1. Spirit Fanfics >
  2. Appa ou Oppa? (18 anos) >
  3. Capítulo cinquenta e nove

História Appa ou Oppa? (18 anos) - Capítulo 59


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii mochis! Desculpem o atraso.
Estou trabalhando pra pagar o concerto do meu celular e cheguei morta em casa ontem. Me desculpem.
Fiquem com o capítulo de hoje (ontem).
Espero que gostem.
Boa leitura.

Capítulo 59 - Capítulo cinquenta e nove


Jungkook on

Depois do sexo, as suas palavras sobre comprar uma pílula do dia seguinte ecoavam na minha cabeça. Talvez essa não fosse uma boa hora para começar uma família? Continuei pensando sobre, mas preferi não comentar com ela agora, afinal iríamos comprar a pílula na ida para o aeroporto.

Passamos a tarde vendo filmes no notebook dela, abraçados, deitados na cama. Pouco depois de anoitecer, quando terminamos outro filme, nos levantamos e arrumamos as nossas coisas, separamos a roupa do dia seguinte para o voo e saímos para caminhar de novo.

Pegamos dois picolés e caminhamos de mãos dadas pelos redores do hotel. Não aguentava mais manter minha vontade em segredo, e tomei a coragem de tentar falar com ela.

JK: Amor?

SN: Hum? – Respondeu se virando para mim, com o sorvete na boca.

JK: Eu estava pensando...

SN: Vamos nos sentar ali? – Apontou para um banquinho vazio mais à frente – É melhor para conversar do que andando.

Assenti e à cada passo que dávamos, nos aproximando do banco, minha ansiedade e nervosismo aumentavam. Nos sentamos e ela apoiou sua cabeça em meu ombro.

SN: No que estava pensando?

JK: É... Eu não sei...

SN: Jeon? – Se levantou e me olhou mais uma vez, me senti um adolescente idiota – Como não sabe o que estava pensando? – Perguntou com ar de riso – Por que está tão tenso? – Continuou questionando, me vendo nervoso.

JK: É que... Eu pensei... Se a gente não comprasse a pílula...

SN: O quê?!

JK: Me desculpe. Eu só queria...

SN: Jeon, fez isso pensando em não comprar a pílula?

JK: Não! Claro que não!

SN: Então eu não estou te entendendo.

JK: Depois do que aconteceu, me passou a ideia pela cabeça de não comprarmos a pílula. Na verdade, pensei nisso a tarde toda, mas estava com medo de falar e você ficar... Bem, assim – Concluí apontando para a sua expressão com a sobrancelha franzida.

SN: Assim como? Brava?

JK: Uhum – murmurei sem graça, olhando para o sorvete em minhas mãos.

SN: Jeon, eu não estou brava.

JK: Mas está parecendo.

SN: Eu fiquei brava porque achei que tinha armado para mim! Não porque quer ter um filho.

JK: Me desculpe, não quis que pensasse assim.

SN: Está tudo bem – Colocou uma de suas mãos sobre a minha – Mas não sei se estou pronta para engravidar de novo.

JK: Eu entendo. Mas por quê?

SN: Ah... – Suspirou olhando para frente – Acho que é medo de acontecer de novo.

JK: Acontecer o quê?

SN: Amar, para no fim, não poder ter.

JK: Quer dizer, perder o bebê? – Em resposta, ela apenas assentiu, desviando o olhar ao chão quando uma lágrima lhe escorreu dos olhos.

Soltei minha mão da sua, limpando seu rosto, e puxando para que virasse para mim.

JK: Se você não quiser, eu te entendo completamente. Mas se ainda quiser fazer isso, prometo que vou proteger vocês dois, e os dois vão ficar juntos comigo.

Ela suspirou mais uma vez, deixando que outras lágrimas escapassem, e veio para frente, encostando seu rosto em meu peito. Pousei minha mão sobre sua cabeça, acariciando seus cabelos, olhando ao redor, buscando conter meu choro também.

SN: Eu não sei... Eu não sei...

Ela continuava repetindo, encostada em mim, até o momento que conseguiu controlar as lágrimas.

Terminamos o sorvete em silêncio, olhando para a mesma direção, apenas de mãos dadas. Voltamos caminhando mais uma vez para o hotel, onde chegamos, trocamos de roupa e dormimos, sem conversar muito mais.

*

Acordamos na manhã seguinte, tomamos banho e colocamos nossas roupas sujas dentro da mala, vestindo as separadas no dia anterior.

Preferimos tomar café no hotel mesmo, para não perdermos a hora. Descemos até o refeitório e ficamos maravilhados com tantas opções. Nos entreolhávamos com sorrisos estampados, com a boca salivando só de olhar tanta comida.

JK: Vamos fazer assim, você pega metade, eu pego metade, sem repetir, ok?

