1. Spirit Fanfics >
  2. Aquele garoto - Cellps; Pklango >
  3. Casaco... Part. 2; Pklango

História Aquele garoto - Cellps; Pklango - Capítulo 6


Escrita por: e suckingtheuvaw


Notas do Autor


Eu tive umas ideias, então decidi fazer o capitulo o quanto antes, ks

Capítulo 6 - Casaco... Part. 2; Pklango


16/04/2020
Quinta-feira
​08:10

​pov. Thiago Elias, Calango.

 

— Pensei que estivessem na quadra.- Felps diz para mim e Pk.

— E estávamos, só que lá tava um tedio já que o Guaxi faltou e decidimos voltar pra sala e ver se você tinha resolvido aparecer. - Minto, pode parecer estranho mas não vou dizer a Felps que voltamos pra sala para poder ver se ele finalmente apareceu, é só uma preocupação minha e não quero que ele use ela pra tirar sarro de mim mais tarde, mas querendo ou não aquilo era uma verdade só que eu tinha retirado algumas coisinhas.  — E você é o Rafael, certo? Eu sou o Thiago, mas pode me chamar de Calango, e aquele ali é o Matheus, mas todo mundo chama ele de PK mesmo. - Me apresento para Rafael, espero que ele não ache estranho o fato de seu saber o nome desse até porque eu só sei disso graças ao Felps.

— Entendi. - Felps diz.

— Ah sim sim, o meu nome é Rafael, mas prefiro que me chamem de Cellbit - Rafael responde.

— Acho que vai ser melhor Cellbit mesmo, quero dizer, o nosso amigo Guaxi também se chama Rafa e pode ser que acabemos confundindo, mas enfim, bora jogar UNO? - Pk diz.

— Vamos sim, mas podem me dizer as regras que vocês usam? - Cellbit nos pergunta.

— Bom, quando algum jogador coloca um sete todo mundo deve. . . - Comecei a explicar as regras que usamos no Uno e até mesmo as que o PK criava no meio das partidas para tentar ganhar, mesmo que elas quase nunca dessem certo.

 

 E então ficamos a aula inteira jogando Uno e conversando sobre qualquer coisa que fosse interessante, as vezes nos xingavamos e as vezes ficávamos com raiva quando alguém ganhava e na maioria das vezes era eu quem ganhava, foi bastante divertido, no meio disso tudo eu acabei conhecendo um pouco mais sobre o Cellbit e ele agora já é um integrante do nosso grupo, só precisamos apresentar ele pro Alan e pro Saiko.

— Ganhei mais uma vez, chupa PK - Eu disse comemorando a minha oitava vitória e logo o sinal toca.

— Das 15 partidas o Calango ganhou 8, acho que temos um vencedor. - Felipe diz.

— Ah vai se fuder também Calango, você só fica jogando +4 em mim. - PK reclamou.

— E daí? Eu preciso jogar as minhas cartas se eu quiser ganhar. - Respondo o provocando.

— E daí que você não jogou nenhum no Felps. - PK disse aquilo e percebo que alguns alunos já estavam entrando na sala, logo o professor deve chegar e nós ainda não tiramos o uniforme de educação física.

- Se livrar do Felps é fácil, eu só precisaria me livrar do que mais me dar trabalho, ou seja você, aí eu só iria precisar ganhar do Cellbit e pronto, partida ganha.- Expliquei a eles e comecei a rir da cara de indignação que o Felps e Cellbit fizeram, eles realmente dariam um bom casal.

— Me sinto ofendido/Suas palavras nunca me ofenderam tanto.- Felps e Cellbit disseram e eu ri muito mais alto com aquilo e acabei atraindo a atenção de alguns outros alunos que nos olharam torto, PK bateu na minha cabeça, me fazendo parar de rir e começar a olhar para eles.

— Pk, melhor irmos pro vestiário nos trocarmos, daqui a pouco o professor deve chegar e ainda estamos com a roupa de educação física. - Falo para Pk.

— Certo, então vamos.

E então nós dois fomos para os vestiários, no caminho encontramos o professor e avisamos a ele que só iriamos nos trocar e depois voltamos pra sala, já nos vestiários encontramos o Alan, o Saiko e mais um garoto junto deles, eles também tinham acabado de chegar e estavam indo se trocar.

— E aí? Vocês dois saíram pra namorar e nem nos avisaram, que bonito. - Saiko diz para mim e Pk.

