História Apenas sonho ou realidade?! - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane
Tags Malec, Universo Alternativo
Visualizações 322
Palavras 1.162
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Você confia em mim?


-Eu não gosto de falar disso então não vou entrar em detalhes, mas naquele hotel encontrei alguém que nunca mais queria ver e acabei descontando em você me perdoa.


-Tudo bem.


-Qualquer coisa que quiser me perguntar pode, a gente tem que confiar um no outro então se tiver alguma coisa, qualquer coisa, pode falar.


-Aquilo foi sexo?


-Tecnicamente.


-Então papai fez aquilo com a mamãe?


-Não, quando feito da forma certa os dois sentem prazer em fazer.


Fiquei em silêncio olhando as pessoas caminhando, elas pareciam tão felizes, os casais se beijando.


-Magnus…


-Sim?


-Eu queria saber se você ainda vai me ensinar sobre o que casais fazem?


-Tem certeza? Não tem medo que eu te toque?


-Não, eu só… Não sei, eu quero isso, só não bebe mais tá?


-Tudo bem, o que quer saber?


-Eu quero um beijo.


Ele me deu um beijo na bochecha antes se levantar, e caminhar até a lixeira jogando o pote de sorvete fora.


-Vamos para casa?


-Por que não me beijou igual quando a gente tava lá no quarto.


-Você não especificou que tipo de beijo queria mas agora eu já sei.


Magnus voltou a fazer as brincadeiras que sempre fazia, me abraçou pela cintura antes de levar a mão até minha nuca. Ele me beijou calmamente até que ficamos sem ar, parecia que ele tinha medo de me assustar mas eu até que gostava era sem pressa.


Voltamos para casa, havia uma garota de cabelos azuis nos esperando na porta e parecia nervosa com algo. Ele entregou um papel para o Magnus que leu e ficou irritado ele disse alguma coisa pra ela e saiu andando.


A garota ficou parada na minha frente como se esperasse algo, eu fiquei parado incerto se lembrava o caminho até o quarto.


-Você pode me mostrar o caminho até o quarto?


Ela sorriu antes de se virar e começar a subir as escadas quando chegou no topo e se virou ela acenou com a mão para mim e esperou que eu subisse a escada.


Quando chegamos no quarto ela abriu a porta e deixou que eu entrasse parando na porta.


-Precisa de mais alguma coisa?


-Eu não sei onde está minha mala.


-Suas roupas já estão no closet, e seu telefone está carregando ao lado da cama.


-Obrigado, é só isso.


Ela saiu e fechou a porta, andei até o closet para pegar um pijama, parei em frente o espelho e olhei as marcas no meu pescoço e por um minuto fiquei preocupado, o Magnus saiu bem irritado o que aconteceria quando ele voltasse?


Antes que pudesse pensar em uma resposta a porta do quarto se abriu, me escondi e olhei pela fresta da porta, Magnus começou a tirar a roupa enquanto ia para o banheiro.


Ele ficou lá por uns dez minutos antes de sair e olhar em volta confuso, foi até o telefone e mecheu nele alguns instantes antes de voltar a secar os cabelos.


Logo batidas na porta soaram Magnus foi até ela e abriu, ele não tinha vergonha? Afinal estava somente com uma toalha na cintura, ele falou algo com a mulher de antes ela falou algo sobre ele colocar uma roupa e saiu.


Magnus olhou para o closet antes de fechar a porta e caminhar, eu fui até minhas roupas e disfarcei fingindo procurar algo. Quando a porta se abriu Magnus ainda estava apenas de toalha e com uma sobre os ombros.


-Eu ainda vou descobrir como ela faz isso.


-Isso o que?


-Nada, o que está fazendo?


-Procurando meu pijama.


-Esse que está na sua mão?!


Fiquei vermelho e sai e fui para o banheiro trocar de roupa, quando sai Magnus estava sentado encostado na cabeceira olhando para a tv que tinha na parede.


Caminhei até o outro lado da cama e me deitei, peguei o telefone e comecei a responder as mensagens de Izzy.


Magnus desligou a tv quando coloquei o telefone novamente no criado mudo, me abraçou e me trouxe para mais perto quando tentei me afastar, não demorei a pegar no no sono.


Acordei me sentindo suado, olhei pela janela e ainda estava escuro Magnus dormia profundamente ainda com um braço sobre minha cintura, estava com muito calor, com cuidado me levantei e fui ao banheiro lavar o rosto.


Senti um desconforto entre as pernas e olhei meu membro mais duro que antes, se antes a água fria ajudou agora iria ajudar certo?


Tirei a roupa e deixei a água fria cair, estava com muito frio mas estava resolvendo então iria esperar mais um pouco. A porta se abriu me assustando me virei para a parede.


-O que está fazendo tomando banho gelado às quatro da manhã?


Magnus estava com a voz carregando sono, não tive coragem de me virar, eu estava com muita vergonha vergonha olhando minha bunda.


-Eu …


-Você? Se quiser ajuda tem que me contar o que está acontecendo! Pode confiar em mim.


-Eu não sei o que está acontecendo.


-Me fala o que aconteceu, mas antes desliga o chuveiro antes que fique doente.


-Não.


-Por que não?


Fiquei em silêncio olhando para a parede, ouvi a porta do box se abrindo e a mão do Magnus desligando o chuveiro, escondi com as mãos meu membro.


-Você está gelado vem se secar.


-Magnus…


-Sim?


-Eu…


Nesse momento ele me virou e olhou para meu rosto vermelho antes de olhar para minhas mãos.


-Esse aqui que é o problema?


Não disse nada apenas confirmei com a cabeça e vi o sorriso malicioso se formar no rosto dele antes dele se virar para sair do banheiro.


-Resolve isso logo, não é bom ficar molhado a essa hora.


-Como?


-Quer que eu te ajude com ele?


-Eu, eu não sei.


-Preciso que seja claro, quer ou não?


-Quero.


Ele pegou minha mão e me guiou para fora do banheiro e se sentou na cama encostado na cabeceira no meio da cama, deu batidas entre suas pernas para que eu me sentasse lá.


Envergonhado sentei ainda tampando meu membro e de pernas fechadas me encostei em seu peito.


-Você está gelado.


Ele falou me abraçando e me dando beijos no pescoço, um arrepio correu meu corpo quando ele beijou minha nuca.


-Magnus…


-Shii, abra as pernas.


-Mas…


-Já disse confie em mim, não vou te machucar.


Aos poucos fui abrindo, Magnus começou a beijar meu ombro antes passar as mãos pelo meu peito e parando no meu membro.


Fechei as pernas com vergonha de ter alguém me tocando naquela área, mas não vou mentir que quando senti sua mão quente nele eu senti uma sensação estranha mas muito boa. 

Ele começou a movimentar a mão para cima e para baixo, eu coloquei a cabeça em seu ombro e tentei conter os gemidos mordendo o lábio.


-Não faça isso, eu quero te escutar.


Ele começou a passar o dedão na minha glande me fazendo arfar e abrir mais as pernas, não sentia mais frio, onde ele me tocava estava tão quente.


Magnus acelerou o movimento das mão e virou meu rosto e me beijou me deixando ainda mais sem ar.


Quando atingi o ápice chamei seu nome e ele parecia satisfeito enquanto eu tremia sentindo ondas de prazer.


Enquanto me recuperava me lembrei de algo que ele me disse no parque, aproveitando a coragem que me deu chamei Magnus.


-Sim?


-No parque você disse que quando fazia sexo se sentia prazer, me mostre esse prazer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...