1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas por Dinheiro. >
  3. Um novo cliente. O pequeno ingênuo.

História Apenas por Dinheiro. - Capítulo 3


Escrita por: Shampoo04

Notas do Autor


Vocês não gostam da fic? TT^TT
Ninguém comenta...
Nunca saberei se está legal ou o que vocês acham dela...
Me sinto sozinha T^T
Espero que quem acompanha esteja se divertindo!!
<3
~na imagem o pequeno 160cm Koyama.

Capítulo 3 - Um novo cliente. O pequeno ingênuo.


Fanfic / Fanfiction Apenas por Dinheiro. - Capítulo 3 - Um novo cliente. O pequeno ingênuo.

No outro dia pela manhã o professor apresentou um aluno novo. Um garoto pequeno que tem no máximo 160cm de altura, eu tenho 173cm. Seus cabelo era castanho, mais claro que o meu, seus olhos redondos e brilhantes... Ele tem cara de garoto inocente... Olhava pra ele se apresentar e me sentia cada com mais nojo de mim mesmo.
-Me chamo Haruka Koyama! - um nome de garota? - Gosto muito de jogar, estudar e pessoas misteriosas! - ele riu. - Espero que sejam bons colegas de classe.


Ele fez uma leve mesura quando se levantou eu vi um pingente de chave em seu pescoço... Era do meu jogo favorito!! Eu carregava a chave de um personagem antagonista e ele a de um amigo do principal... Me lembrei da luta que eles tiveram durante o jogo. Koyama foi se sentar do outro lado da sala. Eu tirei meu pingente de dentro da camisa de uniforme e deixei a mostra pra que ele visse.
No intervalo ele conversou com várias pessoas, mas não percebeu a minha chave. Na saída eu não o vi e fui direto pra casa com o Kubo-kun.
-Fique a vontade Arai... - ele disse jogando a mochila no chão.
-Bem... Com licença... - entrei.
-Você sabe onde é meu quarto, pode entrar vou levar um lanche pra você.
Eu deixei meus sapatos e mochila na sala e esperei ele abaixar a guarda e voltei pra cozinha. Antes dele pegar alguma coisa eu me aproximei dele.
-Sayu... ri...? - ele já esperava por algo. 
-Você não me disse que queria se acalmar? - perguntei com uma voz provocante. - A única coisa que você vai comer... Sou eu.
Ele me beijou na cozinha me jogando contra a bancada, ele é bem voraz e um dos poucos que me beija. Eu deixo ele fazer o que tem vontade, ele já sabe se satisfazer.
Eu me sentei na bancada com as pernas abertas, ele logo tirou minha calça e jogou por lá, nos beijamos durante algum tempo e eu segurava seu rosto perto do meu com uma mão e com a outra invadia sua privacidade... Seu cinto já estava caído com sua calça e ele ficou duro, quando tirei a cueca dele seu pênis saltou de lá... Eu o masturbei durante algum tempo. Ele gemia enquanto me beijava. Ofegante. Excitante. 
-Deixe-me colocar dentro...! - ele pediu.
Minha cueca ele puxou sem se importar com mais nada, ele a puxava e acariciava minhas pernas, depois pegou na minha cintura e eu o permiti, contraindo meu corpo para ir de encontro a ele, nossos quadris estavam tão perto e ele ansiava impaciente penetrar-me, abracei seu pescoço e ele colocou um preservativo. Senti ele bem perto de mim pronto para enfiar-se, quente e impaciente.
-Me fode! - eu sussurrei lambendo e beijando sua orelha, chupando seu pescoço e acariciando seu corpo.
Ele olhou pra mim e me beijou enquanto entrava, eu gemi de verdade e ele colocou tudo dentro... 
-Espere um pouco... - gemi.
Ele não ligou pra mim, começou a se mexer com muita força, exaltado, imponente e eu me excitava com isso... Ele é o único que consegue me fazer bem. Não só sexualmente falando... Acho que eu gosto dele... Enquanto ele se mexia em mim ele gemeu o nome de alguém...
-Ahh Akane... Ah!! - ele gemia o nome de uma garota do segundo...
Então ele... gosta dela... 
Continuamos com aquilo... Não importa o que eu sinto eu só quero o dinheiro dele... Não importa se fere os meus sentimentos é só sexo e dinheiro. Ele se soltou algum tempo depois e jogou aquela camisinha fora... 
Fomos lanchar.
-Você é muito bom Sayuri! - ele disse.
Eu continuei a comer sem me importar com o que ele disse, ainda me lamentava por ter pensado em gostar do Kubo-kun de verdade.
-Você já fez isso com alguma garota? - ele perguntou.
-Hm... Não, as garotas não pagam por sexo, elas são mais reservadas. Mas eu já tive uma namorada sim, se for essa a pergunta.
-Sempre achei que você fosse gay, fazendo sexo com todos aqueles garotos.
