1. Spirit Fanfics >
  2. Appa? >
  3. Ladida

História Appa? - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


👀

Capítulo 11 - Ladida


Fanfic / Fanfiction Appa? - Capítulo 11 - Ladida

Enquanto isso, do lado de fora do hotel La Plaza, J.Seph correu em direção ao seu carro, sem sequer olhar para os lados. O que lhe causou num atropelamento, mas isso não foi suficiente para que desistisse de fugir. Então Kim se levantou do asfalto e continuou correndo, sendo seguido pelo casal 2Mi, que vinham logo atrás com o intuíto de deter a fuga do coreano. Por alguns minutos, a dupla já não enxergava mais o fugitivo internacional. Não notavam nada que considerassem suspeito.

- ali!

Disse Minnie, apontando para um vulto de cabeleira preta. J.Seph deveria ter visto as agentes, pois nesse mesmo instante, entrou num carro que estava à sua frente e saiu cantando pneu.

- droga! Desse jeito vamos perdê-lo se continuarmos assim.

Resmungou Miyeon correndo logo atrás da esposa, que quebrou a janela de uma Mercedes R350 e junto com sua amada, pegaram o carro e embarcaram numa perseguissão policial não autorizada.

- prepara a eagle, você vai atirar no carro quando estivermos perto da fugitiva.

- você ficou louca? Não estamos num filme de Hollywood, isso aqui é a realidade!

Retrucou a agente Cho enquanto observava o carro subir à toda velocidade pela rua Siqueira Campos, aproximando-se do Audi R8 vermelho. Uma vala de escoamento funda sapeava na frente das agentes, obrigando Minnie colar a Mercedes no para - choque traseiro do Audi e o motorista pareceu entrar em pânico.



Minnie Pov. On.:



Ele deu uma guinada repentina para a direita, então fez uma curva de quase 90° sem desacelerar. O Audi R8 saiu voando direto para a vala. Por um momento, achei que conseguiria atravessá-la. O veículo estava em pleno ar, mas a parte da frente desceu rápido demais.

Ele caiu com um estrondo, o chassi se partindo ao meio. As rodas da frente ficaram presas na margem oposta. Os pneus traseiros continuaram girando furiosamente. Então, Miyeon e eu já estávamos fora do carro e agachadas atrás das portas abertas.

- saia do veículo! Agora!

Finalmente, vi dois vultos se movendo dentro do Audi. O adulto estava no banco do motorista. Ao seu lado, havia uma pessoa tão baixa que mal podia ser vista.

De repente, o vulto mais baixo estendeu os braços para fora da janela do carona. Colocou a palma de uma das mãos sobre o teto do veículo e depois a outra. Então, começou a erguer o corpo para sair.

- para o chão! Agora!

Gritou Miyeon.

- eu disse para o chão!

Mas ele não obedeceu. Em vez disso, subiu com um torpedo para o teto, magro e tão veloz quanto um gato. Havia sacado sua arma e apontava em nossa direção. Ele deslizou pelo teto, disparando 3 tiros rápidos contra nós, que revidamos.

Uma bala o antigiu e ele caiu no chão. Mas então aquele momento todo de distração, já tinha dado tempo suficiente para que J.Seph saísse.



Minnie Pov. Off.:



A porta do motorista estava aberta. E Minnie não conseguia ver o coreano, mas sabia que estava fugindo. Logo Miyeon parou ao lado do garoto, para que a agente Yontararak seguisse em frente, descendo a vala e escalando a margem minutos depois.

Ela achou que haveria uma mata depois do canal, mas tudo o que viu foi uma de árvores e mato alto. De repente, Minnie ouviu um barulho.

J.Seph estava escalando uma cerca de arame. Quando a agente da Interpol conseguiu ultrapassar as árvores, Kim já tinha passado por cima da cerca e atravessava correndo o pátio de um depósito.

