1. Spirit Fanfics >
  2. Aquele Problema >
  3. Nunca diga o nome daquele problema

História Aquele Problema - Capítulo 1


Escrita por: Ko-ki-chi

Notas do Autor


Olá pessoal, tudo bem?

Faz tempo que não posto nada aqui. Hoje vou ser direto pois tenho algumas coisas importantes para falar com vocês nas notas finais.

Espero que gostem da história, boa leitura galera.

Capítulo 1 - Nunca diga o nome daquele problema


Shuichi deu um longo suspiro enquanto olhava algumas folhas com casos e relatos de diversas pessoas de vários locais do mundo. Desde que o globo terrestre havia entrado em um estado de alerta extremo e as pessoas entraram em isolamento, o jovem de orbes dourados representante do pecado do orgulho havia ganhado horas e mais horas excessivas de trabalho.


Atualmente ele se encontrava na central do submundo, dentro de uma sala enquanto estava sentado numa cadeira olhando um mar de papel que não parecia mais ter fim. Ao lado dele, estava uma jovem de longas madeixas acastanhadas e orbes escarlate que trajava uma calça jeans e uma blusa vermelha. Ela o observava em silêncio.


— Quando eles vão chegar? - Perguntou Shuichi levando uma mão até a têmpora esquerda massageando.


— A inveja e a luxúria estão trazendo a preguiça. - Dizia calma a jovem que encostou as costas no assento da cadeira. Ela era Maki, representante do pecado da Ira e namorada do representante do orgulho. — A ganância estava esperando a gula terminar o “lanchinho” dela. - Disse a de orbes escarlate fazendo aspas com os dedos.


O orgulho acabou deixando o corpo amolecer enquanto se recostava na cadeira massageando as têmporas.


— Sinto que meu cérebro vai explodir. - Dizia com a voz tomada por cansaço vendo que ainda tinham muitos papéis de relatos a frente dele.


— Deveria descansar Shu. - Disse a Ira. — Mesmo que esse momento do mundo esteja exigindo muito de você, não é bom ficar se esforçando desse jeito. - Falou ainda com a expressão neutra no rosto, porém, com um leve tom de preocupação com o bem estar do de orbes dourados.


Shuichi sorriu, porém quando ia se pronunciar a porta da sala de conferências foi aberta, revelando cinco figuras.


— A gula chegou na parada. - Falou o mais baixo dos cinco que tinha nas mãos um pirulito roxo. Ele caminhou animado se sentando ao lado de Shuichi.


— Me surpreende que já estavam aqui. - Disse o mais alto do grupo, que carregava nas costas uma jovem loira que dormia com os braços ao redor do pescoço do garoto de alta estatura que usava máscara.


— Tínhamos vindo à central resolver algumas coisas, como já era quase hora da reunião decidimos vir direto para cá. - Respondeu o de cabelo curto em tom azulado.


O segundo mais alto, que possuía cabelo branco e representava a inveja, sentou-se ao lado de Maki, sendo seguido por uma mulher que usava um típico vestido vitoriano em tom preto com detalhes em branco representante da ganância, sentou-se ao lado da inveja.


Já ao lado de Shuichi, o mais alto do grupo que representa a luxúria colocou a garota que dormia e representava a preguiça ao lado do menor do grupo e logo em seguida se sentou ao lado dela.


— Bom, obrigado por comparecerem a essa reunião. - Começou Shuichi olhando para todos. — Iremos novamente tratar sobre 'aquele assunto'. - Disse de forma séria colocando os cotovelos sobre a mesa e apoiando o queixo sobre as costas das mãos.


— Antes de começarmos. - Começou o menor que deu uma mordida no doce fazendo um pedaço dele quebrar chamando a atenção de todos ali presente, bom quase todos. Logo ele direcionou o olhar para a garota ao lado dele que dormia.


Um suspiro escapou dos lábios do orgulho que logo se pronunciou:


— Preguiça acorde. - Disse Shuichi com uma voz calma, contudo, foi ignorado. — Preguiça. - Chamou-a novamente, sendo ignorado mais uma vez. — Miu Iruma. - Disse com uma voz firme, falhando miseravelmente.


— Deixa isso comigo Shumai. - Falou a gula sorrindo sacana dando mais uma mordida no doce terminando de comê-lo.


O menor de fios arroxeados, ergueu uma mão e respirou fundo gritando em seguida:


— Acorde sua puta preguiçosa. - Gritou o de cabelo arroxeado lascando um forte e bem dado tapa nas costas dela produzindo um alto estalo, que fez com que a loira acordasse no susto.


