História Aproximação - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Vegeta
Visualizações 77
Palavras 1.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Café


Bulma ouviu algumas batidas insistentes na porta, parecia que ia quebrar a porta do quarto. Com certeza, só podia ser ele. Revirou os olhos, e imediatamente saiu da banheira. Não tinha paz nem mesmo depois de sair do trabalho. Olhou para o relógio... 15 para meia noite.

Se levantou e vestiu uma camiseta longa, e enquanto ia tentando pentear os cabelos azuis com as pontas dos dedos, foi até a porta, ainda com as madeixas pingando, molhando a camiseta.

Abriu a porta, olhando, sem a mínima paciência para o príncipe à sua frente. Naquele exato momento, ele, parado em frente à porta, sentiu o cheiro sedutor, único... Adentrar suas narinas. O perfume do sabonete...

Aquele cheiro que ela parecia de rosas... Tão delicada, tão diferente de absolutamente tudo que ele já havia conhecido. Engoliu a saliva à seco. Mas não conseguiu deixar de percorrer o corpo da jovem com os olhos, que parecia fazer aquilo para lhe provocar... Mas não, era espontâneo. Ela estava apenas... Sendo quem ela sempre foi, até ele chegar ali.

- Eu preciso de robôs.

Disse, firmemente, olhando fixamente nos olhos da terráquea, com a intenção de intimida-la, de causar-lhe medo... Mas aquele plano começou a dar errado, quando ambos sentiam... Aquele sentimento inexplicável, que deixa a boca seca, os pensamentos confusos, o coração acelerado... Bulma, se apoiou na porta, e revirou os olhos.

- Vegeta, está tarde, por que você não vai dormir?

- Por que eu preciso treinar, eu não tenho tempo pra isso.

Bulma já conhecia muito bem ele, e antes que ele a levasse à força, ela mesma resolveu ceder, dessa vez. Mas ao contrário do que ele pensou, em silêncio, ela começou a caminhar pelos corredores à frente dele.

O que o deixou totalmente sem reação, eles estavam tão acostumados a discutir sobre isso, e dessa vez, Bulma se calou. O que havia de errado com ela?

Quando ele à viu em sua frente, reparou que enquanto ela andava, levemente a blusa subia, mostrando um pouco de sua peça íntima, uma calcinha rosa bebê, que destacava na pele pálida da jovem. Ele arregalou os olhos, ficou sem reação.

- Humana!

Bulma se virou, o que seria dessa vez?

- Sim, Vegeta?

- você não vai se vestir?

Bulma o olhou sem entender, e logo começou a rir.

- eu já estou vestida!

- você é muito vulgar mesmo, como já está vestida? Com a metade da bunda aparecendo!

- olha... Vegeta, pra começar... Eu estou na minha casa... E o que que tem? É comprida e de dormir! 

- isso não é jeito de se vestir!

-Você me chama à essa hora e quer que eu esteja vestida como?

- de qualquer outro jeito. Vista outra coisa.

- vestir..  o quê?!

Bulma revirou os olhos e começou a rir, era muito atrevimento dele mesmo. Agora queria mandar na forma que ela se vestia? O que será que estava passando na cabeça do príncipe, seria ciúmes...? Até pensou, em breves segundos lhe perguntar... Mas pra que? Se era óbvio, até por que se ela falasse algo era capaz de ele começar a mudar seu comportamento, então ela descediu brincar com a imaginação do príncipe. Deu de ombros, e continuou a andar em sua frente, dessa vez rebolando mais que o normal. Riu, sem que ele percebesse.

- Eu vou passar um café.

- você não tem tempo pra isso, eu quero os robôs agora.

- não, e você vai tomar um café comigo? Pode ser? Eu não sei como são as mulheres que você conhece, mas aqui, a gente funciona à base de cafeína.

Vegeta deu de ombros, e saiu andando na frente da terráquea, para lhe esperar na cozinha. Ela riu, balançou a cabeça e foi andando logo atrás dele...

