1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas, V >
  3. Seja meu para sempre

História Apenas, V - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Seja meu para sempre


Fanfic / Fanfiction Apenas, V - Capítulo 12 - Seja meu para sempre

Já era tarde quando acordou. V não estava mais na cama, mas podia ouvir barulhos vindos do andar debaixo. Levantou com um bocejo preguiçoso o se arrastar para a rotina matinal no banheiro antes de finalmente descer para o andar de baixo.


Das escadas já conseguia ver o mais novo sentado em uma das cadeiras enquanto comia alguma coisa.


Se aproximou calmamente antes de abordá-lo com um largo sorriso.


— Bom dia! — Seus olhos escuros se viraram em sua direção e ele então sorriu largamente.


— Bom dia! — Ele respondeu adoravelmente.


Sentou-se em uma cadeira vazia enquanto analisava o que estava posto sobre a mesa. Haviam panquecas, e simplesmente adora panquecas.


— Mamãe? — Não se lembrava de V ser tão habilidoso na cozinha. 


V assentiu. Claro que antes de trabalhar a mais velha sempre deixava o café posto na mesa, a mesma gentileza de sempre.


Se serviu com algumas panquecas enquanto olhava para V, ele parecia analisar alguma coisa do outro lado da janela, sua mente parecia vagar enquanto ele comia. Estava tão diferente da primeira vez, ele com certeza havia evoluído muito e havia levado essa evolução para si também.


— Acho que eu preciso recomeçar minhas coisas... quero dizer, trabalhar ou estudar.. não sei bem. — Lhe admirava ver o quão grande era seu crescimento. A alguns meses atrás ele apenas afirmou ter desistido de tudo, inclusive da vida e vê-lo tão empenhado em seguir em frente o deixava comovido.


Provavelmente tinha uma feição toda boba no rosto só de pensar nisso. V havia se tornado tão grande e tão forte que o deixava orgulhoso, e não só por ele ter vencido todos os seus problemas passados, mas por ele ter aprendido a lidar com eles e a acreditar que ainda existiam pessoas boas.


— O que? — Ele perguntou de repente e só então se deu conta de estar boquiaberto segurando um pedaço de panqueca que escorregava pelo garfo. Acabei rindo da situação.


— Você cresceu tanto. — Começou largando o garfo para lhe acariciar uma das mãos. — Você evoluiu tanto. Continua sendo você só que bem mais forte que antes.


Suas palavras pareceram deixá-lo envergonhado já que seu rosto tomava uma coloração avermelhada leve.


— Eu quero ser bom o suficiente, merecedor o suficiente para ter você. — Ele começou de forma carinhosa. — Eu sei que sou todo problemático, mas eu quero ser melhor, quero ser mais e quero ter você... pra sempre.


Aquelas palavras soavam tão doces que era impossível não ficar todo sentimental com elas. V conseguia ser alguém realmente encantador, mais do que jamais imaginei que ele chegaria a ser.


 — Estou orgulhoso de você. — Comecei lhe arrancando um sorriso tímido. — E... você já me tem, sempre teve.


Soltou sincero e ele pareceu acreditar já que apenas assentiu para suas palavras. Ficaram ali aproveitando o momento em silêncio enquanto tomavam seu café.


[...]


Passou boa parte da tarde trabalhando enquanto V se esforçava procurando coisas que o agradavam na internet e ao julgar seu empenho ele estava mesmo focado em buscar uma continuação para sua vida.


Ouviu quando o telefone vibrou lhe tirando a atenção, era uma mensagem de sua mãe. Olhou o aparelho com cuidado e ficou meio surpreso com sua mensagem.


“Querido, vamos precisar ter uma conversa importante e eu gostaria que fosse longe de V. Me encontre na lanchonete aqui perto do trabalho.”


Não imaginava o conteúdo dessa tal conversa ou o quão perigosa ela poderia ser para ter que acontecer longe dali.