— Dessa vez não, é que o Calango tava preocupado com a demora do Felps e fomos na sala ver se ele tinha chegado. - Pk responde Saiko.

— Ele tava com um novo amigo e acabamos ficando lá e jogando UNO, alias, vocês precisam conhecer ele depois, queremos chamar ele pro nosso grupo. - o completo.

— Tudo bem chamarem mais uma pessoa pro time, mas vocês estavam jogando UNO e não me chamaram??? Poxa, queria ganhar do Calango - Alan diz indignado.

— Putz Alanzinho, fica pra próxima. - Falo enquanto me troco.

— Nós também queremos trazer o nosso novo amigo pro grupo, o nome dele é Lucas. - Saiko diz enquanto se troca.

— Prazer. - Lucas fala, ele já tinha trocado de roupa enquanto nos falávamos, ele é rápido até.

— Prazer Lucas, sou Thiago, mas pode me chamar de Calango. - Falo para Lucas enquanto me troco.

— E eu sou o Matheus, mas o pessoal me chama de PK.

Quando terminamos de nos trocar fomos para a sala, mas enquanto estávamos nos corredores ficamos conversando, o Lucas é bastante engraçado até. Quando voltamos pra sala o professor nos mandou sentar e copiar a atividade que ele estava copiando no quadro. Matheus acabou terminando a atividade dele primeiro do que eu e então me deu o caderno dele para copiar a atividade, acho que as vezes eu deveria agradecer o fato do PK ser meu amigo.

Alguns minutos depois eu terminei de copiar a atividade devolvi o caderno dele e então deitei a minha cabeça na banca esperando que alguma coisa acontecesse, e realmente aconteceu, uns 10 minutos depois caiu uma bolinha de papel na minha banca e quando abri ele logo no inicio dizia que era do PK.

​"- PK uwu

​Ei, topa ir amanhã lá pra casa jogar videogame?"

​Rio de seu comentário, já era meio que um costume nosso irmos na casa um do outro jogar videogame, normalmente jogamos na casa do PK já que a casa dele diferentemente da minha é bastante silenciosa, normalmente porque os pais dele sempre estão no trabalho, foram poucas vezes que os vi. Mas deixando isso de lado respondo naquele mesmo papel, o amasso e jogo para PK.

​"Calanguito :D

​Claro, posso levar o meu switch?"

​E então começou a nossa troca de bolinhas de papel, ela durou um bom tempo, mas teve que acabar quando o Felps acabou jogando uma bolinha em uma garota que sentava atrás de Rafael e ela nos dedurou para o professor que simplesmente nos mandou para a diretoria enquanto gritava com a gente.

Chegando lá a diretora gritava enquanto estava em uma ligação, provavelmente com o pai de algum aluno, aparentemente um aluno estava vendendo drogas a outros alunos na escola então foi expulso e os pais deles decidiram ligar para a escola para ele tentar voltar para lá, ou pelo menos era o que dava para entender com os gritos dela. O coordenador vendo a situação nos disse que se nós ficássemos quietos e não contássemos a nenhum aluno sobre o que estava acontecendo aqui ele nos livraria da possível advertência ou suspensão que iriamos levar, e é claro que nós concordamos com aquilo e então fomos para o pátio da escola e sentamos debaixo de uma arvore enorme que tinha lá, ficamos durante alguns minutos conversando até o Felps ter a brilhante ideia de fazer o Alan e o Lucas serem expulsos da sala para eles poderem conhecer o Cellbit e para os dois conhecerem o Lucas, era uma boa ideia até já que o Alan pegou no sono no meio da aula e só acordou quando o professor gritou nos mandando ir para a diretoria, e o Lucas parecia estar bastante entediado lá.

— E então Cellbit? Preparado para conhecer o Alan? - PK perguntou.

—  Vocês tem certeza disso? Tipo, e se o Alan ficar com raiva da gente por nós estarmos quase que obrigando ele a sair da sala só para me conhecer? E se o Lucas não quiser vir? E se o Saiko- Cellbit começa a falar, era fofo o modo como ele estava preocupado com o pessoal, mas ele acabou sendo interrompido pelo Felps.

— Pode ter certeza que não, aquele preguiçoso deve tá esperando a primeira oportunidade que tiver aparecer para ele sair de lá nem que seja por um minuto, e vai que o Lucas topa sair de lá pra nos conhecer agora - Felps o interrompeu, ele falava com bastante confiança - Calango passa uma mensagem pro Alan tentar vir para aqui e tentar trazer o Lucas com ele. - Depois disso comecei a mensagem e mandei no contato do Alan.

