História Aquela Assistente - Segunda Temporada (Imagine Park Jimin) - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Aquela Assistente, Bangtan Boys, Bts, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehung, Min Yoongi, Park Jimin
Visualizações 116
Palavras 2.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amores desculpa a demora, deixa eu falar uma coisa para vocês, lembram que na primeira temporada eu inventei uma cidade coreano onde a avó da ______ morava, então eu mudei, ela mora em Muan-gun que é uma cidade do estado de Jeolla do Sul.

Nas notas finais vou deixar um link para vocês caso queiram ver e saber mais.

Boa leitura 📖!

Capítulo 30 - Pecados?


Fanfic / Fanfiction Aquela Assistente - Segunda Temporada (Imagine Park Jimin) - Capítulo 30 - Pecados?

3 anos depois...

Três anos se passaram e correndo, atualmente estou com vinte e nove anos, quase não mudei de acordo com o Jimin, que atualmente está com trinta anos de idade e continua o mesmo de sempre, só mais bonito do que nunca logicamente.

Yuan tem seis anos e a Sophia está com três atualmente, os dois são tão sadios quanto nós dois. Sophia está uma fofura, um doce de garota, muitos que vêem ela logo acham que é mimada e fresquinha, muito pelo contrário ela é doce e gentil e o Yuan não foge muito desse padrão não, a única coisa de diferente que ele tem da Sophia é que ele é muito mais manhoso que ela.

Quando ficam doentes ambos fazem manha, porém o Yuan consegue superar até mesmo o Jimin fazendo manha, o que eu acho muito engraçado já que essa parte manhosa ele puxou do pai.

Nesses três anos tivemos acontecimentos que me fazem chorar só de lembrar, quando Sophia completou dois anos e cinco meses a Milk morreu. O veterinário achou incrível já que a expectativa de vida de um Pug é de aproximadamente de doze a quinze anos de vida, a Milk já tinha incríveis dezenove anos estava perto de completar vinte.

Meses antes de morrer ela estava abatida, quase não brincava com as crianças apenas ficava deitada em sua caminha observando as crianças brincarem correndo de um lado para o outro. Yuan foi o que mais sofreu com a morte dela já que os dois costumavam a brincar bastante.

Meses depois recebir uma ligação do meu tio dizendo que minha avó tinha tido um AVC e que queria me ver, fui o mais rápido que pude para Muan-gun e fiquei lá aproximadamente duas semanas com as crianças, Jimin não sabia porque quando isso aconteceu o mesmo estava no exército.

Infelizmente minha avó não resistiu e acabou morrendo depois de fala comigo, eu fiquei completamente sem chão quando ela se foi, passei dias chorando no quarto dela, não quis comer absolutamente nada.

Fiquei sem falar com o Jimin durante um mês por estar de luto total, aquele de fato foi o momento em que era só eu e as crianças no meu mundo, minha avó foi uma das poucas pessoas que me apoiou depois da morte da minha mãe e do meu pai, perder ela foi um choque.

No dia do velório dela eu fui a última a sair do local, toda minha alma doía naquele dia, era como se tivesse tirado um pedaço gigantesco de mim.

Jimin- Jagi?- Jimin me chamou me tirando de meus devaneios.- Tudo bem?- Indagou alisando meus braços de forma carinhosa.

Eu- Tudo sim... Só estava pensando nesses últimos três anos que se passou.- Rir sem humor.- Minha vida ficou tão fora de sentido, primeiro a Milk morreu depois minha avó. Caiu tudo como uma bomba em cima de mim sabe? Eu demorei tanto tempo até me acostumar com a ideia de que meu pais morreram e agora isso.

Jimin- Não pensa nisso.- Me abraçou.- Com toda certeza sua avó não quer que chorem por ela, jagi a noona é uma pessoa maravilhosa não importa onde ela esteja sei que está tão bem quanto a gente aqui. Pensa positivo! Nesse três anos que passaram nosso casamento foi do bom para melhor, nossos filhos cresceram com saúde e ambos os dois são tão sadios e alegres. Quer coisa melhor?- Soltei uma risada nasal, Jimin pegou a mania de chamei minha avó de noona.

Eu- Verdade... Fiquei tão presa nesses pensamento negativo que esqueci de viver o lado bom. Sabe que eu estava pensando... Que bom que voltou por inteiro para casa.- Sorrir.

Jimin- Eu voltaria de qualquer forma para seus braços. Foi difícil passar o aniversário dos nossos filhos sem poder dar um beijo neles.- Fez o seu famoso e mais amado biquinho, ele não sabe o que é perigo.- Sabe... Fiquei um bom tempo sem ter você assim tão perto, o que achar de brincamos um pouco?- Mordeu meu lábio inferior.

