História Aquela Assistente - Segunda Temporada (Imagine Park Jimin) - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Aquela Assistente, Bangtan Boys, Bts, Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehung, Min Yoongi, Mya_uchiha13, Park Jimin, Plágio É Crime, Você
Visualizações 197
Palavras 2.792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Perdão a demora meus anjos, porém tentei ao máximo fazer um bom capitulo para você!

E antes de mais nada quero dizer que orabeoni significa irmão mais velho.

Boa leitura 📖!

Capítulo 30 - 31


Fanfic / Fanfiction Aquela Assistente - Segunda Temporada (Imagine Park Jimin) - Capítulo 30 - 31

Passei incrivelmente todo o meu expediente pensando naquele e-mail que recebi mais cedo, não estou tão afim de pensar quem foi o ser humano maravilhoso – só que não – que fez isso.

As pessoas passam grande parte do dia fazendo vários nada, aí quando se sentem entediadas ao invés de ir procurar um emprego ficam infernizando a vida de quem tem algo para fazer.

Sophia- Omma a gente pode ir tomar banho de sol?- Sophia perguntou apoiando seus cotovelos na minha coxa.- Por favor omma, eu e o raboni queremos tomar banho de sol.

Eu- Aí que bunitinho minha bebê tentando falar orabeoni. Podemos sim, só vamos colocar roupas adequadas.- Peguei na mãos dela e fomos para o andar de cima e colocamos as roupas de banho.

Passei no quarto do Yuan e o mesmo já estava com sua sunga estava apenas procurando seu calção. Ajudei ele a achar e por último passei protetor solar em ambos os dois.

Eu- Vamos apenas tomar banho de sol, está frio para entrar na piscina.- Ele assentiram e começaram a brincar enquanto eu observava eles.

Descidi levantar e começar a brincar com eles que riam enquanto corríamos pelo quintal brincando de pique-pega.

{...}

Já era tarde e estava começando a esfriar, coloquei as crianças para dentro que logo subiram para tomar banho enquanto eu ia fazer kinchi jjigae o prato favorito do Jimin. Eu não sou tão abilidoso fazendo isso, porém eu tento.

Yuan- Omma o que vamos jantar?- Desviei minha atenção para ele que ajudava sua irmã a se sentar na cadeira.

Eu- Kimchi jjigae.- Respondi vendo o eyes-smile do menor aparecer.

Sophia- Boni quero água.

Yuan- Sophia é orabeoni e não boni.

Eu- Não brigue com ela filho, sua irmã não sabe falar orabeoni. Ela ainda é pequena.

Yuan- Mas omma, orabeoni nem é tão difícil de falar.

Eu- Yuan não fique assim, na idade da sua irmã você falava algumas coisas erradas. Tenha paciência.

Jimin- Jagi tenho uma novidade!- Levei um leve susto ao ouvir ele exclamar eufórico.- Boa noite crianças!- Deu um beijo na bochecha de cada um.

Eu- Percebi, está tão eufórico, mas me diga, o que te deixou assim?

Jimin- Vamos gravar um MV novo.

Eu- Mais já? Outro comeback?

Jimin- Não, será apenas um MV de uma música do nosso álbum passado. Por que? Não gostou da ideia?

Eu- Sim! Gostei, acho ótimo, ainda mais porque vocês já tem tudo pronto só gravar, não é?- Ele assentiu.- Então eu acho uma maravilha.

Jimin- Vai ser incrível! Eu vou tomar um banho, já desço para o jantar.- Saiu da cozinha indo direto ao quarto, Yuan foi para sala ver TV e eu fiquei na companhia da Sophia que começou a chorar de repente.

Eu- O que foi filha?- Fui até ela me sentando ao seu lado e me dei conta de que a pulseira que ela tanto gosta tinha arrebentado.

Sophia- O... O appa vai bliga comigo.- Falou entre soluços, peguei ela em meu colo e deixei suas penas para cada lado do meu corpo e comecei a cantarolar Just One Day, a música favorita dela para ver se isso deixava ela um pouco mais calma.

Eu- Não se preocupe, amanhã depois que eu deixar você e seu irmão na escola vou até a joalheria onde seu pai comprou e peço para arrumarem ok?

Sophia- Você vai contar para o appa? Ele vai fica tliste comigo.- Voltou a chorar.

Eu- Não minha bebê, seu appa não vai ficar triste. Vamos beber um copo de água.- Levantei com ela no colo e fui até a geladeira, peguei a garrafa e a coloquei sobre o balcão, deixei a Sophia sentada na ponta da mármore e peguei seu copo, enchi o recipiente e dei a ela que ainda soluçava um pouco.

Jimin- O que aconteceu? Por que está chorando pequena?- Jimin Disse ficando na frente da menina que escondeu o rosto nas mãos.- O que deu nela?

