História AQUAMAN! - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Aquaman
Visualizações 0
Palavras 345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - VI


         No interior da cúpula, rocha e ouro misturavam-se para dar forma aos acentos; uma variação de rusticidade e elegância que começava com uma base achatada e terminava num espeto dourado, que servia também de espaldar. No centro, os sete reis. Sete reis mortos que outrora desbravaram os mares e domaram-nos a seu bel prazer. Sete estátuas de mármore Nero Marquina, de mais de trinta metros; todos erguiam espadas e afunilavam-nas até as pontas se tocarem. Eram belas e poderosas, assim como foram em vida. --Vejo que a decadência tomou conta desse pequeno conselho.-- Orm nadou até próximo às estátuas e desceu suavemente. Os conselheiros espantaram-se; um ou outro quase pularam dos acentos. --Você estava morto! Como pode?-- Perguntou um velho, trajando um meio manto de algas escuras. Orm o fitou com um olhar que dizia a verdade dura e crua: Estou muito vivo. --A decadência é uma fase da vida.--, Rebateu a conselheira; a única mulher entre os cinco. Era velha, mas muito bonita. Tinha os cabelos prateados e olhos de Jade, verdes como jóias. --Você, melhor do que ninguém, devia saber disso. Desapareceu por dois anos inteiros e retorna, sem mais nem menos, esperando ainda ter um mínimo de autoridade que seja. Mas não se engane, tolo rapaz. Não há mais um rei em Atlantis. Essa era já passou.-- --Já não sou um rapaz.-¬ Orm a retrucou, sob a engolidora sombra dos sete. --Em meu exílio eu vi o outro mundo. A superfície. Caminhei entre os respiradores de ar, convivi com eles, aprendi com eles. Eu… os matei, muitos, uma centena ou mais. E da dor deles eu tirei uma valiosa lição. Não há glória sem perdas. Sem dor, nada resta além da mesmice e do ócio. Nós nos afastamos deles, dos reis que um dia fizeram o homem temer o mar, e a cada segundo nos arrastamos mais e mais para o abismo frio do esquecimento. Mas eu prometo a vocês, a todos vocês… Isso não irá acontecer. Jamais. Atlantis será grandiosa novamente. Ela será linda, e intocável, e respeitável. E claro, temida.--  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...