História Appa - Incesto (Imagine Hot Kim Taehyung). - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, The Ark
Personagens Baekhyun, Chen, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jeon Minju, Jisoo, Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Imagine Hot, Incesto, Jikook, Jimin, Kim Taehyung, Sexo, Suga, Taehyung/você
Visualizações 339
Palavras 2.575
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oooi 🐥💞

desculpem os erros, boa leitura ღ

Capítulo 11 - Chapter Eleven.


Fanfic / Fanfiction Appa - Incesto (Imagine Hot Kim Taehyung). - Capítulo 11 - Chapter Eleven.

— Isso é... impossível. – Murmurei baixo ainda observando as fotos acima da mesa. Como diabos isso foi chegar em Appa? E o principal de tudo: quem as tirou?

— Uh? Impossível? Não acho que seja. – Appa se pronunciou, com seu tom de voz carregado de sarcasmo. – Se fosse, essas fotos não existiriam, você concorda comigo filha? – Ai santinho, não me deixe chorar, por favor. 

— Como conseguiu isso? – Perguntei e Appa não me respondeu. – Responda! 

— Não interessa. – Subitamente meu coração apertou e meus olhos marejaram, eu odiava ter que ouvir palavras duras e grosseiras vindo de Appa. – Eu te deixo na porra daquele colégio com o objetivo de que você estude! E não pra ficar se agarrando com qualquer um, e ainda por cima na rua! – Dizia tudo sem nenhuma hesitação, talvez por querer que me atingissem em cheio. 

— Quer uma explicação, certo? – Franzi levemente o cenho ao que o maior negou. 

— Você dirá as mesmas ladainhas de sempre, então não. – Suspirou e passou uma de suas mãos por seu rosto e depois cabelos, os puxando para trás. Hm. – Olha filha... Eu não irei pedir para você se afastar desse garoto, porque sendo seu pai te conheço melhor do que ninguém e sei que não irá fazer. – Sorri fraco. – Só tome cuidado da... próxima vez, que por sinal eu espero que não tenha. 

— Appa, eu entendo sua preocupação mas eu já tenho...

— Dezessete anos, preciso experimentar coisas novas. – Me cortou, completando minha frase em seguida. Ri baixinho. – Eu entendo, seus hormônios estão a flor da pele, mas eu não gosto de saber que outros garotos te tocam, te beijam... Você é a minha única filha e eu me vejo na obrigação de te proteger, cuidar de você. – Disparava tudo mantendo sua expressão séria.

Sem proferir mais nenhuma palavra, me levantei e caminhei até Appa, o abraçando, demonstrando ali todo o afeto que sentia por si. 

— Eu te amo, Appa. Me desculpe. – Deitei minha cabeça em seu peito, aspirando seu cheiro. 

— Eu também amo você, filha. – Seus fortes braços rodearam minha cintura, me apertando contra si. – Eu só quero... que você entenda o meu lado da mesma maneira que eu entendo o seu, uh? – Seu tom agora estava baixo e rouco, hora de pecar novamente. 

— Tudo bem. – Respondi por fim, me afastando de seu corpo e olhando de longe para as fotos. Eu deveria perguntar sobre quem mandou? Hm, acho melhor não. – Appa... – Chamei.

— Hum? 

— Posso pedir pizza? – Encarei o mesmo.

— Você sabe que pizza faz mal para a saúde, não sabe?

— Por favorzinho, só hoje! – Formei um beicinho manhoso em meus lábios e juntei minhas mãos em frente meu corpo. Appa riu e assentiu. – Yeah! – Fiz uma rápida dancinha e me virei, começando a caminhar para o corredor que levaria até a sala. 

— Enquanto você liga eu irei tomar um banho para tirar esse cheiro de suor do corpo. – Appa ditou enquanto me observava do início da escada. 

— Suor? Estava correndo? – Franzi o cenho rindo. Appa arregalou levemente os olhos rindo sem jeito. 

— Bom... Sim, hoje na empresa foi uma total correria. – Torceu o nariz. 

— Hum, tudo bem então. – Ri de sua expressão e o maior subiu, me deixando a sós com meus pensamentos.

↚·↛

Jeon Jungkook.

Assim que adentrei o cômodo da sala, retirei meu terno e o deixei jogado sobre o sofá junto com minha maleta. Olhei ao redor estranhando o silêncio que pairava ali.

— Filha? – Chamei alto, ficando por alguns segundos sem respostas.

— Oi, pai! – Olhei para as escadas e observei minha menina descendo os degraus afoita, acompanhada de sua prima. 

— Ah, que recepção ótima! – Ri quando a menor pulou em meus braços, enchendo meu rosto de beijinhos. – Oi, Jichu. – Pisquei para a mesma.

