1. Spirit Fanfics >
  2. Aranha >
  3. Primeira missão.

História Aranha - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


VOLTANDO COM UMA VOLTA TRIUNFAL DE 11 MIL PALAVRAS!!!!

Porra, eu nunca mais escrevo algo tão grande assim na vida vsfd.

Então, como eu disse, eu pensei e repensei muito, e decidi não introduzir os vingadores ainda, sim... Me desculpem... Mas eu pretendo seguir minha própria rota, não ah da Marvel onde acaba no Thanos eu quero seguir além.

Esse capítulo é uma coisa nova que eu estou testando, tentando deixar o Peter um pouco mais... Original podemos se dizer assim.

Mas ei NAMORAL SE NAO TIVER MUITO COMENTARIO NESSA MERDA EU VOU TILTAR.

são 11 mil palavras.

Capítulo 14 - Primeira missão.


Eu olhei para a tela diante de mim. Eu resmunguei esfregando minha testa, "isso não faz nenhum sentido".

"Você está me dizendo", Tony resmungou, "quando você me pediu para ajudá-lo, eu não pensei... isso não faz sentido, Peter."

"Eu sei, acabei de dizer isso", eu reclamei.

"Você já tentou UV?" Reynold, um dos melhores e mais confiáveis das indústrias Stark perguntou do computador, digitando um e-mail.

"Sim, ainda não mostra nenhuma diferença", resmungou Stark, "isso não faz sentido. Como isso acontece? Isso deveria ser impossível!"

"E ainda estou de pé aqui diante de você completamente possível", eu disse a ele com uma sobrancelha levantada.

"Seu sangue é impossível, Peter, nada mais que eu possa chamar", Stark ampliou o zoom no microscópio que usamos para examinar meu sangue em nível celular. A tela mostrava uma única célula e suas propriedades genéticas, a hélice do DNA, girando em seu eixo.

"Parece que de alguma forma adaptou a qualidade de aranha em si mesma, mas só assumiu a boa", murmurou Reynold, "como se escolhesse e escolhesse o que sabia que seria benéfico".

"Mas não pode fazer isso porque não está vivo!" Stark exclamou: "Deus, Peter, isso não faz nenhum sentido!" Eu rugi e joguei suas anotações no ar, saindo do laboratório em uma nuvem de fumaça.

"Não se importe com ele, ele simplesmente não gosta de não saber de nada", suspirou Reynold, "é uma coisa do ego. Mas é de se esperar, ele é um gênio, mas isso é realmente impossível".

Eu cantarolei: "Entendo, você acha que pode tentar?" Eu perguntei.

"Vamos ver", Reynold se levantou e se aproximou da tela que examinava meu DNA " você analisou os genomas?"

"Sim, aqui, você não pode fazer cara ou coroa disso." Eu dei a ele uma SA com os dados que ele solicitou.

Reynold olhou rapidamente fazendo anotações perto de cada uma. Demorei um pouco, mas depois que ela terminou uma sequência inteira, ela colocou a SA de lado e suspirou: "stak está certo, isso não deveria ser possível. É quase como... como se seu DNA se adaptasse a objetos estranhos. alguns como assimilou os genes da aranha em si mesmo, permitindo o acesso a suas habilidades ".

"Então essa propriedade existia no meu sangue antes que a aranha me mordesse?" Eu perguntei.

"Parece", Reynold apontou para uma mecha, "está vendo isso? Isso o tornaria ágil e forte como uma aranha. E não tem nada a ver com o seu DNA se adaptando a objetos estranhos."

Uma sobrancelha se ergueu, "então você está dizendo que eu sou uma mutante?"

Sue balançou a cabeça, "não, o gene mutante está claramente marcado e visível. Se esse fosse o caso, Stark não estaria atualmente na cozinha comendo uma banheira inteira de sorvete", eu pisquei, "sim, ele faz isso quando ele não pode resolver alguma coisa. "

Eu ri, "caramba".

"Enfim, seu sangue, seu DNA... é algo mais. É... eu diria que é semelhante ao nosso próprio DNA, que se transformou em algo completamente diferente, não muito mutante, mas definitivamente não humano".

"Então ... um metahumano?" Eu perguntei maravilhado, cunhando o termo que eu sabia que era popular nos quadrinhos da DC.

"Sim .. acho que seria uma palavra exata para o que você é", Reynold assentiu, "embora seja realmente estranho, como seu sangue age dessa maneira?" Elr cantarolava entrando em um estado quase de transe. Eu sabia que era melhor não incomodá-lo, melhor deixá-la em paz.

Eu fui para a minha estação de trabalho, onde estava o bot do Doom que eu 'precurei', dividido em vários pedaços. Eu estava aprendendo mais sobre a tecnologia do Doom, era realmente interessante.

Enquanto eu continuava aprendendo com a máquina, meu telefone inteligente da SHIELD tocou. Liguei e encontrei mais ou menos mil mensagens das minhas contas do Twitter, Insta e Snapchat, mil cada uma.

Não pude responder a todos, de jeito nenhum. Então eu fiz o que todas as celebridades fazem, desative as notificações. O Instagram foi fácil, a maioria foi de notificação de seguidores e o Snapchat também. No entanto, o Twitter era um problema, eu precisava ler toda vez que alguém tuitava para mim, para o caso de eles estarem falando mal e precisarem ser descartados.

Quando comecei a digitalizar e inserir o design do bot do Doom no meu computador, não sei quando isso será útil mais uma vez.

Eu estava um pouco frustado, Stark não me chamou aqui para Guerra civil, acho que a minha presença causou uma interferência nas ações e lutou contra o soldado invernal, enquanto a min ? Ele está basicamente se aproveitando da minha inteligência.

Depois disso, comecei a focar no meu outro pequeno projeto, o vereador Nick Daves, o cara que de alguma forma perdeu os fundos para alimentar e abrigar os sem-teto de Nova York na noite mais fria do ano.

O homem parecia limpo, limpo demais, mas, depois de algumas escavações, descobri que ele não tinha uma, mas duas casas de praia nos Hamptons e uma casa de verão na Grécia.

Usei as habilidades de hackers subparciais de Peter para entrar no laptop pessoal de Nick, não é difícil, considerando que ele usa uma rede pública para fazer login sempre que foi trabalhar. Eu procurei nos arquivos dele, primeiro, deixe-me dizer que ele tem um monte de pornografia, como 400 GB, e segundo, ele não tem nada de incriminador.

Olhei para a tela e suspirei, talvez fosse hora de fazer isso da maneira antiga, segui-lo até que ele fizesse algo sujo. Talvez eu possa colocar um chip de rastreamento nele? Como o tipo que Peter faz no futuro? Sim, isso parece bom, eu vou fazer isso.

"Peter, você não vai acreditar no que acabei de encontrar", disse Reynold de repente, chamando minha atenção.

"O que?" Levantei-me e empurrei todos os pensamentos sobre Nick Daves para o lado.

"Seu sangue está evoluindo", Reynold falou enquanto trabalhava em seu bloco de dados, "bem, não, evoluir pode não ser a palavra certa... é metamorfose, metamorfose para ser exato".

"O que isso significa?" Eu perguntei.

"É como uma lagarta se transformando em borboleta, mas em vez de cordas para construir um cânone, ela usa cordões perdidos de DNA ou objeto estranho para se adaptar. Aqui, tentei injetar com o resfriado comum, veja o que aconteceu".

Eu assisti o monitor. O vírus foi injetado em uma pequena amostra do meu sangue e de repente o vírus começou a ser absorvido pelo meu sangue. Eu vi isso sendo desmontado pelas minhas células sanguíneas, algumas cepas permaneceram enquanto o resto foi digerido.

"Será que... meu sangue acabou de se vacinar?" Eu perguntei, incrédulo, e na parte de trás da minha cabeça não pude deixar de pensar que já tinha visto o sangue agir assim antes. Algum lugar...

"Certamente parece que sim", concordou Reynold, "e se pegarmos o tema da 'vacinação', podemos entender como você sobreviveu ao envenenamento por radiação. Seu sangue deve ter absorvido a picada de aranha e vacinado por seus efeitos, e então adaptado as propriedades para servir como uma inoculação para você. Peter, você já ficou doente antes? "

Eu pisquei tentando lembrar as memórias de Peter, "bem ... uma vez, eu acho".

"E desde então você nunca tem razão?"

Eu pisquei maravilhada, "oh meu deus... sim, eu nunca fiquei doente depois disso!"

"Então seria lógico que você nunca ficou", Reynold puxou várias outras telas, "eu não tenho idéia do que seu sangue é Peter, mas eu quero descobrir, isso pode ser a chave para resolver doenças e tudo o que atormenta o homem! "

Engoli em seco, "entrando um pouco quente lá chefe".

"Você está certo, eu estou! Isso é incrível, Peter! Poderíamos literalmente salvar o mundo com as coisas que você tem dentro do seu corpo! Por favor, deixe-me pesquisar isso? Por favor?" ele perguntou em um tom suplicante, seus olhos brilhando de espanto.

"Bem... ok, eu acho" dei de ombros "assim como, não me clone ou algo bem? Eu realmente não quero que isso aconteça."

