História Apenas um pouco confuso - Stony - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Iae, galero. Turu bom?

Vamos de mais um capítulo dessa fic que só faz a gente passar raiva e ficar triste. ksksksks

Boa leitura. :)

Capítulo 8 - Capítulo VII.


Uma semana depois, ele estava no terraço da casa de Thor com uma cerveja na mão, e Steve se perguntou se havia um homem mais fodido do mundo do que ele.

A porta atrás dele se abriu.

— Você vai pegar um resfriado. — Disse Peggy. Por alguns segundos, antes de fechar a porta, ele podia ouvir os sons de risos e as vozes de sua família. Não era qualquer ocasião especial. Velhos hábitos nunca morrem. Quando o Natal se aproximava, todos eles tendiam a gravitar em direção a casa de Thor. Dezembro era um mês família não oficial no clã Rogers.

— Eu nunca fico. — Disse Steve antes de tomar outro gole. — Mas você deve ir para dentro. Está frio.

Ela passou seus braços em volta do seu pescoço, e o puxou para baixo e beijou-o nos lábios. — Não fique aqui por muito tempo, certo? Você vai congelar suas bolas aqui fora. Isso seria uma vergonha. Estou bastante afeiçoada a elas.

Ele riu e bateu na sua bunda. — Vá para dentro.

Rindo, ela o deixou.

Steve voltou a bebericar sua cerveja e se perguntou o que diabos estava errado com ele.

A porta do terraço foi aberta e fechada novamente.

— Você vai pegar um resfriado. — Disse Anthony.

Colocando a garrafa no chão, Steve virou a cabeça. Ele sorriu. — Eu não vou se você vir aqui e me aquecer, urso Tony.

Anthony revirou os olhos, o nariz amassando adoravelmente, mas se aproximou e deixou Steve puxá-lo em seus braços. Ele estava quente, tão quente, e cheirava incrível, como todas as coisas favoritas de Steve no mundo. Steve enterrou o nariz no cabelo de Anthony.

— Você provavelmente deve ir para dentro. É realmente frio aqui fora. — Ele não queria que Tony fosse.

— Eu estou bem. — Disse Anthony, encostando-se no peito de Steve para o calor.

Steve esfregou as mãos para cima e para baixo nos braços de Anthony, coberto apenas por um pulôver de cashmere macio.

— Você tem certeza que não quer que eu vá pegar o seu casaco?

— Eu não estou com frio, realmente. — Disse Anthony. — Por que você está se escondendo de todo mundo?

— Eu não estou me escondendo.

Anthony não disse nada por um tempo.

Quando ele falou, sua voz era calma. — Você está surtando por causa do que aconteceu?

Steve suspirou. — Eu já disse: Eu não estou surtando. — Pelo menos não sobre o que Anthony pensou.

— Certo. — Disse Anthony, com seu tom cético. — Então qual é o problema? Você está um pouco estranho, desde que...

— Desde que eu te ajudei?

Anthony soltou uma risada. — Sim. Desde que você me ajudou. Se você não está enlouquecendo, por que você tem me olhado estranhamente?

— Eu tenho? — Perguntou Steve, acariciando os braços de Anthony após uma explosão de vento congelante que fez Anthony arrepiar.

— Você tem.

Steve quase riu. Ele mal podia dizer a Anthony que quando ele olhou para ele, ele manteve lembrando de suas fantasias assustadoras ou a forma como o rosto de Anthony o olhou depois que ele gozou. Às vezes, ele odiava seu cérebro. Durante toda a semana, ele havia tentado lançar esses pensamentos estranhos fora de sua mente, mas como alguém disse, uma vez que algo foi pensado, não poderia ser totalmente ignorado. Não era como se de repente ele queria Anthony ou queria que ele fosse uma mulher. Ele não o fez. Mas o fato de que a simples mudança de gênero poderia fazê-lo ver Tony de uma maneira diferente o fez vagamente desconfortável. Isso o fez questionar a si mesmo, seu relacionamento com Peggy, e seu relacionamento com Tony.

