1. Spirit Fanfics >
  2. Apenas vivendo >
  3. Uma mistura de acontecimentos

História Apenas vivendo - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Desejo uma maravilhosa leitura, para todos os meus leitores Panda.

Capítulo 18 - Uma mistura de acontecimentos


Fanfic / Fanfiction Apenas vivendo - Capítulo 18 - Uma mistura de acontecimentos

–Acorda, Dona Gabriela ... Vamos, abra os olhos. Você não pode dormir o dia todo. –Alicia sorri beijando os lábios de sua patroa que abre os olhos lentamente.

–Quero sempre acordar assim, menina!

–Trouxe um lanche natural para Você comer. Senta.

 –Não estou com fome, Alicia.

–Precisa se alimentar. Se comer tudo lhe darei uma coisa.

 –Hmm?

–Precisa comer tudo, Dona Gabriela. Não pode ficar sem se alimentar.  

Gabriela senta na cama recebendo uma bandeja com um lanche natural, um copo de suco de laranja natural, observa com seus olhos brilhantes uma rosa vermelha com um bombom.

–Rosa vermelha?

–É o símbolo do amor. –Os olhos de Alicia brilha intensamente, assim como um sorriso nasce em seus lábios.

 –Bombom?

–Sei que ama chocolate.

–Muito obrigada, Alicia! Você tem sido um anjo em minha vida. Não sei como lhe agradecer.

–Não seja exagerada, agora coma.

Gabriela come o lanche sobre os olhares atentos de Alicia.

–Como vim parar em meu quarto? Não me lembro.

–O Senhor Cristiano lhe trouxe enquanto dormia.

–Onde Ele foi, Alicia? Não me diga ...

–Foi para a casa do Kaio. A Alice foi para a casa da Fernanda e levou a  Cecília.

Gabriela suspira profundamente sentindo suas costas doloridas.

 –Sente dor?

–Um pouco. Como está  a Maria?

–Toda feliz com o passeio na fazenda. Você não vai contar para o Francisco o que aconteceu?

–Não! Vou esperar Ele chegar desse passeio. Não quero preocupar meu filho.

–A Melissa está vindo para casa. Ela ficou muito preocupada, Dona Gabriela. Até Eu fiquei preocupada.

–Ficou preocupada comigo, Alicia?

–Sempre fico. Agora coma.

Após Gabriela terminar seu lanche toma um banho quente deixando a água cair em suas costas doloridas. Fecha seus olhos deixando que lágrimas caia de seus olhos. Assim que encerra seu banho, se enrola em um roupão preto de algodão entrando em seu quarto. Imediatamente leva sua mão ao seu peito.

–Que susto, Melissa! Você me mata do coração.

–Como Você está? Estava chorando?

–Estou bem!

Gabriela deita na cama recebendo os carinhos de Melissa em seu cabelo, seus olhos se fecha lentamente.

–Não devia molhar o cabelo com esse frio. Fiquei preocupada, Gabriela. Não dormi a noite toda pensando em Você, pensando que o pior poderia ter acontecido.

–Está tudo bem, Mel.

–Sabemos que não está. Ele te machucou.

–Estou tão perdida, Mel. Eu não sei o que faço. Não sei como  agir com tudo o que estou passando. Minha única vontade é de sumir e deixar tudo para trás.

–Você não faria isso? Faria, Gabriela?

–Vontade que não me falta, Mel. Estou tão perdida.

Lágrimas cai dos olhos de Gabriela, as mãos de Melissa alisa suas costas em um conforto. 

–Chora. Chorar faz bem.

Alicia entra no quarto olhando para a cena de sua patroa chorando, seu coração se aperta. Sua vontade é de retirar toda a dor que Gabriela está sentido. Não gosta de ver a mais velha triste, chorando e doente.

 –E-Eu não sei o que faço, Mel! Não sei!

 –Nesse momento Você precisa descansar. Precisa dormir, Gabriela.

Um soluço dolorido sai dos lábios de Gabriela, sente uma mão macia e quente em seu cabelo acompanhada de um perfume de rosas seu olhos se fecha lentamente se entregando ao sono profundo.

