1. Spirit Fanfics >
  2. Aquela do político - Icha Icha >
  3. Aquela do político

História Aquela do político - Icha Icha - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bom, pra quem acompanhava o falecido "Icha Icha project" aqui no Spirit, ele foi excluído por ser uma coletânea, esse é um imagine postado na plataforma do wattpad nessa mesma obra e decidi trazer ele pra cá! Aproveitem!

Capítulo 1 - Aquela do político


- Então, pode reagendar minhas reuniões para semana que vem, vou me dar folga essa semana. - Shikamaru deu de ombros assinando a linha pontilhada do documento onde sua secretária, Anko, segurava a prancheta para o mesmo.

- Mas senhor, você já se deu folga semana passada... - A mulher rebateu tomando de volta a prancheta com o documento observando o rolar de olhos do homem que usava um terno bem alinhado prestes a pegar um cigarro no bolso. - Não pode fumar dentro do prédio, senhor.

- Que saco... - Soltou o ar balançando a mão enquanto deixava a coitada da secretária surtando pela milésima vez naquele dia, sua preguiça se tornava sua maior fraqueza no ramo político e enchia a moça de reclamações pelas reuniões adiadas. Shikamaru saiu do grande prédio político com seus dois seguranças a tiracolo, desceu as escadas de mármore observando o ir e vir das pessoas enquanto retirava um cigarro do bolso.

Dançou o pequeno rolo nos dedos fitando atentamente o objeto branco, colocou entre os dedos o levando até a boca, prendendo ali ao mesmo passo que pegava o isqueiro velho dado por seu falecido padrinho acendendo com um trago naquele veneno. Sentiu o alívio da nicotina no seu cérebro cansado de tanta informação, precisava espairecer e ele sabia onde.

Encostou no carro sendo acompanhado pelos seus seguranças mais ao longe, afim lhe dar um pouco de privacidade, terminando aquele cigarro que já estava em menos da metade.

Passando as notificações sem importância na tela no smartphone, ele desviou sua atenção para as nuvens observando o seu flutuar pelo o céu azul, queria ser uma delas, com certeza a vida seria mais fácil. Jogou a bituca voltando o seu olhar para o aparelho procurando o número que sabia bem, estavam brigados, mas ele queria vê-la a todo custo - mesmo que tivesse que engolir o seu orgulho - aquela de um partido oposto ao seu.

Conhecera S/n na política quando se candidatou, ela era de um partido opositor sempre trocando farpas com o Nara, depois de uma reunião havendo uma troca calorosa de insultos e excesso de saquê, os dois ficaram pela primeira vez. Mas agora Shikamaru se via em um impasse, ela estava possessa com ele depois de saber que o mesmo havia entrado em reunião com o prefeito escondendo dela aqui pois a mesma também teria a mesma reunião, era uma questão política de obras que seriam construídas e claro, mais crédito para o partido de quem conseguisse.

- Que saco. - Jogou a bituca no chão pisando em cima, indicou que iria partir abrindo a porta do conversível entrando ali acompanhado dos seguranças onde um deles seguia como motorista e o outro sentado na frente. Jogou a cabeça para trás se acomodando no banco, respirou fundo fechando os olhos, demoraria até chegarem a casa de S/n onde ele iria aproveitar para dormir.

A viagem seguiu tranquila passando pelas avenidas lotadas do centro da cidade, passaram pela área urbana e seguiram para o subúrbio onde haviam casas familiares com crianças brincando na rua e casais passeando com seus cachorros, até finalmente chegarem a parte mais afastada com casas luxuosas situadas longe uma das outras, em um toque intimista. O carro parou em frente a uma casa projetada bem aberta, os vidros mostrava boa parte das coisas dali de dentro, inclusive S/n trajada em um roupão de seda aberto mostrando a lingerie preta, com uma taça de vinho na mão observando a paisagem.

- Podem ir. - Falou ao descer do carro, liberando seus seguranças dali, mesmo que o local fosse intimista ele não queria seus seguranças presenciando os gritos que iriam se seguir - e talvez - objetos que seriam jogados contra ele. S/n podia ser extremamente cabeça quente as vezes e um pouco bitolada da cabeça.

Shikamaru soltou o ar com força buscando um cigarro nos bolsos do terno e colocou um dos rolos entre os lábios ainda observando a grande casa ali, S/n ainda se encontrava concentrada em uma paisagem ao longe bebericando do conteúdo, a imagem era simplesmente bela demais para ele, que levou o isqueiro acendendo a ponta. Puxou o ar sentindo a nicotina lhe relaxar mais uma vez enquanto apertava o botão da campainha, pôs uma mão no bolso enquanto a outra punha a bituca entre os dedos.