Reynold piscou, "por que diabos você estaria preocupado com algo assim?"

Dei de ombros, "sem motivo, apenas dizendo", seria tão estranho lutar contra um clone de mim, tão estranho! E não pense que não pensei em um plano para quando a saga dos clones começa, porque eu tenho! Eu odeio essa história, sério, cara, qual era o sentido ?! Grr, Marvel porra!

Dei a Reynold mais algumas amostras do meu sangue, para sua excitação, e depois fiz as malas para o dia. Eram 2 da tarde, normalmente eu trabalhava até a noite, mas eu já tinha outros planos hoje.

Alguns dias depois:

Eu odeio Tôny Stark! Filha da puta! Odeio odeio odeio, playboy de merda! Não me ajudou em porra nenhum tirou meu sangue como um condenado e logo depois me mandou embora ? Aaaahhh, Stark maldito, eu definitivamente vou roubar seu prestígio de gênio.

A escola começou de novo depois das férias de inverno, eu sinceramente não lembro o que aconteceu na escola, lembrei de Harry olhando para mim, mas Felicia e eu não ligamos. Passamos o tempo todo olhando arregalados um para o outro, e as pessoas ficaram sinceramente surpresas, pois nem sabiam que estávamos namorando. Bem, eles fizeram agora.

Havia uma coisa interessante que saiu de tudo isso, eu finalmente consegui fazer o meu teste de motorista. Eu tinha apenas 15 anos, e isso era apenas prática, mas me senti feliz por finalmente colocar minhas mãos atrás do volante, não importava como.

Depois que a escola terminou, fui ao bunker da SHIELD, onde encontrei Natasha me esperando na sala de conferências com duas pastas na frente dela. Ela olhou para mim e estreitou os olhos. Ótimo, o que eu fiz agora?

"Você capturou um traficante e o gravou?" ela perguntou. Oh, é isso.

Dei de ombros, jogando minha bolsa em cima da mesa "em minha defesa, eu não tinha ideia de que Daves iria encontrar o chefe, eu acabei de encontrar com ele e decidi entrar."

"E você não pensou em chamar a polícia?"

"Não queria arriscar que Daves fugisse" respondi.

"E o vídeo?"

"Prova, caso Nick tente mentir."

"E envolver sua namorada?" ela levantou uma sobrancelha.

"Eu admito, eu fiz isso por diversão" eu ri.

Nat resmungou: "pelo menos você é honesto. Fury ficou bravo com a dor que você puxou. Ele rebaixou o técnico que ajudou a identificar John Travis".

"Então, Fury estava... furioso ?" Eu ri.

Nat rosnou esfregando as têmporas, "Deus me ajude" ela pegou uma pasta e a bateu na mesa. "Aqui, você queria uma missão, você conseguiu uma. Contra o meu conselho, Fury acredita que você está pronto, então aproveite. "

"Obrigado, seu entusiasmo é contagioso, mestre Romanoff" revirei os olhos. Peguei o arquivo e li-o rapidamente. Houve relatos de crianças desaparecidas na região de West Bronx, algumas crianças de rua ou crianças pobres, então ninguém realmente percebeu. Mas a SHIELD tinha, e o FBI também, mas este não tinha recursos para ir atrás deles, nem do tempo. Não era importante o suficiente, mas agora a SHIELD me pegou.

Memorizei os detalhes, as crianças visadas tinham entre 12 e 16 anos, algumas eram mais jovens, mas a maioria estava na puberdade. Todos eles eram de diferentes raças, negros, asiáticos, brancos, nada específico. Mas havia muito mais meninas que meninos, pode haver algo, não posso dizer com certeza.

Eu olhei para Nat, "você vem comigo?"

Ela balançou a cabeça, "não, esta é sua missão e apenas sua missão".

"Então isso significa que você estará me seguindo e se certificando de que eu não estrague tudo, legal." Eu ignorei seu sorriso malicioso, voltando ao jornal, "ok, apenas para que eu tenha certeza de que não vou para entender errado, qual é o objetivo da minha missão? "

"Você não sabe ler?"

"Eu quero ouvir isso de você."

"Encontre as crianças, salve-as, detenha todos os envolvidos e ligue para a SHIELD. Entendido?"

"Posso usar qualquer método que eu queira?" Eu perguntei.

"Sim, dentro da razão, então isso significa não postar no Instagram", Natasha olhou furiosa, e eu a ignorei.

"Tudo bem então" eu guardei a pasta e tirei meu casaco. Tirei minha camisa, revelando minha roupa desativada por baixo. Coloquei minha máscara e a ativei, coloquei minhas manoplas e bati a palma da mão no meio do peito, ativando o reator arc, as teias negras começaram a crescer para fora, cobrindo minha roupa, sim. Eu aprimorei meu uniforme.

"Eu não sabia que você descobriu a tecnologia de Stark." Nat disse com uma sobrancelha levantada para a minha fantasia. É isso mesmo, esta é a primeira vez que ela realmente vê, não é?

"Sim" assenti, "descobri não, eu fiz isso sozinho o merda do Stark que encheu o saco."

"Ele não vai ficar feliz com o que você fez com o reator arc" ela sorriu.

"Por quê? Você acha que ele vai me processar?" Eu perguntei um pouco de medo.

"Não, ele provavelmente ficará mais chateado. Um garoto de 15 anos descobriu sua tecnologia em quê? Um mês?"

Dei de ombros, "por quanto tempo sim. Mas eu tive ajuda, roubei o reator de arco de um daqueles drones Hammer, me ajudou muito a descobrir isso".

Natasha piscou, "quando você... esquece, me ligue se as coisas derem para o sul, preciso me reportar ao Fury", ela se levantou e se afastou.

Eu saí rapidamente do bunker e virei para o Bronx. A cidade estava lentamente sendo coberta pela escuridão, eu podia sentir os criminosos se preparando para começar a noite. Parei um assalto a caminho de West Bronx, mas foi isso, não podia deixar nada me distrair.

Cheguei à área com o maior número de seqüestros, oito quarteirões de ruas sombrias e prédios destruídos. As pessoas aqui eram pobres ou sem-teto, vi várias famílias morando em um apartamento, vi pessoas olhando desconfiadas para tudo que se mexia. Este lugar foi afetado pelos sequestros, eu pude sentir. Eles estavam com medo de seus filhos.

Andei pelas ruas, meus óculos de visão noturna ativados o tempo todo me permitiram ver tudo claramente. Nada escaparia da minha vista.

Quando me esgueirei, ouvi as pessoas que moravam sob os telhados gritarem.

"Isso não é mais seguro! Precisamos sair!"

"Papai, eu estou com medo."

"Estou apaixonado, cara! Ela é totalmente a única!"

"Talvez o mundo possa fazer com mais um policial."

Ouvi a conversa deles e fiz o possível para ignorá-los, embora alguns me fizessem parar. Como aquele em que um homem abusou do filho. Isso realmente me irritou. Mas eu estava em uma missão, não podia fazer nada sem me entregar.

Mas, com o passar da noite, fiquei cada vez mais focado no garoto sendo abusado. Senti raiva pela maneira como seu pai o espancava, como a mãe gritava. Como o menino chorou.

Eu queria parar com isso, mas quando me decidi a ajudar a porta da casa deles foi aberta e o menino saiu correndo.

"Volte aqui!" o pai correu o cinto na mão.

"Deixe-o George! Por favor!" a mãe o segurou com um braço.

"Solte minha cadela!" ele deu um tapa no rosto dela, fazendo-a voar de volta.

Eu estreitei meus olhos, fodidamente rastejando. Eu pulei para baixo, "ei você!" ele se virou para mim e arregalou os olhos de surpresa, "escolha alguém do seu tamanho", joguei um soco leve em seu estômago, derrubando o vento com facilidade.

Ele caiu no chão, segurando o estômago com dor, os olhos arregalando-se em choque quando ele secou. Eu me virei para a mulher: "Eu o trago de volta, eu prometo."

Ela piscou, "o-obrigada."

Eu balancei a cabeça e imediatamente corri para o beco em que o garoto entrou. Eu olhei ao redor do beco, dentro de latas de lixo, entradas de ruas, em todos os lugares. Ele correra e não parava.

Eu finalmente cheguei na estrada principal e olhei em volta, um pequeno parque estava do outro lado, se eu fosse uma criança tentando fugir, era para onde eu iria.

Corri para dentro e comecei a procurar pelo garoto. E assim que cheguei ao coração do parque, ouvi alguém gritar: "socorro! Alguém me ajude!"

Era o garoto! Eu me virei e corri em direção à voz. Cheguei ao outro lado no momento em que uma van branca se afastava à distância. Os seqüestradores, eles o pegaram. Eu precisava seguir.

Pulei no poste telefônico mais próximo e pulei sobre eles seguindo a van ao longe. Eles estavam indo embora rapidamente, mas eu consegui acompanhar, me escondendo nas sombras para que eles não pudessem me ver.

Eles dirigiram pelo que deve ter passado uma hora, por toda a cidade, dobrando de volta. Eles quase me viram algumas vezes, mas eu consegui ficar escondido subindo pela lateral dos edifícios, me escondendo onde eles nunca pensariam em olhar.

