História Aranhas Gigantes no Centro de Seul - Capítulo 4


Escrita por: e vminsure

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Homem-Formiga
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Ant!yoon, Bottom!jk, Fluffy, Iron!seok, Journalist!tae, Kooktae, Kookv, Minimoni, Minjoon, Minjoon!side, Side Minjoon, Spiderman!au, Spideykook, Taekook, Taekookers, Top!tae, Vkook
Visualizações 318
Palavras 3.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha eu de volta!

Muito obrigada por todos os comentários e favoritos! Eu amo ler cada um deles.

E, sem enrolar muito, vamos ao capítulo dessa semana <3

Capítulo 4 - Super-heróis não costumam ter um pingo de sorte


Fanfic / Fanfiction Aranhas Gigantes no Centro de Seul - Capítulo 4 - Super-heróis não costumam ter um pingo de sorte

Quando Jeongguk acordou assustado por causa de seu alarme e quase acabou pendurado no chão como uma aranha estranha, não esperava encontrar-se atrasado para sua segunda prova da semana, enquanto segurava um trabalho enorme que era para ser entregue naquele dia — muito menos  ter que lidar com um cara vestido de palhaço tentando roubar um carro de velhinhas no meio de um beco.

Mas, novamente, se havia algo que Jeongguk não era, essa coisa era sortudo.  É por isso que ele estava correndo pelos corredores do imenso prédio de sua faculdade, tentando não estragar seu projeto e entrar na aula a tempo — especialmente porque era uma prova do professor cuja vida foi feita para torturá-lo.

O estudante agradeceu ao ver que o professor ainda não estava na sala e suspirou alto, caminhando até uma cadeira vazia e aleatória dentro do local. Passou a mão pela testa para resolver o problema com seu suor e guardou o trabalho embaixo da cadeira, repensando se tivesse ido por seu outro sonho, o de seguir a carreira de cientista de seu pai as coisas seriam mais fáceis (provavelmente não).

Tentava acalmar seu corpo e esconder o traje aracnídeo dentro de sua mochila enquanto pegava sua garrafinha de água quando ouviu a voz de Kim Taehyung bem atrás de si, franziu as sobrancelhas porque o mais velho não era de falar muito em sala e seus dois amigos, Jimin e Namjoon, apesar disso, estavam ali com o Kim.

— Eu ‘tô falando gente, consegui uma exclusiva com Jung Hoseok e o meu chefe ficou maluco! — Taehyung riu baixinho, apoiando os cotovelos na mesa. — Ele acha que não devem colocar meu nome na matéria já que nem terminei a faculdade ainda, mas o Sr. Jung fez uma ligação enorme ‘pra ele dizendo que só autorizava a matéria ser publicada se fosse com meu nome. E, se por algum motivo, tivesse nome de outra pessoa, iria contratar os melhores advogados de Seul para processá-lo.

— E isso foi quando? — A voz baixinha de Park Jimin soou logo em seguida, Jeongguk sabia que Hoseok havia ido atrás do de cabelos azuis, mas não pensava que havia sido desse jeito.

— Sexta-feira quando vocês dois estavam ocupados demais transando em cima do meu sofá para prestarem atenção no que eu tinha a dizer, — Jeongguk teve vontade de rir, mas se segurou. — Não sei o que deu nele, mas isso pode ser ótimo ‘pra minha carreira! 

Antes que um dos dois amigos de Taehyung pudesse responder, o professor apareceu desejando bom dia a classe e ambos tiveram que se retirar. Naquele dia em especial, o estudante mais velho estava feliz e Jeongguk não sabia porque Hoseok havia feito aquilo, mas iria agradecê-lo no futuro.

— A prova de hoje será diferente, — O professor começou a falar, sentando-se na ponta de sua mesa segurando duas folhas — É em dupla e eu já selecionei os pares. Vocês têm cinco minutos para encontrarem e conversarem com uma dupla, nada mais, nada menos. Entreguem suas provas junto dos trabalhos semestrais, por favor.

Ótimo, esse professor me odeia. Foi a primeira coisa que Jeongguk pensou, porque não havia coisa pior do que ele trabalhando em grupos. Sentiu vontade de chorar internamente até sentir alguém cutucando seu ombro e avistar o sorriso bonito e retangular de Kim Taehyung.

