1. Spirit Fanfics >
  2. Aposta >
  3. Capítulo Vinte e Um

História Aposta - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, gente! Desculpa pela demora... É que a aqui em casa tá sem Wi-fi há umas duas semanas e com tudo que tá acontecendo o técnico não veio concertar ainda. Parece que tá faltando peças ou algo assim.

Enfim, eu estava esperando virem arrumar para poder postar, só que ontem a noite meu irmão ligou pra eles e pelo jeito ainda vai demorar um pouquinho pra isso acontecer, então resolvi postar com o 3G mesmo. 🙁 Não vai dá pra responder os comentários por enquanto, mas assim que der eu volto, beleza? ❤

Obrigada pelos comentários e favoritos! E boa leitura! 💜

Capítulo 23 - Capítulo Vinte e Um


James POV

- Olha eleeee! - Ouvi a voz escandalosa de Marcelo ecoar assim que cheguei no CT e eu apenas revirei os olhos indo me posicionar no campo sem falar nada com ninguém.

Meu humor estava péssimo. Os últimos dias têm sido estressantes e extremamente difíceis. Depois que Manuela me deixou as coisas parecem ter ficado mais estranhas e muitas vezes sem sentido. Nunca pensei que fosse sentir tanto a falta de uma pessoa que conheço a tão pouco tempo. 

O clima no CT era o pior possível. Todos já sabiam da aposta, até porque Florentino fez questão de dá um sermão em todos os envolvidos no meio do elenco inteiro, como se fosse para mandar um recado aos demais. Além disso, ainda fez questão de deixar bem claro que só continuaríamos no clube por causa de Manuela, que o proibiu de tomar alguma decisão radical.

Aquela mulher não cansa de me surpreender.

Mesmo eu sendo o maior filho da mãe com ela, Manu ainda tinha compaixão por mim. 

Respirei fundo e tentei focar no treino, mas era complicado demais. Minha concentração estava precária e eu não conseguia fazer nada pra melhorar.

- Vai pra balada essa noite? - Jović perguntou num tom quase zombeteiro e eu virei para o olhar, já que o mesmo estava atrás de mim e ao lado de Daniel. 

- Tá de brincadeira né? - Perguntei sem paciência e ele riu pelo o nariz. - Eu tô com cara de quem quer ir pra balada?! - Resmunguei seco.

- É aniversário do Hazard. Ele vai fechar a balada só pra gente. Vai ser show! - Daniel tagarelou animado e eu fiz uma careta.

- Bom pra vocês. Divirtam -se! - Dei de ombros e ouvi um suspiro de Benzema, que eu nem tinha notado que estava próximo de mim também.

- Cara, você precisa desencanar. Já fazem semanas, tá na hora de deixar desse azedume de lado e seguir o baile. - Ele murmurou.

- Eu não estou de azedume coisa nenhuma. - Rebati o vendo rir irônico.

- Não? É claro que está! Eu te mandei várias mensagens esses dias e você sequer visualizou. O que tá acontecendo com você, cara? É só uma garota. Vai passar. - Ele disse como se tivesse preocupado e eu revirei os olhos.

- Não, Karim. Não é só uma garota, é a Manuela! Você não entende? Eu estou completamente apaixonado por ela e não consigo mais...

Ai meu Deus! - Fui interrompido por essa frase de Jović que soou de uma maneira incrédula.

Olhei para ele e vi seus olhos arregalados voltados para alguma coisa atrás de mim, mais propriamente para o banco de reservas, Daniel também estava com um semblante surpreso e ao mesmo tempo assustado, enquanto olhava na mesma direção.

Tomado pela curiosidade olhei para frente quase tendo uma taquicardia.

- Puta que pariu! - Karim deixou escapar e eu apenas engoli em seco, incapacitado de dizer qualquer coisa naquele momento.

Aquela era mesmo a minha Manu? 

Assisti em câmera lenta uma Manuela repaginada caminhar em direção a Zidane.