Finalmente, eles pararam em frente a um prédio no ponto de caça. O prédio estava enfiado entre o mercado de um fazendeiro e um armazém, com uma aparência tão chata que duvido que alguém tivesse olhado duas vezes para ele.

As portas da garagem se abriram e a van entrou. Eu consegui espionar homens lá dentro, armados com armas e equipamentos pesados, pareciam militares, esperavam que usassem todo preto. Algo estava errado, isso não parecia um anel de seqüestro de criança. Eu precisava ser cauteloso.

O prédio tinha três andares e as janelas estavam pintadas, algo não parecia certo. Eu pulei no telhado e procurei por uma abertura de ar que eu pudesse entrar furtivamente. Mas o que encontrei era pequeno demais para caber dentro.

Portanto, sem outra escolha, comecei a rastejar pelas paredes, alcançando uma pequena janela de onde podia sentir o cheiro de urina e produtos químicos de limpeza. O banheiro. Rapidamente cobri a janela de vidro com uma fina camada de tecido e pressionei a palma da mão contra ela, empurrando-a lentamente, aumentando continuamente a pressão antes de ouvir o vidro estalar.

As correias mantinham todas as peças juntas e amorteciam o vidro quebrado. Puxei a correia e os pedaços de vidro vieram com ela. Coloquei-o na parede e me arrastei para dentro.

O banheiro estava vazio, bom. Eu me escondo dentro de um banheiro e esperei cerca de dez minutos quando finalmente alguém entrou. Eu mulher pelo som de seus saltos altos. Ótimo, ótimo, entrei no banheiro de uma mulher. Não há tempo para modéstia, tempo para interrogar.

Eu a ouvi encostar no lavatório e na calça, parece que ela não estava tendo um bom dia. Ela tinha cabelos loiros, olhos azuis, alguns centímetros mais baixos que eu e ela parecia exausta. Eu escapei da cabine e limpei minha garganta, "olá".

"O que-" ela se virou e eu fechei a boca. Ela parecia horrorizada quando agarrou a correia e tentou se libertar.

Eu rapidamente cobri a porta do banheiro com a minha teia e agarrei-a pelo pescoço, levantando-a no ar com uma mão: "você vai me dizer o que eu quero, e se você mentir para mim, eu vou saber. Compreendo?"

A mulher parecia em pânico, ela lutou para se libertar. Rosnei, agarrei a pia e a esmaguei lentamente, transformando-a em escombros. Ela parou e olhou para mim horrorizada enquanto eu lentamente apertava a mão que eu tinha ao redor de sua garganta.

"Eu posso te matar sem pensar duas vezes. Então me diga o que eu quero saber!"

Dessa vez ela assentiu. Joguei-a em uma tenda e fechei a porta atrás de mim. Agarrei-o e apliquei uma solução que dissolveu lentamente. Foi algo que eu vim sob o conselho de Reynold. Ainda bem que o ouvi, hein?

"O que é este lugar?" Eu rosnei, fazendo a minha melhor voz do Batman.

"Eu não sei! Ninguém sabe! Fomos contratados por uma grande empresa e pedimos ... nos disseram para fazer alguns testes!"

"Em crianças?" Eu rosnei dando um salto, mas algo me disse pela maneira como ela empalideceu que eu estava certa sobre o dinheiro.

"Eu não sabia! Durante muito tempo, aperfeiçoamos a fórmula! Não sabíamos no que testá-los! Quando descobri que não queria fazer isso! Mas eles ameaçaram minha família!"

Eu entendi seus sentimentos, arrependimento, eu poderia usar isso.

"Conte-me tudo e eu vou detê-los. Hoje à noite, vou garantir que todas as crianças escapem e até o cientista como você, que não teve escolha."

"Você não pode", disse ela parecendo culpada e triste.

"Eu posso, e vou", disse-lhe firmemente.

"Você não entende! Você não pode salvá-los porque estão todos mortos!" ela estava chorando em lágrimas.

Meus olhos se arregalaram de horror. Todas aquelas crianças, todas elas... estavam mortas? Eu... eu não podia acreditar nisso. Eu... ia salvá-los, ia levá-los para a segurança e agora... morto?

"Monstros" eu rosnei.

"Nós somos" ela não tentou negar.

Eu me senti culpado por não perceber isso mais cedo, se talvez apenas um dia antes e uma outra criança tivesse sido poupada, mais uma família que não foi separada. E então lembrei-me da mãe cujo filho prometi voltar. Ainda havia tempo, eu poderia salvar pelo menos uma criança hoje à noite.

"Conte-me tudo", perguntei suavemente.

"Estávamos todos recém-saídos da faculdade", admitiu ela, "geneticistas das melhores universidades do mundo. Fomos recrutados e solicitados a replicar uma fórmula, algum tipo de aprimorador genético. Não sabíamos o que fazia, mas o o desafio foi empolgante. Fomos bem pagos e bem financiados. E há cerca de dois meses nós o resolvemos. "

Concordei, há dois meses as crianças começaram a desaparecer. "O que aconteceu depois?"

"Eles-eles trouxeram as crianças", ela parecia doente "muitas delas. Nos fizeram injetar as crianças na fórmula, tentando... não sei o quê. O gene deveria torná-las poderosas , além do humano. Mas... algo deu errado. Eles morreram, todos morreram. "

Experimentação em crianças? Por que eu senti vontade de matar alguém? "Alguém participou de bom grado?"

Ela balançou a cabeça, "não, ninguém fez."

"Então por que?" Eu não conseguia esconder o ódio da minha voz.

"Porque eles nos ameaçaram, todos um de nós", explicou ela. Ela me disse isso antes, mas depois do que eu acabei de ouvir... eu precisava saber que eles também não tinham escolha.

Eu olhei para ela, ela estava assustada. Mas eu sabia que ela também estava se sentindo culpada, talvez ela pudesse me ajudar.

"Quantos guardas no prédio?"

Ela pareceu surpresa com a pergunta: "ah, bem, 10 em cada andar e 30 no porão".

"O que há no porão?"

"É-é aí que fica a câmara de gás", ela engoliu em seco, "nós temos que fornecer a fórmula pelo ar. Não há outra escolha. Então as crianças são... estão...".

"Está tudo bem, você não precisa dizer", eu a paro " me diga..."

"Betty, Betty Cooper", a mulher forneceu.

Pisquei, "como os quadrinhos de Archie Andrews?"

Ela riu, "sim. Estou surpresa, não percebi que super-heróis... bem, leiam quadrinhos."

Eu zombei, "mulher, eu sou uma história em quadrinhos". Ela riu e, por um momento, tudo pareceu melhor. Suspirei e falei: "Betty, preciso de sua ajuda."

Ela parecia com medo, "o que? Eu? Mas o que posso fazer?"

"Você pode ser a prova viva" eu disse a ela, "você tem arquivos de suas experiências, sim?"

"Sim, todos nós fazemos."

"Bem, eu preciso deles."

"Por quê? O que você pode fazer com eles?"

"Fui enviado pelo governo, originalmente pensei que era apenas um anel de seqüestro, mas agora é muito mais do que isso. Preciso de provas, de informações para que meus empregadores possam localizá-los. As pessoas que forçaram você mata crianças, elas não merecem se esconder nas sombras e brincar com vidas humanas. Me ajude, te ajude. "

Voltei e esperei. Ela parecia em conflito por mais tempo. E então ela olhou para mim com olhos determinados: "Eu-eu faço!"

Eu balancei a cabeça, "bom. Agora", chutei a porta da cabine, "vamos salvar aquele garoto".

Nós escapamos e eu segui a liderança de Betty quando entramos no laboratório dela. Lá, invadi o sistema e baixei os planos do edifício para o meu SA. Ela e eu nos separamos, ela foi para o armazenamento principal de dados de todo esse prédio, enquanto eu descia as escadas.

(NT:SA é um A.A melhorado das indústrias Stark, eu n introduzi os vingadores mas posso melhorar o nosso miranha)

Eu rapidamente encontrei três guardas no corredor. Eu sorri, pulei e chutei o do meio na parte de trás, fazendo-o voar para frente.

"O que-" o da direita disse no momento em que meu punho encontrou seu rosto e minha perna esquerda chutou o último cara na virilha antes de eu lhe dar um tapa na cara.

Peguei todos os três e os coloquei na parede com minhas correias super duras no momento em que meu telefone tocou.

Peguei e coloquei no alto-falante "Olá, você está no alto-falante".

"Por quê? Isso não deveria ser uma missão secreta?" veio a voz afogadora de Nat.

"Foi, agora é mais como chegar ao porão o mais rápido que você pode fazer", eu coloquei na web mais dois guardas antes que eles me notassem e corri rapidamente para o elevador no final do corredor.

"Spider, há algo que você queira me dizer?" ela perguntou devagar.

"Sim, diga ao diretor que ele deveria ter alguém nisso no momento em que as crianças começaram a desaparecer", o elevador caiu no primeiro andar. "Alguém está fazendo experimentos neles, tentando modificá-los com algum mutagênico. Até os cientistas que trabalham aqui estão fazendo isso sob protesto. Todas as crianças até agora foram mortas, apenas uma está viva, e eu não estou pensando em deixá-la morrer."