 

Você:

​Ei corno, topa tentar sair daí pra conhecer o Cellbit?
​Se topar trás o Lucas também, o Felps quer conhecer ele

​Ala corno:

​Só se for agora, não aguento mais esse professor
​            Vou só acordar o Lucas que a gente tá indo

Você:

​Dica: Nem passa perto da diretoria, ela tá pegando briga lá

​Vem direto pra praça

 

— Pronto gente, o Alan disse que vai só acordar o Lucas e eles vem.

— Mas, e o Rodrigo? - Cellbit pergunta.

— Ele é o favorito do professor, nunca que aquele filho da puta vai ser expulso de alguma aula dele. - O respondo.

— E de qualquer forma ele é muito certinho para "matar aula" com a gente. - Felps continua.

— Certinho? Ai ai, só se for dos muros da escola pra dentro, ou então na semana passada não era ele que virou uma garrafa de Whisky sozinho na festa da Samanta. - PK disse e eu e o Felps nos surpreendemos, não sabia que o Saiko tinha feito isso, acabei perdendo a festa da Samanta já que no dia eu não parava de jogar animal crossing e arrumar a minha vila e o Felps tava me ajudando. Quando perguntamos aos meninos o que rolou eles só disseram que não teve nada demais.

— E como ele ainda tá vivo? - Eu e Cellbit perguntamos.

— No outro dia ele vomitou pra caralho, no mínimo colocou tudo o que ele comeu e bebeu no almoço e na festa pra fora e eu como o bom amigo que sou ainda tive que ajudar ele. - PK então fez uma linda cara de sofrimento

Nós rimos da cara que sofrimento que PK fez e o mesmo nos olhou com uma cara de desgosto e disse que não era para estarmos rindo da cara dele, porque ele realmente sofreu naquele dia e se estivéssemos no lugar dele iriamos ter sofrido bastante. Enquanto riamos de PK, Alan me mandou mais uma mensagem dizendo que talvez demorasse um pouco mas ele e Lucas logo logo iriam estar aqui.
 

" Quebra de tempo. . . "

 

Depois de mais ou menos 20 minutos, Alan e Lucas estavam vindo em nossa direção enquanto conversavam sobre alguma coisa que não deu para ouvir já que eles estavam um pouco longe e quando chegaram perto da gente eles pararam de conversar e se sentaram perto de nós, provavelmente não era nada de importante ou pessoal entre os dois.

 

— Oi perdedores, e quem é o novato aí? Só ouvi o Calango te chamando de Cellbit, mas tenho quase total certeza que esse não é Cellbit - Alan perguntou a Cellbit.

— Hum oi? Meu nome é Rafael Lange mas pode me chamar de Cellbit, e acho que eu sou um novo "integrante" no grupo? Prazer . . . ?

— Ah! Prazer Rafa, eu sou o Alan, a estrela desse grupo. - Alan disse nos fazendo rir, é engraçado quando ele começa a se auto superestimar. — E galerinha, esse aqui é o Lucas, eu e o Saiko mene conhecemos ele quando o PK e o Calango saíram pra se comerem.

— Na verdade a gente foi ver se o Felipe resolveu aparecer e acabamos ficando lá e jogando UNO, nós te dissemos isso lá nos vestiários. - PK disse, quando eu olhei para ele, ele estava com as bochechas vermelhas mas um pouco claras, mas não entendo porquê. — Mas não teria sido uma má ideia irmos se comer. - Continuou e brincou comigo o que só resultou em um soco no braço e me fazer ficar vermelho como um tomate.

— Eh Cellbit, é isso o que você vai ter que aturar enquanto estivermos estudando juntos. - Felps diz para Cellbit.

— Acho que eu consigo me acostumar rapidinho. - O respondeu.

 

E durante o restante da segunda e a terceira aula nós ficamos ali, fizemos varias piadinhas, imitações, falamos de jogos, entre outras coisas, até que foi legal. No recreio o Saiko finalmente conheceu o Cellbit que tratou bem ele, foi um pouco estranho já que o Saiko sempre está de mau humor, mas talvez algo de bom tenha finalmente acontecido com ele, como aquele loirinho que ele sempre fica comendo com os olhos na sala de aula tenha finalmente falado com ele.