Melissa olha para Alicia sorrindo.

–Ela dormiu. –Fala Alicia olhando para o rosto adormecido de Gabriela. Sua pele está branca, seus lábios secos e seu cabelo bagunçado.

–Vamos deixar Ela descansar, Alicia.

Melissa cobre o corpo de sua amiga, em seguida ambas vão para a cozinha. Alicia prepara um chá de hortelã quente para as duas.

–Você ama Ela, Alicia?

–Ama Ela? –Pergunta Alicia com seu coração acelerada e suas mãos tremulas.

–Eu sei de tudo. Gabriela, me contou e Eu mesmo vejo com meus próprios olhos. Ela te ama, e não sabe como suas atitudes a machuca.

–Ela me ama, Mel?

–Você sabe que Ela te ama, Alicia ... Então, não a machuque como vêm fazendo. Não a machuque como Cristiano.

–Eu jamais a machucaria.

 –Você já a machucou varias vezes, apenas não continue fazendo isso.

Um silêncio predomina entre ambas.

As horas passa e Gabriela acorda lentamente, olha para a janela vendo a noite presente, se levanta tomando um banho quente em sua banheira. Após seu banho coloca um pijama branco de corações vermelhos, suspira seguindo caminho para a cozinha abrindo a geladeira olhando para tudo, não sente fome a única coisa que chama sua atenção é um enorme refratário com um mouse de morango com cobertura de chocolate.

–É sobremesa! –Uma voz doce se faz presente.

Gabriela se vira colocando a mão em seu peito.

–Que susto, Alicia! Precisa parar de me assustar menina!

–É sobremesa, Dona Gabriela! E me desculpa, não foi minha intenção lhe assustar.

–Tudo bem! –Gabriela fecha a geladeira sentando na cadeira com um copo de leite gelado em mãos.

–Se sente melhor?

–Sim!

–A Melissa foi embora, porém, prometeu voltar. Ela foi levar algumas umas roupas para o Senhor Cristiano.

–Roupas? –Pergunta Gabriela levando o copo de leite aos lábios.

–Ele vai passar alguns dias na casa do Kaio.

 –Não entendi.

–A Melissa  vai te explicar tudo depois.

Gabriela sorri.

–O que foi, Dona Gabriela? Por que, está sorrindo?

–Estou com água na boca pela sobremesa.

–Somente depois do jantar.

–Isso é maldade, Alicia!

–Não é não. Como está suas costas?

–Melhor. Tomei um remédio e um banho quente.

Alicia olha para Gabriela atentamente, daria tudo para saber no que a mais velha está pensando.

–Alicia?

–No que Você está pensando?

–C-Como?

–No que está pensando, Dona Gabriela?

–No mouse de morango com chocolate que está na geladeira, me chamando.

–Não acredito que está pensando nisso?

–Que Horas Você fez que Eu não vi?

–Estava dormindo.

–Parece delicioso o mouse, Alicia.

 –E está.

Alicia vai até a geladeira, pega o refratário coloca em cima da mesa, onde retira uma porção generosa em um pirex e vidro para Gabriela que come.

–Céus! Está divino! Já pode casar, Alicia.

–A pessoa com quero me casar já é casada, Dona Gabriela.

–Nunca é tarde, menina. Não desista do seu amor, Alicia.

–Será?

–Não é! Eu amo seu mouse de morango com chocolate. Agora quero um beijo seu, Alicia.

–Beijo, Dona Gabriela? Tem certeza?

Gabriela se aproxima beijando os lábios de Alicia, um beijo cheio de desejo e carinho se inicia parando apenas em busca de ar para ambos os pulmões.

Alicia, sorri com suas pernas tremulas e seu coração saltitante em seu peito. Sem dizer uma única palavra, Alicia, beija novamente os lábios de sua amada em um beijo ardente, cheio de amor e desejo. Se afastam lentamente sorrindo uma para o outra.

–Você é louca, Dona Gabriela!

–E Você gosta, menina.

–Quem disse que Eu gosto?