"Aranha, você deve esperar pelo apoio", Natasha sibilou.

"Não" rosnei de volta, "é agora ou nunca. Desculpe viúva, mas eu não sou o tipo de cara que se senta e deixa uma criança ser morta" o elevador diminuiu a velocidade, "leva as pessoas à minha posição, não ' ferir os cientistas, os guardas, por outro lado, são justos ".

"Aranha…", ela suspirou, "apenas... apenas não morra, ok?"

Eu ri, "ok viúva, eu prometo", desliguei assim que as portas se abriram e dois guardas me olharam surpresos.

"Que porra-" Eu peguei os dois e os puxei para dentro. Joguei-os no elevador e comecei a bater neles. As portas se fecharam lentamente e, quando elas se abriram, eu fui a única que saiu com os outros dois corpos inconscientes atrás de mim.

Esgueirei-me pelas sombras do longo e escuro corredor. De acordo com os esquemas do edifício, deve haver uma grande sala adiante. Eu o encontrei rapidamente, mas logo percebi que estava trancado, não com uma chave também, era do tipo digital. Felizmente, eu tinha algo para isso.

Peguei a caixa de decodificador da Oscorp que roubei da equipe de Rhino e coloquei-a na trava digital, a máquina ativada e girada, correndo rapidamente através dos números antes de ouvir a porta destrancar.

Peguei a caixa do decodificador e silenciosamente entrei na sala, fechando a porta atrás de mim. Lá dentro, parecia o covil de um vilão, se eu já visse.

As paredes estavam alinhadas com máquinas e telas, o cientista andando olhando os cálculos, e para cada cientista havia dois guardas com metralhadoras. E no meio da sala havia uma câmara de vidro com um garoto inconsciente dentro, tubos conectados ao interior.

O garoto parecia seguro, se estivesse apenas dormindo. Eu me escondo rapidamente atrás de uma grande estação de trabalho, pulando na parede e rastejando perto das vigas.

"Quando isto estará pronto?!" Eu ouvi um homem gritando. Ele estava de pé em um palco diante da caixa de vidro, vestido com armadura completa e um braço direito robótico. Ele parecia velho, como o Vietnã, e julgando meus músculos e cicatrizes que ele provavelmente estava no Vietnã.

"N-nós estamos apenas terminando a fórmula, senhor, apenas mais alguns segundos e isso poderia aumentar a chance de sucesso em 12%", um homem magro estava ao lado do velho soldado parecendo horrorizado.

"12%? Isso não parece muito" o homem rosnou.

O cientista magro engoliu em seco "sim-sim, mas é alguma coisa. A criança pode até sobreviver desta vez e-"

"-Seu trabalho não é salvar ratos sem valor!" o homem gritou, batendo com o punho de metal no parapeito do palco. "Seu trabalho é fornecer resultados!"

"S-sim senhor! Eu sei, mas-"

"-Mas nada!" o homem gritou: "comece o experimento agora! Ou você quer um lembrete do que eu fiz ao seu antecessor?" ele terminou com um rosnado.

"N-não, senhor! Vamos começar imediatamente! Charles! Prepare tudo! O experimento 32 começa agora!"

"Sim, Dr. Lang!" um homem mais jovem assentiu enquanto se movia para pressionar um grande botão vermelho. Eu não conseguia mais me esconder, precisava detê-lo!

"Esperar!" Eu gritei parando todos na sala, desenhando todos os olhos em mim. Eles pareciam chocados ao me ver, eu engoli em seco, "então... o tempo está bom hoje, certo?"

"O que diabos o Homem-Aranha está fazendo aqui ?!" o velho soldado gritou.

"Parando você!" Gritei, puxando um cartucho dos atiradores de teia e jogando-o nos principais painéis de controle. No momento em que atingiu, explodiu em uma granada de teia, penetrando em cada rachadura da maquinaria.

"Não! Ele está estragando tudo!" o velho gritou, virou-se para dois guardas atordoados. "O que você está esperando ?! Atire nele!"

Os guardas saíram de sua surpresa atordoada e rapidamente abriram fogo contra mim. Felizmente, meus sentidos de aranha entraram em ação e eu desviei as balas com facilidade, saltando para a caixa de vidro com o garoto dentro.

"Aposto que você não pode atirar em mim!" Eu provoquei. Os guardas caíram, atirando em mim, eu me esquivei rapidamente, as balas quebrando a caixa de vidro com o garoto dentro.

"Não! Pare com ele, seus idiotas!" o soldado gritou quando todos os outros na sala fugiram em pânico.

"Obrigado, pessoal! Não sei como teria tirado ele dessa caixa!" Eu ri quando pulei na parede e pulei para longe, na esperança de esvaziar seus clipes rapidamente.

Mas não prestei atenção no que eles atiraram. Uma bala perfurou uma tubulação ao lado da minha máscara, liberando um gás verde que nublava minha visão. Imediatamente tudo ficou embaçado e eu perdi todo o senso de equilíbrio caindo no chão como uma mosca.

"Seus tolos! Você matou todos nós!" O Dr. Lang gritou quando ele e seus assistentes saíram correndo da sala.

Senti minha cabeça girar, fui envenenada? Oh Deus, o gás. Eu pude ver isso vazando, mataria o garoto, tantos mortos, que não posso mais morrer.

Levantei-me devagar, vi os guardas fugindo pelo canto do olho. Malditos covardes. Olhei para o cachimbo e levantei a mão trêmula. Eu pisquei minhas pálpebras pesadas e atirei uma corrente de correias cobrindo o cano, selando o vazamento de gás.

"Impressionante", veio a voz do soldado. Eu olhei para cima, ele estava olhando para mim do seu palco.

"Você não correu como um covarde." Eu ri quando senti meus pés lentamente recuperarem a força, parei de ver três e lentamente foquei nele.

"Você é realmente incrível, sabia disso?" ele perguntou com um sorriso: "as pessoas que se submeteram a esse gás morreram em segundos, mas você? Você sobreviveu... você é um trunfo para meus empregadores".

"Desculpe amigo, eu não sou o patrimônio de ninguém, muito menos um culto a assassinos de crianças", eu cuspi.

"Sacrifícios precisam ser feitos", ele deu de ombros quando agarrou sua armadura e a jogou para fora, revelando um corpo musculoso por baixo que poderia ter envergonhado Thor com base na pura massa muscular.

"Vou te dar uma chance, Spider, junte-se a mim, juntos podemos salvar o mundo", o homem sorriu.

"Desculpe, isso não vai acontecer", eu estava ofegante, não sei quanto tempo posso ficar de pé.

"Tudo bem, seja assim, vou extrair o seu segredo do seu cadáver!" ele me atacou com a mão direita levantada. Sua palma de repente se transformou em uma lâmina de metal gigante vindo diretamente para mim.

Eu normalmente teria pulado para longe e prolongado a luta, aprendendo quem ele era e para quem estava trabalhando, mas não tenho tempo para isso.

Eu levantei minha mão e atirei um repulsor em seu braço de metal, rasgando-o em pedaços. Ele deu um toco em mim e piscou quando não me machucou.

"Como você-"

Disparei uma linha de teia em sua boca e agarrei-o pelo colarinho, jogando-o no ar antes de colá-lo na parede com correias. "Simples, eu sou o Homem-Aranha", virei-me para o garoto, ele estava vindo lentamente também. Eu realmente não estava ansioso por isso.

Peguei o garoto e o coloquei de costas quando entrei no elevador. Ele se abriu no térreo e eu caminhei lentamente até a saída. Mas quando me aproximei da saída, notei lampejos de vermelho e azul do lado de fora, por favor, deixe isso ser ESCUDO, por favor, deixe isso ser ESCUDO.

Saí e encontrei o cientista e guardas armados sendo contidos por homens e mulheres em ternos pretos. Eles tinham o logotipo da SHIELD nos braços - sim! - e, de pé na minha frente com uma sobrancelha levantada, não havia outro senão o próprio Fury.

"E aqui pensei que não voltaríamos a nos ver." Eu ri fracamente, esse gás estava voltando, eu acho... eu posso desmaiar dessa vez.

"Bem, eu não esperava isso agora, esperava?" ele perguntou: "32 crianças sequestraram e experimentaram, e não tínhamos ideia".

"31", eu disse a ele.

"O que?" ele perguntou levantando uma sobrancelha.

"31", tirei o garoto das minhas costas e chamei um agente, colocando-o nos braços que a esperava. "Ele teve uma vida doméstica difícil, então quando você o devolver, certifique-se de agredir o pai dele por mim, ok? "

O agente parecia cético, ela se virou para Fury, que apenas suspirou e assentiu. A mulher então saiu com o garoto na mão e voltei minha atenção para Fury.

"Você está aqui para me despedir?" Eu perguntei.

Ele levantou uma sobrancelha, "por que eu faria?"

"Porque eu não esperei pelo backup", suspirei encostada em um poste de telefone, sim, o gás estava me afetando. Por favor, não me diga que é assim que eu morro!

