História Ardente desejo - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kagome, Kagura, Kanna, Kouga, Miroku, Sango, Sara Asano, Sesshoumaru
Tags Amor, Inuyasha, Kagome, Miroku, Rin, Romance, Sango, Sesshoumaru, Sesshyrin, Sexo
Visualizações 243
Palavras 4.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola amores, viu como sou boazinha! aproveitei que a imaginação fluiu e resolvi escrever e postar mais um trechinho. Esse capitulo vai ter de tudo um pouco, mas vai ter mais de Sango e Miroku pois acho que esse casal merece um atenção diferenciada.
Boa leitura, desculpem os erros grotescos mas nao tive tempo de editar, depois vou revisar e arrumar as porcaiada que cometi .

Capítulo 15 - Querer é poder


 

Era noite e Rin se arrumava para o aniversário de Inuyasha. Como a festa seria num clube Rin resolveu colocar um vestido rodado preto com renda nos ombros e um decote em “v” nas costas deixando nuas. Colocou um salto preto e os cabelos ela deixou soltos. Fez uma maquiagem marcante nos olhos , e um batom nude. Olhou-se no espelho e gostou do que viu. Desceu as escadas e um Sesshoumaru  despojado a esperava na sala. Ele falava ao celular quando a viu a encarou.

—Ok, estou saindo agora. —Desligou o aparelho.—Pronta?—Disse  fitando Rin.

—Sim.—Respondeu enquanto dava uma conferida no prateado que usava uma camisa azul clara com mangas três quartos e uma calça jeans caqui. Ele estava tão a vontade que ela ate estranhou , acostumada a velo sempre tão formal.—Você está muito bonito.—Disse por fim.

Sesshoumaru sorriu de canto.

—Você também. —Disse pegando a mão de Rin e guiando para fora até a garagem. Entraram no BMW e dirigiram ate o clube onde seria comemorado o aniversário de Inuyasha.

A festa seria somente para amigos mais chegados, porém os Taishou tinham muitos amigos “chegados” devido aos neócios e a festa estava lotada. Rin e Sesshoumaru adentraram o salão. Alguns vieram cumprimentar o prateado e Rin foi procurar as amigas. Sango e Kagome se encontravam próximas ao bar sentadas em uma das mesas e riam. Rin se aproximou se juntando as duas. Jack apareceu logo em seguida.

—Oi—Rin deu um beijo em cada um.

—Nossa, quanto gato junto! —Animou-se Jack—É hoje que eu vou me esbaldar!

—Já disse que eu vou te apresentar um em especial, me mate se eu estiver errada!—Disse Sango enquanto bebia um pouco de coquetel.

—San, acho melhor você não beber tanto, pode dar merda! —Disse Kagome surpreendendo todos ao falar um palavrão.—Que foi? —Disse inocente.

—Enfim..—Disse Sango—O Miroku e o Inuyasha não chegaram ainda...—a morena  continuou bebendo do coquetel a sua mão.

—Eles já devem estar aparecendo por ai.—Disse Jack pegando um coquetel da bandeja do garçom que passou ao lado.—Vamos beber enquanto isso!—Entregou um taça a Rin.

—Obrigada.—Disse Rin aceitando a bebida.

 

Inuyasha e Miroku chegaram no recinto, saiu cumprimentando os convidados até chagar na mesa onde estava as meninas. Kagome se levantou tímida dando um abraço no prateado que lhe deu um selinho nos lábios surpreendendo todos. Kagome entregou o presente que havia comprado e o prateado agradeceu lhe dando outro selinho e a morena corou dos pés a cabeça.

—Obrigada, não precisava incomodar-se.—Ele colocou o presente no pescoço—Eu adorei.—Disse encarando Kagome de forma enigmática.

—Olá Sango.—Disse Miroku com um sorriso lindo nos lábios.—Que prazer ve-la aqui.—Disse dando um beijinho no rosto da morena.

Inuyasha se aproximou de Kagome.

