História Apenas um mal-entendido - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Angel!au, Anjos, Céu, Comedia, Demon!au, Demonios, Hopega, Inferno, Jikook, Misticismo, Namjin, Sobi, Sobrenatural, Taehyung, Yoonseok
Visualizações 108
Palavras 1.993
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece né

Capítulo 7 - Sétima impressão


Tinha se passado três dias desde que Taehyung começou a morar no apartamento de Hoseok. E Yoongi não tinha como negar, a presença daquele ser havia dado um ar alegremente irritante para o local.

 

Os seus sorrisos, suas brincadeiras infantis e sua maneira irritante de fazer todos serem obrigados a ficarem felizes sem motivo aparente... que idiotice sem tamanho. Mas o que o Min iria fazer, se todos foram dominados pelo jeito dócil do anjo? Até mesmo Seokjin, seu irmão, dono de suas promessas mais puras e verdadeiras, foi pego no flagra enquanto ensinava Taehyung a como fazer cama de gato. Era oficial, Min Yoongi era o único salvo naquele local.

 

Naquela fatídica noite de sexta-feira, Namjoon e Hoseok estavam ocupados, discutindo sobre a roupa que eles deveriam escolher para poderem participar de um concurso de cosplay que teria em um evento de anime. O prêmio será 500,000 ₩ (R$1.377,00) em dinheiro e os dois precisavam de um pouco de grana, seja para conseguir ajudar nas compras do mês, como Hoseok, ou para continuar financiando o pacote premium de um site pornô, como Namjoon. Yoongi estava sentado no canto do quarto, ao lado de onde estava a ex-passagem para o submundo.

 

O pequeno demônio estava se sentindo exposto, visto que Seokjin tinha saído para um encontro com Jungkook para engana-lo sobre o paradeiro do fugitivo. A estratégia já estava formulada: Jin iria dizer que Yoongi sempre teve imensa curiosidade de viajar para o Brasil e seguiu o desejo, mas que em sua estadia na terra procurando seu mestre, apenas encontrou anjos que mandaram um aviso para que ele voltasse para o mundo inferior, mas o Kim recusou e isso acabou resultando em uma briga e um portal destruído. Ideia perfeita!

 

Consequentemente, o pequeno demônio estava se sentindo deslocado naquela casa, tão deslocado que a primeira pessoa que puxasse uma conversa, iria dar a sua preciosa coleção de rosas vermelhas.

 

— Oi! Tudo bem? — Apareceu Taehyung com um grande sorriso nos lábios.

 

Tudo bem, ele iria dar a sua coleção para a segunda pessoa que falasse consigo.

 

— Está me ignorando? — Perguntou ao não receber uma resposta e se inclinou, ficando ainda mais próximo de Yoongi, que continuou calado. — Por favor, não me ignore.

 

Mesmo a contra gosto, Yoongi fez um esforço para olhar para o rosto do anjo que estava esperando por uma resposta calorosa.

 

— O que você quer, tampinha? — Zombou o Min, de mau humor ao perceber que seus olhos adquiriram um tom de vermelho mais escuro. Anjos e seus poderes de mudar os olhos de demônios.

 

— Só queria perguntar como você está. — Afirmou sentando de frente para o outro. — Eu estava te observando e percebi a sua aura um pouco mais amarga do que o normal... Está com saudade do Jin, não é?

 

Jin? Como ousa usar o apelido dele, criatura amedrontadora? Eu vou ter uma conversa bem seria com o Senhor Kim quando ele chegar em casa!

 

Apenas o pensamento já fez sua mente borbulhar de raiva, mas precisava se acalmar, já que entendia o que o anjo estava fazendo e ele não iria sair do controle.

 

— Eu não estou com saudades, ele pode ficar por duas semanas fora dessa casa e sem dar uma noticia que eu não irei sentir falta, isso é um sentimento mundano. — Respondeu rudemente tentando afastar o anjo. Porém, seu plano acabou saindo pela culatra, pois Taehyung começou a rir. — ‘Tá rindo do quê, garoto?

 

— Você é engraçado, prefere mentir a dizer os seus verdadeiros sentimentos a um anjo. — Observou Taehyung — Não precisa fazer isso comigo.

 

— Olha aqui, eu não estou mentindo. — Tentou desesperadamente contradizer o anjo.

 

— Está sim! Você é fofo.

 

— Eu não sou fo--

 

Yoongi parou subitamente com a discussão boba, assustando o menor que o encarava achando a situação incógnita.

 

— O que ouve? — Questionou curioso.

 

Yoongi estava sentindo aquela sensação outra vez. Tinha um anjo naquele local e não era Taehyung, muito longe disso, o poder dele era imensamente mais forte.