Mas era tudo hipotético. Não importava. Não era como se ele de repente se sentiu diferente sobre Peggy. Ele a amava. Ela era tudo o que ele queria em uma mulher. Ele não tinha nenhuma razão para questionar a profundidade de seu relacionamento. Especialmente desde que ele tinha coisas muito mais importantes para se preocupar.

Steve olhou por cima do ombro de Anthony para as luzes da cidade contra as nuvens. Ele tinha pensado durante toda a semana sobre a situação de Anthony, mas não importa o quão desesperadamente tinha vasculhado seu cérebro para uma solução, ele teria chegado à mesma insatisfatória conclusão frustrante a cada vez: não havia solução. Ele era a razão para que Anthony fosse miserável, e não havia absolutamente nada que ele pudesse fazer sobre isso. Anthony continuaria a ser miserável, até que ele finalmente se cansasse e saísse.

A verdade disso o desarmou, e os braços de Steve apertaram em torno de Anthony. Algo se agitou em seu intestino, uma primal possessividade que ele nunca tinha sentido antes. Ele tentou suprimir o desejo insano de pegar Anthony e trancá-lo em algum lugar seguro. Um lugar que só ele tivesse acesso.

Sim. Certo. Isso não foi assustador em tudo.

— Sim, eu estou enlouquecendo, companheiro. — Ele admitiu calmamente, enterrando seu rosto no cabelo de Anthony. — Só não sobre o que você pensa. — Ele murmurou na nuca de Anthony, e arrastou seus lábios para a pele macia do rosto de dele.

Anthony estremeceu e se derreteu contra ele, virando o rosto para o toque.

Steve ficou imóvel. Porra, a reação de Anthony para um toque tão inocente foi incrível. Apesar de saber que Anthony queria ele desse jeito, inferno, apesar de ter tido Anthony gozando por todo o lado, há uma semana, ele ainda ficou surpreendido como carente e sensível Anthony estava em suas mãos. Era estranho, mas lisonjeiro, parecia errado e ainda empurrou os botões estranhos em seu intestino.

Ele beijou o canto da boca de Anthony e um pequeno gemido deixou os lábios trêmulos dele.

Diabos.

Ele virou Anthony e olhou para ele.

Porra.

Anthony parecia... Parecia que ele tinha acabado de ser beijado completamente: suas pupilas estavam dilatadas, seu rosto pálido estava corado, e os lábios entreabertos. O desejo, o olhar faminto que ele deu a Steve foi francamente descarado e obsceno. O tipo de olhar que pertencia no rosto de uma prostituta antes que ela abrisse as pernas.

Steve o olhou.

Anthony fechou os olhos e respirou fundo.

— Eu... — Anthony disse antes de abrir os olhos e olhar para Steve. — Por que você fez isso?

Essa foi uma boa pergunta.

Atrás deles, a porta se abriu. — O jantar está pronto, rapazes. — Disse Carol.

— Nós estamos indo. — Disse Steve, colocando uma mão nas costas de Anthony e dirigindo-o para dentro.

Anthony lançou-lhe outro olhar fulminante.

—Você olha como Loki quando você está chateado. — Disse Steve, franzindo a testa. — É estranho.

Anthony saiu irritado.

Carol levantou as sobrancelhas. — Problemas no paraíso?

Steve suspirou, passando a mão pelo cabelo. — Sim, você poderia dizer isso.

Sua irmã tomou seu braço, com seus olhos castanhos cheios de curiosidade quando ela olhou para ele. — Você quer falar sobre isso?

Ele sorriu torto. — Não realmente.— Não fazia nenhum sentido até mesmo em sua cabeça. Ele não tinha certeza por que ele havia tocado Anthony dessa forma depois que Anthony pediu-lhe explicitamente para não há uma semana. Foi cruel e completamente desnecessário.

