História Apenas você - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Gabriel Medina
Personagens Gabriel Medina
Tags Alejo Muniz, Gabriel Medina, Miguel Pupo, Surf
Visualizações 369
Palavras 1.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Um capítulo meio tristinho, mas cheio de amor <3 Espero que gostem!!

Capítulo 36 - Despedida


Fanfic / Fanfiction Apenas você - Capítulo 36 - Despedida

Era hoje, lá vou eu de novo, partiu Belo Horizonte? Estávamos prontas, já que Luiza iria comigo. Apenas ela. Fernando não quis voltar, porque Dominik não iria e ele queria aproveitar todo o resto das férias. Miguel não iria poder ir, tinha que fazer umas consultas médicas na capital e isso o ocuparia a semana toda. Eu estava indo, mas ia deixar uma parte de mim tão grande que chegava doer. O meu surfista. Ficar longe dele ia me maltratando a caminho do aeroporto, como se meu coração estivesse apanhando, mas eu precisava arrumar minhas coisas e era uma responsabilidade. Gabriel também tinha as dele e era por isso que não iria, mas se desse apareceria por lá no final de semana.

            Chegamos e fomos para a sala de embarque, estava nervosa, esperando por ele, que estava em uma reunião com Rip Curl. E lá estava ele, via de longe, usava calça jeans e camiseta, boné e um óculos escuro, estava tão lindo. Ele vinha tão cabisbaixo quanto eu no caminho, me levantei e fui andando ao encontro dele, queria estar nos braços dele o mais rápido possível. Ele tinha conquistado o meu coração tão rápido... Quando se aproximou de mim, me beijou e fomos até o pessoal abraçados. Ele cumprimentou Nando, Domi e Luiza. Ele falou alguma coisa com Alejo que chegou um pouco depois e logo voltou a me abraçar, parece que ele sentia a mesma necessidade que eu, ficar o mais próximo possível. Ficamos os 30 minutos que restavam abraçados e quietinhos, sentíamos que algumas pessoas nos fotografavam, mas não ligamos. Despedida é sempre tão ruim, é sempre tão doloroso, mas acontece... O primeiro anúncio do meu voo foi dado, comecei a me despedir. Abracei Nando, nós nunca ficamos tanto tempo longe e ele faria muita falta nessa semana. Despedi-me dele e algumas lágrimas rolavam. Vez de Dominik e mais lágrimas, ela me fez prometer que mandaria snap de tudo. Quando abracei Alejo, ele prometeu que cuidaria do Gabriel e que bateria em certas meninas caso alguma se aproximasse dele. Ele também chorou, mas só chorou porque eu estava chorando e não aguenta ver ninguém chorando.  E por fim o meu amor, meu surfista:

- Chegou a hora... eu não quero mais... amor. – falei soluçando pelo choro e ele me abraçou tão forte como se não quisesse largar.

- Eu vou cuidar de você mesmo de longe. Vai passar rápido, eu prometo meu amor. – eu dei um sorrisinho e fiquei na ponta do pé pra distribuir beijinhos pelo seu rosto.

- Eu te amo muito, meu surfista mais lindo. – ele me deu um beijo longo, me apertou mais um pouco e quando me soltou estava com os olhos marejados. Eu sabia que ele não choraria, Gabriel não chorava por nada, mas os olhos marejados já diziam muito.

- Te amo demais, minha baixinha. – lhe abracei de novo e anunciaram o voo novamente, eu precisava ir. Dei-lhe outro beijo e sai. Indo em direção ao avião, secando algumas lágrimas que rolavam fortes, Luiza me abraçou de lado e fomos.

            A viagem foi tranquila e Luiza me animou falando sobre como estava apaixonada por Miguel e como esses poucos dias ao lado dele tinham sido incríveis. Eu ria dela e dos relatos de suas pequeninas férias em Maresias. Bom, suas não, nossas! Nós aproveitamos muito. Em BH não curtíamos assim, eu pelos os meus motivos e Luiza por trabalhar demais, porém agora seria diferente. Nós levaríamos uma vida calma, feliz e cheia de amor em nosso redor.

[ GABRIEL ON ]

            Cá estou eu, deitado de barriga pra cima encarando o teto, sentindo o vazio de não tê-la como tive nos últimos dias. Se saudade pudesse matar, com certeza daqui a alguns dias eu estarei morto.

            Miguel chegou no meu quarto com os olhos inchados, se jogou na minha cama, começando seu discurso melancólico.

- Eu faço tudo errado brother, eu deixei ela ir embora sem ao menos um abraço, sem ao menos acompanha-la até o aeroporto. Eu realmente não nasci pra ser amado...

