1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas Um Mês... ou Talvez Mais! >
  3. Capítulo Trinta e Quatro.

História Apenas Um Mês... ou Talvez Mais! - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem! ^^

Boa leitura!

Capítulo 34 - Capítulo Trinta e Quatro.


Fanfic / Fanfiction Apenas Um Mês... ou Talvez Mais! - Capítulo 34 - Capítulo Trinta e Quatro.

Faz um ano que nós começamos a namorar oficialmente. O tempo passa rápido, né? Parece que foi ontem que eu quase deixei a felicidade escapar, por estar em negação sobre meus sentimentos. Ainda bem que o destino agiu mais rápido do que eu.

De qualquer forma, hoje é nosso primeiro aniversário e sairemos para comemorar, como ou onde eu não sei. Ele organizou tudo e quando tentei descobrir, ouvi um: 

"É segredo e você vai amar. Confia em mim."

Precisei usar todos os meus artifícios para convencê-lo a me dizer, pelo menos, o tipo de programa que faremos, precisava saber para decidir que roupa vestir.

"Será um jantar bacana e você arrancará apenas isso de mim. "

Olhava meu reflexo no espelho, procurando algum erro em minha roupa ou maquiagem, mas não encontrei nada de errado. Eu me sentia linda, então estava linda.

Minha expressão podia ser serena, mas na verdade eu estava muito nervosa. Já tive diversos encontros com Natsu, mas nenhum deles foi nosso: "Primeiro Aniversário". Como disse, sou uma pessoa romântica, então essas datas são importantes para mim.

Batidas à porta interromperam meus pensamentos e fez o coração disparar. Dei uma última checada no espelho, confirmando que não havia um fio de cabelo fora do lugar e fui abri-la.

— Boa noi… Uau! Luce, como você conseguiu a façanha de ficar mais linda? – senti meu rosto esquentar com o elogio.

Ah, eu não consigo me acostumar com isso.

— Obrigada! Você também 'tá lindo! – se aproximou e me deu um selinho. 

— Obrigado! Sabe, esses seus batons com sabores sempre me fazem querer largar tudo 'pra lá e comemorar em casa, na cama. – revirei os olhos e lhe dei um tapinha no braço. — É melhor irmos logo, antes que eu não consiga me controlar e te jogue nessa parede.

Durante o trajeto, ele parou o carro no acostamento e me entregou uma venda, pedindo que eu cobrisse os olhos. Fiz uma cara de desconfiança, porque da última vez que ele me vendou, eu fiquei sem conseguir andar por algumas horas.

— Natsu…

— Lucy. – riu.—  Relaxa, se fosse isso que você 'tá pensando, eu te perguntaria primeiro. A venda faz parte da surpresa... e não é esse tipo de surpresa.

Eu sabia que era verdade sobre ele me perguntar, por isso não vi nem um problema em fazer o que me foi pedido.

— Ok. 

— Mas já que você deu a ideia, depois podemos usá-la 'pra outras coisas. – riu e deu um tapa em minha coxa, voltando a dirigir.

Seguimos viagem, comigo já vendada. O carro andou o que acredito ter sido uns 45 minutos e eu não conseguia nem imaginar para onde estávamos indo, isso me deixava mais nervosa e ansiosa. Paramos e ouvi a porta do motorista abrir, ele descer e fechá-la. Esperei um tempo e não ouvia mais nenhum som.

— Chegamos? – nem uma resposta. — Natsu? 

Agora foi a porta do passageiro que abriu.

— Natsu? – perguntei receosa e me encolhi.

— Sou eu, calma. Vem comigo.

Ele soltou meu cinto de segurança e segurou minha mão direita, me ajudando a descer do veículo. Ouvi quando a porta foi fechada, o carro bloqueado e começamos a nos movimentar.

Andamos alguns minutos e passamos por uma porta, eu sei que era uma, pois tropecei no desnível. Andamos mais um pouco e eu bati em outra porta.

— Porra, Natsu! – resmunguei.

— Desculpa.

— Tsk! Eu 'tô vendada, mas você não.