— Oi, — o mais velho murmurou. — O professor colocou nós dois juntos, você quer ir ‘pro fundo da sala conversar? Não temos muito tempo.

Ok, talvez aquele professor não me odeie tanto assim. E seguiu com Taehyung para os fundos da sala, de mochila e seu trabalho em mãos, sentindo-se animado com a dupla inesperada.

Conversando com o mais velho, Jeongguk descobriu que Taehyung era muito esperto e inteligente, revisaram um pouco dos tópicos que estudaram ao longo do semestre e alguns textos que o professor os enviou on-line durante os meses de aula.  Ambos estudaram antes do teste, então eles deveriam estar bem.

No final, a prova foi dar uma olhada em uma matéria e torná-la única, melhor e com o seu próprio toque pessoal.  Eles tiveram que explicar tudo o que foi alterado, de palavras até frases e mexer com o que estava sendo dito pelo autor anterior — fazer as alterações como se fosse seu próprio artigo. 

O uso da linguagem era a parte mais complicada, já que era literalmente sobre o que aquela aula se tratava e sobre o que o professor iria avaliá-los, mas Taehyung era uma pessoa criativa e Jeongguk era prático, com muitas ideias dentro de seu cérebro e juntos faziam uma boa equipe.

— Ei, — logo após sair da sala, ouviu a voz de Taehyung ao seu lado, — Você… Hum… Está ocupado agora?

Jeongguk olhou para os lados para ter certeza de que era consigo mesmo que Taehyung estava falando. Havia algumas outras pessoas no corredor, saindo de suas salas de aula por terem terminado o teste, mas a atenção do mais velho estava sobre ele.

— Eu? — Apontou para si mesmo, sua voz quase incerta com o que estava acontecendo 

— Sim, Jeonggukie, você.  — Taehyung sorriu suavemente, tocando a alça de sua mochila roxa pendurado em seu ombro. — Você tem alguma coisa para fazer agora?

— Não, estou livre. 100% livre e sem nada para fazer.  — Sim, ele estava se constrangendo e não tinha vergonha disso.  — Por quê?

— Quer tomar um café comigo? Ou comer alguma coisa? Conheço um lugar legal aqui pertinho… Se você quiser, é claro.

Os grandes olhos escuros de Jeongguk brilharam tão intensamente naquele momento que ele quis gritar um sim, mas ainda tinha um pouco de autocontrole e apenas sorriu, olhando como Taehyung estava mais lindo do que nunca em frente dele, com seu cabelo azulado caindo em sobre testa e as roupas suaves e leves que usava naquele tempo quente.

— Claro, por que não? — respondeu e o sorriso de Taehyung ficou maior quando começaram a sair da universidade.




 

Apesar de parecer relaxado do lado de fora, Taehyung estava quase gritando por dentro.  Ele não sabia onde tirou coragem de chamar Jeongguk para sair do nada no meio de um dia de provas, mas lá estavam eles, dentro de uma cafeteria, conversando em voz baixa e bebendo chocolate quente com alguns muffins.

A primeira coisa que Taehyung aprendeu sobre Jeongguk, naquele dia, foi que o garoto era adorável, ainda mais do que poderia imaginar de longe antes, e também que eles trabalhavam no mesmo prédio, mas em áreas diferentes e era por isso que nunca tinham se visto por lá antes.

— Você realmente tentou entrar em Ciência antes de jornalismo? Quer dizer, sempre pensei em você como repórter quando te via na aula. Cientistas, na minha cabeça, estão sempre com óculos e andando por aí vestindo jalecos brancos. — Taehyung murmurou tomando um gole de sua bebida, fazendo Jeongguk rir baixinho do senso comum do mais velho.

— Você usa óculos e não é um cientista, — Levantou e arqueou a sobrancelha e Taehyung quase congelou no lugar, sim, ele não tinha pensado muito sobre isso. — Eu usava óculos no Ensino Fundamental e Médio, mas não preciso mais. E a minha brilhante ideia de ser um cientista, veio por causa do meu pai, ele trabalhava na Choi Corporations e eu sempre fui muito curioso e pensativo sobre isso, mas no final não era o que eu queria e larguei a faculdade no meio do primeiro semestre.

— Choi Corporations? Espere, você é filho do Jeon Hyungmin? 

