1. Spirit Fanfics >
  2. Aquela pessoa. >
  3. Instantes.

História Aquela pessoa. - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Oi lindezinhas 😍😍😍
Como vocês estão?🤔🤔🤔
Segundou sim ou claro que não???
Mais um capitulo fresquinho para os melhores leitores e (as).💟💟💟💟💟💟💟
Espero que gostem, qualquer coisa é só falar ok?🤔🤔
Spoliers: havia uma ligação forte entre nós...
💖💖💖💖

Capítulo 12 - Instantes.


POR Ana Luiza.

Eu peguei meu carro eu fui em direção a fazenda Terra prometida, na minha cabeça precisava colocar no GPS do carro visto que estava escuro e há muito tempo que não vou para aqueles lados, mas eu sabia exatamente o caminho até lá e o um sentimento de estranheza me invadiu; como se eu pertencesse aquela direção em que meu coração me guiava. Não demorou nem vinte minutos e eu estava entrando na fazenda e de longe se via as luzes acesas e poucas pessoas do lado de fora; eu estacionei meu carro pensando que eu ia entrar cumprimentar as pessoas entregar a naninha e voltar para casa eu repetia os passos da missão na minha mente e não tinha como falhar até claro eu descer do carro e não sentir forças em minhas pernas para continuar o que vim fazer. Respirei fundo tantas vezes na tentativa inútil de me acalmar, o que eu não entendia era porquê de estar tão nervosa já fazia tanto tempo que deixei de fazer parte dessa família...talvez seja isso nosso plano era sermos apenas um só e hoje somos duas estradas que partem de um mesmo lugar.

Com o coração pulando na garganta eu caminhei a passos lentos até a casa e logo de cara o senhor Edson me viu e seu olhar foi de surpresa e saudade e antes que eu pudesse dizer alguma coisa ele me envolveu em seus braços dizendo que tinha sentindo minha falta e foi um trabalho gigante esconder as lagrimas que eu queria chorar; eu olhei aquele senhor a minha frente e tantas foram as lembranças que uma lagrima atrevida escorreu e no mesmo instante ele limpou sorrindo dizendo que aquele era um momento para comemorar e não de chorar e eu me perguntava o que devemos comemorar? Eu não faço mais parte dessa casa, da vida dessas pessoas a quase dois anos e ele em momento algum me tratou com indiferença muito pelo contrário gritou a dona Maria que apareceu ali segurando o celular na mão e quando me viu veio me abraçar dizendo que eu fiz falta. E quer saber o também senti saudades deles, dessa casa, do acolhimento que recebi aqui desde o meu primeiro dia; estava sentindo tantas coisas que o ar ficou preso em meus pulmões e cheguei a achar que não aguentaria tanta emoção.

_Meu amor olha como você ta linda. –Segurei em suas mãos olhando tudo nela. _Já faz tanto tempo desde que te vi, desculpa por aquele dia...

_Não se preocupe dona Maria, não devemos chorar pelo que aconteceu. Eu senti tanta falta da senhora, dos seus carinhos... -Ok eu já estava chorando feito filho sem mãe. A dona Maria sempre foi bem que minha sogra ele cuidava de mim como só uma mãe seria capaz mesmo naquele dia fatídico ela ficou do meu lado e antes de ir viajar ela foi a última pessoa com quem falei...

 

FLASHBACK ON.

Estava decidida que o melhor era reconstruir minha vida em outro lado, onde nada me lembraria o Henrique e tudo que vivemos então vou rodar o mundo e só voltarei quando tudo que sinto por ele for apenas uma lembrança boa de um tempo longínquo. Eu decidi que não queria me despedir das pessoas que faziam parte da minha vida seria doloroso demais ter que explicar o motivo da minha mudança só contei mesmo para a Vitória e a vó Lia que estava indo viajar sem data para voltar. Meu voo seria no final da tarde e fiquei ali no meu apartamento sentada no chão olhando cada um dos presentes que havia ganho do meu cantor, as fotos de momentos especiais e a primeira roupinha que ele comprou para nosso filho e as lagrimas caiam feito cachoeira e naquele momento eu não queria segura-las queria colocar tudo que sentia para fora e por estar sozinha sei que não seria julgada. Com o tempo os minutos se tornaram horas e eu estática no mesmo lugar pensando se a minha decisão era a coisa certa a se fazer e por mais que eu pensasse não conseguia chegar a nenhuma conclusão e num ato de desespero eu liguei para o Henrique, não disse uma só palavra ficamos apenas escutando a respiração um do outro martirizando nossos corações e deixando a ferida bem mais exposta. Assim que a ligação caiu eu não sabia mais o que estava sentindo sabia apenas chorar e quando menos esperava a companhia tocou e a última coisa que queria nesse momento era receber visita, mas mesmo assim sequei as lagrimas -não que a cara inchada e os olhos vermelhos não entregasse meu verdadeiro estado de espirito – e abri a porta dando de cara com a dona Maria e bastou vê-la que as minhas lagrimas voltaram com força total e sem pensar ela me envolveu em seus braços me levando para dentro de casa.

_Analu eu sinto muito que a coisa entre vocês tenha cegado a esse ponto... –A minha frente estava uma menina frágil e muito machucada com tudo que aconteceu. _Sei que nada do que eu falar vai amenizar o que está sentindo, mas estou aqui se precisar...oh meu amor pode chorar coloca tudo para fora vai te fazer bem. –Os soluços da Ana Luiza eram altos e dolorosos de se escutar e mesmo sem querer deixei uma lagrimas rolarem por minha face.

