História Apenas você - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Gugudan (GX9)
Personagens Nayoung, Sejeong
Tags Gugudan, Najeong
Visualizações 78
Palavras 1.245
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Lírica, Shoujo-Ai
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, essa é uma daquelas ideias aleatórias da madrugada, mas que não consigo não dar atenção.
Espero que vocês gostem! Tenham uma boa leitura ~♡

Capítulo 1 - Somos o mundo;


Do início ao fim, era apenas você. Desde quando éramos apenas amigas que tinham inúmeras coisas em comum mas que não conversávamos de fato por comodidade, quando ríamos da mesmas piadas mas não contávamos piada alguma uma pra outra simplesmente por não sentirmos conforto. Eu tinha a certeza de que eras a única mesmo quando não passávamos de acompanhantes da solidão, hesitando em irmos dançar com nossas amigas para apenas ficarmos lado a lado, em um desejo silenciosamente sincero.

            Éramos duas loucas estranhamente quietas, permitindo que a nossa insanidade morresse no que jamais poderia ser feito, duas malucas que diziam para as pessoas que estavam sempre a cometerem besteiras pra que elas tenham cuidado, duas insanas que mesmo sempre desejando o melhor para a vida amorosa dos outros, não davam um passo sequer para começarem uma. Éramos completamente sem razão por termos esperado 365 dias para finalmente estarmos juntas.

              Quem declarou-se primeiro fora eu, não hesitando em mostrar o diário com as provas de cada milímetro do meus sentimentos, transformando-nos em lágrimas humanas que dançavam de felicidade por terem o mais lindo amor correspondido, com direito a beijos e mais beijos como comemoração.  O meu primeiro, ele também fora apenas com você, aliás, todos os meus beijos foram seus, mesmo que alguns não tenham sido em sua boca. Sou sua, sempre fui.

             O the end do nosso filme não terminou com a linda cena de duas adolescentes chorando de alegria, ela se estendera muito mais, os dias que passavam iam entrelaçando as vidas que já eram as mesmas a muito, muito tempo. Enfrentamos um inferno de julgamentos e uma tempestade dolorosa de percas significativas, mas continuamos juntas e criamos um futuro só nosso. Recordo-me completamente do impossível que parecia conseguirmos realizar os sonhos que queríamos sonhar juntas. Havia vezes em que eu deitava minha cabeça no travesseiro e lamuriava sem parar, pensando eternamente em como nós jamais daríamos certo realmente naquela sociedade tão difícil, que algum dia acabariamos por desistir e seguir em frente com algum menino bonito e cheio da grana, pois só sendo muito perfeito assim para representar qualquer tipo de esperança, mesmo que falsa.

            Todavia não desistimos, não conseguimos nos abandonar e deixar todo aquele amor que parecia ter sido escrito pela lua e derramado com tinta branca cintilante em nossas cabeças. Por tanto tempo, foi como se estivéssemos atravessando de mãos dadas um mundo vazio e cheio de uma névoa sem fim, nos deixando cegas e perdidas mas com tato o suficiente para entendermos que nossas mãos ainda estavam ali, entrelaçadas, não importando o que poderia acontecer.

— Somos o mundo. — Disse pra mim certa vez, enquanto estávamos frente e frente na minha cama, as pernas umas em cima das outras e os rostos colados como se fossem imãs.

— E é? O mundo é um saco, prefiro pensar que somos uma estrela em uma galáxia distante.

— E somos. Somos o mundo, Sejeong. Por isso continuamos juntas, por isso o nosso amor é tão forte quanto qualquer coisa que existe no mundo porque, por mais que as guerras, a poluição e tudo o mais o que faz a terra decair a cada dia, não nos destrói. Mas não somos só a terra, somos a estrelas porque você brilha mais do que qualquer coisa, eu sou a lua apenas pra viver com você no céu que somos.