Ela parecia um pouco desconfortável com todos os olhos voltados para ela, além do show de burburinhos que tomou conta do ambiente em questão de segundos. Já Diana, que estava ao seu lado, sorria mais que satisfeita, como se estivesse realizando um sonho de infância.

Eu ouvia as exclamações surpresas dos meus amigos, mas não era capaz de comentar nada. Eu estava tomado por uma súbita e inexplicável nostalgia do começo dessa história. Da nossa história.

Era como se eu estivesse revivendo o primeiro dia que vi Manuela chegar nesse CT... Mais uma vez ela estava chamando a atenção por sua aparência, só que dessa vez era diferente. Não estavam julgando-a, pelo o contrário, todos estavam contemplando a beleza que eu já tive a honra de conhecer.

Ela deixou de lado o ar de menina e adotou a postura de mulher decidida e confiante. 

Manuela, finalmente, tinha colocado pra fora o seu verdadeiro eu.

Senti meu coração acelerar mil vezes mais quando, de maneira inconsciente, nossos olhares se encontraram e eu constatei tudo aquilo que eu já sabia: Eu a amo com todas as minhas forças.

E isso não tem nada a ver com sua nova aparência.

Os melhores dias da minha vida foram os que passei ao lado dela, foram aqueles que, na sua presença, eu me permeti ser eu mesmo.

Manu fez o meu coração, duro e marrento se apaixonar de novo.

Talvez, eu tenha pensado que na primeira vez que a vi Manu não fosse nada além de mais uma na minha vida. Achei que ela não era importante aos meus olhos... Mas o tempo foi passando e eu fui percebendo e vendo o quanto ela era diferente das outras.

Não sei em qual momento eu percebi que algo em mim, ou melhor, algo na gente, tinha mudado. Mas mudou, e muito.

Eu já não sou mais o mesmo... Meu jeito de ser, meu jeito de viver e até o meu jeito de ver e entender as coisas. Confesso que por muitas vezes tentei lutar contra, pensei em até estar confundido as coisas... Eu não queria me apaixonar por ela. Não fazia parte do plano.

Não fazia parte da aposta.

Mas à medida que o tempo passava eu gostava mais e mais dela... Saiu do controle. 

Saiu completamente do controle

Eu não soube lidar com toda aquela confusão de sentimentos sufocando meu peito e estraguei tudo.

- Para de encarar, cara... você tá me assustando e com certeza tá assustando ela também. - Karim sussurrou próximo de mim, mas eu apenas fingi que não ouvi.

Ela ainda me olhava, seu semblante era indescritível. Sua pele pálida estava mais rosada do que nunca, sua boca pequena pintada de uma cor provocante, mas nem perto de ser vulgar. Seus cabelos, antes grandes e sem corte, agora ostentavam movimento e jovialidade sob seus ombros. 

Ela estava diferente, e por mais que eu tivesse gostado da mudança eu me sentia triste por o motivo que a levou a fazer isso: A aposta.

Era óbvio.

Ela foi vítima de uma brincadeira idiota por conta do sua imagem de menininha perdida e agora resolveu dar a volta por cima. A conhecendo como eu conheço sei que Manuela não permitirá que ninguém jamais brincasse com seus sentimentos outra vez. E eu fico feliz com isso, de verdade. Mas uma parte de mim me apedreja por ser o principal responsável por causar algo tão grande nela.

- James, você ficou mudo? - Ouvi Jović  perguntar em tom de deboche, mas nada e nem ninguém me tiraria daquele transe tão cedo.

- Eu tô rosa chiclete com essa mudança! - Marcelo falou forçando uma voz afeminada, fazendo os caras rirem.

Depois de mais alguns segundos Manu cansou de joguinhos e desviou seu olhar para Zidane que a explicava alguma coisa. 

Engoli em seco colocando a mão no rosto e respirei fundo, enquanto tentava digerir aquela nova informação.