O que estava errado com ele? E Se ele tivesse inconscientemente tentando manipular Anthony? O pensamento fez Steve profundamente desconfortável. Ele gostaria de pensar que ele era melhor do que isso, mas considerando seus pensamentos mais cedo assustadores sobre o sumiço de Anthony, ele realmente não tinha certeza de que ele era.

Cristo.

— Ele está certo de estar com raiva de mim. — Disse Steve. — Eu vou ter que fazer algum grande rastejar.

Rindo, Carol negou com a cabeça. — Vocês dois são como um velho casal sem os benefícios do sexo.

Steve desviou o olhar.

 

[...]

 

— Existe uma razão pela qual você está se escondendo no meu quarto? Carol está procurando por você em todos os lugares.

Ao som da voz de Loki, Anthony abriu os olhos e endireitou-se de seu desleixo na cadeira. Ele deu de ombros. — Eu queria um pouco de calma.

Encostado à porta, Loki olhou-o com curiosidade. — Por que não está com Steve?

Sua raiva queimava e Anthony mordeu fora. — Steve e eu não estamos realmente ligado ao quadril, você sabe.

Loki sorriu. — Ah. — Ele não disse mais nada, mas de alguma forma o seu silêncio era mais zombeteiro do que quaisquer palavras.

— Alguém já lhe disse quão chato você é?— Perguntou Anthony.

Loki sorriu abertamente, olhando tão jovem e bonito que Anthony não podia deixar de olhar para ele. Loki não era seu tipo em tudo, mas em um nível puramente estético, ele podia ver o recurso.

— Thor diz  isso o tempo todo. — Loki revelou. — Mas é difícil levá-lo a sério, porque ele geralmente me beija logo depois disso. — Sua expressão se tornou especulativa. — O que aconteceu para fazê-lo tão bravo com Steve? Você normalmente olhar para ele como se ele segurasse a lua.

A mandíbula de Anthony apertou. Ele não respondeu.

— Espere, você finalmente contou-lhe sobre o seu eterno amor trágico? — Quando Anthony encarou ele, Loki levantou as sobrancelhas. — Você está dizendo que ele tomou mal? Hmm. Eu não esperava isso.

Suspirando, Anthony esfregou os olhos. Como ele deveria responder a isso? Por um lado, Steve recebeu a notícia muito bem; por outro lado, ele parecia estar determinado a tornar a vida de Anthony, uma deliciosa tortura lenta.

— Steve colocou em sua cabeça que ele deve fazer algo para mim. — Disse ele categoricamente. — Primeiro ele tentou me encontrar um namorado perfeito para que eu pudesse esquecê-lo, e agora ... Agora ele tenta me fazer sentir melhor. — Anthony riu.— Eu não entendo mais nada. Ele diz que até mesmo pensar em mim dessa forma o enoja... Ele disse isso, lembra-se? E então ele me masturba e age como se não fosse um grande negócio.

—Whoa, espera.— Loki estava sorrindo. — Sério? Ele deu-lhe uma punheta?

Anthony tentou lutar contra o calor que correu para suas bochechas. — Não foi assim. Ele estava em cima de mim como de costume e não entendia como era difícil para mim. Então, eu o beijei. Eu queria ensinar-lhe uma lição, mas acabou ... — Ele fez uma careta. — Eu era uma bagunça. Eu acho que ele sentiu pena de mim, por isso ele me deu uma mão. Literalmente.

Loki tinha um olhar pinçado em sua face. — Thor afirmou certa vez, quando ainda estávamos um na garganta do outro, que ele mordeu meu lábio porque eu o incomodava muito.— Ele riu.— Parecia quase tão ridículo quanto o que você está dizendo. Eu não vou masturbar alguém se eu sinto muito por ele.

Anthony balançou a cabeça, olhando para seus dedos entrelaçados. — Steve sempre teve essa coisa para cuidar de mim. Ele nunca poderia ficar de lado e assistir quando eu estou chateado ou magoado. Então, para ele não é assim tão estranho.