 

— Você por acaso não chamou um dos seus amigos para fazer uma visita, né? — Mal terminou de dizer e as janelas do pequeno apartamento se abriram por conta de um vento forte, o que assustou todos os presentes naquele local.

 

Com o estrondo, Hoseok e Namjoon acabaram saindo do transe que se encontravam assistindo televisão e encarando os dois seres sobrenaturais presentes na sala.

 

— Engraçado Yoongi, agora pode parar de fazer isso! — Ditou Hoseok tentando tirar o cabelo insistente que caia pelos seus olhos por conta do vento forte que entrava pela janela.

 

— Mas não sou eu! — O julgado culpado respondeu, levantando-se com o anjo.

 

— Se não foi você, quem foi então? O Taehyung não é dessas coisas! — Perguntou Namjoon cruzando os braços.

 

E assim que o Min iria abrir a boca para protestar sobre a ilusão que tinham do mencionado, um novo convidado tomou sua vez.

 

— Fui eu.

 

Naquele momento, os quatro olharam supresos para a janela. Era um homem de roupas brancas, descalço e que possuía asas maiores do que as de Taehyung e Yoongi. O ser entrou pela janela lentamente com os cabelos laranja que se esvoaçavam e ao encostar os pés no chão do recinto, movimentou levemente e rapidamente a cabeça para a esquerda e em seguida para a direita, fazendo com que o vento forte cessasse.

 

— Me desculpe por isso, mas é muito complicado abrir essas janelas e eu não queria os assustar passando pela parede.

 

Ao bater os olhos no homem com feições descontraídas e com um sorriso tímido nos lábios, Taehyung não conseguiu segurar a emoção e tratou rapidamente de abraçar o seu hyung, que já tinha escondido suas grandes asas.

 

— Jiyong-ssi! — Chamou-o de forma exagerada fazendo o mais velho se assustar.

 

— Taehyung? — Ditou sem acreditar no que estava ouvindo. Tratou de se separar e encarar o mais novo e o segurar pelos ombros. — O que você está fazendo aqui? Você deveria esta em outro lugar! — Afirmou seriamente ainda sem tirar os olhos de seu pupilo.

 

Namjoon e Hoseok não conseguiam dizer nada por medo de atrapalhar aquele momento de reencontro, mas não conseguiam disfarçar a excitação que escondiam dentro de si, mas ao contrario dos outros dois presentes, Yoongi só

conseguia sentia ânsia ao ver aquela cena que parecia tão ameaçadora aos seus olhos, então por um impulso o Min não conseguiu segurar a sua língua afiada.

 

— Você que deveria estar em outro lugar. — Resmungou sem um pingo sequer de remorso e com um olhar desafiador. Yoongi odiava muita coisa, porém não havia algo que superava o seu ódio de arcanjos.

 

Ao ouvir a voz do pequeno demônio, a atenção que Jiyong colocava em Taehyung foi roubada, o que o fez olhar para o mais baixo.

 

— Eu que deveria dizer isso para você, Min Yoongi. — Disse secamente. — Sabe que o seu primo está desesperado pelo seu paradeiro?

 

— Eu sei, mas não vou voltar e não vai ser você ou esse novato anjo da guarda que vão me obrigar. — Respondeu cruzando os braços — Ou será que, pelo menos, irá tentar?

 

Nessa altura, Yoongi não conseguia mais se segurar, a sua vontade era entrar em uma briga contra os dois anjos de qualquer maneira, nem se fosse para sair todo arrebentado dela.

 

Jiyong não era nenhum novato no ramo e percebeu as intenções do demônio. Entendia a raiva que se passava dentro do garoto; aquela raiva que se transformou em ódio.

 

— Eu não estou aqui para discutir contigo, Min. E nem te obrigar a voltar para o lugar de onde você veio. Você tem o seu livre arbítrio aqui na terra, se não fez mal a ninguém, é claro. — Seu semblante era sereno, o que fez Yoongi revirar os olhos. — Por enquanto, o assunto que eu quero tratar agora é com o meu pupilo.

 

Hoseok e Namjoon continuavam parados no canto sem entender a situação. Para ambos, aquilo parecia ficar cada vez mais complicado. Como assim ‘’arcanjo’’? Desde quando um arcanjo iria se preocupar com os problemas mundanos e sem graça dos humanos? Mais e mais perguntas assolavam as pequenas cabeças dos jovens, deixando-os cada vez mais perdidos no local.

No começo, Hoseok gostaria de interferir e dizer para Jiyong "Seja o que você quer dizer para o Taehyung, pode dizer na nossa frente”. Afinal, imagina se fosse algo que envolviam eles dois, como um desequilíbrio entre o bem e os mal? A dimensão poderia estar modificada e assim o destino estaria alterado! Ou pior, eles poderiam ter desacatado alguma ordem maior e precisavam ser punidos! Como a mente dos dois estavam cheias.