-Não me considero gay, não tem nenhum cara em especial que eu goste de fazer isso. É só porque preciso do dinheiro. - nos calamos um pouco. - Quem é Akane? - perguntei sem parecer interessado, para quebrar um pouco o clima tenso. Ele se corou.
-Como sabe da Akane?! - ele respondeu.
-Você estava gemendo o nome dela. - disse como se estivesse apenas zoando ele.
-Não acredito que eu gemi o nome dela... - ele ficou sem graça. - Não conte a ninguém Sayuri!!
-. . . - eu olhei pra ele com cara de deboche - Vou contar pra todo mundo que enquanto você estava fazendo sexo comigo, você gemeu o nome de um garota. Vou aproveitar e dizer como você é bom! 
Ele entendeu que eu estava brincando.
-Se você continuar a falar isso eu vou ficar excitado...
-De novo? - perguntei surpreso - Você quer se aliviar mais uma vez? - perguntei mordendo os lábios.
Cheguei perto dele e abri o zíper de sua calça com a boca, mas eu não estava ajoelhando... Eu apenas abaixei o tronco e ele percebeu o que eu estava fazendo e colocou a mão acariciando minha bunda.
Eu o tirei de suas calças e coloquei na boca, lambi da ponta à base... Deixando ele molhado.
-Você não tem pudor Sayuri? - ele disse com uma voz safada.
-Eu perdi isso há muito tempo... - eu o enfiei todo na boca e fiz ele gemer alto, fazendo o se calar.
Novamente fizemos sexo, agora no seu quarto. Ele me deitou e colocou minhas pernas em volta de seu corpo... Acariciava minhas coxas e enfiava seus dedos em mim, sem enrolar começamos a melhor parte, mesmo não tendo nem mais de uma hora que fizemos isso, ele estava selvagem... Delicioso...
Ele molhou o lençol.
Eu fui embora com meus dez mil ienes, como eu disse ele paga bem.
No caminho encontrei aquele pequeno novato, é engraçado olhar pra baixo pra falar com alguém. Ainda assim eu estava deprimido pelo Kubo-kun ter gemido o nome da Akane... Outra vez...
-Você é da minha sala não é? - ele me viu.
-Oi... Sim, Haruka Koyama certo? - perguntei.
-Sim, prazer em conhecer...?
-Sayuri Arai! Prazer! 
-Arai-san, você também joga? - ele me mostrou sua chave.
Nós começamos a conversar sobre o jogo e acabamos na casa dele lanchando, de novo, e jogamos!
-Arai-san eu achei você o mais legal na sala, com esse cabelo na cara!! Você até parece ser obscuro, ainda gosta do cara mal do jogo!! É UM MISTÉRIO! - ele fez uma cara fofa {Nota: O Koyama gosta de Zone 00}
-Pareço? - eu o achei engraçado.
-Sim, você todo sombrio... Quieto, tira boas notas - como ele sabe das minhas notas? - andando sozinho!!
-Você ficou me observando?! - eu brinquei.
-Por algum tempo... - ele respondeu sem jeito
-O Q-QUÊ MAIS V-VOCÊ DESCOBRIU? - tinha medo que ele descobrisse dessa minha vida... dessas coisas ruins que eu faço... Eu não sei por que ele não pode descobrir... Por que ele?
-Ouvi dizer coisas ruins sobre você, mas não acreditei... Afinal todos devem estar apenas te enchendo por você ser melhor que eles!!
Me senti culpado por isso. Mas não neguei nem afirmei...
-Ignore isso tá...
-Sinto muito tocar nesse assunto, mas se você precisar conversar e desabafar... Eu te ouvirei.
Eu abracei ele, aquele pequeno, meigo, gracioso que não deve saber nem da metade das minhas depravações... Não queria ter tocado nele, não é como se ele fosse ficar impuro só por isso... Mas na minha mente ele ficaria!
-Desculpe Koyama-san...
-Haruka... Me chame de Haruka, Sayuri.
-Haruka... Desculpe por isso, é melhor deixar como está. Obrigado pela atenção e me desculpe... Por... ser eu... Eu só não aguento pensar em te corromper. - ele me encarou sem entender.
Eu não queria que pensassem coisas erradas dele por ele ser meu amigo... Ele parece ser uma boa pessoa e eu... Só quero dinheiro. Deixei ele sozinho em seu quarto e fui embora as pressas.

Mesmo que eu quisesse algum amigo, uma namorada, uma vida comum... Ele tiraria tudo de mim, como sempre fez, como sempre fará. Eu não deveria desejar essas coisas porque sei que nunca as terei. Ainda que me esforce... Sou só eu contra todos os meus pecados.

E ainda que eu desejasse o Kubo-kun ou o Koyama-san, o que eles pensariam de mim por ser todo esse lixo que sou. Nunca seria digno de gozar de sua amizade.

Eu desejo apenas mais dinheiro...


Notas Finais


O que vocês esperam do Koyama-san?
Eu acho ele uma gracinha *O*
Posso morder ele?
Quero muito que vocês mandem um review <3 não custa nada *faz beicinho*
... Bem não sei o que dizer...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...