História Aposta de amor - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Depois das Onze
Personagens Gabie Fernandes, Personagens Originais, Thalita Meneghim
Tags Dd11, Depois Das Onze, Gabriela Fernandes, Thabie, Thalita Meneghim
Visualizações 21
Palavras 1.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii eu volteiiiiiiii
acho q vcs ja perceberam que eu to sumida... Mas e por causa da preguica e do bloqueio q vai e volta
mas enfim espero que gostem <3
Boa Leitura :)

Capítulo 4 - Capitulo 4


28/04 Zurique Suíça

Depois de ficar ate as estrelas aparecerem no ceu, fui eu e o meu ursinho que eu ainda nao dei um nome, mas acho que vai ser Bob. Por que veja so, Bob e um nome curto que da para falar facilmente, e e perfeito para um ursinho branco todo fofuxinho, e pititiquinho igual esse.

Quando estava indo para meu carro, me deparo com a estrela do norte, na ponta da ursa menor, e a estrela polar, a mais brilhante da ursa menor... Como meu pai me mostrou. Continua do mesmo jeitinho, tao simples e encantadora. Quando eu era pequena meu pai costumava me levar para ver as estrelas na praia quando moravamos no Brasil, na ilha de Florianopolis. 

La era lindo, lembro de ficarmos horas e horas somente vendo estrelas. Meu pai era formado em astrologia, entao resolveu um dia no acaso, me ensinar um pouco do que ele sabia. E quando ele faleceu, la pelos meus 15 anos, eu nao ia mais a praia para ver estrelas, pois me lembrava ele. E uma saudade que nao podia passar me abracava e nao soltava mais, fazendo pequenas lagrimas se acumularem em meus olhos, e tranbordarem por nao caber mais no mesmo lugar.

Mas quando nos mudamos, de algum jeito isso mudou. Agora gosto de observar estrelas, justamente por que me lembra ele. Comprei ate um telescopio, que nao sai da varanda do meu apartamento, por que foi caro e nao quero quebrar.

Depois de alguns minutos, olhando para cima pensando em sei-la o que, dou meia volta e volto ao extenso gramado do pequeno parque, e simplesmente deito no chao. Apenas observando a melhor coisa que existe. Estrelas.

Sempre me fascinei por essas coisas, em como elas surgiram, na materia delas, em como da para ver elas quase perfeitamente mesmo de tao longe, em tudo que se referia ao espaco na verdade. Qualidade que adquiri gracas ao meu pai.

Nessa noite em específico, o ceu estava limpo, sem nenhuma nuvenzinha. E estava maravilhoso. O frio fazia o ceu adquirir um tom mais arroxeado, perfeito para encontros, ou piquenique. O ceu mesmo a noite estava colorido.  

Nao demorou muito para eu me ter perdida em meio a memorias, e pensamentos.

-Eai... 

Me assusto com a voz feminina, que acompanha uma bela mulher cujo nome eu ja sabia. Gabriela.

-Oi...- Repondo breve

-Eu posso?

Aponta para o chao dizendo, sem palavras, que queria se deitar ao meu lado. E eu apenas fiz que sim com a cabeca

-O que voce esta fazendo aqui?

-Apenas observando a magnitude que esta bem sob nossas cabecas e nao nos damos conta...- Nao olho para ela pois meus olhos ainda estao hipnotizados com as estrelas, que parecem dancarem sua propria musica, que criam sua melodia para dancarem paradas.

-Nunca gostei muito de observar estrelas. Parece coisa de casal, e como nao tenho ninguem, nao olho.- 

Mentiu. Tenho certeza que ela mentiu. Sua voz falhou, e ela parece que nao foi totalmente sincera... Afinal quem nao olha as estrelas so por que nao tem um(a) namorado(a)?

-Pois devia... As estrelas trazem historias...

-E voce pode me contar todas elas. Eu adoraria ouvir.

-Ja ouviu a de Orin e as tres marias?- Ela negou e eu comecei a contar

-os antigos gregos associaram esta constelação ao mito da ninfa Callisto. Zeus, o deus do trovão e do raio, chamou a atenção para ela. Não se sabe se o seu sentimento pela ninfa foi mútuo ou não, mas ela logo deu à luz um menino, Arkade. A orgulhosa deusa Hera, a esposa do trovão amoroso, soube disso. Em um ataque de ciúmes, ela transformou Calisto em um urso. 
  O tempo passou, Arkade se tornou um adolescente e uma vez conheceu sua mãe na floresta. Mas ele não adivinhou sobre isso, já que antes dele estava uma fera desgrenhada. O jovem levantou um arco, com a intenção de atirar uma flecha nele. No entanto, sofrendo de remorso Zeus não permitiu matar sua ex-amante. Direto do céu, ele estendeu sua mão divina, agarrou o urso pela cauda e levantou-o para o azul do céu. É assim que uma nova constelação apareceu no céu, que já foi a bela ninfa Callisto...

-Uau voce realmente sabe sobre estrelas...- Ela parecia surpersa

-Essa e a minha preferida... Mas eu nao sei so sobre estrelas, sei sobre flores... E acho que so, acho que dediquei quase minha vida toda a essas duas coisas, sempre procurando saber mais e mais...

-Quem sabe um dia voce nao me conta as lendas das flores tambem?

Ela olhou para mim e sorriu, me arrancando um sorriso de volta.

-E... Quem sabe...

Voltei a observar as estrelas ainda com o olhar de Gabie sob mim, resolvo ignorar e simplesmente voltar a observar a maravilha do ceu. Se formou um silencio confortavel, e logo Gabie parou de me olhar e voltou seu olhar para o ceu estrelado.

-Realmente e muito bonito... Acho que vou fazer isso mais vezes...

-Espero que venha mesmo. Pois eu vou sempre estar aqui.

Nos olhamos brevemente e sorrimos, depois  voltando a atencao ao ceu.

Essa pequena interacao durou menos de 20 minutos, pois alguem que julgo ser amigo de Gabie a chama.

-Bom essa e minha deixa...- Se levanta, e eu tambem para me despedir- Foi bom te rever, mesmo que tenhamos nos visto a alguns minutos atras...

-Foi bom ver voce tambem Gabie... Tchau...- Abro meu melhor sorriso, mas o sono se faz presente e nao e possivel.

-Tchau...

Me deu um abraco meio de lado e foi em direcao ao moreno.

Descido ir para casa, 1) Pois ja esta tarde; 2) Por que eu to com sono; e 3) Por que preciso de um bom banho.

Entro no meu carro, depois de errar umas duas vezes. E em minha defesa, os carros eram exatamente iguais e eu nao consegui distinguir.

Sinto minhas pernas pesarem assim que eu sento no banco macio do carro. Eu preciso urgentemente ir para casa antes de causar um acidente. 

[...]

Consigo chegar em casa inteira, com muita dificuldade de manter os olhos abertos por sinal. Decido deitar um pouco no sofa mesmo, e assim que deito meus olhos se fecham quase que automaticamente, comeco a sentir meu corpo amolecer e perder os sentidos aos poucos. Eu ja nao sentia mais um peso... Somente meu corpo tentando relaxar no sofa desconfortavel, que a essa altura parecia a cama mais macia do mundo.

Fico assim ate perder a consciencia, e adormecer.


Notas Finais


Eai gostaram??? Espero que simm
Se gostaram, favoritem prfvv
Ate o proximo cap que eu nao sei quando saaiii :) <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...