Hoseok não queria admitir, mas estava morrendo de medo. Contudo, ao ver como Jiyong se referiu a Taehyung, algo o impediu de abrir a boca, talvez fosse sua intuição que estaria dizendo para não se meter e deixar que os três se virem sozinhos. Entretanto, Namjoon não entendeu completamente a situação e foi o primeiro dos humanos a se pronunciar em meio àquele reencontro.

 

— Me desculpa, mas garanto que o Taehyung não ira se importar se você quiser resolver as coisas na nossa frente. — Em todos os anos que Hoseok conhecia Namjoon, nunca tinha visto o mais novo ser corajoso dessa forma... e sério. Seu semblante sem emoção e sua voz com um tom imensamente duro e decidido era novidade para um simples garoto de ensino médio infantil e birrento.

 

E pela primeira vez, Jiyong encarou Namjoon e Hoseok, porém o Kim se assegurou de manter o olhar.

 

— Lamento, esse assunto é apenas entre mim e Taehyung.

 

— Ma--

 

— Namjoon! — Cortou Hoseok segurando no braço de seu amigo que acabou ficando surpreso com o ato. Tinha certeza de que o outro também queria acabar com aquela bagunça o mais breve possível. — Deixe-os conversarem sozinhos. Eles não têm nem uma obrigação com nós dois. —Começou a puxar o Kim para fora do apartamento. — Deixaremos vocês a sós e Yoongi, Yoongi você vem também.

 

— Eu não me lembro de ter concordado com isso. — O Min contestou sem sair do lugar.

 

— Foda-se, você vem. — Hoseok soltou Namjoon e foi em direção ao demônio, puxando-o pelo lóbulo da orelha e seguindo a saída, ignorando os gritos de dor. — Se você não andar direito eu vou te arrastar igual a ele! — Ameaçou o amigo.

 

 

 

Em menos de dois minutos o apartamento ficou em silêncio com apenas Jiyong e Taehyung presentes no local.

 

— O que você está fazendo aqui? — Sem enrolação, Jiyong perguntou.

 

— O criador me enviou para cá em uma missão.

 

— Impossível, ele nunca deixaria você chegar perto de Min Yoongi! Quem te enviou a ordem dele? — Passou a mão pelos cabelos em sinal de desconforto.

 

— Não estou mentindo, hyung! Quem enviou a ordem foi o Suho. Pediu para proteger o Hoseok e não deixar nada acontecer com ele.

 

— Mas você lembra o que aconteceu na última vez que chegou perto do Yoongi? Lembra o que aconteceu? — Questionou um pouco irritadiço para Taehyung que permanecia com a feição neutra, se limitando a responder somente o que lhe era perguntado.

 

— Como eu posso esquecer? — Perguntou retoricamente para em seguida soltar um longo suspiro.

 

— Por que não me contou?

 

— Ele deixou claro que eu não poderia contar pra ninguém e nem mesmo para você... Mas o que você está fazendo aqui? — Cruzou os braços, estranhando a aparição repentina.

 

— Eu tinha que ver o meu guardião, mas enquanto passava por aqui senti a aura do Yoongi. Acontece que lá no céu a notícia já se espalhou. Tae, todos do submundo estão à procura dele e a cada vez que o tempo passa, mais desesperador aparenta ficar as coisas. Eu precisava, pelo menos, confirmar se era ele mesmo. — Condessou, tornando ambos os rostos preocupados.

 

— Você não vai o dedurar... Não é?

 

— Não, não vou, mas eu estarei de olho, Taehyung. — Pela primeira vez desde que chegara ao local, Jiyong abraçou Taehyung que retribuiu aquele abraço que sempre o acalmava. — Prometa que não vai se machucar e nem se lembrar do passado.

 

— Eu prometo, hyung. — Prometeu se aninhando ainda mais naquele corpo quente e acolhedor.


Notas Finais


Oi!
Eu sei, faz meses desde que eu postei aquele aviso na fanfic que eu falava que não iria demorar para postar, mas ouve um problema com o computador da Maria (Minha beta) e acabou demorando um pouco para a postagem...por favor não matem nós duas.
E eu queria agradecer pelos 63 favoritos tambem, vocês não imaginam o como eu estou feliz pela fic está crescendo aos poucos.
Espero que vocês tenham gostado do capitulo, qual quer duvida, pergunta, elogios ou reclamações podem me chamar na MP ou botar um cometário, eu ficarei muito feliz em responder vocês
beijos e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...