Tudo que eu queria agora era uma máquina do tempo. Poder voltar alguns meses atrás e compreender que aquele olhar que troquei com Manu tinha algo diferente, que ela era especial. Talvez, eu tenha me apaixonado a primeira vista, só não percebi. Talvez, naquele dia eu tenha encontrado o amor da minha vida pra sempre, mas por estupidez minha eu acabei perdendo-o, no mesmo dia... quando disse "sim" para aquela aposta.


Manuela POV

- Eu falei que você iria arrasar! - Diana exclamou convencida enquanto sentávamos nos bancos de reservas após conversar com Zidane. 

- Não é pra tanto. - Murmurei encolhendo os ombros. 

Confesso que não me sentia a vontade com todos aqueles olhares curiosos e surpresos sob mim. Principalmente um em especial.

- Não?! Manu, você viu a cara dessas pessoas? Elas estão quase te comendo com os olhos! - Exclamou rindo.

- Eu ainda não entendi onde isso é divertido. - Falei tentando me encolher ainda mais, recebendo uma carranca de Diana.

- Para com isso! - Ordenou, revirando os olhos.

- Com isso o quê?

- De querer se esconder! Não foi pra isso que gastou uma fortuna em roupas e salão de beleza.

- Mas...

- Mas nada, Manuela! Cadê aquela mulher confiante que estava super animada com a mudança e que iria arrastar a cara dos inimigos no asfalto?

- Eu nunca disse que iria arrastar a cara de ninguém no asfalto. - Me defendi e a vi revirar os olhos mais uma vez.

- Você entendeu muito bem o que eu quis dizer, não se faça de sonsa! - Bufou. - Agora para de agir feito uma gatinha medrosa e libera a leoa que existe dentro de você.

- Mas não existe leoa nenhuma dentro de mim, no máximo tenha uma ratazana raivosa e olha lá. - Assim que fechei a boca, Diana me acertou com um tapa no braço. - Ai!! - Reclamei lhe lançando um olhar matador, mas ela me lançou um ainda pior.

- Você tá se ouvindo?! Você se chamou de ratazana Manuela. Ratazana! - Exclamou incrédula e eu dei de ombros. - Olha, nós já demos um up no seu visual, agora precisamos urgentemente melhorar essa autoestima psicológica. Ratazana realmente não dá! - Murmurou indignada e eu ri.

- Não precisa levar tudo ao pé da letra, Di. - Pisquei um olho. - Tá tudo sob controle. Eu não me acho uma ratazana, se isso te faz sentir melhor. - Falei sorrindo divertida e ela bufou, mas em seguida abriu um sorriso maldoso.

- Olha só quem tá vindo pra cá. - Disse olhando para o lado e vi Eden chegando onde estávamos.

Hazard não era lá um grande amigo meu, mas acabamos nos aproximando nos últimos dias. Ele parecia não compactuar com a atitude de James e seus companheiros. Ninguém com um mínimo de caráter compactua, não é mesmo?

- Olá, meninas! - Ele saudou animado. 

- Oi. - Respondemos em uníssono.

- Posso saber o que fazem por aqui em um dia de treino fechado? - Perguntou arqueando as sobrancelhas. 

- Deixa de ser curioso. Você vai saber no tempo certo. - Diana disse e Eden revirou os olhos. - Mas e você? O que quer com a gente? Sei que não veio aqui só pra admirar nossa beleza... 

- Não mesmo. - Hazard riu. - Apesar da senhorita Manuela está de tirar o fôlego, diga-se de passagem. - Disse com seu típico sorrisinho descarado e eu revirei os olhos, enquanto Diana ria.

- Para de ser chato e fala logo, praga. - Pedi e ele gargalhou.

- Eu só queria convidá-las para ir na balada que eu mandei fechar para comemorar meu aniversário hoje. - Ele disse simples. 

