História AQUAMAN! - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Aquaman
Visualizações 2
Palavras 343
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - XIII


         A noite passou, fria e pesarosa. Arthur e Mera estavam em frente ao farol, nos rochedos, enquanto ondas e mais ondas rebentavam e espuma branca e gelada era soprada pelo vento. A aurora vinha, pintada em tons leves de azul e verde. --Está pronta?-- Arthur perguntou, com os olhos fixos no sol que se levantava devagar e preguiçosamente. Vestia calças jeans escura, e nada em cima. Mera assentiu, ao seu lado. A rainha, por sua vez, vestia um colan feito de milhares de escamas de Jade. A primeira luz do sol dançava por sua vestimenta, como num ballet de luzes. Primeiro foi a rainha, saltando do bico da rocha e se jogando no mar, com as ondas revoltas quebrando-se atrás de si. Arthur deixou-se ficar mais alguns segundos; olhou para trás e viu o farol, e a casa em que viviam. Fechou os olhos e pulou. O mar pareceu ganhar um espírito de força quando Arthur desapareceu nas profundezas escuras abaixo. O fundo do mar era caótico, frio demais até para respirar e repleto de criaturas que podiam arrastar um barco inteiro para baixo sem o mínimo de esforço. Enquanto nadavam profundezas adentro, Arthur e Mera voltam, após dois longos anos, à vida que deixaram para trás. Toda a beleza, a fúria, o silêncio. Depararam-se com um incontável cardume de peixes amarelos; seus olhinhos juntos brilhavam feito lâmpadas, ao passo que suas escamas cintilavam; quando nadaram em alta velocidade próximo a eles, desbarataram, sumindo para lá dos rochedos e das florestas d'algas. Mais à frente encontraram uma família de jubartes; imensas, cinzas, monstruosamente belas. Deram três longas voltas sobre elas e dispararam feito mísseis, fazendo a água eclodir em espuma. Também viram um cardume de peixes-espadas; deviam estar por volta de uns vinte ou trinta. E também viram lulas gigantes, cinco delas, cada uma com seus inimagináveis quarenta metros de comprimento. Mera nadou ao lado da fêmea, que parecia carregar uma grande ninhada dentro de si; passou a mão pela pele lisa do animal, e seus grandes e redondos olhos negros pestanejaram, alegres. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...