"Você fez o que foi dito", suspirou Fury, esfregando um olho. "Suponho que não é sua culpa a inteligência estar tão errada..."

Suspirei, "então eu não estou demitida, yay!"

"Não, você não está, de fato, estou aqui para parabenizá-lo por sua primeira missão", Fury assentiu, "e para limpar essa bagunça."

Eu sorri, "fale com Betty Cooper, loira, e não, eu não estou inventando isso. Ela tem todos os arquivos que você precisa sobre os experimentos que estavam fazendo. Deve ser um bom lugar para começar".

Fury assentiu. "Eu aposto que sim." Senti meus olhos ficarem pesados, ele me notou encostado no poste, "você está bem? Você parece exausta".

"Eu sou", eu disse a ele, "fui exposto a algum tipo de gás lá dentro. Era o que eles costumavam experimentar nas crianças. Acho que não vou morrer ou algo assim, meu sangue ... é especial. Mas me sinto exausta, talvez ... talvez apenas uma soneca. "

Fury parecia preocupado: "o que você precisa é de um médico".

"Para que você possa experimentar comigo enquanto estou dormindo? Não, obrigado." Eu ri.

"Isso não é uma piada, Spider", ele rosnou.

"Tudo bem" suspirei, "chame Reynold Roth, ele sabe muito mais sobre meu trabalho de sangue do que qualquer outra pessoa no planeta. Se alguém pode me ajudar, ele pode. Ligue para ela agora."

Fury assentiu. "Tudo bem. Mais alguma coisa que você precisa?"

Eu ri, "oh, eu não sei, já que você está perguntando, eu poderia ter outro desses fatos de combate que você tem? E torná-lo do tamanho de uma mulher", Fury levantou uma sobrancelha, "por favor, não pergunte eu porquê."

"Sinto que vou me arrepender disso" ele suspirou.

Eu ri, "S-sim, você apenas-" e de repente minhas pernas cederam e eu caí para o lado. Minha cabeça bateu na calçada, mas não senti nada. Eu ouvi os gritos abafados de Fury através do meu capacete, mas eu não queria ouvir. Eu só precisava dormir um pouco ... sim, é disso que eu preciso.

(NT: essa parte é importante, tem algo a ver com futuro da fic e os poderes do próprio homen aranha. Se não quiserem ler, apenas pulem lá pra baixo tem uma interação com a Felícia e o Peter)

Acordei me sentindo confortável. Olhei em volta, conheço este lugar, foi o primeiro quarto que vi no esconderijo da SHIELD, a baía dos médicos. Droga, eu devo ter sido nocauteado.

Eu ainda estava usando minha fantasia de Homem-Aranha, meu capacete foi removido e colocado na mesa lateral junto com meus lançadores de teia. Saí da cama e meus pés balançaram um pouco, pareciam pesados, como realmente pesados.

Coloquei minhas luvas e capacete e saí da sala, precisava encontrar Reynold, ele teria alguma idéia do que estava acontecendo.

Andei pelo corredor e entrei no laboratório dele, abri a porta e entrei, "Reynold, precisamos conversar".

"Peter ?! Oh meu Deus, você está acordado!" Reynold gritou quando ela correu até mim e me abraçou: "Estávamos todos tão preocupados! Quando Fury te trouxe, pensávamos que você ia morrer! "

Reynold respirou fundo e soltou o ar. Ele me abraçou mais uma vez: "Estou feliz que você esteja vivo."

Eu o abracei, "eu também Reynold."

"E você nunca faz algo assim de novo ?!" ele gritou me batendo no ombro o mais forte que pôde, "todos pensávamos que você estava morto! O que você estava pensando ?!"

"Ah, em minha defesa, havia a vida de uma criança em risco", suspirei enquanto removia meu capacete, mostrando meu rosto real.

"E às vezes você esquece que também é criança", retrucou Reynold.

Reynold suspirou e apontou para uma cadeira. "Sente-se e tire sua roupa. Preciso de uma amostra de sangue e não consegui descobrir como removê-la".

"Fury não contou a você?" Eu perguntei enquanto ampliava minha roupa e a agitava sentada no banquinho com nada além de minhas cuecas.

Derrepente, alguém entrou no laboratório, uma mulher encantadora, ela exalava um cheiro muito bom, como se fosse um perfume muito cheiroso.

eu estava focado naquele cheiro, agora era mais forte, vinha daqui. Mas eu nunca senti isso antes na minha vida, pelo menos nada assim. Então como? Ou melhor, o que é isso? Isso tinha algo a ver com o gás ao qual fui exposto? Isso me mudou? Mutar meus poderes?

Reynold tossiu, "então ah Peter, me conte o que aconteceu."

Suspirei, "bem, por onde começar", rapidamente contei a ele sobre a missão e o que havia acontecido. O gás e por que eu acho que poderia ter chegado a mim.

"Bem, vamos ver isso", disse Reynold enquanto levava meu sangue para sua estação de trabalho.

Voltei ao meu laboratório que eu fiz no esconderijo e peguei minhas roupas civis que guardei para o caso de precisar. Eu arrumo minha roupa e guardo, voltando ao laboratório de Reynold. Seus monitores estavam cheios de imagens do meu sangue e Reynold olhou para eles como se não entendesse o que estava acontecendo.

"O que está errado?" Eu perguntei a ele.

"Nada" ele sibilou "o que é exatamente o problema. Seu sangue está diferente agora, sua estrutura genética é... é como se eu tivesse mutado" ela puxou dois monitores exibindo minha hélice genética, "o da direita é seu sangue há uma semana, o da esquerda é o seu sangue agora. "

Eu olhei para as duas amostras, a que eu tinha uma semana atrás parecia relativamente normal, e a que eu tinha agora. Mas, olhando mais adiante, percebi que certos fios eram diferentes, transformados em algo completamente diferente.

"Porra!? O que aconteceu" Eu perguntei.

"Eu tenho uma teoria" disse ele "está relacionada aos seus meta poderes." Eu balancei a cabeça permitindo que ela continuasse, "veja bem, acho que seu sangue é a chave para sua sobrevivência. Como descobrimos pela primeira vez, seu sangue se adapta a invasores estrangeiros, então talvez desta vez tenha feito a mesma coisa".

Eu cantarolei: "Você tem os arquivos do laboratório? Sabemos o que era isso?"

Ele assentiu: "Sim, só um segundo" ele rapidamente colocou vários documentos na tela, "pelo que entendi que esses geneticistas eram tarefas para recriar algum tipo de maneira de duplicar um mutagene. Pelo que entendi, esse gás foi baseado sobre um 'Sujeito-D', alguém que aparentemente possui algum tipo de poder especial ".

"Sabemos que tipo de poderes ele tinha?" Eu perguntei.

"Não, o arquivo dela não foi incluído nas pastas reunidas pela SHIELD", Reynold me disse.

"O sujeito D é uma mulher", afirmei, "tudo bem... e a sequência genética dela? Podemos descobrir o que há de tão especial nela através dela?"

"Não, porque eles também não sabiam."

"O quê? Como isso é possível? Eles estavam tentando recriar seus poderes, mas não tinham idéia de como eles funcionavam ou mesmo o que eram ?!"

"Por que você acha que 31 crianças morreram como resultado?" Reynold cuspiu, "porra de monstros. Eles não tiveram tempo ou material suficiente para pesquisar, é como dar a um bebê algumas cores de água e pedir que ele pinte a Mona Lisa. Impossível, a menos que você tenha um gênio trabalhando para eles".

Suspirei, "então o que sabemos sobre o próprio gás? O que podemos dizer?"

"Bem, o gás era composto de certas propriedades das quais não tenho muita certeza", resmungou Reynold, "parece que o cientista recebeu uma amostra do sangue do Sujeito D, mas não teve permissão para examiná-lo. teve que de alguma forma empurrar o sangue para dominar os corpos das crianças " ele parou " crianças Peter... crianças fodidas! "

Baixei a cabeça: "Eu conheço isso, acredite em mim, eu sei."

"Como a SHIELD não sabia disso?" ele perguntou.

"Eles fizeram... eles simplesmente não tinham ninguém para assumir a missão, até que eu apareci", eu suspirei.

"Eu juro, da próxima vez que vir Fury, vou estrangulá-lo!" ele gritou enviando um flash de poder que empurrou tudo ao seu redor enquanto criava um campo de força invisível ao seu redor. Sim Reynold tinha poderes.

"Reynold, acalme-se", eu disse rapidamente.

"Sim... desculpe por isso", ele rosnou antes de se virar para o monitor.

Eu estava prestes a responder quando cheirei algo no ar novamente, cobre enferrujado. Cheirava queimado, um fogo? "Reynold, você cheira isso?"

Ele parecia confuso, "cheira o quê?"

"Isso", cheirei, "como cobre queimado. Como se algo estivesse queimando?"

"Eu não tenho certeza", ele gemeu, ele abriu as câmeras de segurança do prédio Baxter, "eu não estou recebendo nenhum alarme de incêndio em nenhum lugar nos cinco primeiros andares, Peter."

Eu estreitei os olhos, fui para ela para olhar a tela e imediatamente o cheiro ficou mais forte. Estava vindo dele? Novamente?

