1. Spirit Fanfics >
  2. Aquela estranha e apaixonante plebéia >
  3. Capítulo 12

História Aquela estranha e apaixonante plebéia - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, amores...

Primeiro quero desejar que todos vocês tenham um bom dia, que se protejam contra esse vírus, lavem as mãos e tentem se divertir nessa quarentena maluca que estamos fazendo.
Vou me esforçar ao máximo para dar à vocês novas atualizações nesse período para nós possamos ter uma distração, certo?🤭

Espero que gostem do capítulo de hoje, ainda não é com a narração da Rachel. Calmem, sei que muitos me cobram para saber que fim vai levar essa história dela com o Gar, mas eu garanto que logo vocês saberão. Sem contar que existem outros personagens para serem desenvolvidos, porém, nesse momento, eu preciso desenvolver esse casal, porque grandes coisas virão para acontecer com eles.... PREPAREM O CORAÇÃO!!!
Queria dizer que planejei uma música para o nosso casal, recomendo que escutem "Um anjo me falar" da Rouge, garanto que combina perfeitamente com eles.😍😍😍

No mais, desejo uma Boa leitura a todos 💕

Capítulo 13 - Capítulo 12


Desde que decidi conquistar Kory, minha vida tem tomado um novo rumo e agora vejo um significado para viver. Em pouco tempo apaixonei-me perdidamente por aquela tão estranha plebéia. Todos os dias nos encontramos e passamos horas pelo meu jardim conversando sobre tudo, este é o momento mais alegre do meu dia. Finalmente sinto que posso amar e ser amado por alguém.

Zatanna esqueceu-se de vez que eu existia, já não procurava por mim e eu também não. É claro que ainda tínhamos aquela mesma relação fria de antes e não foi por falta de tentativas. Por diversas noite chamei-a para jantar comigo, sempre recebendo aquele tratamento de gelo, as vezes penso que ela nunca me amou e que nosso casamento é a mais pura farsa. Porém, ainda a respeito e muito, minha mãe sempre dizia que mulher nenhuma deve ser desrespeitada, mesmo que ela te odeie profundamente.

Bruce encantou-se com Kory, via nela uma verdadeira dama, além de impressionar-se com sua inteligência e conhecimento. Segundo ele, nunca viu nenhuma mulher lendo documentos de guerra ou poemas gregos na vida, nem mesmo minha mãe, a rainha. Ainda lembro de nossa última conversa sobre Kory.

- Deveria investir mais nessa mocinha, vejo nos olhos dela que está apaixonada pelo senhor - falou Bruce.

- Acha mesmo? Do jeito que estou é até baixaria dizer tal coisa. Se ela declarar seu amor por mim, juro que caso com ela no mesmo minuto - brinquei.

- Pois deveria, essa sim tem postura de rainha e de líder de casa. Tenho certeza que se Kory liderasse o reino ao teu lado, seríamos o maior reino que a terra já conheceu - orgulhou-se de dizer.

- E por que pensa isso, Bruce?- perguntei.

- Em primeiro lugar, ela é sincera e uma pessoa de fácil compreensão, frente ao povo e os líderes, suas ideias seriam as mais claras possíveis. É de um carisma gigantesco, o que amoleceria o coração das pessoas. Trata tudo com muita doçura e leveza, não a vi sendo rude com menor dos empregados, respeita o cozinheiro dá mesmo forma como respeita o senhor Meu rei. Sem contar, é claro, de sua estonteante beleza, nunca vi nada igual - elogiou. - E como poderia esquecer? Ela gosta de verdade do senhor.

Após aquilo, passei a vê-la de outra forma, não apenas pela beleza exterior e sim pela interior. Observava-a com mais precisão e via como ela agia diante as pessoas. Era um pessoa totalmente clara e singular, tratava a todos de maneira igual, sem distinção de cor, sexo ou posição social. Existem muitos nobres por aí que não tem sangue nobre, mas o dela era, com certeza.


Já haviam passado uns dias que eu e Kory estavam enamorados um do outro, entretanto, ela ainda não havia declarado seu amor e eu achei por bem esperar seu momento, respeitando-o sempre. Contudo, tinha em mente que precisava gerar logo um filho, a qualquer momento a guerra contra as outras nações iria iniciar e eu poderia morrer na batalha sem herdeiros.

Bruce a todo momento lembrava-me disso e eu sempre pedia-lhe tempo. Porém, tempo era algo que eu realmente não tinha. Esse assunto já estava me estressando muito, porque se não bastasse este, outros mais atormentavam minha mente. Inclusão, meu saudoso sogro também estava a pressionar-me de forma demasiada. Acreditem ou não, ele vinha pedindo a morte de um povo que eu nem sequer sabia da existência, um tal de tamaraninanos e todos os dias -em todas as reuniões- Zatann vinha com este mesmo assunto e Bruce sempre debatia com ele, era uma briga insuportável todos os dias. Embora eu não tivesse a política de matar os povos pacíficos do meu reino, Zatann incomodava demais e eu apenas queria fazer-lo parar.

