História Apocalypse - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Neo Culture Technology (NCT), Red Velvet
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Chenle, Do Kyung-soo (D.O), Doyoung, Haechan, Hendery, Irene, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Joy, Jungwoo, Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Kun, Lucas, Mark, Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), RenJun, Seulgi, Taeil, Taeyong, Ten, Wendy, Winwin, XiaoJun, YangYang, Yeri, Yuta, Zhang Yixing (Lay)
Tags Apocalipse, Apocalypse, Dowoo, Exo, Nct, Red Velvet, Zumbi
Visualizações 9
Palavras 574
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shounen, Survival, Universo Alternativo, Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Aniversário


“!Fazenda – Rota wpp;

 

Já sendo final de setembro a brisa da noite já era mais fria; causava um arrepio assim que uma corrente de vento atingia sua pele e exigia roupas pouco mais compridas.

Era meio da madrugada, Xiaojun sozinho sentado atrás do celeiro olhava para o céu e sorria, mesmo em meio a todas aquelas lágrimas.

— Feliz aniversário, Hendery, Kunhang, chato, príncipe Eric, como você preferir. – disse enfim – Eu não planejei nada para hoje, sinto muito, mas... Eu queria apenas que você estivesse aqui para que eu lhe desse as devidas felicitações.

Parou de falar novamente, uma onde de soluços escapou de sua garganta e as lágrimas pingavam de seu rosto, era até mesmo difícil abri-los pela ardência que já causava.

— Você foi embora cedo demais, não acha? Se bem que não é uma experiencia muito legal lidar com mortes constantemente e uma Seulgi brava por não ter uma mão... Talvez tenha sido melhor você ter ido primeiro, assim não precisou passar por tudo isso.

As estrelas lá do alto brilhavam, Dejun tentou se consolar pensando que elas estavam tentando o consolar de alguma forma.

— Cheguei a comentar com você sobre o caso da sasaeng morta, né? Bom, eu me aproximei mais de Jisung, ele nunca fala o nome de sua suspeita, mas ele sempre fica pálido e sua voz fica mais incrédula... Talvez seja alguém próximo a ele? Talvez seja um dos mais velhos que sempre tentam nos proteger?

Ouviu o barulho das folhas secas sendo pisoteadas próximo de si, em um movimento rápido sacou a arma que havia deixado ao seu lado para defesa, mas suspirou triste ao ver que era apenas Yangyang e Lucas.

— Suspeitamos que você estava por aqui, não estava no seu quarto. – o Liu falou se sentando ao lado esquerdo do amigo, o puxando para um abraço.

— O Hendery deve estar bem, ok? Pense que pelo menos ele partiu tendo uma boa relação com todo mundo, sem nem um problema, como foi o primeiro não foi com nenhuma dor guardada. – o Wong se sentou ao lado direito, afagando os fios do Dejun.

— Eu só queria me despedir decentemente, dizer um último “você fez bem, obrigado por ser meu melhor amigo” ou qualquer outra melosidade que fizesse ele pigarrear, dizer um último “feliz aniversário, um ano a mais pra ser escravo da empresa”. – seu choro era alto, felizmente os outros dois chineses também estavam armados, aquele choro atrairia os mortos-vivos com toda certeza.

— Ele está ouvindo você agora, e provavelmente rindo muito chamando você de bebê chorão. – Yangyang falou com uma risada fraca, se contendo tanto quanto Lucas para não desabar igualmente no choro.

Coisa que se tornou difícil, visto que Lucas dormia no mesmo cômodo que um certo tailandês que acordou quando percebeu o movimento, demorou apenas porque fez questão de se agasalhar antes de sair.

— Deixe-me adivinhar; festinha surpresa pro Kunhang? – Chittaphon perguntou após seguir os fungados e murmúrios chorosos.

— Trouxe salgadinho pra festa? – o Wong questionou.

— Não, mas trouxe bala, serve? – apontou para a arma que acabara de deixar no chão – Ei, Dejun, vem cá.

Xiaojun se afastou do Liu para olhar o mais velho; sabia que ele era tão amigo de Hendery quanto si mesmo, até mesmo do comentário das fãs de “o Ten parece um irmão mais velho do Hendery”.

Nada disse, apenas se sentou e esperou que o Leechayiapornkul o abraçasse e compartilhassem aquele momento onde a saudade era quem mais predominava.


Notas Finais


credo eu não tenho estrutura pras minhas próprias histórias, chorei igual uma criancinha não aguento mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...