História Apenas um acordo - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Aine Coutinho, Amizade, Amor, Copa, Futebol!, Liverpool, Philippe Coutinho
Visualizações 103
Palavras 1.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 13 - Cap.13


AINE SOUZA.

Escrevi aquela mensagem para Philippe em meio as lagrimas, eu estava destruída. Ele apenas visualizou e não respondeu nada, achei melhor assim.

Já fazem dois dias desde que terminamos e não nos falamos mais, eu não contei para os meus pais por conta do nosso acordo, apenas continuei com isso porque eu sei que é importante pra ele e por ter dado a minha palavra.

Aineeeee- escuto minha mãe me chamar lá da sala.

Levanto do jeito que estava mesmo, de pijama e com um coque no cabelo.

Assim que chego na sala encontro os dois pugs, Will e Mel acompanhados por ele, ele mesmo Philippe. Meu coração quase parou na hora, minhas mãos começaram a suar, meu Deus como pode era para eu estar com raiva dele mas tudo oque eu queria era me jogar em seus braços.

Olha filha, o phil vei antes do dia do jogo para te ver- minha mãe disse animada. E eu continue aonde estava, sentido o olhar de Philippe sobre mim.

Que isso filha, nem parece que você estava toda tristinha pelos quantos querendo ver ele- veio em minha direção me puxando- vamos não precisa ficar com vergonha de mim, pode beija-lo.

Droga mãe

Oi Aine- ele disse assim que cheguei perto dele.

Oi Philippe- disse e me abaixei para brincar com Will e Mel.

Aaaa pelo amor em, cade o beijo- minha mãe disse rindo.

Aine deve estar com vergonha dona Inês- Phil disse nervoso.

O olhei séria, e ele abaixou o olhar para os pugs, ele estava tão deprimido, com cara de quem não dormia a dias. Mas ainda assim eu o achava lindo.

Vamos, minha gente vocês não se vem a um...- minha parou assim que eu fui em direção a Philippe e lhe dei um selinho demorado, senti ele passar as mãos por minha cintura me puxando para mais perto. Quando fui me afastar fui impedida por ele que me abraçou escondendo seu rosto em meu pescoço, droga eu não resisti eo abracei também, como era bom estar em seus braços novamente, senti o seu cheiro.

Eu senti tanto sua falta- ele me disse assim que nos separamos. Apenas dei um sorriso fraco- a gente precisa conversar- ele disse me olhando com um olhar triste.

Percebi que minha mãe já tinha saido e então falei.

Não temos nada para conversar, eu ja disse que contínuo no seu acordo, agora por favor vai embora- falei e senti um nó se formar em minha garganta.

Você vai me ouvir sim- ele simplesmente me puxou para meu quarto, assim que entramos me prensou na porta ficando com seu rosto perto do meu.

Que droga Aine, eu não ligo pra merda desse acordo, eu só propus ele porquê percebi que tinha me apaixonado por você desde o dia que te vi naquele aeroporto, porra Aine, eu te queria comigo por isso que pedi aquilo, eu fiz isso porquê te amo, antes como uma irmã mas meu amor mudou e agora te amo como nunca amei ninguém.

Mas isso não te impediu de me trair- falei com a voz trêmula a ponto de chorar.

Eu não te trai, aquela gorata estava com Loris, eu nem estava perto dela eu não sei oque você viu, mas eu não fiquei com ela, ele armou tudo porque não queria que eu ficasse com você, por favor acredita em mim- falou aproximando mais seu rosto do meu, fui ai que percebi que não só eu estava em lágrimas mas ele tbm.

Eu acredito Philippe, mas isso não quer dizer que eu vá voltar com você- falei em meio as lágrimas.

Mas porque?, a gente se ama- ele disse se afastando- não faz isso, por favor.

Eu te amo, mas se não demos certo uma vez, porque daríamos agora, eu não quero sofrer mais Philippe- falei e me sentei na cama.

Eu não vou insistir, eu vou embora daqui uma semana, e espero sua resposta até lá.- ele disse e saiu do quarto.

Eu só conseguia chorar, me deitei na cama e fiquei lá até dormir.

5 dias depois.

Hoje seria o dia do jogo, e eu não falei com Philippe mais, minha mãe estranhou mas eu disse que ele estava ocupado com os treinos para o jogo, oque não era mentira.

Meu pai como bom torcedor iria ao jogo e eu também vou ter que ir, afinal sou ''namorada'' de um dos jogadores. Minhas irmãs estavam viajando então só iria eu, minha mãe, meu padrasto, meu pai e sua esposa.

Chegando no estádio, fomos para os lugares perto do campo que Philippe tinha reservado para nós. Meu pai e meu padrasto estavam animados e não paravam de gritar o nome de Philippe.

Assim que o jogo começou senti um nervosismo, e pedi baixinho para que nada acontecesse com Philippe, afinal eu me importo com ele.

O jogo estava acirrado, os dois times atacavam, até que Philippe recebeu a bola e com maestria fez um lindo Gol e saiu correndo para comemorar, assim que ele passou aonde estávamos ele cruzou os dedos e os beijou, droga esse era o nosso sinal. Eu estava tão feliz por ele que fiz o mesmo e vi seu rosto se acender.

Porra Philippe, eu te amo.

O resto do jogo foi mais calmo e ganhamos de 3×0, com mais um gol de Neymar e outro de Firmino.

Meu pai saiu me puxando para o vestiário quando, vieram nos dizer que Philippe nos chamava.

E mais uma vez, minhas mãos soavam e eu trima ao o ver. Ele comprimentou minha família sendo parabenizando pelo gol, quando chegou a minha vez ele me abraçou forte e eu correspondi ao seu abraço.

Obrigado por vir, eu te amo tanto- ele falou baixinho em meu ouvido.

Parabéns pelo jogo, você foi incrível- falei e me separei dele.

Então, nos vamos jantar todos juntos hoje, chame sua família e vá também Phil- minha mãe disse animada.

Vou ver com meus pais, mas acho que vamos sim- Philippe respondeu me olhando.

Vamos pra casa?- perguntei querendo sair de lá.

Vamos sim filha, espero por vocês Phil- meu pai disse se despedindo do mesmo.

E mais uma vez a mesma situação, minha família dizendo que devíamos nos despedir direito e até viraram para nos dar privacidade. Eu iria falar que não era necessário quando senti os lábios de Philippe sobre os meus. Oque era para ser apena um selinho se tornou em um beijo calmo, óh céus como eu precisva disso. Philippe me puxou para mais perto e me abraçou enquanto ouvíamos os gritos de comemoração da minha família.

Nos afastamos ainda nos olhando e senti meu rosto corar quando Philippe piscou para mim me arrepiando por inteira. Cachorro


Notas Finais


Eai, será que Aine volta com o Couto?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...