SN: Combinado.

Pegamos muita coisa, mas demos conta de comer tudo. O que tinha no prato dela, não tinha no meu, e vice-versa. Comemos dos dois pratos, experimentando de tudo.

Perto da hora que o motorista nos buscaria, subimos e pegamos as malas. Voltamos à recepção, devolvemos o cartão de entrada do quarto e saímos para o esperar do lado de fora. Não demorou muito para que ele chegasse e nos levasse até o aeroporto.

Quando chegamos, ele tirou as malas do porta-malas, nos entregando, e nos despedimos, entrando no grande prédio.

SN: Amor será que aqui tem farmácia?

JK: Quer que eu pergunte para alguém?

SN: Sim, por favor.

Perguntei e nos indicaram onde era a farmácia. Ela entrou e eu esperei do lado de fora, enquanto despachava as malas. Pouco tempo depois, ouvi a primeira chamada para o voo e voltei até a porta da farmácia para encontrá-la.

Fomos até a área de embarque e ficamos na fila, entrando em seguida no avião, nos sentando nos lugares marcados.

Mais uma vez, ela se agarrou no meu braço, encostando a cabeça em meu ombro. Assim, esperamos o piloto iniciar viagem.

SN on

O desabafo com Jeon na noite passada me fez ficar pensativa. Não sabia o que fazer. Estava com medo de passar por tudo mais uma vez, porém, além do Jeon querer um filho, gostei da sensação de ser mãe, e tinha se tornado uma meta para mim, ter um filho também.

Estava totalmente dividida. Não sabia o que fazer e o tempo não colaborava. Desde que acordei, quando entramos no carro, chegamos no aeroporto, quando entrei na farmácia, ainda não tinha tomado minha decisão.

Aproveitei o pequeno tempo que tinha sozinha para tentar por a minha cabeça no lugar, ou o mais próximo disso.

Guardei a sacolinha na bolsa e saí para esperar Jeon, para irmos para o embarque.

Nos sentamos nas poltronas e eu me abracei nele. Encostei minha cabeça em seu ombro e respirei fundo. Talvez aquilo fosse o maior risco que eu ia correr na minha vida.

JK: Amor, se importa se eu dormir um pouco?

SN: Claro que não. Vou por mês fones também, tudo bem?

Ele assentiu e se ajeitou para dormir, enquanto eu colocava os fones de ouvido, voltando a me prender em seu braço.

O avião levantou voo e seguimos viagem. A maior parte, Jeon dormiu, enquanto eu ouvia música, jogava no celular, assistia alguma coisa, ou comia o que a aeromoça vinha oferecer.

Em quase quatro horas, o piloto anunciou a descida, e eu acordei Jeon.

JK: Mas já? Quanto tempo eu dormi? – Perguntou, com a voz rouca de sono.

SN: Umas quatro horas.

JK: Tudo isso?! Não acredito que perdi o lanche de novo!

Ri de sua indignação e em pouco tempo estávamos em terra firme de novo.

JK: Que horas são?

SN: Exatamente 14:35.

JK: Onde?

SN: No Brasil – Respondi, rindo pela sua confusão com os fuso-horários.

Descemos do avião e fomos pegar as malas. Recebi uma ligação da minha mãe, e atendi.

 

-Alô?

 

-Filha! Onde vocês estão?

 

-No aeroporto, pegando as malas na esteira. Por quê?

 

-Não achei vocês na saída do avião. Vamos fazer assim, estou esperando vocês na saída do aeroporto e vamos comer, tudo bem? No aeroporto é tudo mais caro!

 

-Você está aqui?!

 

-É claro! Vim buscar vocês! Me encontrem na porta principal. Lembra onde é?

 

-Lembro sim! Daqui a pouco estamos aí!

 

-Estou esperando! Até daqui a pouco!

 

Desliguei sorrindo, e recebendo o olhar confuso de Jeon.

SN: Pronto para rever minha mãe? Ela veio nos buscar! – Exclamei, batendo palminhas – Estou com tanta saudade!

JK: Então vamos rápido! – Respondeu à minha animação, me seguindo até a porta principal.

Andamos em meio à algumas pessoas, enquanto eu procurava com o olhar, minha mãe. Olhava para um lado quando Jeon cutuca meu ombro, apontando para o outro.

JK: É aquela ali? – Olhei e me surpreendi quando ele reconheceu minha mãe primeiro que eu.

SM: Filha!

SN: Mãe! – Corri arrastando a mala, para abraçá-la.

Continua...


Notas Finais


E aí, mochis, o que acharam? Comentem, por favor.
Mais uma vez, me desculpem o atraso. Volto amanhã, sem falta!
Prontos para o "fim" da história?
Até o próximo capítulo.
Obrigada por lerem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...