- Oh, está fazendo aniversário hoje? Meus parabéns! - Diana exclamou o abraçando.

- Na verdade eu completo ano só sábado, porém não vai dá pra comemorar por causa que tem jogo, então resolvi adiantar pra hoje.

- Então devolve meu abraço, vem cá. - Diana disse o abraçando de novo. Cara de pau.

- Então... Vocês vão, né? - Ele perguntou.

Estava prestes a responder uma negativa, porém Diana foi mais rápida:

- É óbvio! Estaremos lá. 

- Maravilha! Depois eu te mando mensagem com o endereço. Agora preciso ir ou Zidane me mata. - Disse voltando correndo para o centro do campo.

Olhei para Diana arqueando as sobrancelhas e ela deu de ombros. 

- Vai ser uma noite divertida, amiga. Eu prometo. - Foi a única coisa que ela disse e eu bufei decidida a não começar uma discussão.

Eu estava ali para tentar passar uma boa impressão e conseguir um estágio. Espancar minha melhor amiga não me parecia algo que fosse acrescentar pontos positivos em meu currículo. 


- Por hoje é só. Até amanhã, pessoal. - Assim que Zidane fechou a boca, já estavam todos se jogando no gramado e eu aproveitei para puxar Diana para irmos embora.

- Você vai comigo? - Perguntei a ela, enquanto andávamos pelos corredores do CT.

- Não. Vou encontrar minha mãe no centro. Iremos almoçar fora. - Ela disse empinando o nariz e eu ri assentindo.

Diana seguiu para a saída do CT e eu em direção a sala do meu pai, porém acabei esbarrando em alguém em frente aos vestiários e teria ido ao chão se a tal pessoa não tivesse me segurado com firmeza.

- Desculpa, eu estava distraído. - Ouvir aquela voz tão perto de novo me causou sensações indescritíveis.

Me soltei dele na velocidade da luz e dei alguns passos para trás, me afastando ainda mais.

Karim, Marcelo Daniel e Jović estavam ao seu lado e eu quase vomitei com o olhar que os dois últimos me lançavam. Eles ao menos disfarçavam, seus olhos percorriam cada centímetro do meu corpo, coberto por um cropped e uma calça jeans justa demais na minha opinião e que ainda exibia rasgos na parte da coxa.

Cruzei meus braços em um gesto involuntário de defesa em relação aos olhares felinos daqueles babacas e encarei James. Ao contrário dos outros, ele não me olhava com malícia e não me deixava constrangida. Pelo o contrário, seu olhar abrigava um misto de admiração e carinho que me fazia questionar como alguém como ele pôde quebrar meu coração?! Ele parece tão perfeito e certo. 

Ou melhor, parecia.

Esse olhar não me engana mais.

- Sem problemas. - Respondi de forma cordial, ajeitando minha bolsa no ombro e tentando passar por ele para continuar meu percurso, mas senti sua mão segurar meu braço, me impossibilitando.

Voltei a encará-lo e vi os seus olhos castanhos deslizar por cada traço do meu rosto como se estivesse me venerando no seu interior e isso causou sensações em mim. Sensações que não deveriam aparecerem nesse altura do campeonato.

- Você está linda. - Ele disse depois de um tempo e eu sorri falsa antes de puxar minha mão com rispidez e me afastar dele novamente.

- Eu sei. - Respondi de imediato e ouvi as risadinhas abafadas dos amigos dele. - E lembra o que a gente combinou aquele dia sobre você sumir da minha vida? Então, continua valendo. - Falei com um sorriso cínico. - Faz de conta que eu não existo, porque eu tô fazendo o mesmo em relação a você.

Dito isso, o dei as costas e pude ir em direção a sala do meu pai.

Eu definitivamente amo recomeços.


Notas Finais


Eu tenho mais alguns capítulos prontos então pretendo postar frequentemente pelos próximos dias ❤ Não deixem de comentar e favoritar, é importante pra mim. ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...