História Aquele sorriso esmagador de bochechas -jikook - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Chanbaek, Jenlisa, Jikook, Namjin, Taeyoonseok
Visualizações 21
Palavras 1.192
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Em todas as nossas vidas


Fanfic / Fanfiction Aquele sorriso esmagador de bochechas -jikook - Capítulo 6 - Em todas as nossas vidas

[Jeon on]

Após levar Jimin para casa, tomei um banho e cai em um sono profundo.

Assim que levantei comecei a me arrumar para mais um dia de aula.

Eu já estava pronto então fui andando para a escola, as árvores estavam com flores lindas e o ar estava cítrico, talvez eu estivesse sentindo daquele jeito por estar tão feliz. Sempre que passava naquela rua às árvores pareciam estar mortas, mas hoje pareciam estar radiantes. As pessoas também, nunca reparava nelas e em suas rotinas. Algumas pessoas estavam com sorrisos no rosto, outras pareciam estar mau humoradas e havia alguns casais apaixonados.

Ao olhar nessas pessoas, percebi o quão distinta nossa vida pode ser e, como tudo aquilo era relativo. Meu dia estava sendo ótimo, mas o da moça que reclamava ao falar no celular não parecia nada bom. Segui meu caminho dessa vez sem reparar em nada além da letra da música que eu estava ouvindo.

Havia chegado na escola no horário certo. Então entrei e fui até minha carteira. O Park ainda não havia chegado então apenas fiquei esperando o início das aulas. Assim que os alunos entraram, pude ver a cabeleira ruiva passar pela porta, era impossível não reconhecer o mais novo, ele era único. Não nos falamos nenhuma vez desde sua chegada, apenas prestamos atenção nas aulas. A aula de literatura pela primeira vez parecia ter sentido, as palavras que eram pronunciadas faziam o total sentido agora. Eu estava sentindo tudo o que era apresentado naquela poesia. Eu me senti como se eu fosse uma parte da poesia. Quando notei os primeiros horários de aula já haviam passado, nossos próximos horários seriam vagos. E então, já que as próxima aulas seriam vagas, acompanhei Jimin até o nosso pequeno "refúgio".

Aquela árvore de Sakura era nossa maior confidente, ela estava sendo testemunha do nosso amor. Ela parecia até mais radiante hoje, mas parei e pensei: Tudo fôra observado por mim hoje, menos ele...

Olhei para o garoto que estava sentado na grama e ele estava lindo como sempre, mas algo parecia estar mais vivo nele. As sardas pareciam ter vida própria. Tudo nele parecia se auto-comandar, ele transparecia alegria. Sempre me perguntei o motivo do garoto ser assim, o que o levou a ser assim?

Não iria ficar me corroendo de curiosidade, então decidi perguntar.

– O que o levou a ser tão doce assim? - questionei-o.

– Muitas pessoas me perguntam isso. - ele sorriu - Quando eu era pequeno, ficava questionando a mim mesmo. Pensava nas seguintes coisas... Quem sou eu? Qual o meu propósito? De onde eu vim? Qual minha verdadeira personalidade? - parou por um instante. - Então eu fui bom com alguém pela primeira vez. Eu senti como se tudo fizesse sentido, desde então eu nunca mais parei. - finalizou sua fala.

Depois de ouvir aquelas palavras eu pude sentir o ar ainda mais puro,

como se elas purificassem a alma.

O garoto nasceu para fazer isso, a natureza dele precisa disso, ele é capaz de purificar o mundo todo com apenas palavras e expressões. Perdido em pensamentos não percebi que o garoto chamava-me.

Quando eu o olhei ele sorriu e começou a falar:

– Se eu fosse diferente, você me amaria? - perguntou, agora me encarando.

Respirei fundo. Eu o amo tanto. Como eu poderia expressar esses sentimentos em palavras?

Então apenas deixei meu coração "guiar-me".

– Sim. Eu te amaria. Porque mesmo sendo diferente você ainda seria você. Sua personalidade pode até mudar, mas sua natureza sempre irá ser essa. Meu amor por você nunca irá mudar, irei te amar em todas as minhas vidas, sempre amarei você Jimin. Ninguém além de você Park Jimin. - sorri pra ele com mais uma de minhas declarações.

O garoto estava corado, parecia uma verdadeira maçã. Ele sorria em meio a tudo. E então vi um brilho em seus pequenos olhos. As sardas e suas bochechas coradas formavam um perfeito contraste. Poderia até pintar aquele expressão de milhões de maneiras e todas essas sairiam perfeitas.

Aquele sorriso... era perfeitamente perfeito. O dentinho torto o deixava fofo, aliás, tudo nele era perfeito, nele não existem defeitos, e se existissem, pra mim seriam mais motivos para amá-lo.

Assim que ele se recuperou das lágrimas, falou em um tom baixo quase inaudível:

– Você foi a primeira pessoa que me disse isso. Normalmente, meu jeito de ser incomoda ou irrita todos ao meu redor. - disse.

– Essas pessoas não devem saber apreciar pequenos detalhes. Devo admitir que antes eu não apreciava,mas isso tudo mudou. - falei e sorrindo.

– Desde pequeno fui muito atento á detalhes. Eles me ajudavam a conhecer a grande maioria da personalidade das pessoas.

– Eu em questão nunca observei nada. Tudo pra mim era retórico ou não fazia diferença se estava ali ou não. - lamentei.

– Somos tão diferentes... - me olhou - Isso faz com que nosso relacionamento seja único - sorriu.

Realmente. Éramos o oposto um do outro. Isso no meu ponto de vista era o mais engraçado do nosso amor, às nossas diferenças.

Nunca imaginei que iria me apaixonar por alguém tão diferente de mim.

Antes eu era um garoto que não tinha medo da morte, para mim ela poderia vir à qualquer momento. Mas agora, depois que o conheci realmente eu passei a temer a morte.

Antes eu não tinha medos, mas agora meu maior medo era não poder ver o sorriso que eu tanto amava ou o rosto do garoto que eu tanto amo.

Sentimentos eram coisas inúteis e fúteis ao meu ver, porém hoje eu já não via mais assim. A grande verdade é que ele não fez nada além de tornar a mim um ser humano "normal".

Eu o agradeço plenamente por isso e graças a isso, eu pude chegar a seguinte conclusão;

O amor é algo que faz mudanças sim. Alguns podem dizer que o amor não existe ou que ele é falso mas isso tudo é uma grande mentira. O amor é algo que vai além da nossa compreensão ou seja, nunca iremos saber se o que sentíamos era amor ou não. Algumas vezes apenas sentimos e confundimos com o amor.

Eu posso dizer que amo Park Jimin pelo fato de saber que tudo o que eu sinto por ele é genuíno. Tudo sempre acontece naturalmente.

Agora nesse momento, ao observar Jimin é algo que eu admiro e que quero fazer até o meu último dia de vida. Ele nunca vai perder a graça, eu sempre irei encontrar algo novo nele que vai me encantar de alguma forma.

Isso é o amor. Se surpreender com a pessoa todos os dias e assim se apaixonar ainda mais todos os dias.

O amor gera mudanças - boas - e eu sou a prova disso. Quem diria que eu Jeon Jungkook, o garoto que nunca sorria iria se apaixonar e se admirar pelo sorriso de alguém e com ele sorrir também.

"Quando amamos, não sabemos explicar exatamente tudo o que sentimos. O amor é algo tão relativo que cada um o vê de uma maneira. Nunca desista de amar. Às vezes você ainda não encontrou a pessoa que te faça ver o amor de maneira correta."



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...