Eu- Só se for agora.- Falei beijando ele levemente, envolvi minhas pernas em sua cintura e ele foi caminhando até nosso quarto, em meio ao trajeto deixei chupões e mordidas no pescoço do meu marido que estava tão branquinho e sem cor.

Jimin me deitou sobre o colchão e rapidamente tirou minha blusa – ou melhor a blusa dele – e a jogou em algum lugar do quarto, seus lábios tocaram o meu pescoço de forma suave fazendo-me sentir arrepios por todo o meu corpo, arqueei minhas costas para que ele pudesse tirar o meu sutiã.

Seus lábios fisgaram meu mamilo deixando chupões, o maior passou sua língua devagar sobre o bico de meu seio me fazendo gemer o nome dele, repetiu o mesmo processo no outro seio e desceu em uma trilha até minha barriga, sentando-se sobre suas próprias pernas Jimin tirou meu short seguido da minha fina calcinha de renda preta, suas mãos seguraram em minhas coxas apertando-as com força, seus lábios voltaram a tocar minha pele beijando o interior de minha coxa até chegar na minha intimidade onde fez questão de passar a língua por toda minha vagina completamente molhada e praticamente clamando por ele e esse desejo só aumentou quando seus lábios começaram a chupar cada cantinho de minha intimidade.

Minhas unhas quase quebraram quando apertei os lençóis da cama com força, antes que eu tivesse meu ápice Jimin beijou minha barriga e voltou a dar leves beijos em meu pescoço. Tirei a blusa do maior rapidamente o mesmo fez questão de tirar a calça e a boxer que já contia um volume considerável, foi até uma gaveta do criado mudo e pegou um pacotinho vermelho em seguida voltou a ficar sobre mim.

Segurei rosto com minhas duas mãos e beijei seus lábios logo sendo correspondida, Jimin pincelou seu membro na minha entrada e logo penetrou-me, ambos os dois gemeram mas pelo fato de nossos lábios estarem unidos o som saiu abafado.

Ele começou a se movimentar dentro de mim bem devagar, nossos olhos estavam fixos um ao outro e não se desviavam por nada.

Jimin- _______.- Gemeu fechando seus olhos e jogando a cabeça para trás quando minhas unhas gravaram em suas costas e comeram a arranha-las. Sua mão apertou minha cintura fortemente me fazendo gemer mais alto ainda.

Com estocadas fundas e suaves sentir que meu ápice estava mais próximo do que eu imaginava e não demorou muito até ele me antingir o mesmo aconteceu com o Jimin que logo chegou ao seu ápice.

Seu corpo deitou sobre o meu e ficamos alguns segundos ali do jeito que estávamos, totalmente cobertos pelo suor e com as respirações ofegantes.

Jimin- Como consegue ficar tão lindo mesmo pós-sexo?- Perguntou alisando meu rosto me fazendo rir da sua pergunta sem pé nem cabeça. Levantei e caminhei até o banheiro, Jimin ficou me olhando sem entender nada.

Assim que entrei no banheiro e fechei a porta fui direto ao box e abrir o registro do chuveiro, fechei os olhos sentido a água bater em meu corpo, um tempo depois sentir braços envolverem minha cintura me abraçando.

Sorrir ao sentir uma respiração quente em meu pescoço, virei ficando de frente com o ser mais lindo da terra, pelo menos aos meus olhos, Jimin mesmo em seus trinta anos está com a mesma aparência de quando tinha vinte e dois.

Levei minha mão até seu rosto e fiz um breve carinho nele, aproximei mais nossos rostos fazendo nossas respirações se misturarem, encostei nossos lábios de forma suave e devagar.

Quase dois anos sem beijar essa boca macia e carnuda, minha mão esquerda foi até seus fios de cabelo aprofundando cada vez mais nosso beijo enquanto minha mão direita estava em suas costas arranhando elas. Lágrimas involuntárias caíram de meus olhos, Jimin separou o beijo e me olhou assustado.

Jimin- Jagi o que houve? O que você tem?- Perguntou assustado e totalmente preocupado.

Eu- Nada.- Fiz uma pausa.- É só a saudade e a emoção de ter você perto de novo.- Ele continuou me olhando sem entender nada.- Jimin... Só me beija por favor.- Pedir e ele fez.

{...}

Estávamos deitados na cama, Jimin acabou pegando no sono enquanto eu estava fazendo desenhos imaginários em seu peito.

Eu- Eu te amo tanto.- Beijei o maxilar dele.- Não sei o que eu faria sem você.- Digo analisado sua feição calma e serena.

Fechei os olhos e deixei o sono tomar conta de mim, me fazendo esquecer qualquer pensamento. Horas depois abrir meus olhos e Jimin já não estava na cama e sim no chão. Ele fazia flexões e já estava todo suado.