— Oi, Tio Jeon. – Jisoo acenou sorrindo e se jogando no sofá.

— Ah, não fale com ela, Appa! – Minju cobriu meus olhos. – Jisoo não quis me ajudar a lavar a louça. 

— Por quê eu te ajudaria a lavar algo que eu não sujei?

— Calada aí, porr...

— Opa, nada de palavrões senhorita Jeon Minju. – Tapei a boca da menor com minha mão e me balancei a cabeça de um lado para o outro, voltando a enxergar. – Conversaremos melhor depois, mocinha. – Cerrei os olhos encarando a menor e tirei minha mão de seus lábios, caminhando em direção às escadas. – Irei tomar um banho e já desço para jantarmos.

{...}

— Taehyung? – Perguntei assim que atendi.

— Oi, Jungko-... Ai filha, não! – Dizia entre risadas. – Para, (S/N)! – Suas gargalhadas misturadas com as de sua filha eram tão gostosas e contagiantes que acabei rindo também. – Desculpe, (S/N) estava me fazendo cócegas. – Suspirou. – Quer sair? – Arregalei os olhos.

— Quê? Digo... sair como?

Ah, besta. Como amigos, só para deixar claro. – Respirei aliviado e murmurei um “ufa”. – Pensou que era o quê? Um jantar romântico à luz de velas sob o luar? – Franzi o cenho e gargalhei.

— Mas que porra foi essa, Tae? – Ainda rindo, me deitei sobre a cama e fiquei olhando o teto. – Bem, não importa. Sair pra onde? 

Sei lá, uma boate. Preciso muito me distrair com algo, tipo bebidas. – Riu nasal. – Chama o Hoseok que eu chamo o Jimin. 

Você? Convidando o Jimin? Tem certeza de que está consciente?

O quê que tem? Ele é meu irmão, ué. 

— Mas você não gosta de...

— Deixa essa briguinha tola de lado, eu só quero sair. Beleza? – Me cortou.

Tá bem. Que horas?

Dez e meia, em frente a boate _______.

— Uh, ótima escolha. – Comentei ouvindo seu “sim” no outro lado da linha. – Então até dez e meia, senhor Kim. – Rimos.

Até, menino Jeon. – E desligou.

↚·↛

Fechei os últimos botões da camisa social que eu usava e passei minha destra por meus cabelos, em uma tentativa de arrumá-lo. Encarei uma última vez meu reflexo no espelho e dei leves batidas sobre os bolsos da calça, checando se estava levando tudo oque precisava.

— Dinheiro, chaves, cartão, celular... – Dizia baixo conforme tocava em algo.

— Pai? – Olhei para a porta e vi Minju escorada na mesma. Quando ela entrou? – Vai sair?

— Sim. Vai ficar bem aqui sozinha, princesa? – Ela assentiu e se aproximou, sorrindo.

— Irá... acompanhado de alguém? – Parou em minha frente.

— Sim. – Respondi percebendo que sua expressão havia se tornado um tanto quanto enciumada. Ri baixo. – Taehyung irá comigo.

— Oh, sim. Que alívio. – Suspirou e ficou por alguns segundos observando meu peitoral. – Está muito atrasado? – Neguei. – Me faria um favor?

— Qual favor? – Franzi o cenho e a mesma fez um sinal com a mão para que eu esperasse, se virando em seguida caminhando até meu armário de roupas. – Filha, o quê você quer...

— Vista isso aqui, por favorzinho Appa! – Se virou me fazendo ver as duas peças de roupas que eu nem sabia que ainda existiam. – Vai ficar um gatão. – Riu e eu acompanhei.

— Filha, faz tanto tempo que não uso isso... Tenho dúvidas de que ainda caiba em mim!

— Aigo! Claro que cabe. Agora se troque e vista essa aqui... É uma de suas roupas que mais gosto, por favorzinho! – Fez um biquinho engraçado e eu assenti, derrotado. – Yeah! Tome, irei ficar esperando no outro lado da porta. – Me entregou e se virou.

— Não precisa, filha. Só senta ali na cama e espera. – Minju já havia me visto nu. Não há necessidade de sair.

— Hm, tudo bem. – Caminhou até a cama e se jogou na mesma, me observando.

{...}

— Uau! Que Appa lindo eu tenho! – A menor brincou enquanto dava palminhas alegres. – Ficou perfeito, Pai!

— Sem exageros, princesa. – Novamente me via encarando meu reflexo no espelho, e caralho, talvez eu realmente esteja perfeito. A camiseta preta de gola 'V' que eu usava deixava parte de meu peitoral exposto e entrava em contraste com minha pele branca. Por cima eu usava um terno preto e em baixo uma calça também preta, de couro. – Hum... Se bem que não é mentira. – Minju riu concordando.