_Porque as coisas tem que ser assim? O nosso amor merecia mais...

_Meu amor encare isso como apenas um desvio do caminho, mas que lá na frente vocês irão se encontrar e quem sabe reviver esse sentimento. Vocês dois são versões diferentes da mesma história e eu acho uma linda história.

...

A dona Maria ficou comigo ali até meu avô chegar, me ajudou a organizar as coisas espalhadas pela sala, me aconselhou a nunca desistir mesmo que agora as coisas pareçam impossíveis e principalmente disse que sempre estaria ao lado. O Henrique tinha muita sorte de ter uma mulher tão incrível como mãe, pois, nesse momento eu daria tudo que tenho só para poder ter a minha aqui comigo; não que as coisas seriam mais fáceis porque duvido que fossem, mas não importa a situação a minha mãe tinha o dom de deixar tudo ao seu redor mais leve e bonito. Chegou o momento mais difícil pegar minhas coisas e ir embora desbravar o mundo e quando a olhei sua face estava repleta de lagrimas e não havia nada mais a ser dito então a abracei fazendo um pedido.

_Eu sei que essa mulher não é uma pessoa boa promete para mim que vai cuidar do meu amor. Promete que vai estar com ele, promete que vai ser meus olhos aqui e não deixe que ele sinta a minha falta. Eu só quero que o Henrique seja feliz... –Já não conseguia mais falar.

_Prometo filha...eu prometo. Vai com Deus meu amor, mas volte viu. –E então ela se foi levando junto o coração do meu filho e deixando o dela aqui para cuidar dele.

FLASHBACK OFF.

_Assumo que acreditei que nunca mais a veria Analu. Mas o filho a casa torna não é mesmo? –Falei toda feliz.

Não sabia o que dizer, eu não pertencia mais a vida dessas pessoas que tanto amava. _Eu voltei e para ficar! –Não sei porque disse isso, no entanto, senti uma necessidade afirmar que não sairia mais daqui e estava disposta a lutar por me estabelecer de volta ao meu lar. Quando ia falar mais alguma coisa escutamos um choro estridente vindo em nossa direção e era a Mohana com a Julia no colo gritando a plenos pulmões.

_EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ ESTÁ DE VOLTA, AMIGA EU SENTI TANTO SUA FALTA. Você foi embora sem se despedir, mas o que importa é que está aqui com a gente. –Eu chorava até mais que a Juju.

_Desculpa não ter dito nada eu não consegui me despedir de vocês, estava doendo demais Moh. Me perdoa? –Falei em lagrimas.

_Só se me prometer que nunca mais vai embora. –Falei seria.

_Juramento de dedinho. –Rimos da palhaçada. E quando notamos a filha do Henrique não chorava mais, muito pelo contrário estava quietinha olhando para mim com muita atenção; nem todas as crianças são de boa com estranhos então dei um sorriso para ele que retribuiu sem tirar sua atenção de mim.

Todos que ali estavam ficaram quietos observando a cena e principalmente esperando para saber o que a Julia faria; nós ficamos do mesmo jeito por logos segundos e então ela desviou o olhar para minha mão onde estava sua ovelhinha e quando fui oferecer a mesma ela esticou os bracinhos pedindo para que eu a pegasse no colo e com receio de fazê-lo olhei para a minha amiga pedindo ajuda e ela apenas colocou a pequena no meu colo que fez dois gestos: passar aquela pequena mão no meu rosto e em seguida se ajeitar em meu peito agarrar a naninha e dormir. Eu estava com um misto de sentimentos, naquele momento eu não sabia mais onde começava eu ou a Julia, eu sentia meu coração tão cheio de amor que as lagrimas caiam sem autorização e a cada suspiro que ela dava demostrando tranquilidade eu me sentia mais e mais feliz...eu sonhei tanto com passar por isso um dia. Eu olhava seu rostinho perfeito percebendo os mesmos detalhes do Ricelly, o mesmo olho, mesmo narizinho, mesma boca até o desenho da sobrancelha era igual e essa foi a primeira vez em quase dois anos que me senti VIVA, que me senti em casa. Eu não consegui largar aquela garotinha por nada nesse mundo, mas eu precisava e quando a Mohana se aproximou para tira-la dos meus braços ela abriu os olhinhos e voltou a chorar e como um instinto que nem sabia que tinha e a abracei mais forte sentindo aquele cheirinho de bebe acolhendo-a em meu colo e seu choro cessou no mesmo instante não sei explicar, mas havia uma ligação tão forte entre nós.

A pedido da dona Maria eu fiquei ali até de madrugada quando ela finalmente dormiu e quando sai do quarto todos respeitaram meu momento e não disseram nada apenas me despedi de todos e corri para meu carro, dirigi até em casa e quando eu vi que estava segura eu chorei muito e eu nem sabia qual era o motivo ou se tinha mais de um. Naquela noite não pude dormir fiquei pensando na Julia e em como ela me fazia bem e completa. Meu Deus me ajude porque eu não posso mais...


Notas Finais


Apreciem a leitura.
Volto já eu acho.😆😆😆😆
Obrigada por acompanharem a historia e por todos os comentários vocês são fodas.💜💟💜💟💜💟💜💟💜💟
Me contem o que estão achando ok?🤔🤔🤔
Beijos😘😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...