Os olhos de Taehyung ficaram escancarados, com certeza ele sabia o sobrenome de Jeongguk, mas havia muitas pessoas com Jeon como sobrenome na Coreia; não pensaria que o filho de um dos cientistas mais famosos do país seria seu colega de classe. Hyungmin havia sido um grande pesquisador que ajudou em milhares de projetos de saúde ao longo de sua carreira.

— Sim, — Os olhos de Jeongguk caíram em seus muffins, pegando um e mordendo-o com suavidade, sentindo o doce sabor do chocolate em sua língua. — Às vezes, eu esqueço que meu pai era bem famoso, mas eu era muito jovem quando ele faleceu, então não me lembro muito. Só consigo lembrar de coisas como ele chegando em casa bem tarde e poucos aniversários.

— Ah, certo, — Taehyung a própria língua, pensando que chegou a um assunto delicado demais. — Sinto muito por isso, você deve sentir falta dele.

— Tudo bem, estou bem agora. Era pior quando eu era mais novo, — Moveu os ombros sem se importar muito e limpou o chocolate dos lábios. — Se ele estivesse aqui, eu provavelmente estaria ouvindo muito por abandonar os negócios da família.

Taehyung riu da piada ruim e Jeongguk se sentiu menos pesado por ter suavizado o ar entre eles. Desviou seus olhos do mais velho por um momento para espelho ao seu lado, suas sobrancelhas se juntaram ao ver uma aranha enorme no meio da avenida. Pessoas gritando de um lado para o outro e carros tentando desviar do inseto gigante.

Não deu nem meio segundo e o celular de Jeongguk começou a tocar dentro do bolso, o herói suspirou tirando o aparelho para fora e vendo o nome de Min Yoongi brilhando na tela.

— Desculpa, é importante.

— Sem problemas. 

Quase derretendo no lugar pelo sorriso que Taehyung havia lhe jogado, Jeongguk atendeu a ligação o mais rápido que pôde e quase ficou surdo com a voz alta de Yoongi em seu ouvido.

Então, você está vendo o que eu estou vendo? Essa aranha enorme no centro de Seul? 

— Acho que sim, — levantou uma sobrancelha, batendo os dedos na mesa pelo nervosismo. O que iria fazer agora? Deixar o encontro e salvar a cidade, provavelmente, mas não era lá bem o que o herói queria fazer.

Estou te esperando perto da lanchonete ao lado da sua faculdade; acho que você vai me ver! 

E a ligação foi encerrada, Jeongguk engoliu seco guardando o aparelho novamente. Precisava pensar numa desculpa rápida e eficaz, que não deixasse Taehyung (que estava mais alheio do que tudo ao que estava acontecendo do lado de fora da cafeteria do que as senhoras jogando baralho no fundo da loja).

— Eu… preciso ir, — Jeongguk juntou suas coisas, pegando a carteira de qualquer jeito e tirando algumas notas. — A minha tia pediu para eu ir no mercado e…

— Agora? — Soltou um muxoxo, parecendo chateado com a situação. — Às dez horas da manhã?

— É! Ela quer comer sopa e… Aqui! Você pode pedir mais alguns muffins para você e… — Levantou de cadeira com pressa, jogando as mochilas de qualquer jeito sobre os ombros. — A gente se fala depois? 

— Você poderia me… — Começou a falar, mas já era tarde demais porque Jeongguk havia saído correndo entre as mesas — Dar seu número.

Suspirou, observando o dinheiro que o mais novo havia deixado sobre a mesa. Taehyung apoiou o rosto sobre a mão e se perguntou o que tinha feito de errado, até mesmo se seu perfume e antitranspirante estavam vencidos. Era muito estranho o moreno sair correndo daquele jeito sem nem olhar para trás.

Tinha quase certeza de que não era uma pessoa chata — não, tinha absoluta certeza. Haviam conversado sobre a prova e mais coisas que estudavam, comentaram sobre alguns conhecidos até Jeongguk começar a falar de ciência e suas experiências no antigo curso largado; haviam rido e comido juntos. Talvez tenha sido o comentário sobre o pai.