Loki fez um barulho impaciente. — Se você entende por que ele está se comportando dessa forma, qual é o problema? Diga a ele para parar.

Anthony levantou os olhos para ele e não disse nada, enrolando e desenrolando os dedos.

O olhar de Loki ficou afiado. — Você não quer que ele pare. — Não era uma pergunta.

Mordendo o lábio, Anthony desviou o olhar, com seu rosto quente. — Não é...

— Você gosta que ele cuida de você. — Disse Loki lentamente. — Você gosta de ser mimado por ele. No fundo, você realmente ama que ele está disposto a sair de sua zona de conforto por você. Que ele se importa tanto assim.

— Eu não tenho que ouvir isso. — Disse Anthony rigidamente. Ele se levantou e fez o seu caminho até a porta.

Mas Loki estava bloqueando a porta. De perto, sempre surpreendeu Anthony o quão Alto Loki realmente era. Loki sempre comandou tanta atenção e parecia mais imponente do que ele era fisicamente.

— Saia, por favor. — Disse ele.

Loki não o fez, com um leve sorriso curvando seus lábios cheios. — Quer saber minha opinião?

Anthony revirou os olhos. — Eu tenho uma escolha?

O sorriso de Loki se arregalou. — Você tem razão:. Você não tem. — Ele inclinou a cabeça, considerando. — Eu acho que Steve realmente é hétero, hétero mais do que Thor sempre foi. Steve provavelmente é superior a um 1 na escala de Kinsey. Mas a sexualidade não é algo fixo. Deixe-lhe dizer... Eu conheci muitos dos chamados 'homens retos' que queriam que eu chupasse seus paus. — Loki lhe deu um sorriso insolente. — Mas, novamente, você não é metade tão bonito quanto eu. Ninguém é.

Sorrindo, Anthony balançou a cabeça. — Você tem um ponto, Loki?

— Sim, na verdade. —  Loki disse, com seus olhos azul-esverdeados brilhando com diversão. — Chupe o seu pau. Mesmo os héteros como ele. Se ele permitir que você o chupe e goste o suficiente para voltar para mais, talvez ele pode ser convertido para o lado negro. — Rindo, Loki passeou longe, deixando Anthony sem palavras, com sua boca aberta. Tinha sido uma piada, certo?

Certo?

— A propósito. — Disse Loki, virando-se quando chegou ao final do corredor. — Diga a ele para fazer uma escolha entre você e sua namorada antes que eles fiquem mais sérios. — Seu sorriso adquiriu uma vantagem. — Confie em mim, você não gostaria de está ansiando por um homem casado. Não é bonito. Mesmo que você não merece isso, embora, seria um bocado irônico.

Anthony estava ali, franzindo a testa, muito tempo depois que Loki desapareceu de vista.

Irônico?

Balançando a cabeça, ele expulsou-o de sua mente e se concentrou no conselho que Loki lhe dera.

Talvez Loki tinha um ponto.

Não, não havia talvez nisso: Loki estava certo. Realmente seria melhor para todos os envolvidos se Steve acabasse de fazer uma escolha. Toda a situação estava muito desequilibrada, estranha e injusta para todos eles. Era injusto para Peggy, porque Steve pagou-lhe menos atenção, muito preocupado com os sentimentos de seu melhor amigo e porque ele tinha a traído. Era injusto para Steve porque ele não deveria ser forçado a corrigir coisas que estavam fora de seu controle, coisas que não eram sua culpa e Steve não deveria se sentir culpado por estar feliz com sua namorada. E foi injusto com ele também, porque Anthony realmente, realmente não queria passar o resto de sua vida ansiando por seu melhor amigo casado, que porra não sabia o significado de espaço pessoal e imites.

Algo deve ser feito. Seu estômago murchou em um nó apertado, desconfortável de pavor e medo. Sim, era claro que ele iria perde-lo: Steve, como todo homem apaixonado, iria escolher sua namorada, não importa o quão protetor de seu melhor amigo ele estava.

