1. Spirit Fanfics >
  2. Aquelas Garotas - Romance Lésbico (Segunda Temporada) >
  3. Capítulo 2

História Aquelas Garotas - Romance Lésbico (Segunda Temporada) - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Capítulo 2


*****Julie*****

Aquele é um assunto a qual sempre me deixava triste, saber que tanto meus pais quantos os pais de Max estavam pouco se lixando para a gente é algo que dói muito.

- Digamos que, o preconceito deles não ultrapassou a barreira do tempo. (Respondi meu cabisbaixa enquanto cortava minha panqueca).

Acho que todos perceberam que fiquei tocada com aquele assunto.

- Desculpa, não fiz por mau... (Lauren falava meio sem graça mas Max lhe interrompeu).

- Tudo bem, isso são águas passadas. O que importa é estarmos todos juntos, nossa verdadeira família. (Minha esposa falou para todos mas seu olhar pousou nos meus e, como sempre, aquele olhar me passou todas as forças do mundo).

- Mas, fala aí, Juh, não pensam em dar um irmãozinho ou irmãzinha para a Cah? (Jack puxou assunto para descontrair o clima).

- No momento não, e nem fala isso perto da Cah ou ela vai começar a birrar com o assunto. (Comentei e todos rimos).

- Cah é louca pra ter outra criança em casa. (Max completou e olhamos para as crianças na outra mesa).

Carmen estava ajudando Petra e Luz, por serem mais novas, a comerem sem se sujar tanto.

- Quem devia ter mais filhos era a Megan e Kenah, já que resolveram adotar duas de uma vez só. (Will falou e rimos).

- Não podíamos separar quem nasceu juntas, são gêmeas. Mas só essas daí já valem por 10 crianças, vamos ficar só nelas mesmos. (Megan disse e rimos mais).

- Ah eu queria adotar mais uma criança, um menino talvez. Sabem que eu amo casa cheia. (Kenah falou empolgada).

- Amor já conversamos sobre isso. (Megan lhe chamou a atenção e a mesma apenas revirou os olhos).

- Eu vou ficar só nesse aqui mesmo, sabem quantas plásticas de remoção de estrias eu vou ter que fazer depois do parto? (Nattasha disse exagerada e eu quase cuspo fora meu suco de laranja gargalhando dela, assim como todos).

[...]


Terminamos o café, Max e eu fomos ajudar a todos com os quartos, por isso compramos essa mansão tão grande. Max ficou no quarto com Megan falando a respeito de basquete, eu acho, e eu resolvi descer.

Nesse momento eu estava parada em frente a porta de vidro aberta que levava a nossa área aberta de lazer com piscina, churrasqueira e brinquedoteca para as crianças. A brisa fria do vento batia forte no meu corpo fazendo alguns fios soltos do meu cabelo curto voar em meu rosto, mas meu pensamento estava muito longe para me incomodar com aquilo.

Pensava em meus pais, há quase dois anos não falo com os mesmos, recebendo notícias apenas de alguns parentes. Estou muito feliz com minha família mas essa situação com eles é algo que ainda me machuca, lembrar que eles queriam me manipular como se fosse um robô e me revegavam por causa da minha orientação sexual.

- Pensando na morte da bezerra? (Nattasha falou chegando perto de mim).

Sorri fraco para ela me encostando no batente da porta e ela se escorou do outro lado, passando a mão na barriga.

- Só pensado umas coisas. (Respondi dando de ombros).

- Dizem que dar azar mentir pra uma grávida, viu. (Nattasha brincou e rimos). - Eu vi o jeito que tu ficou quando a Lauren perguntou dos pais de vocês, ainda dói né? (Ela perguntou com cautela e eu tive que me segurar para não desabar em choro).

- Dói demais, sei lá, faz dois anos que não falo com eles. Nunca quiseram conhecer a Cah, a coitada vive perguntando deles, tem horas que machuca muito. E isso é tanto os meus pais quanto os de Max. (Falei abraçando meu próprio corpo como se pudesse me proteger daquela tristeza).

