História AQUAMAN! - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Aquaman
Visualizações 2
Palavras 320
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - VIII


                      Arthur Curry. A cama de casal era larga, de modo que ocupava dois terços do quarto. Um guarda-roupa espreitava-se ao lado da janela, pequeno e simples. A janela em si era uma coisinha estreita, de madeira comum; as persianas estavam fechadas, criando sombras profundas e inexpugnáveis. --Hora de acordar, majestade.-- Mera atravessou o quarto e dirigiu-se às cortinas; quando as abriu abruptamente, o sol desceu sobre a cama, fumegando o adormecido Arthur Curry. Calor e luz despertaram-no rapidamente. --Que horas são?-- Perguntou uma voz sob o edredom escuro. Mera balançou a cabeça, com um meio sorriso em seus lábios esguios. Os cabelos da mulher eram ruivos, de um vermelho tão vivo que até pareciam chamas escorridas. --Dez e vinte.-- Ela respondeu, e Arthur não fez menção de se mover. Até que ela puxou a colcha e o deixou ali, banhado pelo sol; Arthur se remexeu de um lado pro outro, seus cabelos longos e loiros caindo-lhe pelas costas e ombros como uma cascata dourada. --Pelo amor de Netuno, Mera.--, Falou, entre um bocejo. --Deixe-me dormir mais um pouco. Só mais des minutos, pelo menos.-- Mera cerrou os olhos e deixou o quarto, seus passos ecoando profundamente no chão de madeira. Alguns segundos depois um jato d'águia irrompeu pela porta e pairou sobre Arthur; a luz do sol dançava pela água, cintilante e ondulante. --É melhor levantar. Ou juro que vai preferir ter feito por livre e espontânea vontade.-- O tom de voz de Mera não permitia discussões. Arthur se virou devagar para ver a enxurrada sobre si; ele sorriu e assentiu, pondo-se em pé em questão de segundos. --Viu só?--, Disse, de braços abertos e com uma expressão de sono pintando-lhe a cara. --Já estou de…-- Toda a água choveu sobre ele de uma vez, ensopando-o da cabeça aos pés. Entre as pestanejadas viu Mera dar de costas, sorrindo. --Não quando eu mandei.-- Ouviu a esposa dizer, já da cozinha. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...