Mas era a coisa certa a fazer. Não podia continuar assim. Anthony lentamente fez seu caminho no térreo, na sala de jantar, onde as vozes estavam vindo. Steve estava sentado à mesa ao lado de Thor, ambos franzindo a testa enquanto discutiam algo em voz baixa.

Ninguém estava olhando no seu caminho, e Anthony se permitiu olhar o seu preenchimento, os olhos vendo avidamente sobre o queixo talhado de Steve sombreado pela barba por fazer, os lábios firmes e nariz reto, os olhos azuis penetrantes sob as sobrancelhas loiras espessas; sobre o pescoço forte de Steve, aqueles ombros ridiculamente largos e peito musculoso e braços que poderiam dar abraços mais apertados, os abraços mais doces do mundo.

Anthony lambeu os lábios secos, tentando resistir ao desejo insano de passar por cima e beijá-lo. Deus, era tão injusto. Como poderia alguém que ele não tinha direito de sentir como seu, o fez sentir no nível mais profundo possível? Parecia que Steve estava em suas veias, e ele não sabia como tirá-lo.

Ainda profundo em conversa com seu irmão, Steve acidentalmente olhou no seu caminho. Seus olhos se encontraram.

Anthony não sabia o que Steve viu em seus olhos, mas o cenho franzido de Steve se aprofundou. Steve disse algo para Thor e levantou-se da mesa. Peggy foi atrás dele, perguntando-lhe alguma coisa. Anthony virou-se e dirigiu-se lentamente de volta ao terraço.

Era realmente frio lá fora, mesmo para dezembro. 

Ele abraçou-se e esperou, o frio penetrando em seus ossos e refrigerando suas entranhas.

A porta atrás dele se abriu e fechou.

— Tony? — Steve o chamou.

Anthony se abraçou mais apertado, tentando suprimir os tremores que continuaram a acumular seu quadro.

— Você está congelando, bobo. — Steve disse, caminhando e imediatamente envolvendo seus braços ao redor dele, seu corpo grande, firme e tão dolorosamente familiar. — Podemos falar lá dentro. Vamos.

Anthony balançou a cabeça e se obrigou a afastar-se do abraço de Steve. Ele não teria a força para fazer o que deveria fazer de outra forma. Ele virou-se para Steve.

A luz amarela da lâmpada de rua lançou nas feições angulosas de Steve na sombra, mas Anthony ainda podia ver a tensão e preocupação no rosto de Steve.

— Eu não queria fazer isso. — Disse Anthony calmamente e ainda com firmeza. Mas, mesmo com a sua determinação, sua garganta ainda sentia um pouco entupido e apertado. — Mas você sabe que não há outra solução. Tudo tornou-se demasiado confuso e fodido. Eu não posso, não posso continuar assim, Steve.

— Tony...

Anthony apertou o dedo contra os lábios de Steve. — Por favor. Deixe-me dizer o que eu quero em primeiro lugar. — Ele respirou fundo e soltou o ar lentamente. — Não há nenhum ponto nisto. A verdade é que eu sou a terceira roda em seu relacionamento com Peggy. Você era feliz antes que eu lhe disse que eu te amo. Minha confissão arruinou tudo: fez a nossa amizade muito estranha, e você se sentir culpado por ser feliz com ela. — Ele mordeu o lábio com força.. — Eu não queria isso. Eu não sei o que eu queria. Eu estava cansado de colocar uma cara feliz quando eu me sentia uma merda. Mas de qualquer forma... — Ele engoliu em seco e olhou para Steve no olho. — Peggy e eu não podemos coexistir em sua vida. Por favor, não peça isso de mim. Eu não posso, Steve.

O rosto de Steve ficou absolutamente imóvel, com os olhos fixos em Anthony.