Agora não tinha muito mais o que fazer, o mais novo havia ido embora, mas pelo menos perguntou se poderiam conversar depois. Talvez devesse mandar mensagem para Jimin e Namjoon falando sobre aquilo, os dois tinham mais experiências em relacionamentos duradouros e felizes e todos os namoros de Taehyung acabavam mal porque seu pai Sargento do Exército assustava todos os pretendentes — de qualquer gênero.

— Garçom? — Taehyung chamou baixinho o homem que estava próximo de si, já finalizando o pedido de outra mesa. — Você poderia me trazer mais dois muffins de morango e outro chocolate quente?

— É claro, senhor. Só um instante.

O estudante assentiu, observando o garçom se afastando e deu outro suspiro. Estava se sentindo um bobo apaixonado por alguém que mal conhecia, mas que culpa ele tinha se Jeon Jeongguk havia conquistado seu coração com um piscar de olhos?

Não sabia o que fazer com o dinheiro, mas também não iria deixá-lo ali. Pegou as notas e deixou-as num canto da mesa, sentiu o sol sendo refletido em seus óculos e semicerrou os olhos por um momento, desviando o olhar para fora da cafeteria.

Ficou boquiaberto ao perceber o caos que estava aquela avenida e a razão no qual aquilo tudo estava acontecendo. Uma aranha gigante caminhando como se fosse minúscula em um prédio pouco a frente da onde estavam, o Homem Formiga com mais do que dois metros de altura atrás do inseto e, logo atrás dos dois, o Homem-Aranha pendurado em sua teia.

— Huh, — Desviou os olhos do herói em vermelho para a cadeira vazia à sua frente. — Engraçado.
 

 

Jeongguk sabia que não poderia fechar os olhos, precisava continuar andando.  A dor em sua coxa estava ficando mais forte e ele tinha quase certeza de que toda a sua roupa estava cheia de sangue por dentro, mas não podia parar de andar.  Aquele corredor parecia maior do que antes.

— Você vai desmaiar, Jeongguk! — Yoongi gritou atrás dele, segurando sua própria roupa nas mãos. — Nós deveríamos ter ido a um médico!  Jeongguk! Criança do caralho.

O mais novo fingiu que não escutou, empurrando a porta do hotel de Yoongi sem se importar em estar sujando a maçaneta. Tirou a mochila de suas costas e a máscara do rosto, não haviam câmeras no hotel — segundo o que Hoseok disse —, mas não queria correr o risco de ter sua identidade revelada. 

Sentou-se no sofá com a mochila ao seu lado, gemeu baixinho por causa da dor e terminou de rasgar a perna de seu traje, deixando a mostra o ferimento enorme em sua perna. Tudo por causa de um maldito erro. Jeongguk estava mais do que irritado e cheio de adrenalina no corpo.

— Jeongguk… — Começou a falar mais uma vez, vendo o herói jogando água de uma garrafinha colorida sobre sua perna. — É melhor você ir no hospital e dar um jeito nisso…

Continuou em silêncio, mexendo em sua mochila até encontrar a caixa de primeiros socorros que sempre carregava. Aquela não havia sido a primeira e nem seria a última vez que se machucava, já estava acostumado.

— Você ‘tá me ouvindo, Jeongguk? Você pode ter se machucado feio! A queda foi horrível e… 

Os dois foram interrompidos por Hoseok aparecendo no quarto, usando apenas bermuda moletom preta e uma toalha pequena nas mãos, enxugando os cabelos avermelhados. Sua expressão foi de confusão a preocupação ao ver o estado da coxa do Homem-Aranha e o fato de que ele estava pronto para dar pontos sozinho naquele machucado enorme.

— O que aconteceu? — Hoseok perguntou, aproximando-se dos dois heróis. 

— O Sr. Inseto atacou a cidade hoje, Jeongguk e eu tentamos dar um jeito, mas não funcionou bem. Ele ficou tentando proteger uma cafeteria de ser acertada por um dos insetos e uma aranha gigante acabou cortando a teia fixa dele. Caiu de vários andares e rasgou a coxa nas pernas da aranha e agora não quer ir ‘pro médico! — Yoongi cruzou os braços, irritado com aquela situação. Não era apegado ao herói, mas também não desejava que algo de ruim acontecesse com o pirralho.