Na cozinha, enquanto Bulma passava o café, por alguns minutos parecia que não existia nada de alienígenas, andróides... Cápsulas de treinamento, ou qualquer coisa do gênero. Por alguns segundos, Bulma até esqueceu que ele era um Sayajin Estava um pouco frio, e a única que estava sofrendo com isso era ela... Vegeta não sentia absolutamente nada, e ele percebeu, Bulma se arrepiar de frio algumas vezes.

- Eu disse pra você vestir alguma coisa, vulgar.

Ela fingiu que não o ouviu, e colocou duas xícaras na mesa.

- você gosta com ou sem açúcar?

- eu não vou tomar isso.

- eu tenho certeza que você vai gostar...

- Mas eu não quero, eu não gostei do cheiro.

- você diz isso por que não conhece, anda... Vai te da energia.

Vegeta olhou desconfiado, cheirou mais uma vez o café, antes de dar um gole. quase cospiu ao sentir o gosto amargo.

- isso é horrível!

Ela começou a rir, colocando um cubo de açúcar, e logo em seguida um pouco de leite quente com marshmallow e creme. 

- eu estava brincando com você, não estava pronto... Vai, experimenta.

Ela sentou ao lado dele, e abriu um sorriso, apoiando a mão na bochecha, e olhando-o, enquanto ele, com o cenho franzido, se questionava se deveria ou não confiar na humana. Mas decediu dar uma segunda chance, e experimentou.

- e aí... O que achou?

Ele apenas resmungou, e desviou o olhar... Logo em seguida, deu mais um gole. Ela riu baixinho... E naquele momento... Pelo menos naquele momento, parecia que a paz existia no universo..  era possível? Achar aquele homem mal Humorado, com o semblante sempre fechado... Fofo? Isso mesmo... Fofo. Provavelmente uma descrição que nenhum dos seus inimigos pensaria. Nenhum dos homens que já teriam lutado com o "Sayajin mais forte do universo" o príncipe... Como ele costumava dizer. Ela devia estar louca... Mas ali, os dois juntos, pela primeira vez, compartilhando um café quente... Bulma sorriu, levando a xícara até os lábios. Sabia que ele era daquele jeito... Mas era justamente isso que lhe chamava atenção, por que apesar de tudo, apesar dele sempre xingar à todos, ameaçar, e fazer suas maldades por simplesmente fazer... Bulma sabia, ela sentia que por ela... Ele sempre cedia. E era por isso que ele estava ali, sentado à sua frente, tomando um café... Enquanto Androids prometiam destruir a Terra.

- eu quero mais.

- nossa, você já tomou?! Mais estava super quente!

- e daí?! Vai demorar muito pra me servir, não foi você que estava insistente que eu experimentasse??!

Ela riu, servindo mais uma vez o Sayajin, sentindo o próprio corpo esquentar por causa do café. 

- eu sabia que você ia gostar... Você só tem problema em admitir que gosta de algumas coisas.

- tá, e daí? Alguma coisa nesse seu planeta deveria ser bom... Pelo menos isso, aliás, foi a única coisa que eu... Gostei 

Ela riu, aproximando-se um pouco mais dele, sentando-se mais perto, com as pernas quase encostando nas dele. Vegeta engoliu a saliva, ao sentir seus joelhos se tocarem. Bulma sorriu, e ele ficou olhando cada detalhe do rosto da terráquea... Os olhos azuis, a franja que quase caia sobre seus olhos, os cabelos azuis que escorriam sobre os ombros... Era tão delicada, frágil... Ela parecia que a qualquer momento poderia cair no chão e se quebrar... No fundo foi isso que ele sentiu, por breves segundos... 

Um medo de não ver mais aquele sorriso. Ele desviou o olhar, e ela levou suavemente a mão até seu rosto. Aquele toque, parecia que ele nunca tinha sentido... Algo tão macio, tão sincero... Tão puro. Aquelas mãos quentes, pareciam lhe transmitir... Algo que ele não sabia explicar. Uma energia confortante, algo simples... Mas tão forte. Naquele momento, ele levou a própria mão até a de Bulma, para afastá-la, mas aqueles segundos... Onde as duas mãos se encontram... Pareciam ter durado uma eternidade. Ele quase pensou em responder... Mas se calou. Ela riu, e sussurrou...

- tem certeza?




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...