 –Seus olhos ... Sua pele está arrepiada.

–Eu te odeio!

Gabriela sorri ouvindo a voz de Melissa.

–Também quero mouse de morango, Alicia! Trouxe vinho para nós três. E não me olhe assim, menina.

–A Dona Gabriela não pode beber vinho.

–Não posso?

–Você está tomando remédio, se esqueceu?

–Uma taça não faz mal.

–Nenhuma e nem duas. –A voz de Alicia é firme e autoritária.

–Vou dormir aqui, Gabriela. E vamos fazer a noite das meninas. Você está convidada, Alicia.

–Noite das meninas, Melissa? –Pergunta Alicia pensativa.

–Sim! Você frita a pipoca, Gabriela. Alicia faz o suco e Eu escolho um bom filme. Simples.

–Vejo que planejou tudo, Mel.

–Tudinho, Gabriela. E não se preocupo que não será filme de terror.

–Hmm.

–Eu não posso ficar. –Fala Alicia olhando para Mel.

–Por que, não pode ficar Alicia?

–Eu preciso voltar para casa.

–Precisa não, Maria e Lara, não estão em casa então não precisa voltar. Gabriela, fala para Ela ficar.

–E-Eu?

–Gabriela?

–Fique Alicia, vai ser uma noite divertida, Eu acho.

–Será. –Melissa revira os olhos. –Vou escolher o filme, e vamos ver na sua cama Gabriela.

Melissa segue caminho para o quarto.

Gabriela suspira profundamente.

–O que foi?

–Não precisa ficar, Alicia.

–Agora Eu quero ficar.

–Quer?

–Quero ... Vou fazer o suco e Você faça a pipoca.

Poucos minutos depois as três estão deitadas na enorme cama de casal, Gabriela está deitada no meio de Alicia e Mel.

–Qual é o filme? –Pergunta Alicia sorridente. Tomou um banho colocando um pijama de Gabriela.

–Surpresa!

–Sinto que não é um bom filme.

–Cala a boca Gabriela.

–Agora tenho mais certeza ainda que não seja um bom filme.

–Você está me irritando, Gabriela.

–Está de TPM, Melissa?

–Eu não mandei Você calar a boca?

–Sem brigas meninas... Agora coloca o filme Melissa e Você presta atenção no filme Dona Gabriela. E não durma.

Um silêncio se instala.

Melissa coloca o filme, olhando para Gabriela e Alicia, quer ver a reação de ambas as mulheres.

Um brilho nasce nos olhos de Alicia e um sorriso discreto no rosto de Gabriela.

–Ótima escolha, Mel, Cinquenta tons de Cinza. Vamos ver a trilogia?

–Sim! Cinquenta tons de cinza, Cinquenta tons mais escuros e Cinquenta tons de liberdade.

–Vamos fazer nossa maratona. –Alicia, não esconde sua felicidade por estar assistindo um dos seus filmes mais amados.

O filme começa onde as três assistente concentradas, Melissa toma seu vinho. Gabriela dorme no segundo filme Cinquenta tons mais escuros. Alicia sente seu corpo pegando fogo em cada cena entre Anastasia Steele  e o jovem bilionário Christian Grey.

–Eu amo esse filme! Você gostou, Alicia? –Pergunta Mel com seus olhos brilhantes olhando para Chiristian.

–Amei.

–Está em seus olhos... Imagino que com Gabriela tão perto assim não está sendo fácil.

–C-C-omo?

–Você me entendeu.

–Acho melhor Eu ir para casa.

–Se Você se levantar Ela vai acordar, vai fazer essa ruindade, Alicia? Vai?

Gabriela está deitada perto de Alicia, seus braços abraça o corpo da jovem em um insisto que Alicia não vai embora no meio da madrugada.

 –Ela não irá acordar.

 –Tem certeza?  Por que, Você acha que Ela te abraçou?

–Não me importo dela acordar, Mel.

–Eu me importo. Deixa Ela dormir, e fique quieta que temos o Cinquenta tons de liberdade. Beba o vinho que lhe fará bem.

–Você é chata, Mel!