Eu pisquei, "Eu-ah... esqueça isso."

Reynold parecia preocupado: "Peter, se você está cheirando algo que não está lá, talvez tenha uma concussão ou algo assim. Talvez devesse descansar."

Eu choco minha cabeça, "não até descobrir o que há de errado comigo".

"Peter-"

"-reynold, por favor, eu preciso saber", implorei.

Ele suspirou, "tudo bem". Ele abriu meu exame de sangue novamente, "eles usaram radiação para tentar fundir o sangue do Sujeito-D... nos sujeitos de teste", ele rosnou e mais uma vez senti o cheiro do sangue de cobre. Era a raiva dela que eu cheirava? Posso fazer isso agora?

"Então a radiação novamente", eu suspirei, "primeiro era uma aranha irradiada, agora irradiava gás... Espere um minuto, podemos fazer engenharia reversa em minhas duas amostras de sangue e ver a diferença que ocorreu até agora?"

Os olhos de Reynold se arregalaram antes que ele sorrisse, "isso é brilhante!" Ele rapidamente começou a se mover pelo laboratório, eu vi quando ela começou a trabalhar fazendo algo que eu nem tinha a menor idéia do que. O que? Havia limites para o que Peter poderia ser incrível: a genética não é um deles.

"Droga!" ele gritou de repente.

Eu imediatamente fui até ele, "o que há de errado?"

"Seu sangue! É isso que está errado!" Ele gritou: "Está trancado!"

Eu pisquei, "o que você quer dizer?"

"Quando tentei analisar o seu DNA, os genomas eram ilegíveis", ele sussurrou, o cheiro de cobre queimado tomou o ar " era como... como um computador criptografado. Eu não podia acessar as alterações feitas, é como o seu DNA tem uma senha, então não posso decodificá-lo! "

Eu pisquei, "como isso é possível?"

Reynold suspirou: "seus genes têm uma espécie de camada protetora de enzimas que os cobre, impedindo que as pessoas entendam o que são. É a mesma coisa que permite que você se adapte à sua picada de aranha, assimilando seu poder de aranha, só que agora isso me impede de olhar para sua estrutura genética. Usamos enzimas para cirurgia genética, mas no momento em que introduzo qualquer enzima, sua... camada de proteção o bloqueia, impedindo-me de olhar para dentro. "

Pensei nisso por um longo tempo e acho que meio que fazia sentido "então quando você diz que precisa de uma senha para acessar o DNA..."

"Quero dizer, preciso de uma enzima específica que possa cortar seu material genético sem ser absorvido ou destruído".

Esfreguei minha cabeça, "PORRA!!!".

"Sim." Ele suspirou enquanto se inclinava contra a mesa em derrota.

"Bem, olhe dessa maneira, pelo menos agora as pessoas não estarão usando meu sangue para clonar um exército", eu ri.

Sue olhou para mim com uma sobrancelha levantada, "você pensa nas coisas mais estranhas, Peter".

Dei de ombros: "Oh, por favor, você acha que algum homem louco por aí não está planejando a mesma coisa? Droga, a SHIELD provavelmente já tem um pouco do meu DNA, mas espero que eles não possam estudá-lo também".

"Espero que sim", suspirou Reynold "desculpe Peter, acho que não tenho ajudado muito hoje, hein?"

"Você está brincando? Você me ajudou mais do que o suficiente", sorri. "Eu sei que não estou morrendo, então isso é algo super importante."

Ele revirou os olhos. "Sim, eu acho. Eu só queria saber o que mudou em você."

Dei de ombros, "seja o que for, tenho certeza que vou descobrir em breve" me despedi bem e rapidamente fui para casa. Felizmente, Sue me cobriu com minha tia e tio, dizendo que eu estava apenas trabalhando até tarde.

No dia seguinte, eu estava na escola como se nada tivesse acontecido. Natasha continuou me olhando com cautela durante a aula de inglês, mas rapidamente assegurei que estava tudo bem, e se eu precisasse de ajuda, contaria a ela.

Depois da escola, Felicia, Gwen e eu fomos ao nosso café favorito para as aulas de reforço. Sentei-me e suspirei, meu corpo estava um pouco pesado, eu como demais? Talvez... algo não esteja certo.

"Você está bem, Tiger?" Gwen perguntou enquanto pegava seu livro de física, "você parece um pouco sob o tempo".

"Estou bem", suspirei, "cheguei em casa tarde da noite passada, tinha muito trabalho a fazer."

"Para o FF?" Felicia levantou uma sobrancelha quando se sentou ao meu lado.

"Não, para um cliente", eu disse a ela, que era a nossa maneira de dizer que era relacionada ao Homem-Aranha.

"Hm, você está bem?" ela perguntou verificando minha temperatura, "você não está com febre".

"Não, só um pouco... lento, suponho?" Suspirei.

"Oh querido, você quer que eu a beije e melhore?" Felicia perguntou.

Eu sorri, "hm, poderia ajudar", ela se inclinou e me beijou nos lábios, de repente fui assaltado pelo cheiro de xarope de bordo quente mais uma vez, luxúria. Graças a Deus, porque se ela estivesse sentindo algo mais, isso seria estranho.

"Você sente vontade de ensinar?" Gwen perguntou, ignorando o fato de a língua de Felicia ainda estar na minha boca.

Eu quebrei o beijo e me virei para ela, "sim, eu estou bem, só... eu já volto", eu me levantei, meu estômago estava girando.

"Peter-" Felicia gritou preocupada.

"Eu estou bem, eu prometo." Eu disse a ela rapidamente correndo para o banheiro.

"Você acha que é algum tipo de vírus?" Gwen perguntou.

Felicia chocou a cabeça, "não, se fosse eu também aceitaria."

As bochechas de Gwen ficaram vermelhas, "porque vocês dois são... físicos."

Felicia sorriu, "você poderia dizer… beijando Red "

(NT:pra quem não lembra, 'RED' é o apelido que Delícia deu para Gwen)

"C-certo" ela gaguejou, "eu não sabia que vocês estavam... lá ainda."

"Nós somos" Felicia assentiu, "você e Dick?"

"Não" rosnou Gwen, "ele é muito insistente, mas do jeito que está me tratando... eu realmente não vejo esse final bem para nós."

"Hm, me diga como está Osborn?" Felicia perguntou tomando um gole de sua bebida, "bom beijo?"

"Bem" Gwen corou, "ele está bem, me faz feliz quando ele faz isso, mas ele é sempre tão... insistente. Ele estraga o momento em que você sabe, tenta chegar cedo demais."

(NT:ela tá de caso com o Harry, caso não deixei explícito)

Felicia assentiu, "sim, entendi. Antes de Peter eu namorava alguns caras assim, mas fica melhor, prometo. Você só precisa conseguir um Peter, é tudo."

Gwen suspirou, "sim, talvez você esteja certo... então, como está Peter?"

"Perfeito" Felicia sorriu, "Eu juro que é como se ele fosse uma pessoa diferente depois que voltou da viagem. Ele é tão exigente às vezes, mas ele não é realmente físico?"

"O que você quer dizer? Como isso não é físico?" Gwen perguntou.

"Bem... é como se ele exigisse que sua mente, corpo e alma prestassem atenção a ele" Felicia riu, "é honestamente meio fofo. Mas quando você está no momento, é como se nem pensasse em dizendo não. "

Gwen piscou, "hein, parabéns, eu acho."

"Obrigada, eu realmente tive sorte. A maioria dos caras como ele seria tão arrogante com isso, eles pensam que só porque eles têm um pau enorme, eles podem exigir o que quiserem e não dar nada em troca. Então, eu estou feliz-"

"-Espere o que?!" Gwen gritou em choque. Todos se viraram para olhá-la e a ruiva corou. Ela rapidamente deu a volta na mesa e sentou-se ao lado de Felicia e sussurrou: "Como assim ?!"

"O que?" Felicia perguntou confusa.

"O que você quer dizer com... idiota", Gwen corou, "vocês já fizeram isso ?!"

Felicia pareceu surpresa, "bem... sim. Espere, você pensou que eu estava falando sobre me beijar o tempo todo?"

"Sim!"

"Ha! Sua inestimável Red" Felicia riu enquanto bebia sua bebida.

"C-como ?! Quando ?!"

"A noite da sua peça" Felicia respondeu com um encolher de ombros.

"Oo que ?!" Gwen chiou, "tão cedo ?!"

Felicia encolheu os ombros, "parecia certo. Eu queria e ele também... e, nos sentimos muito próximos naquela noite" Felicia sorriu lembrando-se dela descobrindo seu segredo e ele a amando enquanto conhecia o dela. Foi realmente uma noite incrível.

"M-mas" Gwen pareceu chocado, "uau".

"Sim, eu tive a mesma reação", brincou Felicia.

"Então, quando você disse que ele estava exigindo..."

"Ah, sim, áspera, mas não tanto que doeu", Felicia lembrou-se da dor de perder a virgindade, "bem... talvez tenha um pouco de dor"

Gwen piscou, "Felicia, detalhes agora." Felicia pareceu surpresa, mas deu de ombros, e depois contou a Gwen sua primeira vez, entrando em detalhes sempre que necessário.