Explicou a V que precisava sair para encontrar sua mãe e ele mais que rapidamente concordou lhe mandando ir logo e não fazer ela esperar.


Pegou o carro e dirigiu até o local combinado, pouco mais de meia hora e já estava entrando no estabelecimento. Olhou em volta procurando pela figura familiar de sua mãe acabando por parar os olhos em seu rosto sorridente. Ela estava sentado em uma das mesinhas espalhadas ali e estava sozinha.


Aproximou-se dela lhe dando um beijo na testa antes de se sentar à sua frente.


— O que está acontecendo? Porque precisamos falar em um lugar como esse? — Tratou logo de perguntar, mas um garçom se aproximou deixando dois cappuccinos sobre a mesa provavelmente um pedido antecipado da mais velha. A mulher sorriu para o homem que se afastou e então finalmente lhe olhou.


— Eu ouvi o que vocês fizeram ontem. Seria meio impossível não ouvir. — Ela riu.


Aquelas palavras lhe deixaram sem jeito e podia jurar que tinha o rosto completamente vermelho aquela altura, mas ela levantou uma das mãos em um sinal para que eu apenas a ouvisse.


— Estou contente filho. — Ela soltou docemente. — Eu disse que o apoiaria independente de suas escolhas e é exatamente isso que estou fazendo. — Ela bebeu um gole do seu café e naquele instante sentiu a boca seca, o que o obrigou a fazer o mesmo.


— O que quer dizer? — Perguntou ainda confuso e então jogando seu rosto delicado para o lado, deixando seus fios longos cobrirem parte de sua testa ela finalmente falou.


— Eu fui transferida. — Aquela notícia o pegou completamente desprevenido e no mesmo instante sentiu um aperto no peito, um vazio e um medo enorme do que aquilo poderia resultar.


— Meu amor... — A mulher soltou ao acariciar suas mãos unidas sobre a mesa. — Eu vou embora, não estou pedindo para que venha. — Suas palavras saiam tão doces que lhe deixavam triste.


— Você já é um homem e eu tenho orgulho da pessoa maravilhosa que você se tornou. Você cresceu um homem fabuloso Hoseok e eu só tenho a agradecer por esse homem ser o meu querido filho. — Ela mais uma vez lhe acariciou, agora na face.


Suas mãos tremiam e sentia que sua face forte falharia logo.


— Estou feliz com o que você fez para V e estou mais feliz ainda por tudo ter acabado bem afinal. Eu não queria deixá-lo sozinho, mas eu sei que já está mais do que na hora de você ter sua própria vida e sua família. — Baixou o olhar assustado, não queria abandonar ela após tantos anos de luta juntos.


— Eu não vou estar sozinha. — Ela completou constrangida.


Ergueu o olhar para fitá-la e seu rosto estava completamente vermelho. Talvez não soubesse tudo que estava acontecendo ou talvez estivesse ocupado demais para notar tudo.


— Lembra do Dr. que chegou transferido para auxiliar no hospital? — Assentiu ainda em silêncio. Se lembrava do tal médico que ficou dando de cima de sua mãe por meses.


— Estamos juntos a um tempo. — Agora tudo fazia sentido. Acabou por soltar um riso baixo com a revelação tardia, seu riso pareceu relaxar a tensão sobre a conversa.


— Estou contente por você mãe. Sempre soube que acharia alguém bom para lhe fazer companhia e para amar. — Ela concordou balançando a cabeça.


— Estou partindo amanhã. — Literalmente de olhos arregalados, era assim que estava quando recebeu um peteleco na testa.


— Não faça essa cara, não vamos perder contato eu só vou para um pouquinho mais longe. Vou continuar a minha vida assim como você mostrou para o V que ele poderia continuar. — Finalmente compreendeu, jamais poderia negar a ela o alcance de sua felicidade e se era junto àquele homem ou longe de si, ainda assim  aceitaria desde que ela estivesse feliz.


