História Aprendendo a ser uma Sonserina - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Argo Filch, Dominique Weasley, Fred Weasley Ii, Minerva Mcgonagall, Neville Longbottom, Rose Weasley, Roxanne Weasley, Rúbeo Hagrid, Scorpius Malfoy, Tiago S. Potter
Visualizações 16
Palavras 1.613
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - 09


Fanfic / Fanfiction Aprendendo a ser uma Sonserina - Capítulo 9 - 09

A semana passou rápida desde o episódio em que Malfoy ofendeu a garota Myers, e com estes vieram o tão esperado fim de semana, onde grande parte dos alunos fariam teste de quadribol para a sua casa. Sendo assim, a jovem Abby, não se continha de tamanha felicidade, mesmo não acreditando que poderia passar em uma das vagas predisposta para novos jogadores.

No entanto, antes que a jovenzinha pudesse soletrar a palavra Quadribol, recebeu uma carta do diretor de sua casa, com a resposta da temida detenção.

– Eu não acredito que ele me colocou nesta _resmungou Abby ao terminar de ler_ Estou em detenção por causa de um Malfoy, dá pra acreditar?

– Se acalme! Daqui a pouco você terá um teste para cumprir e mais a tarde o seu castigo... talvez, nosso diretor de pra você uma pena leve e para o loiro, algo mais pesado. É claro, que eu não sei o motivo disso tudo, mas adoraria ver o Malfoy limpando os troféus. Seria uma cena linda e histórica _comentou Echollyne a amiga.

– Agora quem pegou pesado foi você, Echo. Onde já se viu desejar o mal para as pessoas? _repreendeu Alvo_ Minha adorável Julie, fará tudo que o professor Kier lhe ordenar e será retirada do castigo antes mesmo que pense nos testes.

– Julie? _as meninas perguntaram juntas.

– Quem é essa? _quis saber Echollyne já curiosa.

– Caso não saiba, amiga ingrata, Abby se chama: Abby Julieta Valdek Myers.

– O meu nome eu já sei, mas porque do Julie? _indagou a loira já desconfiada.

– Achei que combinaria mais com você, fiz mal?

– Não, pelo contrário, eu gostei! _ela disse ao sorrir.

– Que bom, pois a partir de hoje só irei te chamar assim...

E assim, os três caíram em uma gostosa gargalhada devido a situação ser um tanto quanto diferencial aos jovens.

– Bom dia _disse Malfoy a se sentar a mesa da Sonserina.

– Dia _responderam Echo e Alvo juntos.

– Ainda com raiva de mim, Abby?

– O que acha? _respondeu seca_Echo, vamos não quero me atrasar para o teste. Acompanha-nos, Alvo?

– Hãn, não. Vão á frente, tenho que ter uma palavrinha com o meu irmão. Encontro vocês na arquibancada, pode ser?

– Claro _elas responderam juntas ao sorrir.

E dizendo isso, as garotas saíram da mesa e seguiram rumo aos terrenos de Hogwarts, a fim de irem para a tal seleção que iria ocorrer durante toda a manhã.

– Até quando vai ficar nessa birra com ele? _indagou Echo.

– Enquanto ele não vier até a mim, não vou desculpa-lo.

– Sabe que isso não vai acontecer. Digo, dele pedir desculpas. Um Malfoy, nunca faz isso, pelo menos, não que eu saiba.

– Sendo assim, vou continuar do jeito que estou e fim de papo.

– Tudo bem _respondeu a ruiva por fim.

Quando chegaram as arquibancadas, notaram alguns pouco alunos presentes, possivelmente só os que se interessavam por uma das vagas estavam ali, afinal, quem em sã consciência acordaria cedo naquela linda manhã de sábado?

Abby percorreu com o olhar o campo de quadribol e conseguiu avistar de longe algumas figuras conhecidas, tais como os alunos do primeiro ano que entraram junto com ela e alguns outros que passou a  ter afinidade.

– Acho que os mais velhor vão demostrar como que jogam primeiro _comentou a ruiva sem ânimo.

– Não precisa ficar, se quiser pode voltar...

– Odeio gente, mais gosto de ficar ao seu lado.

– Isso foi um elogio?

– Encare como quiser, baby!

As meninas assistiram a um mini treino, onde os mais velhos se exibiam e mostravam todo o seu talento aos mais novos que agora, babavam devido a tamanha competência dos competidores.

– E agora vamos a seleção de novos talentos _disse o jovem Gustavo Bell, aluno do 5° ano e também capitão do time de quadribol _Como sabem, alguns de nossos colegas estão aposentando as suas vassouras, então nada mais que justo recrutar novos jogadores. Devo alerta-los que a escolha pelo melhor não será fácil, já que... bem, deixa pra lá.

– E que tal começarmos pelos competidores a goleiro? _sugeriu um garoto magricela, de cabelos meio castanhos e barba por fazer, a qual Abby identificou como Alefe.

Aos poucos os competidores foram descendo para o campo na esperança de realizar com sucesso o cronograma de tempo que era dado a cada um, mas era nítido que aqueles que tentavam não chegavam nem aos pés do atual. Por diversas vezes, Abby notou que alguns erravam em algum quesito e que logo isso seria descontado em cada somatória final.

– Hey meninas, o que fazem aqui? _perguntou Emily Smith.

– Não é obvio, viemos assistir os treinos _respondeu Echo.

