História Apocalipse - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Apocalipse, Truegus
Visualizações 6
Palavras 761
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Farrell - Parte 1



"Sarah... Eu te amo." disse Gus em um sonho; acordou em um salto, com Paula ao seu lado. Levantou-se da cama, vestiu-se com sua calça jeans, camisa preta e um casaco verde-oliva e saiu da casa, caminhando até a casa de Pedro; Chegando lá,  bateu à porta e foi recebido em instantes por um Pedro completamente vestido - botas, calças jeans, camisa, casaco e o boné da polícia.
"Vai a algum lugar a essa hora, Pedro?" perguntou Gus.
"Não consigo dormir. E algo me diz que você também não. Entre." disse Pedro, convidando o amigo para entrar. "Quer uma bebida?"
"Eu não bebo, valeu." respondeu Gus.
"Mas já bebeu?" perguntou Pedro.
"Não. E nem tenho a intenção, então desista já de seus planos."expôs Gus.
"O quê? Eu, com planos? Jamais!" disse Pedro, brincando. "Tá, só um gole, vai." insistiu Pedro.
"Não, valeu." disse Gus.
"Porque não? É o fim do mundo!" exclamou Pedro.
"Pedro. Eu... não estou legal."
"Merda... Os pesadelos voltaram?"
"Mais ou menos... Eu tive um sonho, com a Sarah."
"Posso saber o que aconteceu no sonho?"
"Eu disse 'eu te amo' e aí acordei."
"E isso é ruim aonde? Quer dizer, comparado com os pesadelos que você me contou, isso é... fichinha." disse Pedro, andando até a geladeira e pegando uma lata de cerveja. "Espera... Nem cerveja?" perguntou ele.
"Vai se ferrar..." disse Gus, sorrindo e mostrando o dedo do meio.
"Tá, mas... voltando ao assunto; Porque acha que esse sonho é ruim?" perguntou Pedro.
"Eu não sei. Mas, como você mesmo disse, comparado aos meus pesadelos, isso é fichinha. Estou tendo dificuldades em entender como posso ter um sonho, em meio a tantos pesadelos." expôs Gus.
"Não acha que está dando muita importância para os seus sonhos e pesadelos? Eles são o que são, nada mais." disse Pedro.
"Você... tem razão. Eu não sei, eu ando meio... apreensivo." afirmou Gus.
"É claro que você anda meio apreensivo. Você e a Paula estão... juntos, e você me disse que só ficou com uma mulher na sua vida inteira, a Sarah... Apreensão é... normal. Você não sabe o que esperar. Vá pra casa; Durma. Amanhã temos que ir até o Farrell, e ele odeia que a gente se atrase, aquele maníaco paranóico do cacete." expôs Pedro.
"Farrell? Amanhã?" perguntou Gus, confuso.
"Sim... você que disse pra gente. Algo sobre uma troca." explicou Pedro.
"Eu... realmente não me lembro disso. Que merda... eu vou indo, então. Valeu por me ouvir."
"Eu devia era cobrar por sessão..." disse Pedro, rindo.
O "Farrell" a qual Pedro e Gus se referiam era o líder de uma comunidade vizinha com a qual a comunidade fundada por Gus fazia trocas regularmente; Seu nome completo é Matthew Augustus Farrell, e ele não confia em absolutamente ninguém, sendo muitas vezes chamado de maníaco paranóico, especialmente por Pedro, com o qual ele tinha uma relação de ódio; Na primeira vez que esses dois se encontraram, ambos apontaram armas para as cabeças uns dos outros, e teriam puxado os gatilhos não fosse por Gus entrar na linha de tiro. Ainda assim, a tensão e desconfiança entre os dois só aumentou; Farrell chama Pedro de "neandertal temperamental" por sua brutalidade e temperamento explosivo, e Pedro, como dito antes, chama Farrell de maníaco paranóico por estar sempre desconfiado de tudo e todos a todo momento. No dia seguinte, Pedro e Gus colocaram uma mala de armas no porta-malas do carro - seis escopetas, dois rifles de peso, mais de uma dúzia de pistolas; Setecentas balas, variadas. Em troca disso, Farrell estaria disposto a entregar sementes, adubo, fertilizantes, material para jardinagem e até mesmo diagramas de como construir estábulos, silos para estoque de grãos no inverno e cercas para prender animais; Não era um troca justa, mas o grupo de Gus já havia saqueado todos os prédios e casas em um raio de vinte quilômetros da comunidade, e estavam ficando sem opções quando se trata de comida. Eles deviam ter, no máximo, provisões para um mês; Chegando lá, foram parados, tirados do carro, revistados, desarmados e só depois puderam dirigir para dentro da comunidade de Farrell. Descendo do carro, foram cumprimentados pelo braço direito de Farrell.
"Sejam bem vindos de volta. Trouxeram as armas?" perguntou ele.
"É, trouxemos, sim; Espero que vocês cumpram sua parte do acordo." disse Pedro. Farrell então saiu de dentro de um prédio
"Cumpriremos. Mas vocês vão precisar de um carro maior..." disse Farrell, apontando para uma pilha enorme de sacos cheios de sementes variadas, embalagens de fertilizante, adubo e uma pilha com tábuas de madeira para cercas.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...