— Filha da puta! - Exclamou acordando no susto arqueando as costas.


O arroxeados apenas ria descontroladamente encarando a cena. Miu direcionou o olhar para ele e se preparou para voar na garganta do garoto, contudo foi impedida pelo representante da luxúria.


— Kokichi, Miu sem brigas. - Falou autoritário recebendo um 'okay' animado de Kokichi e um 'tanto faz' emburrado e sonolento de Miu. — Bom, agora que todos estão devidamente acordados e aqui, vamos dar início a reunião sobre 'o grande ocorrido'. - Falou de forma séria chamando a atenção de todos. - Por favor portador do pecado da Inveja, Nagito Komaeda como tem sido seu trabalho nesses 1 ano e 7 meses do ocorrido. - O portador do orgulho disse dando voz ao representante da inveja.


— Bem, meu trabalho aumentou de forma deveras exponencial. - Falou Komaeda reclinando o encosto da cadeira, logo se deitando na mesma. — Os índices de inveja têm crescido muito durante o isolamento imposto aos humanos. - Complementou ele.


O de orbes dourados que ouvia tudo, pegando uma caneta e anotando tudo.


— Komaeda vive a música Jelousy Jelousy  diariamente. - Comentou Kokichi meio avoado.


— Que inveja. - Disse a mulher de vestido negro olhando para o albino.


— Essa é a ideia. - Komaeda falou olhando a mulher ao seu lado piscando dando um sorrisinho.


A mulher bufou cruzando os braços, mas logo voltou a sua postura normal.


— Prosseguindo com a reunião, Celestia como estamos? - Pergunta Shuichi.


— Bem mal por sinal. - Suspirou encarando o portador do orgulho de forma séria. — Essa porra de problema tem feito as pessoas terem menos ganância, isso está acabando com meus negócios e me dando mais e mais nos nervos. - Comentou Celestia respirando fundo aos poucos retomando sua postura.


— A-Ah sim, entendo. - Pronunciou o de madeixas azuis. — Bem, Miu, antes que durma de novo,e diga como tem sido seus trabalhos nesse período. - Falou encarando a loira que tinha uma feição meio avoada.


A loira resmungou um pouco por conta do comentário feito pelo 'líder' daquela reunião.


— Eu só durmo. - Disse bocejando sonolenta. — a porra do ead tem feito meu trabalho por mim. - Complementou ela. — Ou todo mundo está dormindo ou todo mundo tá vendo porno durante a aula, meu trabalho se faz sozinho. - Disse finalizando seu comentário.


— Que vida boa. - Comentou Kokichi com os braços e cabeça apoiados na mesa. — Não ficaria surpreso se você dormisse enquanto transa com seu namorado. - Falou dando uma risada abafada em seguida.


— O que foi que você disse gremlin? - Estalou o pescoço enquanto sentia uma veia saltar na testa. 


— Além de puta é surda? Sinto pena do keeboy. - Riu apoiando o queixo na palma da mão.


— É agora que eu te mato porteiro de gaiola! - Esbravejou a loira batendo com força na mesa, contudo, ela voltou a se sentar ao sentir a pressão do ar no local ficar extremamente pesada.


Maki, que já não aguentava tamanho barulho, bateu a mão com força na mesa provocando um alto som que logo calou os dois e chamou a atenção do restante dos pecados. A representante do pecado da Ira ficou de pé e olhou para os dois, seus olhos escarlate brilhavam em puro ódio.


— Vocês ficaram quietos por bem ou precisarei me utilizar do bom e velho mal? - Perguntou de forma seca e direta enquanto erguia a mão que fez alguns movimentos estalando todos os ossos - desde o pulso até os dedos - fazendo altos sons que assustaram a preguiça e a gula.


— C-Calma querida. - Shuichi disse com um pouco de medo colocando a mão sobre a da namorada acariciando devagar. 


Maki direcionou o olhar para ele fazendo o namorado gelar, mas logo respirou fundo fechando os olhos e sentando-se na cadeira ao lado dele. O pecado do orgulho suspirou aliviado e logo olhou para os pecados da gula, luxúria e Ira.


— Korekiyo, Kokichi e Maki, podem falar como tem sido seus trabalhos nesse meio tempo e podemos definir o que acontecerá daqui para frente. - Falou massageando as têmporas cansado.


— E você bonitão? - Perguntou Miu. — Não vai falar nada sobre seu trabalho? - Cruzou os braços o olhando.


— Veja bem... - Começou Saihara que logo foi interrompido.


— Você acha que ele está trabalhando? - Disse Celestia dando um riso baixo. — Ele está vivendo às custas da Maki. - Complementou o olhando.


