1. Spirit Fanfics >
  2. Aposta >
  3. Capítulo Sete

História Aposta - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


2/3

Boa leitura! 1❤

Capítulo 9 - Capítulo Sete


James Rodríguez POV 

Após deixar Manuela em frente à cafeteria com a desculpa - lê-se mentira - de que iria jogar videogame com os caras, aqui estava eu na casa de Benzema lhe contado sobre o beijo maravilhoso, que não deveria ter acontecido em hipótese alguma. 

- Você é muito, muito burro mesmo! - Karim disse me dando um "pescotapa".

- Eu sei. - Resmunguei acariciando o local atingido.

- Como que você me faz uma merda dessa, cara?! Eu te avisei que não era uma boa ideia! 

- Eu sei.

- Agora sabe o que vai acontecer?! Ela vai descobrir e vai te odiar pra sempre! - Continuou falando de maneira exaltada.

- É, eu sei... - Falei num suspiro. 

- Puta que pariu, James... Você tá TÃO ferrado!

- EU SEI! - Exclamei irritado por ele só está me falando o óbvio e Benzema respirou fundo, parecendo finalmente disposto a tentar me ajudar.

- O que você pretende fazer agora? - Perguntou sério. 

- Eu não sei. - Fui sincero e vi meu amigo rir sem humor.

- O que deu na sua cabeça pra entrar numa dessa? Fala sério, você não é mais um adolescente James. - Me repreendeu como um verdadeiro pai faria. 

- Eu sei lá o que droga eu tava na cabeça aquele dia cara... Talvez eu tivesse bebido um pouco mais e acabei entrando na pilha dos caras... 

- Ih, pode ir inventando outra desculpa, que essa não cola! - Me interrompeu. - Tudo bem que você pode ter agido sem pensar na hora, mas você teve tempo o suficiente para se arrepender depois e mesmo assim continuou com a farsa. Você fez isso porque quis, James. Você a usou pra massagear seu ego.

- Não foi bem assim! - Me defendi. - No começo eu realmente me aproximei com a intenção de ganhar a aposta, mas depois de ontem, quando tive a oportunidade de a conhecer melhor, isso mudou. Não é mais uma farsa. Não estou dizendo que estou apaixonado, até porque é muito cedo pra isso, mas o beijo não foi de mentira. A beijei porque eu senti vontade, não foi por causa da aposta. Eu juro!

- Eu realmente não sei se acredito nisso. Mas de qualquer forma não é a mim quem você precisa convencer. - Karim disse sério e eu suspirei pesado.

- Acha que eu devo falar com ela? - Perguntei em dúvida.

- Você tem que falar com ela. - Afirmou com uma convicção óbvia. - O mais rápido possível. - Acrescentou. 

- Mas e se ela ficar muito chateada?

- Se ela ficar muito chateada você ainda vai estar no lucro, porque eu no lugar dela te mataria e dava seus restos mortais pro cachorro.

- Credo, Karim... Que horror! - Murmurei indignado. 

- Quer falar sobre coisas horríveis? Então que tal começarmos debatendo sobre o qual estúpido é usar uma mulher para inflar seu ego? - Retrucou com um sorriso irônico e eu rolei os olhos. 

- Você vai mesmo ficar jogando isso na minha cara a cada cinco minutos? - Perguntei com tédio. 

- Vou. E você nem pense em reclamar! Tudo que ouvir de mim, não vai ser nada comparado ao que vai ouvir dela. Vai se acostumando... - Decretou com um semblante fechado. - E eu, do fundo do meu coração, espero que ela não alivie pro seu lado. Você merece mais que só palavras duras... Você merece uma surra muito bem dada, James Rodríguez. 

- É, eu sei. - Concordei enquanto levava minhas mãos até a cabeça e massageava minhas têmporas. 

- Acho ótimo que você reconheça que errou e esteja disposto a inverter essa situação, mas não acredito que tudo vá se resolver com você sentado no meu sofá. - Karim disse após algum tempo de silêncio. 

- Está me expulsando da sua casa? - Questionou o olhando com meu melhor semblante de ofendido.

- De jeito nenhum, caro amigo! Só estou te encorajando a ir logo atrás da garota e abrir o jogo o quanto antes. - Murmurou dando de ombros. 

- Agora? Você quer que eu vá procurá-la agora? - Perguntei alarmado. 

- E qual o problema? Achei que quisesse resolver isso logo...

- E eu quero, mas... Já é noite. Não é melhor deixar isso para amanhã? - Sugeri e ele respirou fundo enquanto me olhava com atenção. 

- Você só está tentando ganhar tempo e se quer saber, quanto mais tempo a mentira durar, mais difícil vai ser de convencê-la que você merece o perdão dela. - Avisou. 

- Eu sei...

- Então para de ficar repetindo que sabe das coisas e se move, porra! - Exclamou impaciente. 

- Ei, calma aí...

- Calma? Você é meu amigo e eu te considero pra caramba, mas eu não vou passar mano não. Você errou e errou feio. E eu já tinha te dado a dica que isso não ia dá certo, mas você me escutou? É óbvio que não! Porque caso o contrário eu não teria que está aqui te aconselhando a fazer aquilo que você já devia ter feito! 

- Que seria...? - Perguntei em dúvida e ele jogou um travesseiro na minha cara. 

- Conta logo pra ela, seu burro! - Falou pausadamente. - Vai até a casa dela, liga, manda mensagem... Sei lá. Mas você tem que fazer isso hoje. Não amanhã, nem semana que vem... HOJE, James!

- Mas e se...

- Sem mas, cara. Você vai ter que contar uma hora ou outra, então que essa hora seja agora. - Disse, me interrompendo. - Se você está mesmo disposto a tentar não ferrar tudo com ela, é melhor agir imediatamente. - Murmurou apontando para a porta.

- Você tem razão. Eu vou resolver isso agora mesmo! - Falei me despedindo dele com um toque de mão e ouvi um "Boa sorte" antes de sair da sua casa e entrar no meu carro, com o intuito de ir até Manuela. 

Eu nunca fui do tipo de pessoa que se arrepende das coisas. Pelo contrário, sempre me policiei bastante pra não fazer algo que me levasse a sentir a sensação que estou experimentando agora.

A verdade é que nesse momento eu me arrepende de muita coisa. Me arrependo de ter entrado na pilha dos caras, de ter me aproximado de Manuela com segundas e até terceiras intenções... Me arrependo de cada palavra errada que disse.

E estando nessa situação posso concluir que não existe essa coisa de “Não me arrependo de nada. Nossos erros nos ensina.”, isso é mentira, até a pessoa mais certa já quis voltar no tempo para tentar consertar um erro e eu claramente não sou uma exceção. Mudar o passado é o dom que todos queriam ter, mas também pode ser uma maldição, tanto quanto o agora.

Porque se não fosse meu erro, eu jamais teria descoberto que Manu não é a mulher superficial que achei que fosse. E se eu não tivesse me aproximado dela por causa da aposta, eu não iria querer ficar por causa do seu jeitinho doce e atrapalhado de ser.

Mas no fim das contas nada disso importa. O arrependimento é um gesto nobre, mas não apaga o fato de eu ter sido um filho da puta. 

E tenho certeza que Manuela Pérez pensa a mesma coisa...

E foi esse pensamento que me fez desistir de seguir o percurso até sua casa e fazer o retorno de volta pra minha. 


Notas Finais


Volto já já

Link da nova fic com o Asensio: https://www.spiritfanfiction.com/historia/anjo-quebrado-18498515


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...