Alguns segundos depois ela apareceu ali, abrindo a porta se encostando no batente com os braços cruzados o observando, tinha deixado o roupão aberto mesmo exibindo as belas curvas em que o Nara desviou o olhar traçando cada caminho dali.

- O que você quer, Nara? - Ela terminou de sover o conteúdo da taça em uma vez só, ele levantou uma sobrancelha a fitando com intensidade.

- Bebendo a essa hora? - Questionou puxando um trago e soltando a fumaça, a mulher revirou os olhos pondo um sorriso frouxo no rosto com uma face convencida.

- Você parece uma chaminé ambulante o dia todo e ninguém fala nada. - Rebateu dando um passo para trás pegando na maçaneta da porta prestes a fechar. - Se me dar licença, estou ocupada e não preciso de sermões hipócritas.

- S/n... você sabe que eu não vim para brigar. - Falou segurando a porta, ela deu um suspiro longo e deu passagem com o braço direito mostrando o cômodo bem projetado por dentro, a luz natural entrava ali deixando tudo ainda mais claro com os estofados em tons creme e o piso de madeira rústico. - Eu sei que você tá com raiva.

- Raiva...? - Ela riu sem humor nenhum pondo a taça na mesinha do centro fechando o roupão rapidamente como se fosse uma forma de proteção. - Isso é o mínimo para descrever como eu me sinto nesse momento, eu tô me sentindo traída! Tínhamos um acordo seu maldito!

Ela gritou a última parte, aquilo era previsível para o Nara que apenas a ouvia sem contrariar, a mão no bolso em uma pose descontraída terminando de fumar o cigarro, S/n se irritou ainda mais com aquela atitude do Nara e pegou uma pequena escultura de vidro, jogando na direção dele, objeto que caiu no chão fazendo um estrondo.

- E eu segui o acordo. - Ele deu de ombros puxando o último trago, deu um passo para a frente pondo a bituca dentro da taça sem se importar, se aproximando ainda mais de S/n. - Você pode, por favor, me ouvir?

- Ouvir um traidor? Usou da informação que eu te dei, confiando em você... - Ela aumentou o tom de voz com a raiva emanando de si -... logo depois de foder, Shikamaru!

- Você pode, por favor, me ouvir? - Ele pediu mais uma vez em um tom calmo, as mãos estavam baixas indicando que queria apenas conversar, S/n cruzou os braços e desviou o olhar, ele passou a língua nos lábios ressecados prestes a começar a falar. - Eu não fui para conversar sobre aquele projeto.

- Foi foder com o prefeito então? Você é bom nisso. - Falou entredentes batendo o pé com raiva, o moreno sorriu ladino convencido, S/n percebeu o que tinha dito. - Não estou falando nesse sentido, idiota.

- Não. - Shikamaru revirou os olhos se aproximando agora com as mãos nos bolsos afastando o terno deixando sua gravata preta bem exposta. - Eu fui para terminar meu mandato.

- Nem fodendo. - Ela rebateu de supetão, o Nara deu de ombros fazendo uma linha baixa com a boca, S/n Levantou uma sobrancelha surpresa. - Tá falando sério? Porque?

- É um saco lidar com política e meu melhor amigo precisa de mim como conselheiro. - Deu de ombros desinteressado. - Você sabe que Naruto precisa de mim, e agora, nós dois não precisamos mais esconder isso aqui...

- Nós? - Ela levantou as duas sobrancelhas sorrindo ladina se aproximando, agarrou na gravata do Nara alisando o tecido com o indicador em um gesto sensual. - Então quer dizer que você não é um traidor de merda?

- Você sabe que eu tenho preguiça até de fazer isso. - S/n riu melodiosamente o puxando de encontro a si, Shikamaru aproximou seus lábios com os dela, roçando de forma provocativa enquanto desfazia o nó do roupão. - A única coisa que eu não tenho preguiça...

- O que seria, Nara? - A mulher sussurrou com uma sobrancelha levantada e olhar sensual para o homem que abriu seu roupão a fazendo exibir a lingerie de renda, S/n usava uma cinta liga preta da mesma cor da peça com uma meia 7/8 escura compondo a forma sexy com que ela se vestia.

- Te foder. - Piscou sentindo os dígitos de S/n passar por sua bochecha deslizando até seu cavanhaque, Shikamaru deslizou suas mãos com as luvas negras pela cintura da mulher que mordeu o lábio inferior afundando seus dedos na pele macia da segunda. - Você está sexy pra caralho.

- Posso te contar um segredo? - Ela falou baixinho no ouvido do Nara que agora descia as mãos para a bunda carnuda, S/n mordeu o lóbulo da orelha dele deslizando a língua pela linha do pescoço do Nara o fazendo arrepiar, principalmente com a voz sexy que ela fazia. - Eu sabia que você ia vir.