- Eu sei, minha amiga, todos vimos o quanto vocês sofreram desde o internato. Mas se te serve de consolo, eu tenho que te dizer que você e Max são as pessoas mais fortes que conheci e que formaram uma família linda mesmo com tanta luta. (Ela disse sorrindo e segurou minha mão).

- Obrigada. (Falei emocionada deixando uma lágrima cair).

- Não deixe o passado e os momentos ruins nublar tudo que vocês vivem. (Nattasha completou). - Agora para de chorar, não se pode chorar na frente de uma grávida. Somos emotivas demais. (Rimos e eu puxei minha mão para secar minha lágrima solitária).

Mas Nattasha puxou minha mão de novo e meus olhos se arregalaram assim que toquei sua barriga sentindo o bebê se mexendo.

- Ai que sensação boa. (Falei rindo feito uma boba ainda com a mão na barriga e escutei os passos de algumas pessoas descendo pela escada).

- Pelo visto ele gostou da tia Juh, o bebê dificilmente se mexe durante o dia. (Will comentou chegando perto da gente juntamente com Max e Jack, e rimos).

- Andou chorando, meu amor? (Max perguntou preocupada segurando meu rosto com as mãos).

- Não, meu amor, só emocionada com o filho deles chutando. (Menti sorrindo para Max).

Uma pequena mentirinha, não queria incomoda-lá com essas coisas por enquanto, estava tão feliz com todos reunidos.

- Bobinha. (Ela riu e me deu um selinho rápido, se colocando atrás de mim com o braço em minha cintura).

- Heitor fazia uma verdadeira festa dentro da barriga da mãe, tinha vezes que Jenni tinha que dormir sentada na cama. (Jack comentou).

- Pena que vocês não deram certos né? Mas pelo menos entraram em um acordo em questão a guarda dele. (Will falou).

- Não deu certo nem com ela e nem com Jane, tu não tem sorte, hein moleque. (Max comentou e todos gargalharam).

- Meu amor, acho melhor tu dormir um pouco, a viagem foi cansativa. (Will falou para Nattasha e ele também havia reparado na feição cansada dela).

Nattasha abriu a boca para responde-ló mas Carmen apareceu vindo correndo junto com as gêmeas descendo a escada.

- TIA NATY!! TIA NATY!! (As três diziam ao mesmo tempo).

- Ensina a gente a desfilar? Igual quando a senhora tá nos desfiles. (Petra pediu).

- Quando eu crescer quero ser uma modelo igual a senhora. (Carmen comentou e eu ri).

- A titia de vocês tá muito cansada agora, meninas, mas na hr que eu acordar eu brinco com vocês. (Nattasha disse e as meninas fizeram beicinho). - Não fiquem assim, também trouxe minhas maquiagens. Então na hora que eu acordar vamos nos arrumar bastante, botar uns saltos e sair desfilando pela casa. (Completou).

- URRUUULLL!! (As três gritaram e nós rimos).

Rápidas assim como entraram, elas saíram. Então Nattasha subiu as escadas para ir ao seu quarto dormir um pouco, a barriga já estava pesando bastante. Will e Jack foram jogar vídeo game na sala.

- Sabe, olhar a Naty assim só me lembrou quando tu tava grávida. (Max disse no meu ouvido e eu me virei de frente para ela enroslando meus braços em seu pescoço enquanto suas mãos ainda estavam na minha cintura).

- Eu fiquei uma baleia, meu pés inchados igual duas canoas. (Rebati e nós rimos).

- Deixa de ser boba, tu tava a mulher mais linda, quer dizer, tu é a mulher mais linda que já vi. (Ela disse colocando uma mecha do meu cabelo para trás da minha orelha e eu corei).

Mesmo depois de dez anos, Max ainda tinha esse poder de me fazer corar e me deixar molhadinha com apenas uma palavra ou um toque, e ela sabia muito bem disso.

- Sei que tu tá molhadinha. (Ela sussurou no meu ouvido dando uma mordida no róbulo da minha orelha que me fez suspirar baixinho, um suspiro que logo foi engolido por sei beijo).

Um beijo suave pois a casa estava cheia e tínhamos o dia todo pela frente para ajuda-lós a se organizarem pela casa.

[...]

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...