Entrei no banheiro e alcancei a pia, secando nela. Eu olhei para cima, meu rosto parecia abalado, perdendo lentamente a cor. Eu lavei meu rosto rapidamente, talvez fosse hora de ligar para a SHIELD?

Mas então, de repente, meu corpo parou de tremer, a dor de estômago desapareceu, eu me senti normal novamente. Suspirei, o que diabos está acontecendo?

De repente senti algo, minhas mãos começaram a tremer. Eu podia sentir algum tipo de energia dentro das minhas mãos, eu podia sentir isso crescendo. Meus músculos tremeram, fiquei curioso, segurei esse sentimento e lentamente tentei extrair mais dessa energia, quando lentamente meus braços começaram a brilhar em azul.

Meus olhos se arregalaram, os cabelos dos meus braços se levantaram diretamente da estática, a energia se acumulando nos meus braços cresceu e cresceu e, de repente;

Estrondo!

A energia azul foi descarregada da minha mão, a força surpreendente do ataque me fez perder o equilíbrio me mandando na bunda, o raio azul de energia atingiu a janela do banheiro e evaporou no ar, faíscas de eletricidade voaram pela superfície do espelho.

Comecei com minhas mãos, a energia brilhante desapareceu lentamente, eu podia sentir mais dentro de mim, mas sem eu guiá-la para fora, ela permanecerá. Minha mente lógica rapidamente assumiu, eu precisava processar isso rapidamente.

A energia que extraí era do meu próprio corpo, brilhava em azul e agia como um raio de plasma. Não tinha massa... agia como um arco de eletricidade quando batia no espelho, o vidro era um ótimo isolante de eletricidade, por isso não quebrava.

"O que diabos é isso?" este não era um poder que o Homem-Aranha tivesse... pelo menos não essa versão dele.

Miles Morales, ele teve um ataque semelhante a esse, aproveitando sua bioeletricidade para atordoar as pessoas. Significando... não, isso não fazia sentido, Miles, se ele estivesse vivo, seria jovem demais para ter poderes próprios. Significando que era outra pessoa.

Os poderes, eles vieram do gás, que tinha o DNA do 'Sujeito-D'... D... Drew? Jessica Drew? Oh meu Deus, isso se encaixa, Jessica Drew tem sua própria forma de explosões de veneno e... ela podia controlar e detectar feromônios! Um dos quais eu poderia fazer agora!

Ela também tinha habilidades semelhantes às de Peter, mas como eu já as tenho, duvido que haja muita diferença nisso. Eu sei que ela tem algumas coisas únicas apenas aqui, mas agora eu as tenho também.

Voltei à minha memória, Jessica Drew, mulher-aranha, sem relação com Peter Parker. Inteligente, leal, sexy pra caralho, se bem me lembro e... ela era uma agente da Hydra. PUTA MERDA!!!! A mulher aranha não era Gwen Stacy!!!

Se 'Sujeito-D' fosse Drew, as pessoas que pegamos na noite passada foram... Hydra. E se esse universo é semelhante ao universo cinematográfico da Marvel, o SHIELD é HYDRA! É por isso que as pessoas rejeitaram o caso de seqüestro de crianças por tanto tempo! HYDRA estava comprando é hora das pessoas!

Fury estava com raiva de mim, ele agiu com raiva e me designou um caso que ele nunca deveria. Ao fazer isso, ele estragou o plano de Hydra, e eu... Puta merda, o soldado, ele era um membro de alto escalão na operação, um membro da HYDRA!

Eu não queria contar a Fury sobre a HYDRA, não sabia como explicar um garoto de 15 anos sabendo de uma agência escondida dentro de outra agência que é a mais protegida e misteriosa do mundo.

Mas agora eu poderia! Eu só precisava que aquele velho falasse!

Peguei o telefone da SHIELD e liguei para Nat, ele tocou duas vezes antes que ela atendesse: "o que é Spider?"

"O velho soldado da noite passada, ele disse alguma coisa?"

"Por quê? Algo está errado?"

Hesitei, devo contar a ela sobre meus poderes? Não... a SHIELD já tinha um arquivo em mim, o que significa que a HYDRA tinha um arquivo em mim. Caso eles planejem me tirar, eu precisaria de um ás na manga e meus novos poderes precisam ser mantidos escondidos.

"Não" eu menti, "eu estou bem. Mas eu só estava curioso sobre o homem que ordenou a morte de 32 crianças. Você já o fez falar?"

"Aranha... ele está morto", ela falou.

Meu coração pulou uma batida, eu rosnei, "como?"

"Cápsula de cianeto" ela respondeu.

"Você não pensou em procurar um desses ?!" Eu gritei.

"Tivemos, ele teve outro, não sabemos como ele conseguiu."

"Alguém do lado de dentro deu a ele?"

"Você acha que temos um espião no SHIELD?"

"Eu ficaria surpreso se não o tivéssemos" eu assobiei, "alguém atrasou o processo, se eu não conseguisse que Fury me desse um caso, provavelmente nunca teria sido atendido. Algo não está certo. Viúva."

Ela ficou em silêncio por um longo tempo antes de falar, "concordo... mas até sabermos o que não podemos nos mover, você entende?"

Suspirei, "sim".

"Faça tudo o que você normalmente faz, não chame a atenção, eles podem estar assistindo."

"Sim... eu sei" fiquei um pouco paranóico, mas me acalmei, entrar em pânico não ajudaria ninguém.

"Bom... eu não vou participar do seu treinamento hoje, Fury me fez investigar o laboratório de genética. Aproveite."

"Quando você estará de volta?"

"Desconhecido, se durar mais de uma semana, mandarei alguém assumir."

"Tudo bem, cuide-se, viúva."

"Você também, Spider."

Ela desligou, eu suspirei, espero que a HYDRA não comece a se interessar por mim, espero que eles pensem que eu sobrevivi por causa dos meus poderes, e não porque eu era capaz de me adaptar, ganhando novos.

Saí do banheiro e também as meninas. Felicia estava sussurrando algo para Gwen, fazendo a garota corar mais e mais a cada segundo.

"Ei", eu gritei.

Gwen se levantou e olhou para mim. E imediatamente seus olhos foram para minha virilha antes de olhar para mim "e-ei", ela resmungou.

Eu pisquei, de repente senti cheiro de xarope de bordo, excitação. E estava vindo do Gwen. Eu levantei uma sobrancelha, "está tudo bem?"

"Sim, Tiger" Felicia sussurrou, "perfeitamente bem."

"S-sim!" Gwen respondeu.

"Tudo bem então", eu disse cautelosamente sentando em frente a eles.

"Você está se sentindo melhor?" Gwen perguntou.

"Sim, apenas com uma dor de estômago, estou bem agora" disse a eles, precisaria testar meus poderes, ver o que realmente podia fazer. Mas depois, não agora. "A propósito, Gatinha, meu chefe acabou de ligar, não preciso trabalhar hoje, então se pudermos passar algum tempo juntos."

Imediatamente Felicia sorriu, "sério ?! Isso é ótimo! O que você quer fazer?"

Dei de ombros, "qualquer coisa, querida, eu sou todo seu hoje."

"Bem" ela me olhou de cima a baixo, "talvez... fazendo compras!"

"Compras?" Eu perguntei.

"Sim! Está na hora de eu comprar algo decente para você, Peter!" ela sussurrou: "você tem um corpo incrível, mas continua usando aquelas roupas grandes e desajeitadas!"

Eu olhei para baixo, ela estava certa. Eu pretendo apimentar o guarda-roupa de Peter há algum tempo, mas nunca tive tempo nem dinheiro para isso. Huh, acho que sim agora.

"Ok gatinho, vamos às compras" sorri.

"Sim!" Felicia sorriu.

"Depois que terminarmos de estudar" eu disse a ela.

"Oh, vamos lá, nós já sabemos essas coisas!" Felicia choramingou: " você nos ensinou há algumas semanas! Estamos basicamente revisando tudo certo ?!"

"Bem... eu suponho", eu murmurei.

"Isso resolve, vamos às compras! Agora!" Felicia fechou os livros com força e guardou as coisas.

Suspirei e me virei para Gwen, "desculpe Geen, mas acho que precisamos chamá-lo hoje cedo".

Gwen assentiu, "está tudo bem, Tiger, eu entendi. De qualquer forma, aproveite o seu encontro, vocês dois", Gwen mudou-se para sair quando Felicia a parou.

"Onde você pensa que está indo Red?" Felicia falou: "você vem conosco!"

"Eu vou?"

"Ela vai?" Eu perguntei surpreso.

"Isso não é coisa de namorar namorada?" Gwen perguntou surpreso.

"Sim, mas eu preciso da sua ajuda, você acha que ele só fica sentado, me deixa experimentar roupas o dia todo?" Felicia bufou: "Peter é um trabalho de duas mulheres, então você vai me ajudar a escolher as roupas dele e depois pode sair."

Sinceramente, não me importei, Gwen e eu não falamos muito ultimamente, então apenas dei de ombros. Gwen olhou para Felicia e depois para mim antes de assentir, "tudo bem, parece divertido".

