oportunidade você iria imediatamente se encher de trabalhos, nem que fosse várias patrulhas sem intervalos. – concordou com ele, no fim era isso que aconteceria consigo se Toshinori não lhe aparecesse com aquela oportunidade logo que chegasse.

– Sério? Então por que o Kacchan está participando disso? Não havia sido o Denki quem fora chamado? – Toshinori concordou consigo, em um balançar lento da cabeça, logo voltando a falar:

– Bem, ao que parece Kaminari-shounen acabou contando para o Kirishima-shounen e Bakugou-shounen, que depois de tudo acabou por convencer que Kaminari desistisse e cedesse o lugar para ele. – arregalou com aquilo.

Isso significa que Kacchan já sabia de tudo antes de chegar no Japão? Corou, ao pensar nessa possibilidade.

Então isso quer dizer que ele realmente gosta de si?!

Nããããoo… Impossível!

Sim, com certeza impossível!

Mas e se não for!?

Alguém lhe ajude ou então irá enlouquecer. Está tão feliz que não faz ideia do que fazer neste momento, apertou a barra do short sentindo um ardor se apossar de seus dedos, precisa controlar a ansiedade ou então… é, continua não sabendo o que irá fazer de qualquer maneira.

– Midoriya-shounen? Você está bem? – piscou várias vezes, tentando acordar de seu transe em meio aos diversos pensamentos, vendo All Might cutucar seu ombro, tomando sua atenção. – Aconteceu alguma coisa?

– Não, não foi nada. – balançou as mãos frente ao corpo em nervosismo. – É só que eu fiquei bastante surpreso por parte do Kacchan, não esperava isso dele. – coçou a nuca sem jeito, aquilo realmente havia lhe surpreendido.

– Acho que lhe entendo um pouco, eu também fiquei bastante surpreso quando ele apareceu na minha sala pedindo para substituir Kaminari-shounen. – voltou sua atenção para o mais alto. – Oh, parece que chegamos no final de nosso caminhada.

Olhou para os lados reparando onde estava, percebendo que era aquele o ponto em que marcaram para terminar a caminhada.

Se despediu do mentor com um enorme sorriso no rosto. Quando virou a esquina, saindo da vista de All Might começou a correr em direção ao prédio — que por sorte é perto dali —, adentrando no hall e ignorando o elevador, se dirigindo direto para as escadas de incêndio e subindo até o andar do apartamento, destrancando a porta o mais rápido possível.

Correu até o loiro que vinha do corredor um pouco confuso pelo barulho que causou em meio a sua pressa, pulando nele e o abraçando passando seus braços pelos ombros do maior e as pernas ao redor da cintura dele, escutando ele rir com seu feito.

– O que houve Deku? – sentiu ele passar os braços em torno de sua cintura, beijou a ponta do nariz dele sorrindo largamente.

– Eu te amo!

 

Kacchan é uma caixinhas de surpresas.

 

 

 


Notas Finais


Adivinha quem chorou escrevendo isso?
Isso mesmo eu! Eu fiquei imaginando essa cena aí do final, coisa tão fofinha.
Vocês gostaram?

O próximo capítulo já está a caminho, tentarei postar hoje se possível.
( ゚д゚)つ Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...