— Então... — Anthony sorriu. Pelo menos ele achava que ele estava sorrindo. — Loki disse-me para lhe dar uma escolha, mas eu sei o que você escolheria, de qualquer maneira, eu sei o que eu iria escolher se eu estivesse em seu lugar. Eu iria escolher a pessoa que eu sou apaixonado. — Você. — Eu.. eu ... — Anthony piscou rapidamente e sorriu novamente. — Então, isso é um adeus. Espero, espero que não é para sempre. — Ele tentou engolir a espessura dolorosa em sua garganta. — Talvez um dia, em poucos anos, eu vou ser capaz de olhar para você e não sentir nada além de amizade e nós poderemos ser amigos novamente.

Steve não disse nada. Ele só olhou para ele, seu rosto difícil de ler na semi-escuridão.

— Adeus. — Anthony conseguiu dizer. Ele olhou para Steve e esperou. Esperou, esperando por algo, precisando de alguma coisa. Talvez um último abraço. Um fecho. Algo.

Mas Steve não se mexeu. Ele ficou parado como uma estátua, sua expressão dura como pedra.

E Anthony não podia resistir. Ele precisava disso, algo para se lembrar em noites frias. Mesmo que fosse uma mentira.

Ele passou suas mãos trêmulas no pescoço de Steve e apertou os lábios frios contra Steve, hesitante, sua garganta se fechou tão apertado que ele não podia mais falar, com seus olhos cheios de lágrimas.

Eu gostaria que as coisas fossem diferentes. Eu desejaria...

Seus olhos ardiam. Seu coração estava ferido.

Amo-te. Eu sempre vou te amar, mesmo quando eu for um homem velho e amargo.

Ele se afastou.

Ele deu um passo para trás.

Ele virou-se.

Steve o puxou para perto e esmagou-o com força contra seu peito antes de bater os lábios juntos. Deus.

Não foi um beijo amigável ou fraternal. Mas também não era um beijo de desejo. O beijo tinha gosto de raiva, e necessidade, e completamente desfez Anthony. Ele fez um pequeno ruído, quebrado quando Steve continuou beijando-o, esmagando-o contra o peito. Nenhuma língua, apenas lábios contra os lábios, e necessidade contra a necessidade.

No último segundos ou horas depois, Steve parou de beijá-lo e disse uma palavra, sua voz rouca e difícil. — Não.

Antes que Anthony pudesse perguntar o que ele quis dizer, Steve, empurrou-o para dentro da casa. À luz adequada, Anthony podia ver o rosto de Steve melhor e o que viu fez seu estômago cair.

Ele nunca tinha visto Steve parecer tão triste e com raiva.

— Steve...

Steve balançou a cabeça, com o queixo duro. — Eu gostaria que você não tivesse me feito escolher, mas eu entendo por que você fez. Vá para casa. Eu vou ter que falar com Peggy e romper com ela.

Os olhos de Anthony se arregalaram. — O quê? — Ele disse sem emoção.

Steve olhou para ele.— Você está realmente surpreso? Você está brincando comigo, Tony? Você realmente acha que eu deixaria você ir embora? Sério?

— Mas você a ama. — Disse Anthony, confuso.

Os lábios de Steve torceram em um sorriso amargo. — Sim. Mas, aparentemente, não é suficiente. — Ele beliscou a ponta de seu nariz e exalou alto. Quando ele olhou para Anthony novamente, sua expressão era mais suave. — Vá para casa. Eu ligo para você depois que eu terminar com ela. — Ele beijou a testa de Anthony. — Eu vou precisar de você depois disso. — Ele disse calmamente antes de caminhar em direção à sala de jantar para romper com sua namorada. A namorada que ele estava apaixonado.

Anthony não sentiu nenhuma alegria.

Apenas esmagamento e uma culpa horrível.

 

 


Notas Finais


Qual é o seu personagem preferido até agora? O meu é o Loki. ksksksks amoo.

Bom, parece que o Steve finalmente vai terminar com a Peggy, porém... Não sei se isso é bom?

Espero que vocês tenham gostado do capítulo de hoje, e me desculpem qualquer erro, eu ainda estou sem óculos... :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...