–Eu sei, e amo ser chata. Sabe, Eu amo deixar a Gabriela irritada.

–Então somos duas.

Alicia e Melissa brindam sorrindo.

O dia amanhece, Alicia, é a primeira a acordar onde olha para Melissa que dorme profundamente com sua perna em cima do corpo de Gabriela, sorri retirando a perna de Mel de cima do corpo de sua patroa, lentamente se levanta ouvindo uma voz rouca que faz seu coração bater acelerado.

–O-Onde vai?

–Shiii. Volte a dormir.

Gabriela abre os olhos lentamente.

–Alicia?

–Vou no banheiro e já volto.

–Volta mesmo?

–Volto... Agora durma.

–Vou te esperar.

Alicia vai para o banheiro e volta longos minutos depois.

–Demorou!

–Durma, Dona Gabriela.

–O que houve?

–Ressaca. –A voz de Melissa se faz presente.

–Deu vinho para Ela, Mel?

–Uma taça.

–Alicia, não está acostumada a beber. Quer um remédio?

–Quero que as duas volte a dormir.

–Alicia?

–Estou bem, Dona Gabriela, acorda durma. Você se mexeu a noite toda.

–Quietas!

Gabriela fecha os olhos voltando a dormir com o dose perfume de Alicia.

Melissa bufa frustrada.

–Não consigo dormir. Preciso de um banho quente e uma xícara de café.

–Somos duas. –Responde Alicia. –Vou tomar um banho, Mel.

–Ela vai acordar de novo.

–Vai não. –Alicia sorri se levantando da cama onde olha atentamente para Gabriela em um sono profundo. Rapidamente toma um banho quente colocando sua roupa, após sair do banheiro Mel toma um banho. Em poucos minutos ambas estão sentadas na cozinha cada uma com um xícara de café quente e  forte.

–O que foi, Mel? –Pergunta Alicia olhando para a mulher sentada em sua frente, com o tempo adquiriu uma grande amizade por Melissa. Adoro o modo direto e objetivo de Melissa, e sem contar em sua sinceridade.

–Estou preocupada com a Gabriela.

–Somos duas.

–O Cristiano não está bem, Alicia ... Ele vai passar alguns dias  na minha casa. Kaio, conversou com muito Ele... Não sei o que a Gabriela pretende fazer ou qual será sua escolha.

 –Ela não sabe o que fazer, Mel.

Ambas se olham.

–Seja qual for a escolha dela, precisamos a apoiar, Alicia. Principalmente Você, não vire as costas para Ela. Não a machuque como o Cristiano.

–Eu não posso prometer nada, Mel...Eu também estou confusa com tudo o que está acontecendo. Eu não sei como lidar com tudo o que Eu estou passando, meus sentimentos, minha relação com a Gabriela se é que temos uma relação. As vezes penso que não passo de uma brincadeira para Ela...Que sou uma distração ... Minha vontade é deixar tudo, deixar esse emprego e sair sem olhar para traz e nunca mais voltar a colocar meus pés nessa casa. –Lágrimas cai dos olhos de Alicia, que as enxuga. –Eu não posso prometer algo que nem Eu mesma sei como será. Me compreenda, Mel ...Estou com medo e perdida.

–A única coisa que lhe peço é para não machucar Ela... Não quero que ambas saiam machucadas. Vai para casa descansar, Alicia. Deixa que cuido dela. Você precisa de um tempo para Você. Venha vou te levar até em casa.

–E a Gabriela?

–Ela não acordará tão cedo. Vou te levar em casa e volto. Não se preocupe.

–Obrigada, Mel!

–Me agradeça ficando bem, menina.

Melissa abraça carinhosamente Alicia, um abraço carregado de amizade e sinceridade.

–Não chore.

–Estou com medo, Mel.

–Ter medo é fundamental, Alicia... Agora vamos.

O caminho para casa de Alicia foi em total silencio. Melissa, respeitou o espaço da jovem a deixando na porta de sua casa voltando imediatamente para a  casa de Gabriela. Agradeceu aos céus por encontrar sua melhor amiga em um sono profundo e sereno.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...