— Ah, eu estava com saudades de vê-lo vestido assim, sem aquela roupa de sempre. – Sorriu.

— Obrigada, meu amor. – Me aproximei de si e toquei seu rosto. – Eu te amo muito, você é a minha princesa. – Beijei sua testa.

— Sabe como pode me agradecer? – Perguntou me olhando. – Divirta-se bastante esta noite. – Deu um beijinho na ponta de meu nariz, se afastou e andou até a porta, abrindo a mesma saindo do quarto.

Uh, como eu amo minha menina.

{...}

22:27.

Estacionei o carro na primeira vaga que encontrei e desliguei o mesmo, saindo em seguida. 

Caminhei calmamente até me aproximar da entrada da boate onde Taehyung havia marcado de nos encontrar, e por falar nele, já o avistei. Está junto de Hoseok.

— Eaí. – Falei assim que cheguei perto de si. – Quanto tempo desde hoje mais cedo, não? – Ambos riram.

— Hoseok não viria se eu não dissesse que seria em uma boate. – Taehyung comentou.

— Não é verdade... Tá, só um pouco. – Rimos.

— Jimin vem? – Perguntei esticando meu pescoço afim de enxergar o mesmo se aproximando. Hoseok assentiu.

— Hm... – Ouvi Tae murmurar me fazendo olhar para ele, que tinha seus olhos semi-cerrados e um sorriso de canto. Revirei os olhos rindo soprado.

Em questão de três minutos, o menor ali chegou, vindo até nós assim que nos avistou.

— Oi. – Disse e sorriu fraco enquanto se colocava ao meu lado. 

— Oi. – Todos nós respondemos em uníssono.

— Então rapazes, eu quero entrar. – Taehyung comentou animado. 

— Vamos então. – Jimin respondeu.

Hoseok saiu andando na frente junto com Tae e logo atrás ia eu e Jimin. A todo momento eu sentia suas olhadas discretas – ou nem tão discretas assim – sobre mim.

— Você está bonito, Jungkook-ah. – Sorri fraco o olhando de relance.

— Você também está, Jiminnie. – Respondi, ouvindo o seu “obrigada” bem baixinho.

{...}

— Caralho! Que saudade disso aqui. – Taehyung falou alto por conta da música muito mais alta que tocava. 

— Jimin e Jungkook, procurem alguma mesa para ficarmos enquanto eu e Tae iremos pegar algumas bebidas no bar, não demoramos. – Assenti e fiquei observando por alguns segundos os dois sumirem entre a multidão de pessoas.

— Vai esperar eles voltarem também? – Ouvi a voz de Jimin rente ao meu ouvido, me arrepiando. Olhei para si com meu cenho franzido. – Vamos logo atrás de uma mesa, antes que acabem todas. – Riu e se virou começando a caminhar para a parte onde ficavam várias mesas em sequência, segui seus passos antes que o mesmo também sumisse diante das diversas silhuetas que haviam juntas ali.

— Eu acho que não tem mais porra nenhuma de mesa livre aqui, Jimin. – Falei alto para que o menor ouvisse, já estava farto de procurar um lugar vago para sentarmos.

— Ali tem uma! – Apontou para uma mesa quase escondida, era a última da fileira. – Vamos logo, Jeon. – Saiu andando apressado como se sua vida dependesse daquilo. Acabei rindo soprado.

— Aqui é bastante... escuro, não?  – Disse enquanto me sentava ao lado do baixinho. – Vai ser difícil os meninos nos encontrarem aqui.

— Chegamos. – Hoseok apareceu do nada se sentando ao banco de frente para Jimin com Taehyung sentando ao seu lado.

— O quê trouxeram? – Jimin perguntou esticando seu pescoço. – Old Fashioned? – Taehyung assentiu.

— É por dentro das bebidas, Jiminnie? – Perguntou ao menor e o mesmo riu, balançando a cabeça em concordância.

— Uma de minhas preferidas, irmão. 

— Tem bom gosto. – Comentei enquanto levava o copo em direção à minha boca. Puta que pariu 'hein, que bebida gostosa.

— Eu sei que tenho. – Respondeu convencido, me fazendo encarar a si. Sorri de canto abaixando a cabeça voltando a bebericar do líquido saboroso que Taehyung havia trago.

°*᭢

Oh shit... Minha música preferida. – Hoseok comentou animado assim que começou a tocar Animals, do Martin Garrix. – Eu vou é dançar de novo. – Se levantou do banco animado, sumindo no meio das diversas pessoas ali.