— Mãe... eu jamais vou ir contra suas escolhas assim como você soube respeitar as minhas. Eu te amo, imensamente e esse amor não vai diminuir com a distância. É óbvio que eu vou sentir saudades mas eu vou visitá-la e você pode sempre voltar se algo não der certo, eu jamais fecharei as portas para você! — Soltou  honestamente para a mais velha. Ela lhe conhecia tão bem e lhe apoiou em todos os momentos, mesmo quando tudo parecia perdido ela estava lá e essa felicidade que buscava era mais do que merecida.


— Eu amo você Hoseok! Sempre vou amar e esse não será um adeus só um até logo. Cuide bem do V e mantenha essa sua essência. Não deixe de sorrir, de viver por medo, lute pelas coisas que você quer, se empenhe, ame, chore e seja imensamente feliz meu filho!  Você sempre poderá me ligar ou me visitar. Eu também virei! — Foi com um abraço apertado que teve a certeza de que sua vida mudaria completamente. 


[...]

 

Os últimos meses haviam sido uma total loucura. Foram tantos acontecimentos, que qualquer um duvidaria, se visto de fora. 


Mesmo se voltasse atrás para analisar tudo, tantas coisas repentinas e inimagináveis, ainda assim tantas coisas que lhe fizeram crescer, imensamente crescer.


Aquela tarde com sua mãe o fez relembrar tantas coisas do passado, tanta luta...


Ela sempre foi uma mulher guerreira, seu pai os abandonou quando ainda era um garoto e foi ela, com toda sua garra que foi pai e mãe ao mesmo tempo, que foi guerreira e que jamais deixou transparecer um fio de dor ou tristeza, mas que no fundo Hoseok sabia que sentia.


Quando cresceu, prometeu a si mesmo que faria valer toda essa luta, queria ajudá-la, queria que ela tivesse sempre um sorriso doce no rosto. Era como se sentisse necessidade extrema de recompensá-la por tantos anos de luta e dedicação.


Às vezes, quem mais frágil aparenta, mais forte é!


Finalmente haviam vencido, ela o ajudou a formar, a construir seu caráter e a ser quem era hoje. Devia tudo a ela, à mulher do sorriso mais estonteante que já teve o prazer de ter na vida. Era grato, imensamente grato.


Grato pelas noites que ela passou em claro acalmando seu coração aflito pelo abandono, das noites que ela virou em claro trabalhando para sustentar a casa, dos sorrisos que muitas vezes encobrem sua dor profunda, grato às lágrimas que ela enxugou a cada vez que se decepcionou ou se machucou, por todos os carinhos, todos os beijos e abraços, por todos os concelhos e todo o ensinamento.


Passar esse dia só com ela o fez reviver todos esses bons momentos e mesmo sabendo que ela estava finalmente seguindo sua vida, também seguia com a sua. Impedir suas escolhas agora só o faria um homem egoísta, ela mais do que ninguém merecia ser feliz e se era longe ou com outra pessoa ela tinha total direito.


Estava feliz, imensamente.


Mal viu as horas passarem, ela finalmente se despediu dizendo que as coisas já estavam encaixotadas em seu quarto e que não voltaria para não sentir ter que dizer adeus.


— Mandarei alguém buscar as coisas amanhã cedo filho, mamãe ama você imensamente e quero que você seja feliz. Venha me visitar também. Cuide do V, eu já havia conversado com ele antes, desculpe. Não deixe que ninguém tire seu valor, você sempre foi forte e seguiu com o que achava correto, se mantenha assim. Te amo para sempre! — Seu sorriso continuava ali, escandalosamente doce. 


 

Era triste vê-la partir, mas quando seus olhos se encontraram com o do homem que a esperava ao longe, era impossível negar que ela estava feliz. 