           Lembro de pensar um pouco em sua conclusão, até que concordei com um beijo em sua orelha como demonstração, nos arrancando risadas sinceras que irritavam minha mãe que ouvia tudo por detrás da porta, a mesma que fora sensata o suficiente para aceitar que eu amava uma mulher mas infeliz pela minha não escolhida decisão. Se bem que, pra ser sincera, se fosse pra escolher eu escolheria amar Nayoung também, nem que fosse por apenas um dia. Eu precisava amar Nayoung ou nunca saberia o que é sentir tão intensamente, porque a mesma é intensa e me fazer viver, mas viver mesmo, um viver sobre um segundo de tédio ou minutos de insatisfação, mas que mesmo assim eram momentos proveitosos, porque nessas horas chatas eu ainda amava Nayoung. E se existia amor por ela em mim, existia sentido e existia  alegria tanto quanto fosse possível.

          Eu amava minha namorada mais do que tudo e ela também me amava, amadurecemos e compramos o nosso próprio lar, transformamos oficialmente a nossa vida em apenas uma só. Éramos tão felizes que do fundo do meu coração, principalmente nas vezes que eu sentia o cheiro do cabelo dela ao acordar, eu imaginava e acreditava que estava furtando a felicidade de muitos outros. Pois não era possível que eu quisesse chorar de alegria só de poder abraçar a minha garota na hora do jantar e que esse sentimento não passasse, mesmo com o imutável seguir dos dias. Minha teoria começou a fazer ainda mais sentido quando o que chamávamos de mundo, começou a desmoronar. O mundo precisava de felicidade, afinal.

         

         O inverno chegara e pelo frio que fazia não estranhei ou me preocupei quando minha namorada ficou doente, mas sem deixar de me dedicar pra que ela melhorasse, pois não era nada favorável ver o sorriso que eu tanto amava morto por causa de desconfortos físicos. Passou-se uma semana e fiquei bem, porque era tempo o sufciente; passou-se duas semanas e comecei a me preocupar, mas não me deixando levar pelo medo que sempre fora o meu maior inimigo, apenas abandonado meu trabalho por uns dias, até que fizesse um mês e finalmente eu a  levasse para o hospital.

          Precisei de horas para processar a informação que recebi, desacreditada que algo assim poderia estar acontecendo na minha vida, que um drama tão inconveniente vinhesse pra transformar as minhas flores de Primavera em folhas mortas de Outono. Entrei para o quarto da que era mais alta que eu com uma expressão que demonstrava o meu espanto, deixando-me apenas ser abraçada por ela que chorava, como a sensível que sempre fora. Droga, ela estava sofrendo porque sabia que iria morrer e eu não podia fazer absolutamente nada! Eu sequer conseguia me fingir de forte, sendo impossível não demonstrar o quanto me devastava ver que ela estava triste pela doença repentina e porque ela iria embora da minha vida em um piscar injusto de olhos.

           Foi apenas Nayoung que eu amei, e é apenas ela que não está aqui agora.

          Continuo pensando nela, ainda olho para tudo de bonito e penso que ela é tão mais bela, observo a cadeira que ela costumava sentar para o café da manhã e meu coração se aperta, todos os dias. Eu sinto a falta dela no exato instante em que abro os olhos, o sentido se foi e o meu sorriso que ela sempre falava ser minha maior e melhor característica está em algum lugar longe demais para ser alcançado pelas minhas mãos. Meus dias eram baseados em inúmeras questões e revoltas. Desde pequena me admirei por aceitar cada desgraça que costumava me acontecer, mas eu não entendia como alguém saudável  e de bons hábitos como Nayoung se fora daquele mundo sem sequer conseguir falar últimas palavras. Minha estória foi interrompida sem um porquê justo, apenas por causa de um capricho do destino de nos separar, apenas porque o nosso amor era demais pra essa terrinha de menos, que necessita amargura para sobreviver.

        E é assim que mais nada digo sobre a  minha história com ela, porque é apenas ela que a merece escutar.


Notas Finais


qualquer comentário alegraria demais o meu dia, quem vai me dar essa felicidade? 💕
obrigada por ler até o final ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...