História Aproximação - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Vegeta
Visualizações 73
Palavras 894
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Preso


Ele despertou suavemente, sentindo cócegas no nariz, provocadas pelos fios azuis do cabelo da terráquea... Ficou em silêncio, e se perguntando como chegou naquela situação. Nunca havia dormido na mesma cama que uma mulher tanto tempo, ainda mais sem fazer absolutamente nada com ela. Mentiu para si mesmo, que devia ter caído no sono por causa dos medicamentos que estava tomando, e pelo cansaço... O quarto da humana, apenas era iluminado pela tv. Pela janela podia observar como as árvores se mexiam, e lá fora, já estava escuro... Quanto tempo ele passou ali dentro? Começou a se mexer, tentando fazer o possível para não acorda-la. Não por que ia incômoda-la, mas por que depois era mais fácil fingir que aquilo não aconteceu... Por mais que não tenha acontecido nada. Ele se mexeu, o que fez ela despertar, e abrir os olhos lentamente... Ela abriu um pequeno sorriso, a voz, sussurrando, como se contasse um segredo...

- então você ainda está aqui...?

- já estou saindo...

Quando ele percebeu, estava surrando, assim como ela, sem ao menos saber por que...

- e por que você não fica...?

- por que você quer isso...?

Ela levou a mão, novamente, até o rosto do Sayajin, olhando-o nos olhos... Sentia sua pele, que apesar das lutas ainda conseguia ser macia... Sorriu, admirando cada centímetro, cada detalhe... Eles nunca estiveram tão próximos, e nenhum dos dois era capaz de saber como aquela situação chegou naquele ponto... Simplesmente, fluiu.

- por que eu me sinto bem com você.

- se sente bem? Por que diabos você se sente bem?

- eu gostaria saber explicar... Mas dizem que é impossível entender o coração de uma mulher, talvez... Não tenha explicação.

- você deve ser louca.

- geralmente as cientistas têm essa fama...

Ela riu, passado suavemente os dedos sobre os lábios do Sayajin... Que a olhava fixamente, perdido nos próprios pensamentos...

- Esqueça, humana.

Ele se levantou e ficou  sentado sobre a cama. Novamente, ia mentir para si mesmo, ia dizer que ela não fazia a mínima diferença mas... Ela fazia. 

Bulma ficou em silêncio, apenas desviou o olhar. Voltou a se sentir estúpida... Devia ter enlouquecido... Assim que ia puxar a coberta para o lado, para sair da cama, sentiu os lábios do Sayajin irem de encontro aos dela... Nem ele mesmo sabia o que estava fazendo. Sentiu a língua lhe invadir a boca, os lábios macios dele envolvendo os seus... Era como se cada célula do corpo dela desejasse, e esperasse por aquilo a vida inteira. Respirou profundamente, e correspondeu ao beijo com todos os sentimentos que havia guardado dentro do peito, com toda a vontade que sentia desde a primeira vez que o viu, desde que ouviu sua voz grave pela primeira vez... E ele, eufórico, sentindo o corpo inteiro, implorando por cada centímetro do corpo da terráquea... O coração disparava, e assim que faltou o fôlego, eles se afastaram... Ainda tentando entender aquele beijo. Aquele encontro de almas...

Se olharam, confusos, desorientados...

- Eu jamais vou esquecer...

Ela disse, em uma espécie de sussuro. Ele, acima de tudo admirava a jovem, ela não tinha medo dele, medo das consequências, medo... Das palavras ásperas que ele lhe dirigia. No fim, Vegeta percebeu que... Tudo, tudo que ele já havia lhe falado, ela não acreditou em uma única palavra. E aquele beijo, aquele ato impensado, aquele desejo insano que lhe dominou por segundos...  Era sua única verdade. Era tarde demais para fingir que não a queria, era tarde demais para mentir para si mesmo...

- você não tem medo, humana?

Ele disse, levando a mão até o pescoço da terráquea, seus dedos ásperos pareciam contornar perfeitamente a pele dela... Ele a beijava, e depois agia como se fosse partir seu pescoço. Ela pendeu levemente a cabeça para trás, afim de se desvincular das mãos dele, por breves segundos, antes de sorrir, passando delicadamente os lábios sobre os dígitos do Sayajin... Bulma passou a língua entre os lábios, para umedecer a própria boca, antes de lhe sussurrar...

- meu único medo era morrer sem experimentar... O gosto da sua boca... Mas acho que já posso morrer em paz.

Ela riu, segurando a mão do Sayajin, e colocando-a sobre seu peito, que estava desnudo por causa dos botões da camisa que estavam abertos... Ele podia sentir o coração dela disparado, e todo corpo da jovem parecia estar em brasa... Quando ele se deu conta, Bulma agia como se quisesse, que ele desintegrasse o corpo dela ali mesmo.

- você sempre me ameaça... Mas se quiser, pode ir em frente, estou nas suas mãos...

Ela dizia aquelas coisas, que agora pareciam absurdas... Ele a observava incrédulo... O Sayajin riu, jogando-a para trás, e posicionamento seu corpo entre as pernas da terráquea, segurando firmemente seu pulso com as mãos, sobre a cabeça dela. Deixando-a totalmente presa.

- pra mim de nada lhe adiantaria morta.

- então pra que eu lhe sirvo então?

Ele suspirou, sentindo o membro rígido por baixo da calça, encostar sobre a pele pálida da humana, que parecia anciar por qualquer atitude dele, que fosse mais além, mais à fundo...

- para me servir.

Ela riu, envolvendo a cintura dele com as pernas... Puxando rapidamente as mãos que o príncipe segurava de forma frouxa, e colocando ambas sobre as costas do Sayajin... Sussurrou, antes de depositar um beijo suave sobre sua bochecha.

  - acho que você não entendeu príncipe...

Sorriu, antes de lhe roubar um selinho.

-Não sou eu que estou presa com você. É você que está preso comigo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...