Saímos do café quase imediatamente e entramos em um táxi que nos deixou em um shopping a poucos quarteirões abaixo. Felicia praticamente arrastou Gwen e eu para dentro. Sua primeira parada, me comprando roupas íntimas.

"Aqui" ela jogou vários pacotes de cuecas na nossa sacola de compras, "muito importante".

Eu levantei uma sobrancelha olhando para eles, vermelho, azul, preto... rosa? "Ah, Gatinha, eu tenho muitas roupas íntimas."

"E eu estou cansado de ver apenas branco!" Felicia olhou furiosa quando Gwen corou.

Eu olhei para Gwen e resmunguei, "Felicia!"

"O quê? Ela vai se acostumar com isso", disse ela, acenando com a vergonha de Gwen, "agora, vamos ver o que podemos fazer com você."

Foram duas horas do que parecia ser o purgatório. Fui arrastada de loja em loja, feita para experimentar roupas como um aplicativo que permite vestir uma boneca barbie com o toque de um botão. Senti-me humilhado e quase fingi um ataque cardíaco para me livrar dele. Quase.

No final, consegui algumas roupas que gostei, uma jaqueta de couro, um belo par de calças e até uma camisa legal com o reator arc de Tony Stark no meio, até brilhava!

Mas Gwen e Felicia também me deram muitas outras roupas que eu nem pensava em usar. Eles me fizeram parecer um idiota esnobe, como Harry. Consegui reduzir a atenção das meninas e jogar fora as realmente feias, mas ainda tinha um guarda-roupa totalmente novo, cheio de roupas de aparência pomposa.

Depois de fazer compras, decidimos ir a um restaurante para jantar cedo, um restaurante a dois quarteirões abaixo.

"Por aqui", disse Gwen apontando para um beco, "é um atalho".

Felicia e eu encolhemos os ombros e a seguimos. Eu estava presa carregando a sacola, embora graças à minha força de aranha eu quase nem senti.

"Então, Tiger, qual é o seu plano para a noite?" Felicia perguntou.

"Bem, eu tenho que estar no prédio da Baxter depois do jantar, Sue precisa executar mais alguns testes em... em um projeto em que está trabalhando. Estou ajudando ela." Felicia levantou uma sobrancelha e eu acenei, murmurando. , 'mais tarde'.

Não, eu não preciso disso. Era uma maneira de dizer a Felícia que eu iria par a SHIELD, eu nunca que iria voltar para o quarteto, além de Jhoony o resto é apenas resto

"É tão legal que você trabalha com o FF Tiger", Gwen suspirou, "é tão legal. Ei, Johnny Storm realmente dorme nu?"

Pisquei, "não, por que você acha isso? E, mais importante, por que você acha que eu saberia se ele dormisse?"

"Bem, ele não gostaria de queimar suas roupas enquanto dormia?" Gwen perguntou, "então eu não sei... faria sentido se ele apenas dormisse nu."

"Sim, Faria" Felicia assentiu, "e o Coisa? Ele tem um lixo? Ou é como cobrir essas pedras?"

"E o Sr. Fantastic pode aumentar o tamanho de qualquer parte do corpo?" Gwen perguntou.

Eu pisquei, "você sabe... eu não sei ... hein, eu deveria perguntar a eles."

"Ha, sim, você deveria" Felicia bufou.

Nesse momento, uma figura pulou de trás de uma lixeira e ficou na nossa frente. Ele levantou o capuz e mostrou uma faca: "dinheiro, agora!"

Gwen gritou de terror quando pulou para trás, Felicia foi se mover, mas eu a parei, empurrando ela e Gwen atrás de mim. Ela era boa, mas não tinha super poderes. Eu olhei para ela chocar minha cabeça, ela hesitou antes de se sentar.

"Eu disse dinheiro agora!" o homem gritou.

Eu olhei para ele, eu poderia chutar sua bunda sem usar meus poderes, eu poderia... mas algo estava errado. Suas mãos tremiam, nervosismo? Não... eu cheirei outra coisa, um perfume de limão, eu imediatamente me liguei com uma sensação de pavor... medo. Ele estava com medo.

"Você não quer fazer isso", eu disse suavemente.

"Me dê todo o seu dinheiro, garoto! Agora! E ninguém se machuca!"

"Faça como ele diz Peter!" Gwen sussurrou.

Felicia rosnou, mas eu a segurei, olhei para o homem, "esta é a primeira vez que você faz isso, não é?"

O homem parou, "o quê?"

"As pessoas não agridem pessoas nesta parte da cidade, para muitos policiais... você é novo nisso. E você está desesperado" eu lentamente me aproximei dele, "você não quer me machucar."

"Eu não posso, não tenho escolha!" ele gritou, mas eu vejo a faca se movendo lentamente para baixo.

"Você sempre tem uma escolha", eu disse a ele, "por quê? Por que você precisa do dinheiro".

"M-minha família" ele gaguejou, "eles vão encarar."

"Ok... então aqui", tirei minha carteira, tinha uma nota de cem dólares. Também tirei uma conta antiga e escrevi um número. Dei ao homem o dinheiro e o número. "pegue o dinheiro, alimente sua família. O número que escrevi é para um abrigo para sem-teto que abriga qualquer pessoa. Se você não pode alimentá-los, leve-os para lá. Se você novamente, você poderá ser pego na próxima vez e nunca poderá ajudá-los. "

O homem pegou o dinheiro, anotou e correu. Ele olhou para mim, hesitante em seus olhos, antes de continuar correndo.

Suspirei, "coitado".

"Você deveria ter chutado a bunda dele", Felicia argumentou.

"Ele estava apenas tentando alimentar a família Gatinha", eu disse a ela pegando as sacolas de compras, "não finja que não fará o mesmo".

Felicia fez uma pausa, "talvez... mas ainda assim. Da próxima vez, faremos do meu jeito."

"Peter, isso... isso foi incrível" Gwen disse com um pouco de reverência.

Eu olhei para ela e ri, "oh, não era nada."

"Nada? Você só - eu não posso nem - ARGH! Você é impossível Peter Parker!" Gwen jogou as mãos para cima em frustração, saindo do beco o mais rápido que podia.

(NT:Quando tem ' akwjsk - akdksi' é uma pausa mais forte que uma vírgula)

Eu me virei para Felica, "qual é o problema dela?"

Felicia riu: "Oh Tiger, você tem muito a aprender."

Acabamos tendo um bom jantar cedo, apesar do incidente de assalto. Felicia teve que pagar, considerando que eu não tinha dinheiro, eu realmente deveria receber um cartão de débito, ficar sem dinheiro e tudo isso.

Enviei Felicia de volta para casa em um táxi, prometendo vê-la amanhã na escola. Geen e eu levamos outro para casa, durante todo o percurso que Gwen me deu o tratamento silencioso.

"Então... vamos fingir que você não está me ignorando?" Eu perguntei a ela.

"Eu não estou te ignorando" ela respondeu.

"Bem, parece que você está" eu respondo de volta.

"Bem, talvez eu esteja chateada por você tentar argumentar com o cara que tentou nos agredir!"

Suspirei, "desculpe. Pareceu o caminho da menor violência", o táxi parou, Gwen pagou o homem e saímos.

"Peter, o que você fez foi imprudente e perigoso! Deveríamos ter fugido!"

"Gwen, ele estava apenas tentando alimentar sua família."

"E? ​​A família de um estranho é mais importante que a sua própria vida?"

Suspirei: "Eu nunca estava realmente em perigo".

"Como você pode dizer aquilo?"

"Porque", eu parei e pensei em uma desculpa, "eu tenho treinamento. Eu faço aulas de defesa pessoal, você sabe."

"Sim mas-"

"- Chega" eu a cortei, diminuindo a distância entre nós em apenas alguns centímetros " há duas coisas na vida que eu tenho certeza. Uma, a vida não é justa e duas, a menos que você reserve um tempo para dar a mínima , você deixará este mundo pior do que o encontrou.

"Eu não pretendo fazer isso, ser uma nota de rodapé na história. Eu prometo, nunca vou colocar você em perigo Gwen, vou protegê-la", estávamos tão perto que podia sentir o cheiro de limão saindo dela se transformar em xarope de bordo, excitação.

Suas pupilas dilataram, aumentando de tamanho, eu podia sentir suas emoções furiosas por dentro. Ela se inclinou para frente alguns centímetros, antes de repente o xarope de bordo azedar, e ela imediatamente se afastou, culpa, eu acho.

"Tudo bem, Peter" ela respondeu se virando, "vejo você amanhã."

"Sim, até mais", respondi enquanto a observava sair. Hum... esses poderes são um homem estranho. Fui para casa e rapidamente substituí a maioria das minhas roupas velhas pelas novas. May ficau horroriza porque eu gastei tanto em um dia, mas consegui convencê-la de que era o melhor.

Passei o resto da noite patrulhando as ruas como Homem-Aranha antes de aparecer com Reynold no esconderijo da SHIELD. Ele e os outros estavam trabalhando até tarde, Reynold estava tentando descobrir como meu sangue funcionava enquanto.


Notas Finais


;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...