História Arco Íris - Jjk , Pjm - Jikook - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Amarelo, Arco-íris, Azul, Fanfic, Gay, Jimin, Jungkook, Laranja, Romance, Roxo, Verde, Vermelho
Visualizações 2
Palavras 1.882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem vindos ao primeiro capítulo de Arco Íris! Espero que gostem!
Comentem caso gostem, dêem suas opiniões e me conte suas reações.


Bjs e boa leitura!😘

Capítulo 1 - Vermelho - One


Fanfic / Fanfiction Arco Íris - Jjk , Pjm - Jikook - Capítulo 1 - Vermelho - One









➳❀➳


__ Como diz os religiosos, a cor vermelha significa pecado, desejo e tentação! - o professor Seungwoo diz andando pela sala olhando para todos os rosto de seus alunos - Significa paixão, energia e excitação. É uma cor quente. Está associada ao poder, à guerra, ao perigo e à violência. O vermelho é a cor do elemento fogo, do sangue e do coração humano. Simboliza a chama que mantém vivo o desejo, a excitação sexual e representa os sentimentos de amor e paixão.


Jungkook mantém seus olhos focados no professor falando a sua frente. Para Jungkook, vermelho era uma cor interessante. Poderia ser usada em várias situações, apesar de seus pais não gostarem muito da cor.


__ Hoje eu quero que vocês, façam um desenho que a cor vermelha prevaleça. - o professor fiz e os alunos murmuram um "sim" em resposta - Certo, podem começar!


Jungkook pega o pincel e olha a tela a sua frente. Várias coisas se passam pela cabeça do mesmo, ele olha ao redor e vê seus colegas já iniciando um desenho, alguns já estavam até pintando.


O estômago de Jungkook revira quando vê o professor começar a andar pela sala novamente, olhando os esboços dos alunos. O moreno respira fundo e larga o pincel e pega seu lápis, traçando uma linha no papel branco.


Aos poucos o desenho vai se formando, mostrando o que Jungkook imaginava. Quando termina, ele pega o pincel a passa na tinta vermelha, molhando um pouco na água para tirar o excesso e passando pelo papel, dando cor ao desenho. Quando o professor passa ao seu lado e olha seu desenho, Jungkook estremece mais solta um suspiro de alívio quando o professor passa direto.


Após mais algumas pinceladas e correções, o desenho de Jungkook fica pronto e o mesmo arruma os materiais a sua frente, limpando suas mãos e levando depois sua tela até o professor. Quando o professor olha para o desenho, ele franze as sobrancelhas e encara Jungkook com um olhar interrogativo.


__ O que seria isso? - Seungwoo pergunta e Jungkook aponta para a tela desajeitadamente.


__ Uma boca! - o moreno responde simplista.


__ E por que uma boca? - o professor indaga novamente com sua língua afiada.


__ Porque a primeira coisa que me veio a mente foi uma boca, mais não uma boca qualquer - Jungkook explica devagar, conseguindo a atenção do professor.


__ E o que essa boca tem de especial?


__ É a boca mais linda que já vi! - Jungkook diz com os olhar preso na pintura a sua frente, se lembrando da imagem a sua mente.


__ Certo....pode voltar ao seu lugar! - o professor dispensa o mesmo que volta ao seu lugar com a imagem na sua mente.


Como já havia dito, aquela boca não era de qualquer pessoa. Aquela boca, era de Park Jimin.


Jungkook desejava a mais de dois anos os lábios vermelhos de Park Jimin, que mais parecia uma cereja, um morango doce. Jungkook sabia que no inverno, os lábios de Jimin ficavam mais vermelhos por causa do frio, o que os deixavam mais tentadores.


O desejo era grande, mais Jungkook nunca tentara se arriscar, nem chegar tão perto de Jimin. Sempre se certificou de ficar longe, para poder admirá-lo. Jungkook tinha medo de que alguém percebesse, que alguém descobrisse que ele gosta de Jimin e que conte aos seus pais.