- Por isso a lingerie, não consegui prever isso. - Ele afundou seus dedos na carne de S/n apertando suas bandas a fazendo arfar, desceu beijos pelo o pescoço livre da mulher a fazer arfar. - Aliás, você é uma das poucas pessoas a quem não consigo saber o que pensa.

- Que bom... - Ela quase gemeu a última palavras sentindo os dedos de Shikamaru acariciar sua intimidade escondida pela calcinha, Shikamaru se afastou dali retirando as luvas ao mesmo passo que S/N retirava sua primeira veste revelando completamente o aparato sensual que ela vestia. - Pois gosto de ser imprevisível.

Ele se sentou no sofá a recebendo em seu colo, S/n pôs uma perna em cada lado do corpo do homem se encaixando em cima do membro encoberto pela calça, Shikamaru desceu beijos pela clavícula nua dela enquanto a mesma sentia o choque daqueles gestos em seu corpo agarrando na cabeça de Shikamaru e acariciando seus cabelos castanhos presos. Ela rebolou em resposta as provocações e o mais velho sorriu ladino descendo suas mãos até as ancas a empurrando contra sua intimidade no passo em que olhava para S/n que tinha as mãos agarradas no sofá atrás dele, ela tomou os lábios do Nara em um beijo sedento, Shikamaru afundou seus dedos nos seus cabelos a beijando com volúpia, suas línguas entrelaçavam com prazer indicando os próximos passos daquela perigosa aproximação.

S/n afrouxou a gravata dele retirando a peça, Shikamaru sorriu desfazendo o nó com a peça em mãos ao mesmo tempo em que ela trabalhava em beijar o seu pescoço, com a peça desfeita esse foi o aval perfeito para a mulher ficar em pé colocando as mãos para trás juntando os pulsos, a bunda empinando dando um delicioso vislumbre para Shikamaru que se pôs a trabalhar em um nó, prendendo os pulsos de S/n.

- Você foi uma garota má, S/n. - Ele se levantou proclamando tais palavras com a voz rouca, retirou o paletó jogando em uma poltrona ao lado do sofá enquanto desfazia os primeiros botões da camisa social. Ele fez tudo silenciosamente observando S/n o olhar por sobre os ombros, terminou abrindo as abotoaduras dos pulsos e subindo as mangas até o cotovelo. - E por isso, eu tenho que lhe punir.

- Sim, senhor. - Ela falou de forma audível, sentia sua intimidade pulsar de excitação com o que se seguiria e ela conhecia muito bem aquele lado dominador do Nara, que estava prestes a se revelar. - Me puna, como preferir.

- Ah, eu vou. - Ele deu um riso anasalado abrindo a fivela do cinto se desfazendo a peça, concentrado, havia um brilho diferente em seus olhos escuros. - Se ajoelhe, no sofá.

- Sim, senhor. - Ela falou se virando em direção ao estofado, pôs os joelhos em cima dali virada para o encosto pondo a cabeça e tinha os braços presos para trás, Shikamaru passou o cinto pela extensão da sua pele causando arrepios em S/n e quando ele parou em um lado da bunda da garota, ela sabia o que iria aconteceu contendo o impulso de esfregar as coxas em excitação. Shikamaru elevou o braço em uma pequena distância e depois desceu, desferindo um golpe firme na bunda de S/n a fazendo ir para frente e gemer com aquela dor que lhe causava espasmos de prazer. - Oh!

- Calada. - Falou acariciando com a mão o lugar onde estava a marca, sorriu com a vermelhidão ali se afastando e fazendo o mesmo trajeto, porém, na outra nádega. Desferiu outro golpe a fazendo gemer sofrêga, ela molhou os lábios com a língua em provocação, ele sorriu ladino dobrando o sofá e se a frente dela, que tinha a boca rosada aberta, ofegante. - Gosta de usar a boca?

Acariciou o lábio inferior dela com o dedo a observando rendida, ele sorriu ladino se abaixando para ficar no mesmo nível que ela e mordeu esse lábio puxando a carne.

- Pois essa boquinha vai ser usada no meu pau. - Ele sussurrou acariciando seus narizes, S/n Sorriu ladina o vendo se levantar e abrir a braguilha da calça, ela suspirou fundo quando viu o membro do mais velho duro e pulsante, as veias saltadas devido a excitação. - Você quer?

- Sim, senhor. - Acenou com a cabeça em positivo e ele pôs seu pau contra a bochecha da mulher, ela chupou com gosto, os movimentos controlados pelo Nara que agarrava os cabelos de S/n indo e voltando, compassadamente. Ele fechou os olhos se inclinando para frente, o abdômen contraído deixando os músculos ainda mais aparentes, gemeu sentindo o orgasmo mais perto de chegar e parou subitamente.