– Pensei que uma de vocês faria esse teste, mas pelo visto me enganei. E então, o que eu perdi?

– Alguns erros gritantes, quedas horrorosas... bem, acho que não perdeu nada _concluiu com um sorriso debochado, a garota Myers.

– E agora vamos aos batedores... _as garotas ouviram algum dos meninos dizer.

– Fiquei sabendo que esse ano, Bell vai querer colocar mais meninos que meninas... ele alegou que somos o sexo frágil e que não dá muito bem com jogadoras em campo.

– Machista _ Echo e Abby disseram juntas.

Depois deste comentário, Abby desligou-se das meninas e fez questão de prestar a atenção no que estava por vir. Sobre uma vassoura uma tanto quanto nova, estava sentado Jacky Phillips, que agora se preparava para conseguir a vaga de batedor.

O garoto era sem dúvida alguma, alto, tinha um corpo atlético e de boa forma, o que ajudava ainda mais a impressionar as poucas garotas que estavam a admira-lo em sua nova façanha. Seus olhos azulados e seus cabelos claros revelavam uma seriedade fora do comum, que mostrava que o menino estava concentrado naquilo que fazia.

Jacky sobrevoava com manobras arriscadas sobre a vassoura na tentativa de rebater aquele balaço que agora fugia de seu controle. Tentou uma, duas, três, e na quarta tentativa arremessou a pequena e pesada bola para longe, arrancando uma salva de palmas quando finalizou o seu treinamento. Ele olhou de lado para os demais, como se dissesse ""faça melhor, ou a vaga será minha"", e depois sorriu marotamente quando voltou a se sentar na arquibancada.

Em seguida, outros poucos tentaram em vão superar o garoto que tinha leve traços rebeldes em sua feição. Sendo assim, após esta categoria, o capitão chamou agora os candidatos a artilheiros.

– Estou atrasado, não é mesmo? _perguntou um Potter ligeiramente suado e cansado.

– Sim, esta _as meninas confirmaram.

– Houve a seleção de apanhador?

– Ainda não, somente de goleiro e batedor _respondeu Abby.

– E agora é claro, de artilheiros _completou Emy.

– Ufa, bem a tempo então.

– Espera, vai tentar a vaga? _questionou Echo.

– E porque não?

– Pensei que não queria disputas _ela disse _Caso não saiba, seus colegas de quarto, também vão concorrer.

– Que vença o melhor de nós então _ele respondeu ao se sentar e assistir ao treino-seleção.

Nesse meio tempo, no meio do campo uma equipe de três era formada, na esperança de que Alefe e Gustavo pudessem achar qual seria os três privilegiados ao cargo de artilheiros. Os minis times estavam sendo divido por ano letivo, sendo assim, Catelyn, Jeremy e Vênus foram selecionados para serem uma equipe.

– Espero que eles possam se dar bem _ disse Emily ao desejar sorte aos colegas de casa.

– Confesso que seria legal, ver os primeiristas dando um banho de água fria nos calouros _completou Echollyne com um sorriso estampado no rosto.

Então o treino-teste se iniciou e os alunos puderam contemplar o fascínio dos jogadores que agora estavam sobre as suas vassouras em uma quase briga, devido a quererem capturar a goles do adversário.

Catelyn, ou melhor, Cat, era a que dava mais show em seu meio de transporte. A menina manuseava a sua vassoura com total eficácia, que acabava tirando assim a concentração dos demais.

– Passa pra mim _gritou, quando viu Jeremy ficar com um pouco de dificuldade em driblar os oponentes.

– Melhor para mim _retrucou Vênus, que estava visivelmente disponível.

Em verdade, a loira com cara de psicopata, tinha azarado um aluno mais velho na esperança de se dar totalmente bem. Queria muito fazer parte do time, e por isto estava disposta a tudo para conseguir aquela maldita vaga de artilheira. Sendo assim, quando um novo adversário surgiu perto da mesma, conjurou silenciosamente um feitiço que torturava a pessoa internamente, causando-lhe extrema dor

Do outro lado do campo, o jovem Stryker, marotamente desviou de um dos competidores que estava tentando roubar a sua vaga e arremessou a tal goles a sua colega Cat que ao receber teve que fazer um giro de 360° graus para adquirir a bola.

No final das contas, todos deram o seu melhor, deixando claro o cansaço estampado em suas caras. Logo após a seleção dos artilheiros, veio a de apanhador. Somente três se candidataram a vaga, sendo assim, Sorpius, Rian e Alvo se encaminharam o mais breve possível ao meio do campo com suas vassouras em mãos.

Agora nenhum deles sorriam, estavam com feições sérias, o que lembravam que eles estavam concentrados e que não se importariam de se matar naquele local, desde que um ocupasse a vaga predestinada ao apanhador da Sonserina.

– Subam em suas vassouras _pediu Gustavo e os meninos assim fizeram.

Nesse meio tempo, o capitão jogou o pomo de ouro aos céus e ficou observando os novatos procurarem a bolinha que agora voava para longe.

– Acha que pode comprar esta vaga, Malfoy? _provocou Potter.

– Cuidado, pode se tornar um Alvo fácil... _rebateu o loiro.

Segundos depois, ambos se provocavam novamente.

– Treinando para o balé, Potter?

– Não mesmo, Escorpião.

Enquanto isso, Rian aproveitava a vantagem que tinha para capturar o pomo, pois ao contrário de seus colegas de casa, este não caia tão facilmente em provocações.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...