Então Minnie apoia sua arma na cerca de arame e descarregou o pente. Ela pensou que talvez pudesse acertá-lo de longe. Mas logo o viu se virar, lhe darum aceno debochado e em seguida desaparecer como um gato na escuridão.

- ai meu fígado...

Murmurou Minnie voltando correndo para ver sua esposa. Ao se aproximar de Miyeon, a viu que ainda estava agachada rente ao chão, exatamente onde tinha lhe deixado.

Miyeon havia coberto o rosto do menino morto com seu blazer. Era um gesto um tanto estranho para uma agente do NIS fazer em uma perseguissão policial não autorizada. Mas Minnie sabia que a esposa gostava de fazer as coisas do jeito dela.

- você está bem?

- ele deveria ter 12 anos, Minnie. No máximo.

- ele estava vivo quando você se aproximou?

- uhum.

- disse alguma coisa?

- sim.

- o quê?

Yontararak perguntou para Miyeon, que finalmente lhe encarou.

- mandou eu me foder. Essas foram suas últimas palavras.



(...)



De volta ao hotel La Plaza, na área de cobertura, mas necessariamente no quarto de Soyeon, Yuyeon adentram na suíte presidencial da coreana. Ao entrar no cômodo, Yuqi avistou um outro menininho brincando com carros de ficção junto com o pequeno Lucas. Então elas caminharam em direção aos gêmeos até ficarem próximas deles, mas Yuqi se pôs de joelhos.

Ela não sabia como interagir com seu outro herdeiro. Tudo o que ela havia pensado em dizer, desapareceu de sua mente. Percebendo isto, Soyeon tomou à frente daquela situação e em seguida se manifesta.

- oi, meus amores!?

Saudou a rapper observando seus filhos, que pararam de brincar com os carrinhos de ficção e depois viraram-se para à sua direção, avistando-a ali em pé, perto deles. Então o pequeno Lucas sabiamente notou aquela situação e, logo se direcionou ao seu irmãozinho, que agora encarava Yuqi com um olhar curioso.

- Hannie.

Falou Lucas chamando a atenção do menor, que desviou seu olhar de Yuqi e passou para seu irmão mais velho. A interação dos gêmeos era capaz de derreter qualquer coração puro de gelo, ou seja, pessoas como um zumbi.

- Luke?

- sim, irmãozinho.

- Luke, dê appa?

Perguntou o menor para o gêmo mais velho, fazendo-o sorrir para o pequeno Luhan. Lucas sabia o quanto o irmão caçula estava curioso para conhecer a appa deles, Yuqi, que naquele mesmo instante, estava em meio às lágrimas.

Ela sentia seu coração se aquecer enquanto batia cada vez mais rápido. Estava se apaixonando pelo pequeno Luhan, assim como ela já sentia pelo seu outro herdeiro, Lucas.

- bem ali, Hannie.

- onde?

Questionou Luhan novamente, agora olhando para todos os pontos fixos daquele quarto, exceto para onde Yuqi estava.

- aqui.

Disse Yuqi se manifestando, chamando assim a atenção do outro pequeno herdeiro, que lhe encarou com os olhinhos castanhos arregalados. Estaria ele assustado?, pensou a Song olhando para seu filho.

- appa do Hannie?

- sim, sou sua appa, Luhan.

Afirmou ela enquanto abria seus braços para o garotinho, que correu em direção da chinesa, abraçando-a com toda sua força. Yuqi no entanto, encarou para um tímido e desconfiado Lucas observando a cena. Então sorriu de lado e, disse.

- Lucas.

- hm?

- você pode vir aqui também.

Convidou a morena para seu outro herdeiro, que lentamente foi até eles e juntou àquele abraço paternal. Soyeon por outro lado, observava tal cena à sua frente, com um sorriso gigantesco desenhado nos lábios.

Finalmente sua família estava completa. Só esperava que o coração da chinesa ainda tivesse de portas abertas para ela...


Notas Finais


Ah, pode ter certeza que essa porta está escancarada... diferente de uma certa Minnie de outra fic. 👀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...