Nós fomos em direção aos fundos da escola e ficamos durante todo o recreio, pode-se dizer que lá é quase que um lugar só do nosso grupo, é muito difícil alguém ir pra lá já que antigamente uns alunos que vendiam drogas ficavam por lá, eles foram expulsos da escola, mas quase nenhum aluno se atrevia a ir para lá já que sabem do fato que a diretora sempre descobre esses "tráficos" que os alunos fazem não importa o tanto de cuidado que eles tomem, então os alunos tem medo de ir para lá e serem envolvidos nisso e acabarem sendo expulsos da escola.

Foi tudo bastante normal por lá e na nossa conversa, apenas achei estranho o fato do Alan perguntar pro Cellbit a sexualidade dele sabendo que o Felps tá interessado nele, e eu tenho duas teorias sobre isso:

1- Ele tá tentando ajudar o Felps e fazendo com que ele não perca tanto tempo tentando descobrir sobre a sexualidade dele;

2- Ele tá tentando talaricar o Felps.

E falando no Felps ele parecia estar um pouco enciumado com a atitude de Alan mas tentou esconder ao máximo isso para não parecer estranho, tadinho.

" Quebra de tempo. . . "

 

​E finalmente voltando pra casa, essa era com certeza a parte favorita do meu dia, não pelo fato que eu estava finalmente livre da escola até amanhã de manhã, mas sim porque eu e o PK sempre voltamos juntos pra casa, é claro que durante metade do percurso o pessoal do grupo vai com a gente, mas durante a outra metade sou só eu e o PK, e nesse tempo eu sempre aproveito para apreciar o seu sorriso, essa tão doce ele, céus, por que é tão difícil estar apaixonado pelo meu melhor amigo?

— Então amanhã depois da escola vamos direto pra minha casa jogar videogame? - PK me pergunta.

— Sim.

— Você. . . Quer dormir lá em casa amanhã? - PK me pergunta com um pouco de pergunta com certa vergonha presente em sua voz.

Apesar de sermos melhores amigos não é como se eu dormisse na casa dele todo final de semana, ou ele na minha, na verdade isso é algo bem difícil de acontecer já que o PK precisa pedir permissão pros pais deles e como eles quase nunca estão em casa é bastante complicado, me lembro que na primeira vez que o PK dormiu em casa também foi a primeira vez que ele foi para lá, nós só tínhamos 15 anos na época e a minha mãe achava que éramos um casal e ele estava para assumirmos o relacionamento, engraçado que dois meses depois foram que os meus sentimentos pelo Matheus surgiram.

— Claro, mas você pediu permissão pros seus pais? - O pergunto.

— Sim! Na semana passada eles finalmente pararam em casa e eu pedi permissão. - PK fala e logo temos que parar de andar já que havíamos chegado em frente a minha casa.

— Então eu vou pedir permissão pra minha mãe e amanhã te falo se ela deixou ou não.

— Por que só amanhã e não por mensagem? - PK me pergunta

— Porque assim tem mais graça. - O respondo

— Ok, mas se eu não conseguir dormir hoje a culpa é sua.

— Também te amo, bom, até amanhã senhor pai. - Falo e então dou um abraço de despedida em Matheus.

— Até amanhã senhore mãe. - E então ele retribui o meu abraço.

Depois do abraço entro em casa e subo para o meu quarto, tiro o meu tênis, coloco minha bolsa em qualquer lugar do quarto e me jogo na cama, lá percebo que eu ainda estava com o casaco de PK e cheiro ele por puro extinto, café​, Matheus ama café e me surpreendo um pouco em vez que até o seu casaco tem cheiro de café, mas é gostoso o sentir.

— Filho, vi que o Matheus tava ali na porta de casa com você, rolou algo hoje? - Minha mãe me pergunta enquanto entra no quarto, ela foi a primeira pessoa que eu contei sobre os meus sentimentos pelo PK e eu sempre peço conselhos a ela.

— Ai mãe, só provocações. . . Eu realmente tô fodidamente apaixonado pelo PK. . .

 

 

 

 

Continua. . . .


Notas Finais


E eu finalmente terminei esse capitulo, estou feliz em saber que só esse capitulo com o outro são mais de 4.000 palavras sobre Pklango

Gostaria de avisar que possivelmente na semana que vem eu não irei atualizar a fanfic, motivo? Quero terminar de reescrever os capítulos passados e corrigir os errinhos, sem contar que quero trabalhar na minha oneshot Pklango e eu quero que ela fique tão bonita quanto esse capitulo, mas se tivermos sorte o Uvaw posta o capitulo sycaro

agora eu vou indo dormir porque mais tarde tem o RPG do Cellbit


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...