- PAROU MIGUEL! – o repreendi antes que ele engatasse nesse papinho e não parasse mais. – A Luiza deve ter entendido os seus motivos e se não entendeu, vai ter que entender se quiser mesmo estar com você. Além disso, ela nem ficou brava ou coisa do tipo. Então não vale a pena ficar se culpando por não ter ido.

- Eu quero a Lulu! – choramingou.

- Eu quero a Nina! – choraminguei.

- E eu quero a Manda! – Alejo choramingou se deitando conosco da mesma forma. Era uma cena deplorável, três marmanjos deitados, encarando o teto e chorando por causa de mulher.

[ XXXXX ]

            Rolava na cama sem conseguir dormir querendo noticias de Nina, passava horas olhando para o numero dela me segurando para não ligar, quando enfim a mensagem chegou, eu já estava irritado e cansado, tanto que não pensei duas vezes e liguei para ela.

- Oi meu pretinho, então você ainda tá acordado? – foi só ouvir aquela voz cansada me chamando de “pretinho” que amoleci, parecia que toda minha raiva pelo sumiço tinha evaporado, ou melhor, se transformado em saudade.

- Estava te esperando.

- Me desculpa, eu cheguei e acompanhei Luiza enquanto ela resolvia as coisas dela, ficamos o dia todo na rua e só cheguei agora.

- Tudo bem amor. – respondo baixinho. – Você vai dormir sozinha na sua casa? – perguntei preocupado.

- Não pretinho, a Lulu está aqui.

- Certo. E ai pretinha, pensou muito em mim?

- Que convencido! E você acha que eu só penso em você?

- E tem algum pensamento mais interessante que seu namorado? – ela riu e eu fechei os olhos, aquele era o meu som preferido, a risada dela!

- Mas você tá certo, eu pensei em você o dia todo. – respirei fundo e a saudade doeu.

- Eu também pensei em você o dia todo, nem consegui jogar direito e o Felipe ganhou de mim no FIFA. – digo como se fosse uma tragédia.

- Que tragédia gigantesca. – ela riu e em seguida bocejou, eu já sabia o que vinha pela frente. – Eu preciso ir dormir, porque amanhã vou cedo com a Luiza na faculdade, ela vai pegar transferência.

- Me trocando pela Lulu? Com menos de um mês de namoro? To fodido.

- Bobo! Eu trocaria tudo pra estar com você.

- Sabe que quando você me fala essas coisas eu ainda não consigo acreditar?

- Por quê?

- Você é muito marrenta, mas fico mais apaixonado quando você fica assim melosinha.

- Para amor. Só estou falando a verdade e se ficar implicando vou ficar com vergonha e não vou falar mais nada.

- Não tá mais aqui quem falou, e já que você falou que trocaria tudo, então larga tudo e vem pra cá.

- Não vou, no final da semana você vem.

- Ei, eu disse que era uma possibilidade, não tenho certeza.  – a ouvi suspirar e meu coração apertou. – Tá, eu vou ter que ir, não tem nem um dia que eu não te vejo e já to assim, não vou aguentar tantos dias.

- Você é um chicletinho sabia?

- Você é minha sabia? – ouvi o suspiro dela do outro lado e sorri imaginando que lá ela também sorria.

- Pretinho, eu preciso mesmo dormir, se eu ficar falando mais com você essa bendita saudade só vai aumentar.

-Tudo bem, eu também to cansadão e amanha a agenda tá cheia.

- Vai treinar?

- Só cedinho, depois tenho uns exames e uma gravação de comercial e acho que umas fotos.

- Nossa! E eu achando que meu dia tava cheio, vou sair de manha e depois vamos pra casa da Lulu, acho que vou compensar meus sonos perdidos amanha.

- Isso pretinha, dorme bastante, nada de ir aproveitar a noite.

- Olha boa ideia, vou ver com a Lu se ela quer sair, a mãe dela está aqui e ela conhece todos os barzinhos de BH.

- Nina... – tentava me conter, levar na brincadeira, manter a respiração.

- Oi preto?

- Eu vou dormir, daqui a pouco já é uma hora.

- Tudo bem. Amanha a gente se fala, durma bem e sonhe comigo.

- Não precisa pedir duas vezes, pra ser melhor só falta você comigo, to achando essa cama grande demais.

- Não queria desligar. – ri baixo e senti o sono vindo.

- Beijo, sonha comigo também.

- Te amo. – ela disse baixinho com uma voz estranha, acho que estava segurando o choro.

- Te amo mais.

            Depois de alguns minutos de silencio, um esperando o outro desliga, soltei uma risada fraca e desliguei. Coloquei o celular embaixo do travesseiro e me arrumei na cama. ÓBVIO que sonharia com ela, mas sabendo que a realidade era muito melhor do que qualquer sonho.

 


Notas Finais


Eu tô é chorando com essa separação, mas juro que tem muita coisa boa pela frente ainda <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...