Os pais de Jungkook, que eram religiosos, acreditavam que homem deveria ficar com mulher e não ao contrário. Por causa dessa mente fechada, e várias vezes que seus país haviam dito que ter um filho gay ou uma filha lésbica seria um desgosto, ele optou por não revelar sua sexualidade.


Jungkook sempre foi um garoto muito educado com os pais, um ótimo aluno e amigo. Vai todos aos domingos com seus pais à igreja, apesar de estar lá escutando tudo e rezando como todo mundo, óbvio que Jungkook tem sua opinião própria e é claro que não concorda com certas coisas.


Quando se trata de relacionamento, os pais do menino continuam dizendo que ele deveria arrumar uma boa namorada, que seje capaz de cuidar de uma casa e uma família. Que seja uma boa esposa e seja capaz de lhe apoiar em tudo. O desconforto de Jungkook era notável para qualquer pessoa que o conhecesse, mais para seus pais não.

Quando a aula chega ao fim, Jungkook se dispede de seus colegas e sai da sala, encontrando seu amigo no final do corredor.

__ Como vai o meu desenhista? - o de fios negros pergunta a Jungkook, que sorri e o cumprimenta com um abraço.

__ Bem, Jin! - o moreno responde, acompanhando Jin até a saída, para irem embora.

Todas as vezes que Jungkook tinha aula de desenho, Jin passava no colégio para buscá-lo. Como era caminho de seu restaurante, o mesmo sempre levava Jungkook para jantar.

Os dois haviam se conhecido a alguns anos, depois de algumas idas da família Jeon ao restaurante de Seokjin. Quando os pais de Jungkook pediram um prato especial ao chef, por conta do aniversário de Jungkook, os dois se tornaram amigos depois de vários elogios a comida.

__ Entre, hoje terei que abrir o restaurante! - Jim fala enquanto Jungkook entrava no carro e colocava o cinto.

__ O que aconteceu com sua funcionária? - Jungkook pergunta olhando para Seokjin que ligava o carro ao seu lado.

__ Ela não poderá vir hoje, está passando mal! - Jin com o carro em movimento, prestando atenção total no trânsito a sua frente.

__ Eu posso te ajudar Jin.... - Jungkook sugere enquanto ligava o rádio ouvindo a música calma tocando.

__ Sabe que não gosto quando você trabalha lá. - Jin fala e o moreno revira os olhos.

__ Não custa nada! - O moreno diz.



➳❀➳


__ Chegou tarde ontem filho? - Sra Mi Young, a mãe de Jungkook pergunta.


__ Ajudei Seokjin hyung ontem....mas não, eu não cheguei tarde. - o moreno responde arrumando o terno na frente do espelho.


Hoje é domingo, ou seja, dia de acordar cedo e ir à igreja. Jungkook não preza muito isso, afinal, não gosta de ir a lugares onde a maioria das pessoas tem a mesma opinião, no caso bem preconceituosa. Dá mais uma breve olhada no seu reflexo no espelho, pra ele estava bom, mas para seu pai, aposto que estava apenas "apresentável".


__ Arrume essa gravata direito Jungkook! - o pai o repreende fazendo o mais novo levar as mãos rapidamenta a gravata e a arrumar - Tem que estar bem arrumado, não vai a uma festinha de adolescentes, mas sim à igreja!


__ Jeon.... - a esposa o chama com um leve tom de repreensão, mais Jungkook a interrompe com um gesto leve com uma das mãos.


__ Tudo bem mãe, o pai apenas quer que nós estejamos bem apresentáveis, afinal, aquelas pessoas vivem de aparências! - Jungkook solta e dá as costas, ainda ajeitando a gravata ele sai da casa e para em frente ao carro de seu pai, o esperando.


__ O que disse Jungkook? - Daekho indaga ao sair da casa com sua esposa em seu encalço, com um olhar preocupado.


__ Todos naquela igreja só se importam com status! - o moreno diz - Nem se importam se estão pecando quando falam mal das pessoas ou criticam a vida alheia!


__ Você não sabe o que fala! Ponha-se no seu lugar! - o pai de Jungkook o repreende mais uma vez, sendo a segunda vez em menos de 10 minutos.