— Desculpa. – disse rindo.

Andamos mais um pouco e a cada passo, eu ouvia o barulho de água mais claro. Senti quando Natsu me abraçou por trás e deu um beijo na minha bochecha.

— Vou tirar a venda, mas você vai ter que ficar com os olhos fechados, 'tá? – sussurrou e eu concordei. — Promete? – assenti novamente. – ele me deu mais um beijinho e a tirou.

Resisti a tentação e não olhei, mesmo querendo muito.

Ele jogou meu cabelo para o lado, deixando um beijo em meu pescoço e depois ombro. Senti sua respiração contra meu ouvido e ele sussurrou.

— Pode olhar agora.

Abri os olhos e meu coração disparou, não pude acreditar no que via. Estávamos em uma piscina, havia pétalas de rosas vermelhas espalhadas por todo o chão, algumas na água e luzes penduradas. 

Após acalmar as batidas do meu coração, segui o caminho decorado por velas, que levavam à uma mesa. Ela estava lindamente decorada, assim como todo o lugar. Havia algumas pétalas em cima dela, três velas, duas pequenas e uma um pouco maior e um pequeno vaso com flores vermelhas. Em um dos pratos, havia um guardanapo dobrado com uma rosa em cima. 

Passei meus dedos pela toalha de seda branca, peguei a rosa e olhei para ele.

— Natsu, eu amei! Como… Olha, isso… É lindo… Perfeito! – falei encantada olhando em volta e me segurando para não chorar.

O sorriso não abandonava meu rosto e nem o dele. Aliás, Natsu tem o sorriso mais lindo que eu já vi.

— Eu fico muito feliz em ouvir isso! Queria que fosse romântico e com significado. Algo especial, 'pra uma pessoa especial. – se aproximou, fez um carinho em meu rosto e capturou meus lábios.

Ele puxou a cadeira para mim e depois sentou no outro lugar disponível. De repente, um homem entrou empurrando um carrinho com comida e pelo aroma, eu já sabia o que era. 

Sorri ao pensar que, provavelmente, ele escolheu esse cardápio por causa de um comentário meu dizendo que a combinação dos dois parecia romântica.

O homem nos serviu em silêncio e da mesma forma que entrou, saiu.

— Lasanha e vinho! Eu sabia que era uma combinação romântica.

Dividia minha atenção entre comer aquela saborosa refeição e o ambiente. Queria gravar cada pedaço daquele lugar, daquele momento, não deixando escapar nem um detalhe. Estava tudo tão perfeito, nunca pensei que ele faria algo assim.

Terminamos a refeição e eu ainda seguia admirada com tudo a minha volta. Sentia que poderia chorar a qualquer momento. Não de tristeza, mas porque o sentimento clamava por ser exposto de alguma forma.

O momento que já estava perfeito, ficou ainda mais encantador quando uma música, muito conhecida por mim, começou a tocar. Hoje eu não tenho mais do que belas recordações quando a ouço e acredito que essa será mais uma. 

Natsu levantou, se aproximou e estendeu a mão, que eu segurei com o maior prazer. Nos afastou um pouco da mesa e paramos, um de frente para o outro. Meus braços envolveram seu pescoço e os seus minha cintura. Começamos a dançar e as chamas das velas pareciam acompanhar nosso ritmo. Encostei minha cabeça em seu peito e fechei meus olhos.

A melodia passou por meu corpo e alcançou meu coração, querendo gravar mais desse momento mágico.

***

"All of my doubt, suddenly goes away somehow"

Todas as minhas dúvidas, de repente, desaparecem de alguma forma

"One step closer"

Um passo mais perto

***

Estava tudo claro para mim. Olhei diretamente em seus olhos e aquelas palavras que eu achei que seriam difíceis de dizer, simplesmente fluíram por meus lábios.

***

"Time has brought your heart to me"

O tempo trouxe o seu coração para mim

"I have loved you for a thousand years"

Eu te amei por mil anos

"I'll love you for a thousand more"

Eu te amarei por mais mil

***

— Eu te amo, Natsu!

— E eu te amo, Lucy!


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...