— Isso é uma pura mentira. - Se pronunciou bravo.


— Perdão Saihara-Kun, mas preciso concordar com a pintura rococó. - Falou Korekiyo de forma abafada por conta da máscara.


— Como assim pintura rococó? - Perguntou brava.


— Então Saihara-Kun é esse tipo de pessoa? - Perguntou Nagito colocando uma mão sobre a boca escondendo um sorriso.


— Não sou. - Protestou bufando e olhou para Maki. — Diga que é mentira querida. - Pediu a encarando.


— Perdão querido. - Falou neutra respirando fundo. — Não posso mentir sobre coisas que são verdade e você sabe disso. - Disse de forma calma e direta.


O de cabelo azul suspirou se escorando na cadeira cansado. 


— Vamos adiar a reunião por um tempo. - Disse cansado. — Essa maldita pandemia quer terminar de foder com minha mente. - Comentou rosnando baixo.


— Você disse pandemia Shuichi-Kun? - Uma voz ecoou da porta de entrada da sala de forma audível e assustadora.


Todos os sete ali presentes olharam na direção da porta vendo um homem de estatura alta e cabelos loiros que usava óculos e trajava um terno preto. Ele possuía uma feição irritada enquanto observava todos ali presentes.


— S-Senhor Togami. - Falou Komaeda um pouco assustado.


— O-O que Lh-Lhe trás aqui senhor? - Perguntou Saihara após engolir seco com medo.


— Vejo que decidiram falar sobre o motivo do meu stress diário sem minha presença. - Rosnou com raiva olhando para o de madeixas azuis. — Algo para dizer em sua defesa, pecado do orgulho? - Perguntou sério encarando-o intensamente com os orbes azuis.


Saihara balançou a cabeça de forma negativa enquanto tremia com medo. O clima naquela sala havia ficado extremamente denso.


— Permissão para desfazer a reunião senhor Togami? - Perguntou Maki de forma séria encarando Byakuya.


— Todos sumam da minha frente. - Ordenou massageando as têmporas enquanto Suspirava enraivecido indo embora do local.


Todos ali presentes se entreolharam soltando um longo suspiro de alívio.


— A reunião está acabada, nos vemos na segunda pessoal. - O de cabelos azuis se levantou. — Vamos indo querida, preciso descansar. - Suspirou estalando os dedos abrindo um portal atravessando-o juntamente de Maki que o seguiu sem muita demora.


— Vou embora seu bando de virgens, meu namorado me espera. - Pronunciou Miu usando seu poder para levitar, fazendo jus ao pecado da preguiça e ir embora daquele local.


— Você vai me explicar agora isso de pintura rococó. - Exclamou Celestia embravecida olhando para Korekiyo.


— Temos todo tempo do mundo, senhorita rococó. - Disse o de longos cabelos esverdeados em tom escuro.


— Quer ficar para assistir? - Perguntou o albino olhando para o de cabelo arroxeado.


— Nope, prometi ao Rantaro que tentaria voltar o mais cedo possível. - Se espreguiçou enquanto se colocava de pé.


— Deixe-me adivinhar. - Começou Komaeda. — Ele vai fazer alguma das receitas especiais dele? - Chutou calmo.


— Como sempre um sortudo filha da puta. - Riu saindo da sala junto do amigo.


Com certeza aquela reunião havia sido tudo, menos produtiva.


Fim




Notas Finais


Bem pessoal, antes de tudo quero agradecer ao @Eoin por ter feito a capa maravilhosa dessa história. Obrigado de verdade.

Agora, vamos a parte principal.

Para todos que acompanham ou já acompanharam alguma das minhas histórias, estou aqui para dizer que por tempo indeterminado esse aqui será meu último trabalho sobre Saiharu e outros shipps e será meu último no fandom de Danganronpa por tempo indeterminado.

Sei que é meio repentino, mas colocarei essa conta em hiatus. E não, esse não é o fim da conta @Ko-ki-chi e não, não irei parar de escrever. Só que por algum tempo não irei mais postar histórias no fandom de Danganronpa.

Lembrem-se, isso aqui não é um adeus para sempre pessoal. Com certeza nós iremos nos ver de novo.

Enquanto estiver em hiatus, ainda estarei no Spirit e estarei fazendo fanfics sobre outro shipp de outro fandom.

Com certeza essa é a despedida mais difícil que estou fazendo e a que está me fazendo chorar mais.

Obrigado a todos por tudo. Até um futuro breve pessoal.

See You Space Cowboy

Ko saindo. Até a próxima?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...