__ Eu tenho olhos pai, sei muito bem o que acontece naquele lugar! Acha que todos são santinhos? Nem o senhor é santo, peca todo santo dia quando fala mal das pessoas ao seu redor!


__ É melhor nos acalmarmos.... - Sra Jeon diz, mais logo é cortada pelo marido.


__ Acalmarmos? Esse garoto fica dizendo asneiras e eu tenho que me acalmar? - Daekho explode mais uma vez fazendo Mi Young bufar e revirar os olhos.


__ Jeon Daekho! - Mi Young fala alto com um tom bravo - Pare de implicar com nosso filho, ele tem suas próprias opiniões e ponto final!


__ É por sua causa que ele é assim! - Sr Jeon diz mais uma vez antes de destravar o carro com a chave e entrar, esperando que os dois entrem.


Durante todo o caminho até a igreja, foi um completo silêncio. Daekho comentava algo com Mi Young mais logo se calava e Jungkook, sequer tinha a intenção de falar algo. Emburrado, com um bico nos lábios, a família Jeon desce do carro quando o pai de Jungkook estaciona em frente a igreja, que já se encontrava cheia.


O pai de Jungkook acena para alguns amigos que seguravam bíblias debaixo dos braços, sua mãe foi ao banheiro e Jungkook, apenas lhe restava sentar e esperar a missa começar. Enquanto encarava a estátua de Jesus a sua frente, pensava consigo mesmo sobre o que rolara a essa manhã.


Talvez não devesse ter falado com seu pai daquela maneira, poderia ter expressado sua opinião de uma maneira mais suave, através de projetos ou conversas saudáveis. Mais sabia que com a mente preconceituosa de seu pai, não daria certo.


__ O que está pensando? - Jungkook sai de seus pensamentos quando ouve uma voz ao seu lado. O moreno vira a cabeça e vê Taehyung, um colega de igreja ao seu lado.


__ Nada...


__ Quem nada é peixe! - Taehyung fala e sorri - Vamos me conte, seus pais de novo?


__ Quem mais poderia ser? - Jungkook brinca e solta um riso sem humor, olhando para à porta da igreja vendo seu pai conversando com algumas pessoas - Como podem vir à igreja fingindo que são boas pessoas e não ficarem com a consciência pesada?


__ Não entendi.... - Taehyung murmura e lança um olhar curioso e confuso para Jungkook.


__ Digo, como podem vir à igreja e fingir que não pecam? Fingir que são pessoas de bem e que fazem tudo certinho! - Jungkook diz indignado e Taehyung apenas dá de ombros.


__ As pessoas hoje em dia são capazes de esconder tudo o que querem Jungkook, uma vida apenas de aparências é o que realmente importa. - Taehyung diz lentamente escolhendo as palavras certas que deveria dizer ao amigo.


__ Ainda acho errado as pessoas fingirem ser o que não é por mais que sei é por uma boa causa! - Jungkook diz cruzando os braços e um bico se forma em seus lábios. O amigo ao seu lado lhe olha.

___ Uma pena a maioria das pessoas não pensarem assim! - Taehyung diz quebrando o silêncio que havia se estabelecido entre os dois - Acho que deveria expor mais suas opiniões, quem sabe mais alguém além de mim não tem os mesmos pensamentos que você?

Jungkook fita o chão e sua mente dá voltas e mais voltas quando seu amigo se afasta. Talvez Taehyung tenha razão, talvez ele deveria falar para todos o que pensava. Porque às vezes Jungkook só queria poder dizer o que quer, desabafar, mais não pode por causa de regras e padrões estabelecidos entre sua família.

Mais se Jungkook tivesse alguma oportunidade de poder falar, ele não iria disperdiçar......não mais!





Notas Finais


Então gente , esse foi o primeiro capítulo de arco íris, eu realmente espero que gostem! Eu ainda estou a escrevendo então tenham paciência.

Muito obrigada por lerem. Beijos a todos!!!

Mariih :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...