Eu estava uma pilha naquele dia, estressado até o pescoço, não queria ver uma alma viva sequer. Já não aguentava mais cobranças, pedidos para matança de povos, pedido de filhos e a guerra que estouraria a qualquer momento, ainda tenho que receber a furiosa visita da minha esposa Zatanna.

- Então é isso? Você se enamora de uma moça qualquer e esquece da minha existência?- grita Zatanna, entrando em meus aposentos quebrando tudo.

- O que foi agora, hein?- gritei também. - Você nunca me amou e agora quer exigir? Quando te falei dessa porcaria de lei você disse que eu poderia a fazer e que só não poderia tirar sua coroa, certo? Pois então, não tirei, é sua!

- Eu sempre te amei, Dick, demais!- falou.

Eu passava as mãos por meus cabelos nervoso e ela para aproveitar-se da situação, veio com delicadezas beijando meu pescoço e tentando seduzir-me.

- Zatanna, sai daqui - pedi.

- Não...-me olhou pidona.- Eu estou com saudade de você, de te sentir, de ter seu calor em mim...

Afastei-a.

- Tudo bem, se você não saí, saío eu - saí de lá, deixando-a furiosa.

Minha cabeça estava péssima para aguentar Zatanna naquele momento, aliás para aguentar ninguém. Resolvi caminhar pelo jardim, quem sabe tentar relaxar e sentir que meus pais estavam ali comigo, aquele lugar era meu refúgio de todos dias, horas e minutos.

- Eu estou tão perdido, mãe...- choraminguei, parando em um banquinho que tinha lá.

- Gostaria de um abraço?- uma voz doce falou.

Virei-me para procurar a dona da voz e logo avistei Kory.

- Não consegui dormir e vim aqui tentar dar uma acalmada. Vejo que meu rei está tenso também...- sorriu.

Corri para abraçar aquele anjo que me foi enviado. Chorei como uma criança em seus braços, já estava cansado de tudo e não tinha um braço para chorar por toda a noite. Mas agora, finalmente, eu consegui encontrar.

- Eu estou cansado, Kory. Me sinto só e cheio de cobranças...

Ela rompeu o abraço e me olhou no fundo dos olhos, eu amava aquele olhar.

- O senhor tem a mim. E... Há alguns dias, tento planejar como te dar essa notícia - falou, um pouco temerosa.

- Pois diga, minha amada Kory - eu estava ficando ansioso.

- Desde que cheguei em teu palácio, meu desejo sempre foi sair e viver minha vida. Mas aos pouco, pude conhecer as pessoas daqui e também o senhor, que é um homem diferenciado de todos os outros, tanto que aceitou o desafio de ter meu coração - eu já estava aflito pelo que viria.- Mas depois de te conhecer melhor e conhecer aquilo que eu nunca desejei, pensar em um homem todas as noites antes de dormir. Venho pedir que pare com suas investidas, porque o meu coração já é teu, Meu rei.

Vendo ali, declarar-se sob a luz da lua, percebi que toda minha tensão foi para o espeço e a simples frase "meu coração já é teu", fez-me voar pelas alturas.

- Isso é verdade, Kory?- sorri.

- A mais pura verdade. O senhor conquistou meu coração e ele é teu, apenas teu - declarou.

Abracei-a com toda minha força. Eu já não aguentava mais.

- Já que ele é meu, eu poderia ter a honra de te beijar?- perguntei, ansioso pela resposta.

- Tenho desejado isso há dias...- sorriu.

- Ah, Kory..

Sem pensar duas vezes, grudei em sua fina cintura e a puxei para perto de mim. Quando finalmente beijei sua boca, senti o mais doce dos sabores, o mais doce amor que poderia ter. Ao beijar Kory, pude enfim entender o que é beijar alguém que corresponde o seu sentimento. E sabe, foi ainda melhor do que imaginei.

Quando separamos do beijo, Kory aconchegou-se em meus braços e eu senti-me o homem mais feliz da terra.

- Quero que case comigo o mais rápido possível. Eu te amo tanto que chega a doer em mim - brinquei.

- Pois por mim, caso com o senhor até se for amanhã. Eu aceito sim, me casar com o senhor Meu rei!

Não aguentei de alegria e mais uma vez, a beijei. Passamos a noite ali, trocando carícias e juras de amor, até não aguentarmos e dormirmos ali, no mesmo lugar onde recordo de ver meus pais todas as noites.





Notas Finais


oowwwwnt😍😍😍
FINALMENTE!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...