- Eu vou gozar dentro de você. - Ele falou observando S/n com os cabelos selvagens, ela continuou na mesma posição enquanto ele voltava para o outro lado do sofá se sentando ali.- Vem cá.

S/n se posicionou entre as pernas do Nara, mas ele se afundou no sofá ficando na mesma altura que a boceta dela lhe dando uma visão ampla da intimidade encoberta pela calcinha de renda, Shikamaru salivou com a visão e deu uma longa lambida por cima a fazendo gemer com a provocação. Aquela posição era um pouco incomoda para o Nara, mas ele estava pouco se fodendo quando desceu mais se sentando no chão e ela afundava no estofado sentindo os dentes dele arranharem sua intimidade por cima da calcinha. Shikamaru arrancou a peça em um puxão ouvido o rasgar do tecido junto com o gemido de aprovação que S/n deu, ele passou a língua pelos pequenos lábios subindo até o ponto inchado, S/n tinha o rosto no encosto do sofá novamente gemendo com a cabeça do Nara entre suas pernas e ele a chupando com gula.

S/n sentiu espasmos percorrer em seu corpo e suas mãos estavam presas sem poder descontar o que sentia, gemeu alto tremendo os joelhos enquanto seu mel escorria pela sua intimidade sendo engolido por Shikamaru que continuava trabalhando no seu clitóris fazendo o orgasmo ser ainda mais intenso.

O Nara se levantou a vendo com a respiração desregulada encostada no sofá e de mãos atadas, ele sorriu com a visão das suas bochechas rosadas e a boca entreaberta pela excitação, agarrou no vão entre os pulsos puxando o tecido da gravata, e com isso, o corpo dela encostou no seu tronco parcialmente nu e suado do esforço. Ela encostou a cabeça no pescoço dele, o suor faziam com que fios ficassem grudados na sua testa, sentiu o membro do Nara pincelar sua intimidade encharcada devido o gozo recente, ele subiu a mão livre pelo o corpo da mulher passando por seus traços até chegas nos seios encobertos pelo o sutiã, com uma impressionante habilidade ele conseguiu desfazer o trinco com os dedos. Agarrou uma das taças com uma mão, massageando a carne e maltratando o bico com apertões que faziam S/n morder o lábio inferior de prazer, com a outra agarrou o membro pela base e pressionou fazendo com que ele a invadisse com facilidade, a preenchendo e a fazendo se contorcer de prazer.

Shikamaru começou a estocar subindo a mão até o pescoço de S/n, pôs o polegar entre os lábios rosados que estavam revirados de prazer onde a mesma chupou olhando para cima, o Nara se afastou tentando desfazer o nó da gravata que estava nos pulsos com uma das mãos e falhando miseravelmente pois não conseguia raciocinar com S/n chupando seu dedo com volúpia, ela se inclinou novamente sobre o sofá empinando a bunda, o Nara agarrou nas ancas afundando seus dedos ali enquanto a mesma gemia de prazer. Ele parou por alguns segundos se concentrando em desfazer o nó e dessa vez tendo sucesso, liberando os pulsos da mulher que agarrou no encosto do sofá agora ficando de quatro bem exposta para o moreno.

Ele saiu de dentro dela, sentando no sofá já sentindo as coxas arderem pelo o esforço, ela pôs cada um dos joelhos nos lados de Shikamaru e deslizou sendo empalada pelo o pau do Nara, começou a cavalgar em movimentos cadenciados onde ele tinha as mãos agarradas nas bandas dela e atacava um dos seios beijando e chupando os bicos eriçados. Seus corpos estavam em combustão, o prazer era irreal nos seus corpos suados, ela arranhava as costas do morena enquanto o mesmo deixava chupões pelo o vão dos seios de S/n.

- Goza pra mim, vai... - Shikamaru ordenou rouco no ouvido de S/n que se derramou sentindo os jatos do prazer do Nara dentro de si, a excitação dos dois desciam pelas coxas de S/n e de afundaram no sofá completamente exaustos e ofegantes.

O coração tamborilava violento em seu peito, os dois tentavam se recuperar ainda imóveis após a foda sem precedentes.

- Puta que pariu. - Shikamaru falou, S/n acenou em positivo rindo baixo, achando que ele estava se referindo a foda recém terminada. - Eu amassei os meus cigarros.

Com uma revirada de olhos S/n bufou, saindo de cima do Nara se jogando no sofá ao seu lado, tombou a cabeça em direção do moreno estreitando os olhos.

- Filho da mãe.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...