— Aonde está o Tae? – Jimin perguntou, embolando as palavras. Franzi o cenho não entendendo nada.

— Quê? – Perguntei franzindo o cenho.

— O Taehyung, cadê? – Murmurei um “ah”.

— Tá ali, flertando com uma garota. – Apontei. 

— Eu quero dançar.

— Vai. 

— Não vou sozinho. – Fez um beicinho. 

— Claro que não vai, o Hoseok tá lá também.

— Você vai comigo. – Falou passando por cima de mim e agarrando meu pulso, começando a me puxar. 

— O quê? Não, Jimin! – Voltei com meu braço para trás cada vez que o mesmo me puxava. – Eu não sei dançar!

— Faz quanto tempo que você não sai? Cem anos? – Perguntou ainda me puxando. – Levanta esse cú daí pelo menos uma vez na noite! – Suspirei derrotado, me levantando. – Bom menino. – Piscou e caminhou até a pista de dança, se enfiando no meio da multidão de pessoas ainda segurando meu pulso. 

— Jimin... – Tentei fazer o baixinho mudar de idéia.

— Apenas se solte e dance na batida da música, babe. – Sussurrou em meu ouvido e se virou de costas para mim, começando a dançar junto das outras pessoas. Observei seus passos e o acompanhei aos poucos, fazendo como me havia sido pedido: me soltando conforme ouvia a música.

Depois que se passaram alguns minutos, Jimin se aproximou sorrateiramente de mim assim que passou a tocar Mirror. O acastanhado, por conta de ainda estar virado de costas, roçava levemente seu bumbum contra meu quadril, junto com o ritmo da música. O efeito do álcool cada vez mais fazia efeito e se o baixinho continuasse com isso, eu realmente não seria responsável por meus atos.

Levei meu braço livre até a cintura do menor e rodeei a mesma, puxando seu corpo contra o meu percebendo o sorriso ladino que saiu de seus lábios com isso. Comecei a me mover junto consigo e trouxe o copo que haviam me dado e que agora eu segurava em mãos até minha boca, bebericando o líquido azulado que havia ali dentro e aproximando meu rosto da orelha garoto em seguida.

You don't have to be alone... – Cantei rente ao seu ouvido, sentindo seu corpo arrepiar. – I can fuck you right, I can make you scream and moan... – Mordi o lóbulo de sua orelha e grudei mais um pouco ambos corpos, roçando meu íntimo semi-ereto sobre suas nádegas, observando seus olhos se fecharem e sua cabeça se tombar levemente para o lado. 

— Jungkook... – Jimin me chamou arrastado. 

— Uh? – Respondi ainda com meu rosto próximo de seu ouvido.

—  Vamos sair daqui, sim? – Sugeriu, me fazendo sorrir ladino. Murmurei um “OK” e o soltei de meu braço.

— Eu apenas irei avisar ao Taehyung, me espere na porta. – Falei e o mesmo assentiu, caminhando na frente como eu havia pedido. Me virei e andei até a mesa onde Hoseok junto de Taehyung observavam tudo com uma expressão surpresa em seus rostos.

— Uau 'hein! – Hoseok comentou me encarando. – Eu quase fiquei  du... – Não completou sua frase por ter levado uma cotovelada de Tae. Soltei um riso. – Digo... Eu não vi nada, não se preocupe. 

— Irei levar Jiminnie para a casa dele, não demoro... – Taehyung cerrou os olhos sorrindo malicioso.

— Pode demorar, menino Jeon. – Riu. – Agora vai, não deixa meu irmão esperando. – Assenti e me despedi, começando a caminhar até Tae segurar meu braço. – Amanhã você vai me explicar essa porra aí, viu? – Balancei a cabeça em concordância e voltei a andar assim que o mesmo me soltou.

Ao chegar ao lado de fora da boate, avistei Jimin parado com seus braços cruzados, no mesmo lugar aonde estávamos horas antes. 

— Você vai no seu carro? – Perguntei assim que parei ao seu lado. O menor negou.

— Ele está seguro ali... Venho buscar amanhã. – Respondeu-me enquanto enrolava seus fios castanhos em seus dedos e os puxava para trás.

— Uh, vamos então? 

— Vamos.

{...}


Notas Finais


Jimin/Jungkook nera hetero nera

joguei esse kookmin aí e sai correndo q

genteeeeeee, eu tô muito feliz pelos +20 comentários no capítulo passado, sério 💞 vocês querem o mundo inteiro? eu dou.

resolvi não fazer mais uma discussão do tata com a (S/N), deixei tudo na #pas

espero que tenham gostado do cap de hoje, ainda vai ter continuação viu (rs)

até um outro dia 🐥💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...