Seu sorriso era largo ao lado do homem que a abraçava com ternura. Cumprimentou-o de longe com um curvar breve, não queria que fosse uma despedida e não era. Era apenas a vida correndo seu ciclo natural, ela estava refazendo sua vida e Hoseok estava começando a sua.


Quando voltou para casa, encontrou V deitado no sofá, provavelmente ele ficou lhe esperando todo esse tempo. 


Aquela visão o fez entender o que sua mãe quis esclarecer. Ela estava buscando a sua própria felicidade e se sentiu a vontade de lhe contar isso logo agora que havia encontrado a sua. E essa sua felicidade estava dormindo em seu sofá, confortavelmente.


Aproximou-se cuidadosamente daquele pequeno rapaz adormecido, se abaixando ao seu lado para que alcançasse os fios bagunçados de seu cabelo, ao qual acariciou cuidadosamente. Por mais cauteloso que tivesse sido, V acabou acordando com o toque. Seus olhos eram sonolentos.


— Desculpe acabei dormindo. — Murmurou o garoto em meio a um bocejar. 


— Tudo bem. — Soou calmamente ainda observando seus traços tão bonitos. 


Entendia tão perfeitamente o que sua mãe deveria estar sentindo, querer estar com a pessoa que lhe faz feliz, que lhe arranca sorrisos e lhe faz bem. Não conseguia se imaginar longe daquele garoto e ela provavelmente se sentia assim em relação ao seu novo homem.


— Foi tudo bem, com sua mãe? — V perguntou o fazendo arquear as sobrancelhas. — Eu sabia que era ela, ela conversou comigo antes e pediu segredo, desculpe.


Ele era tão honesto que nem conseguia se zangar com seu rosto.


— Estamos bem, estamos com as pessoas que amamos. Então se ela está feliz, eu também estou. — Lhe sorriu gentilmente. 


V abriu um sorriso largo e se jogou sobre o corpo de Hoseok. fazendo este cair sentado no chão da sala. O peso de seu corpo sobre o do outro era confortável, mas seu suspirar aliviado o deixou surpreso.


— Eu achei que você pudesse querer ir com ela. — Sua voz tremulava, como se ele estivesse preocupado todo esse tempo com o que faria ou sobre qual decisão tomaria.


Apertou-o junto aos braços se permitindo aconchegar o rosto entre seus cabelos e pescoço para inalar de seu doce perfume.


— Eu acho que você ainda não tem consciência da dimensão do meu amor por você. Você é a escolha para o meu futuro, assim como aquele homem é a dela. Eu não vou sair do seu lado V, eu te disse antes... — Afastou-o apenas para olhar aqueles olhos que tanto o encantava. — Você é meu e será meu para todo o sempre. Você é o meu futuro. 


Seus olhos marejaram tão intensamente que o coração de Hoseok  se apertou dentro do peito.


— Eu me sinto tão tolo. — Ele começou entre lágrimas. — Eu sinto tantas coisas diferentes com você e eu tenho sempre tanto medo de perdê-lo. — Sua fala era doce e ele agora o acariciava suavemente a face. — Eu perdi tanto nessa minha vida, mas eu nunca realmente senti tanto medo de perder algo. Você... você é o que me faz querer continuar, o que me motiva todas as manhãs e o que me faz querer ser melhor sempre!


V era tão honesto que chegava a ser quase inocente. Segurou seu rosto entre as mãos e se deixou encostar as testas,  absorvendo toda aquela emoção.


— Você não precisa temer, eu sou seu... sempre fui seu V, desde o primeiro olhar, desde sempre. — Suas palavras eram sinceras e o amor ali era o mais honesto.


— Eu amo tanto você Hoseok! Amo mesmo! — V admitiu em meio a um suspiro aliviado. 


Hoseok sentia o corpo do mais novo vibrar em seus braços. Ele era quente, acolhedor e inocente. Só sabia que o queria. — Então seja meu para sempre, case-se comigo!

 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...