Eu- Filha conta para ele.- Incentivei ela e a mesma tirou as mãos do rosto.

Sophia- A pulseira que você me deu arrebentou sem querer.- Os olhinhos dela marejaram.- Desculpa appa.- Falou chorando, Jimin sorriu sem jeito e abraçou o corpo gordinho da menina que envolveu abraçou o pescoço dele e deixou que suas lágrimas molhassem sua blusa.

Jimin- Tudo bem pequena, não estou triste e muito menos bravo com você, amanhã sua omma vai resolver isso.

Eu- Viu, falei que ele não ficaria bravo. Prometo que amanhã quando eu for pegar você na escola estarei com sua pulseira da sorte ok?- Ela assentiu.

Terminei o jantar e comemos enquanto conversamos bastante sobre o dia das crianças. E de ambos os lados não recebemos nenhuma queixa de como tinha sido o dia na escola.

Durante todo o jantar fiquei com um mau presságio em cima de meus ombros, era como se algo de ruim estivesse para acontecer e seria em breve isso.

Quando terminamos lavei a louça e subi para o quarto, escovei os dentes tomei um banho e me deitei na cama para dormir.

Jimin- Tudo bem?- Ele indagou abraçando minha cintura.- Estava tão distante.

Eu- Para ser sincera não está nada bem.- Virei para ele.- Recebir um e-mail anônimo hoje. Nele estava escrito: “Pronta para pagar pelos pecados do seu marido?”. Isso tem mexido comigo o dia todo, dês da hora em que eu sair da empresa até agora.

Jimin- Fique tranquila, deve ser só mais alguém que não tem nada para fazer da vida.

Eu- Todavia, pode ser alguém que quer prejudicar você e eu não estou falando da Snow, ela já não dá sinal de vida a três anos.

Jimin- Pode ser um paparazzi ou um hater. Não se preocupe com isso, se acontecer de novo me avise.- Beijou minha testa.

Eu- Tudo bem, vou lhe avisar sim.

[07:45 AM] Quarta-feira – Joalheria.

Eu- Como assim não vão poder arrumar isso? O feixe da pulseira só arrebentou é simples de arrumar.

Atendente- Senhora eu sinto muito, mas o joalheiro responsável por essa peça está viajando, só volta na semana que vem.

Eu- Não tem nenhum outro que poça fazer esse trabalho?

Atendente- Infelizmente não, o jeolheiro Kim, que fez essa peça, mexe com um tipo diferente de feixe que quase nunca arrebenta.

Eu- Por favor, me diga que podem arrumar, a felicidade da minha filha está nessa pulseira aqui. Ela ganhou do Jimin de aniversário de três anos.

Atendente- Eu vou ver o que posso fazer.- Ela pegou a pequena peça dourada de minha mão e levou para dentro da loja, esperei alguns minutos e ela logo voltou.- Conseguir, volte as quatro da tarde pode ser?

Eu- Pode sim.- Peguei minha bolsa e levantei.- Obrigada.- Sair da loja e comecei a andar apressadamente até o carro, entrei e respirei fundo.

Jimin- Conseguiu?- Assenti.- Que bom, agora vamos para o trabalho.- Virou a chave na ignição e deu a partida.- Hoje vamos começar a gravar, não quer ir com a gente?

Eu- Não vou poder, desculpa mesmo. Fiquei de encontrar com a Marcele no Starbucks e vai ser no mesmo horário que vocês vão estar lá gravando.

Jimin- Tudo bem então, se cuide.- Disse assim que parou o carro na frente da empresa. Saímos e entramos no local.

Fui logo resolver meus assuntos que não eram muitos até o momento, como assistente deles eu tenho que obrigatoriamente está lá, porém Bang disse que dessa vez seria mais como um pequeno teste, e não a gravação oficial, os meninos vão apenas ensaiar a coreografia, porém o dia ainda está corrido para eles.

Em meio a correria tive que comprar uma coisa na rua por ter esquecido em casa fui com o carro do Jimin para ser mais rápido e enquanto andava no comércio atrás do que procurava encontrei com uma das pessoas menos indesejadas na minha vida.

Leonardo- Olha só! ______ ou melhor Park ______, nos encontramos novamente.- Revirei os olhos.

Eu- Olá Leonardo, vejo que já cumpriu todos os anos de pena não é?

Leonardo- Mais ou menos. Enfim você está muito linda sabia?- Mordeu de leve os lábios.

Eu- Vê se me erra cara, eu estou de saco cheio e com muita pressa então tchau, não foi um prazer em rever você.- Continuei andando rapidamente até conseguir o que eu queria.

Agradeci aos céus por ter achado os últimos antes que acabassem, paguei e voltei para o carro e assim que entrei dei a partida voltando para a BigHit.

