História Apocalipse Zumbi - 1 Temporada - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Alycia Debnam-Carey, Evan Peters, Fear The Walking Dead, Lucas Till, The Walking Dead
Personagens Alicia Clark, Evan Peters, Lucas Till
Tags Alicia Clark, Apocalipse Zumbi, Fear The Walking Dead, Romance, The Walking Dead, Violencia, Zumbi
Visualizações 22
Palavras 1.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boaa leitura❤

Capítulo 14 - A VERDADE


Fanfic / Fanfiction Apocalipse Zumbi - 1 Temporada - Capítulo 14 - A VERDADE

Fico sem palavras, não estava acreditando naquilo. 

- O que? 

DYLAN- Isso mesmo que você ouviu.

- Precisamos encontrá-la. 

Ele fica quieto. 

- Por que ficou assim? 

DYLAN- Meu pai queria me testar como a cura, ele não sabia de você, nossa mãe interferiu, pois ele teria que me matar, ela o trancou dentro de uma cápsula, e esperou sua morte, pois todos nós estamos infectados pelo ar, mas só podem se transformar os que morrem, ou os que forem mordidos, nossa mãe sabia que você era imune, ela queria te proteger desde o início, por isso pediu para que eu te trouxesse até ela em segurança. 

Era muita informação. 

- Como conseguiu me encontrar?

DYLAN- Sua faca, tem um rastreador nela, não foi difícil te encontrar.

A faca que minha mãe me deu. 

- E por que não podemos encontrá-la? 

DYLAN- Ela me disse antes de te encontrar que se não estivesse aqui, é por que foi transferida para um laboratório subterrâneo, aonde tem os melhores cientistas, para encontrar uma possibilidade de cura. 

- Mas não vão encontrar não é?! 

DYLAN- Tudo é possível Annie, se Alicia conseguiu uma vez, pode conseguir novamente, mas como já sabe, você é nossa única esperança, mas nossa mãe não quer que você morra, por isso quis que eu te protegesse e é isso que vou fazer sendo seu irmão mais velho.

Assenti, mas ainda estava confusa.

- Ainda vou tomar minhas próprias decisões, tenho um grande afeto por você e fico feliz que seja realmente meu irmão, mas você já sabe né.

DYLAN- Nossa mãe avisou como você é, meu dever é te proteger, não interferir nas suas decisões. 

Concordei com a cabeça. 

- Posso te dar um abraço? 

Ele vem na minha direção e me abraça. 

DYLAN- Minha maninha. 

Bagunça meu cabelo.

- Hey abusado. 

O afasto e rimos, até que ele lembra da situação. 

DYLAN- A gente tem uma manada de zumbis lá fora, fica atrás de mim quando sairmos. 

Assenti e então pegou seu machado que havia caído antes de ser atacado por seu "pai" e saímos. 

DYLAN- Usa sua faca. 

-  Como sabe que estou com a faca? 

DYLAN- Foi a última coisa que Clark te deu, você guardou com carinho. 

- Por que você sendo meu irmão não tem o mesmo sobrenome que eu? 

DYLAN- Nossa Mãe traiu seu pai, com o meu, e ficou um ano fora, dizendo que era para estudos, mas na verdade era para me dar a luz, logo depois me deixou sobre a responsabilidade do meu pai, que me criou até os 4 anos sozinho, depois Clark começou a cuidar de mim, já que passei a "morar" no laboratório, ela tinha recém dado a luz de você, quando descobri que ela era minha mãe, já era tarde demais para mudar o sobrenome. 

Fala baixo, para que os zumbis não escutassem o barulho enquanto caminhávamos. 

- Ahh. 

DYLAN- CUIDADO! 

Grita de repente e mata o zumbi que estava atrás de mim. 

DYLAN- Toma mais cuidado, cadê a garota que lutou contra aqueles zumbis no celeiro? 

- Ela deixou de acreditar que é capaz. 

DYLAN- É por causa do Peter né?! 

Não falei nada. 

DYLAN- Já dei um jeito nele. 

Fiquei com uma cara de "QUE". 

DYLAN- Mas pra ser sincero, acho que deveria dar mais uma chance para ele, eu conversei com ele, deveria deixar ele te explicar, ele quase morreu chegando até aqui, nunca vi ninguém tão preocupado contigo, quanto ele. 

Aquilo me pegou de surpresa. 

- Não temos tempo pra isso agora. 

Falo apontando para os zumbis vindo em nossa direção. 

Pego minha faca e cravo na testa dos zumbis, Dylan me ajudava, até que o corredor ficou limpo. 

Dobramos o corredor e dei de cara com... 

- Aí. 

Acabei caindo. 

PETER- Annie... 

Ele oferece sua mão para me ajudar a levantar.

- Eu consigo sozinha. 

Me levanto e vejo Beatrice do seu lado, ela não falou nada, só me olhou. 

O olho de Peter estava roxo, daí me lembrei do que Dylan disse: Já dei um jeito nele.

PETER- Eu fiquei tão preocupado, por que fez isso? 

- Sério que vai me fazer essa pergunta?! Se liga garoto. 

Bato meu ombro no nele, saindo de sua frente, Dylan me segue.

DYLAN- Vocês vão precisar conversar.

- Como já falei agora não temos tempo pra isso.

DYLAN- Não pode fugir pra sempre. 

Lembrei de Carlos e do Gabriel.

- Droga. 

DYLAN- O que houve? 

- O Carlos e o Gabriel estão por aí. 

DYLAN- Vou chamar eles ali, pra não nos perdermos de novo.

Se refere ao Peter e Beatrice.

- Fazer o que. 

Logo depois os dois vieram junto com o Dylan... Peter me olhava sem jeito, e Beatrice estava com uma cara de " o que estou fazendo aqui". 

- Vamos procurar o Carlos e Gabriel. 

Vou na frente, e eles ficam atrás. 

Vi em um corredor um bando de zumbis querendo entrar em uma sala, tinha um armário os impedindo, com certeza era o Carlos e o Gabriel.

PETER- Eu atiro, tenho uma arma. 

Ele vai na frente, e Beatrice segura sua mão. 

BEATRICE- Cuidado. 

Ele assentiu se soltando e olhando pra mim, esperando com que eu falasse alguma coisa, mas não falei nada. 

Ele foi na frente e atirou em alguns zumbis, e os que sobraram vieram em nossa direção.

DYLAN- Eu e você agora maninha. 

Peter ficou boiado, não entendeu assim como Beatrice. 

Dylan e eu começamos a matar o restante, e Peter se juntou a nós, enquanto Beatrice ficava ali com cara de paisagem, foi quando eu vi um zumbi que vejo por trás atacando ela, vou até lá, a salvando. 

BEATRICE- O...Obrigada. 

Gagueja.

Não falo nada e volto com os guris.

Matamos todos, pedindo para que Carlos e Gabriel abrissem a passagem com o armário. 

CARLOS- Aí meu Deus, pensei que iria morrer, que não iria mais te ver. 

Me abraça logo depois de me ver. 

CARLOS- Como está o bebê? 

Fala sem querer, colocando a mão na minha barriga.

GABRIEL- QUE?

DYLAN- COMO ASSIM? 

Beatrice ficou olhando pasma. 

PETER- BEBÊ? 

Me olha com cara de choro, como se já soubesse que ele era o pai.

Olhei séria para Carlos. 

CARLOS- Desculpa, foi sem querer. 

Agora sim, teria que revelar a verdade.... ou.... esconder a verdade?!


....


Notas Finais


Até o próximo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...