Os dois mais velhos se entreolharam, Jeongguk continuava em silêncio, fazendo caretas enquanto costurava a própria pele com certa experiência. O dono do hotel não ficaria muito feliz de encontrar manchas de sangue em seu sofá branco no fim da estadia, porém não era com isso que Hoseok estava preocupado.

Uma coisa era fato, Jeongguk sempre achava que conseguia resolver todos os problemas do mundo sozinho e não gostava de trabalhar em equipe, fazia sentido ele estar colocando a culpa em Yoongi e se recusando a falar qualquer coisa.

— Jeongguk…

— Sr. Jung, — sua voz saiu rouca e um pouco fraca, — você acha que eu vou dar mais motivo para a minha tia se preocupar comigo? Não. Já fui mordido por uma aranha antes e sobrevivi, não vai ser essa que vai me derrubar.

Hoseok engoliu seco, vendo-o amarrar o final da linha e guardar a agulha no lugar, antes de rasgar o resto de seu traje e ficar somente de cueca na frente dos dois. Não parecia se importar nenhum pouco de estar seminu na frente dos dois outros heróis.

— Como você mesmo disse, Sr. Jung, está na Coreia do Sul, — Jeongguk parecia calmo demais para a situação, — É problema meu agora. E se vocês dois não se importam, eu trabalho desse jeito.

Amarrou uma das tiras de seu uniforme sobre a ferida para estancar o sangue, seu peito descia e subia por causa da dor latejante e da falta de algum anestésico na região. Yoongi parecia querer entrar em combustão vendo aquela cena.

— Tenho outra prova amanhã, — Jeongguk falou após colocar suas roupas anteriores, parecia estar mancando, mas fazia de tudo para disfarçar. — Preciso estudar.

E ele deu as costas, saindo pela porta do hotel sem se importar com mais nada. Yoongi largou seu traje no chão e fez menção de ir atrás do garoto, mas a mão de Hoseok em seu braço lhe impediu.

— Deixe ele ir, Yoongi, — pediu, dando um sorriso tristonho para o mais velho. — Jeongguk vai ficar bem.

O outro herói bufou, duvidando do que havia sido dito. No mínimo, o Homem-Aranha ficaria com uma infecção enorme e cheio de dores, tudo por ser um grande teimoso. Quando se deu por vencido, Hoseok relaxou e levou a mão até o dispositivo em sua orelha.

— Sexta-Feira? — Chamou-a, fazendo Yoongi franzir o cenho. 

Sim, senhor Jung?

— Poderia ligar o rastreador de Jeon Jeongguk e mandar as informações para o meu celular? 

Em um minuto, senhor Jung.

— Muito obrigado, Sexta-Feira.

Sem acreditar naquilo, Yoongi cruzou os braços, parado na frente do grande cara de pau que era Jung Hoseok.

— Você acabou de me mandar deixar ele ir e ligou um rastreador no garoto? — Perguntou, apontando o dedo no peito do Homem de Ferro. — E por que diabos ele tem um rastreador?

— O que faz você pensar que eu não coloquei um em você também? 

Yoongi ficou em silêncio e se arrepiou todinho, tocou em sua nuca, nos ombros, mas não sentiu nada, percebeu que estava sendo feito de idiota quando Hoseok começou a gargalhar. O papo de rastreador em seu corpo deveria ser verdade, já as chances de Yoongi encontrá-lo só por tocar em seu corpo eram nulas.

— Como é que você ainda tem amigos, Jung Hoseok? 

Dando ombros, o ruivo virou-se para caminhar até a pequena cozinha que havia naquele quarto de hotel. Yoongi respirou fundo, pensando na desculpa que iria inventar para quem viesse limpar aquele lugar.

— Dinheiro, Yoongi, — sua voz ecoou pelo quarto. — E Jeongguk esqueceu a mochila dele, não sou um idiota.

Virando o rosto para espiar o sofá que um dia fora branco, Yoongi viu a mochila azul do Homem-Aranha jogada sobre ele. O objeto também estava cheio de sangue, teria que ser trocado daquele jeito, mas o pobre Homem Formiga já tinha coisas demais para pensar e resolveu só esquecer daquele assunto por um momento.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capítulo e, adivinhem só, o Taekookers está com inscrições para ficwriters abertas! É só olhar nos jornais do nosso perfil <3

E, ps: quem viu o nome da fic aí no meio do texto? hehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...