Acreditem se quiser, eu sair igual a uma maluca daqui só para comprar alguns mochis que eu tinha prometido ao Jin.

Eu- Aqui estão Jin.- Sorrir entregando o saquinho com alguns mochis.- Nunca mais me faça sair igual uma maluca só para comprar mochis!

Jin- Você prometeu!

Eu- Jin eu sair igual uma maluca da empresa só para comprar mochis para você, eu poderia muito bem ter lhe entregado amanhã, porém me obrigou a sair em meio ao expediente para comprar isso.

Jin- Isso prova o quanto você me ama.- Mandou beijinho e eu revirei os olhos.

Eu- Louco.- Conferir a hora no meu relógio e estava praticamente na hora de me encontrar com minha prima.- Bom eu vou indo tenho uma coisa para resolver.- Peguei minha bolsa e sair novamente da empresa, peguei um táxi ali na frente e seguir até o Starbucks, fiz um pedido e me sentei em uma mesa vaga.

Comecei a esperar minha prima e os minutos pareciam passar mais rápido a cada piscada que eu dava, peguei meu celular e conferir se tinha alguma mensagem dela e nem sinal de vida do ser humano lindo que é minha prima.

Cinco minutos depois recebi uma mensagem, olhei a barra de notificações e era do número da Marcele que estava se desculpando, porém ficou presa nas gravações de um dorama que ele está fazendo atualmente. Bufei e levantei de onde estava sentada e caminhei até o lado de fora peguei um táxi e pedir ele para me levar até a joalheria, quando entrei fui direto ao meu foco.

Atendente- Olá senhora Park, acho que veio buscar sua pulseira certo?- Perguntou e eu apenas assenti apoiando meus braços sobre o balcão.- Já vou ir buscar ela.- A mesma saiu de trás do balcão enquanto eu olhava as peças de brilhantes na vidraça.

***- Todo mundo no chão agora!- Um homem armado entrou na loja anunciando o assalto.

Eu- Aigoo ninguém merece.- Virei e encostei as costas no balcão.

***- Ei você! Eu disse no chão!- Ele disse direcionado a mim.

Eu- Lamento, minha calça é branca e eu não estou afim.- Dei de ombros.

***- Escuta aqui sua va...- Cortei ele.

Eu- Escuta aqui seu Zé droguinha!- Caminhei lentamente na sua direção o encarando olho a olho.- Eu não estou afim de sujar minha calça, se você não gostou me processa ou então usa essa arma e da um tiro bem aqui.- Peguei a mão que ele segurava a arma e deixei a boca da arma sobre meu peito.- Vai estou esperando.- O encarei profundamente.- Anda atira logo merda!

***- Moça eu ‘tô falando sério, abaixa!

Eu- Eu não vou abaixar merda nenhuma, se não gostou atira logo! Sabe o que você vai fazer? Você vai abaixar a merda dessa arma e vai sentar naquela cadeira até a polícia chegar, entendeu?

***- E quem é você para me obrigar?- Segurei o pulso dele e rapidamente o virei para trás fazendo a arma cair enquanto ele gritava de dor.- Ah! Sua vadia!

Eu- Ah não... Vadia não.- Tirei a máscara que cobria o rosto dele, o mesmo era um garoto que aparentava ter um dezesseis a dezessete anos.- Um garoto.- Suspirei.- O que te levou a fazer isso hein?

***- Não interessa! Não se mete na minha vida.

Eu- Olha garoto não sou trouxa e muito menos boba.

***- Vai para o inferno!- Revirei os olhos e forcei mais um pouco seu pulso forçando quebrar até que ele caiu de joelhos para tentar se livrar da dor.

Eu- Para onde eu vou depois que morrer eu não sei, porém não vai ser você quem vai descidi. Agora me diz por favor o que te levou a fazer isso?- Baixei ficando na altura dele.

***- Minha omma está doente, eu já estou a um bom tempo tentando conseguir dinheiro para comprar o remédio que é caro.

Eu- E a única solução que você arrumou foi roubar?

***- Eu estou a um mês tentando conseguir a grana com trabalhos nada haver, fazendo horas extras o que tem me deixado cansado, não aguento mais ouvir minha omma reclamando de dores enquanto fica deitada na maca de hospital.- Suspirei.

Eu- Ok! Então eu vou te ajudar pode ser?

***- Por que você ajudaria?

Eu- Porque eu sou legal, e também porque eu sei o quanto é difícil não ter uma mãe presente até a formação adulta de um adolescente, acredite eu tenho vinte e nove anos, porém eu queria muito que minha mãe estivesse viva.