Eu- Obrigada senhor por ter posto um homem tão sexy, gostoso, lindo e maravilhoso assim na minha vida.- Ironizei agradecendo tendo atenção do maior, fiquei na beirada da cama vendo ele se exercitar.

Jimin- Que bom que acordou.- Sorriu, me levantei e fui até o banheiro e escovei meu dentes, quando voltei Jimin ainda estava fazendo flexões.- Jagi vem cá.- Fui até ele que puxou minha perna me fazendo ficar na mesma altura que ele.- Deita aí.- Apontou para o chão, olhei para ele desconfiada porém logo deitei, Jimin ficou por cima de mim e começou a fazer flexões.

Eu- Não entendi Jimin.- Falei rindo vendo ele subir e descer.

Jimin- Bom... Preciso de um estímulo para fazer exercícios.- Sorriu e a cada vez que descia deixava um selinho em minha boca.

Quinze minutos depois ele terminou de fazer suas flexões e foi tomar um banho, coloquie um short e uma blusa qualquer e fui até o quarto das crianças que por sinal já estavam acordadas e nem nos seus quartos estavam mais.

Eu- Ah estão aqui não é?- Perguntei descendo as escadas e vendo os dois assistindo a um desenho animado na televisão.- Vamos lá se arrumar, daqui a pouco vocês tem que ir para a escola.- Peguei a Sophia no colo e fui para o andar de cima e dei um banho nela e coloquei seu uniforme.

Arrumei seu cabelo e por fim coloquei um turbante infantil que uma fã dos meninos deu a ela. Passei no quarto do Yuan e eles já estava pronto, faltava apenas seu cabelo. Como eles ainda não viram o pai vamos fazer um surpresa para os dois.

Eu- Eu tenho uma surpresa para vocês.- Digo colocando a Sophia na cadeirinha dela.

Yuan- É foguete?- Indagou depois de dar um gole no seu suco. É temos um pequeno astronauta aqui em casa.

Eu- Não, não é um foguete.

Sophia- É um cachorrinho?- E uma pequena veterinária também.

Eu- Nem um cachorrinho. Fechem os olhos e não vale espiar.- Falei e os dois colocaram as mãos nos olhos, levantei e fui chamar Jimin que estava no quarto.- Podem abrir.- Os dois tiram as mãos de seus olhos.

Sophia e Yuan- Appa!- Gritaram juntos ao ver seu pai.

Jimin- Meu bebês!- Jimin foi abraçar os dois.- Estão bem?- Eles assentiram.- Cuidou bem da sua omma enquanto eu estava fora?

Yuan- Sim!

Jimin- E você pequena como está?

Sophia- Bem appa, você nem veio para meu aniversário.- Fez biquinho.

Jimin- Desculpa princesa, porém eu lhe mandei um presente, você gostou?

Sophia- Sim! Ficou muito buito no meu cabelo.- Ela se refere ao laço que Jimin deu.

Jimin- Que bom! Agora tomem seu café para poder ir a escola.

Tomamos café juntos e as crianças contaram ao Jimin o que aconteceu durante esses tempo em que ele estava fora, quando terminei fui tomar um banho e por uma roupa apropriada para meu trabalho.

Deixamos as crianças na escola e seguimos até a BigHit, os meninos ficaram felizes ao ver o Jimin lá. Foi uma surpresa para todos nós, já que ele havia dito que só sairia da base militar no final do mês, mas nem deu data ou coisa do tipo.

Ele pegou todos nós de surpresa menos ao Bang, pois tudo foi esquematizado com ele.

Na sala de reuniões enquanto arrumava a agenda dos meninos para esse mês recebi um e-mail, abri para ver o que era e me surpreendi ao ler aquilo.

“Pronta para pagar pelos pecados do seu marido?”

Um recado anônimo não tinha como eu sequer rastrear, fitei aquele e-mail por longos minutos analisando cada palavra que estava ali, só pode ser a Snow e se não for ela eu não sei quem pode ser.

Apaguei aquele e-mail rapidamente e voltei a me concentrar, meu batimentos cardíacos estavam descontrolados e comecei a suar frio.

PD Bang- _______?- Me assustei ao ouvir ele me chamar.- Tudo bem?

Eu- Han? Sim! Está tudo ótimo.- Tentei disfarçar meu nervosismo.- Eu... Tenho que termina de arrumar a agenda dos meninos.- Eu disse voltando a fazer o que meu trabalho no computador.

PD Bang- Ok! Bom trabalho.

Ele saiu e eu fiquei naquela sala sozinha apenas eu e os meus pensamentos, impossível ignorar o fato de que aquela louca está a solta, e que pecados são esses que ela está falando? 


Notas Finais


Desculpa os erros!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...