***- O que aconteceu com ela?

Eu- Bom... Um maluco bateu no carro dos meus pais e eles infelizmente morreram, e meu irmão mais novo estava junto. O que intensificou mais meu sofrimento.

***- Que pena...

Eu- Verdade, então vai querer minha ajuda?- Ele assentiu.- Ótimo.

Polícia- Polícia!- Um policial disse apontando a arma para nós.- Você está preso!

Eu- Vamos lá, não se preocupe, eu vou fazer algumas coisas e logo vou lhe tirar daquele lugar.- Ele assentiu e o policial colocou as algemas nele em seguida saíram, peguei a pulseira da Sophia e paguei pelo reparo, voltei até a BigHit e peguei o Jimin pelo braço e o levei ele até o carro.- Depois eu explico depois.- Digo antes de qualquer coisa. Dirigir até a escola das crianças e os coloquei no carro. Por fim fui até a delegacia.- Eu já volto.

Jimin- Por que estamos na deledelegacia?- Me perguntou ao me ver saindo do carro.

Eu- Você já vai entender.- Entrei na delegacia indo direto ao balcão e retirei a queixa contra o menino.- Ei, vamos lá.- Eu disse parando na frente dele que estava com a cabeça baixa, assim que me viu levantou e me abraçou.

***- Obrigado.- Disse entre soluços.

Eu- Enfim, me diz o seu nome.

***- Jackson. E o seu?

Eu- Park ______.- Sorrir.- Vamos vou te levar até minha casa.- Eu disse puxando ele tirando-o daquele lugar. Entramos no carro e Jimin e as crianças me olharam com o cenho franzido.- Eu já vou explicar.- Digo virando a chave na ignição.

{...}

Eu- E foi isso.- Eu disse após ter contado toda a história desde o começo.

Jimin- Jagi vem cá.- Disse pegando meu braço me puxando até a sala.- Você é louca? E se ele atirasse? Você é tão maluca quanto qualquer um! E ainda por cima trás ele para nossa casa!- Disse gritando abafado.

Eu- Jimin eu não estou tão louca assim. A mãe dele está doente, eu sei o quanto é ruim perder a mãe nessa fase na vida. Vamos ajudar ele por favor, se você não quiser eu me responsabilizo totalmente por ele.

Jimin- Não sei... Ele não me passa confiança, e se ele quiser nos roubar?

Eu- Ele não vai, confio nele.- Dei um beijo na bochecha dele e voltei para a cozinha e tive uma ótima visão. Jackson e as crianças estavam brincando.

Jimin- Não gosto dele perto das crianças...- Murmurou no meu ouvido.- Sabe mesmo se a mãe dele está doente? O que ela tem?

Eu- Ainda não, ele não me falou muito.- Me aproximei rapidamente e dei um leve sorriso.

Jackson- Obrigada senhora Park. Não sei como lhe agradecer.- Ele sorriu tímido.

Jimin- Pode agradecer saindo da minha casa e para de tentar enganar a minha mulher com esse sorriso falso.

Eu- Park Jimin! Você pode por favor para com isso! Eu disse que iria ajudar ele.

Jimin- Eu não quero esse garoto na nossa casa como se fosse um convidado!- Gritou me assustando já que isso quase não acontece. Jackson tentou se levantou, porém eu coloquei a mão em seu peito impedido ele de levantar.

Eu- Ele não vai sair.- Falei firme.

Jimin- Já disse que quero ele fora da minha casa! Eu não quero esse garoto aqui, você só pode está fora do seu juízo.

Eu- Para Jimin! Eu estou bem no meu juízo, acontece que não vou deixar esse garoto perder a mãe.

Jimin- Te dou uma hora para tirar esse garoto da nossa casa!

Eu- Não é preciso, eu vou ficar em um hotel até resolver essa situação. Vem Jackson.

Jimin- Você não fazer isso mesmo. Vai deixar seus filhos por causa de um garoto qualquer?

Eu- Qualquer não! Jackson tem um grande futuro, e precisa da mãe apoiando ele.

Jackson- Tudo bem senhora Park... Eu vou embora, obrigado por tudo.

Eu- Não, você fica. Eu disse ia te ajudar e eu vou, não estou te entendo Jimin você não é assim.- Ele não falou nada apenas saiu indo ao quarto.- Desculpa por isso, Jimin não é assim.

Jackson- Tudo bem... Eu não estou mentindo, minha mãe está realmente doente. Ela está com pneumonia, tenho medo de perder ela.

Eu- Ei! Não pense assim, eu vou te ajudar no que for necessário, não precisa se preocupar.- Ele sorriu.- Porém, você tem que promete que vai continuar com os estudos.

Jackson- Prometo.

Eu- Ótimo agora me dê um abraço.- Ele me abraçou e dei um leve beijo na sua testa.


Notas Finais


Desculpa os erros


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...