—Vem comigo.Quero te apresentar para alguns amigos—Disse pegando Kagome pela mão e saindo.

—Se deu bem!—Disse jack feliz pela amiga.

—Já era hora.—Disse sango olhando para Miroku que seguia atrás de Inuyasha por onde ia.

—Vai ficar ai parada olhando o moreno partir?—Disse Rin surpreendendo os dois.

—Nossa!você ta pervertidinha né mocinha!—Diz Jack debochado.

—Oras, não foi pra isso que ela colocou isso que ela chama de calcinha por baixo desse vestido?—Disse Rin séria.

Sango chamou a atenção para si.

—A pressa é inimiga da perfeição...ja ouviu falar?—Disse Sango enigmática.

Os dois riram.

 

Sesshoumaru estava lhe dando com um grupo de chatos que insistiam em falar sobre negócios em uma comemoração de aniversário.

—O que você acha do investimento da Inter?— Perguntava um homem de mais de quarenta anos e cabelos grisalhos.

Sesshoumaru queria sair dali o mais rápido possível.

—Me desculpe, com licença preciso resolver algo.—Disse se afastando do grupo e indo até onde Rin estava. Se aproximando acenou com a cabeça para Jack e Sango e  deu a mão para a morena se levantar e acompanha-lo. Rin saiu com Sesshoumaru indo ate o bar pegar uma bebida.

Sango permaneceu com Jack.

—Parece que só ficamos nos dois.—Disse Jack com um biquinho.—Cadê o boy que você ia me apresentar em San!?

—Calma que ele ainda não chegou. Mas ele vem.—Disse séria enquanto observava Miroku conversando com os convidados junto de Inuyasha e Kagome.

Nossa como ela queria estar nos braços daquele moreno! “Paciência Sango, paciência”. Dizia para si mesma.

Sesshoumaru bebia no bar junto de Rin.

—Sabia que você está deliciosa...?—Sussurrava no ouvido da morena.

Rin riu.

—Você também senhor Taishou.—Estava se sentindo leve devido ao álcool que corria em suas veias. Nesse estado não estava respondendo muito por si.

—Estou me controlando para não erguer esse vestido e te comer aqui mesmo.—Sesshoumaru tinha um sorriso maroto nos lábios.

—Acho que não seria muito inteligente da sua parte, os convidados todos saberiam sobre nós.—Disse Rin séria.

Sesshoumaru sem aviso prévio se aproximou dando um beijo demorado na boca de Rin. Enquanto suas línguas travavam uma batalha os convidados observavam a cena surpresos. E foi assim que Sesshoumaru e Rin assumiram que estavam sendo muito mais que patrão e funcionária, apesar de muitos desconfiarem e outros já terem certeza.

—Cheque mate!—Disse Jack a Sango—Parece que o Prateado resolveu assumir.

—Já passou da hora...—Disse Sango séria. Ela não desviava o olhar de Miroku, estava atenta a cada passo do moreno.

Miroku observava a cena de Sesshoumaru e Rin.

—Parece que seu irmão não aguentou—Disse ao Inuyasha que deu de ombros.

—Keh, ate que enfim, já era tempo de superar o chifre que levou de Kagura.—Disse Inuyasha e kagome lhe deu um tapinha no ombro.

—Que horror Inu.—Disse tímida.

Inuyasha deu um beijo no rosto da amada.

—Desculpa Kah.—Disse o prateado sem jeito.

—Nossa, parece que eu to sobrando heim!—Disse Miroku sorrindo—Vou dar uma rodada na festa—Disse se retirando.

Miroku pegou o celular e discou um número.

—Oi—Respondeu Totousai do outro lado da linha.

— tudo sobre controle?—Pergunta Miroku

—Sim, só aguardando a cinderela aparecer. —Diz o velho dentro de um carro estacionado a frente da boate.

—Beleza. Mantenha-se atento.

—Ok.

Miroku desligou e foi até o bar pegar uma cerveja.

 

Sango Olhando para a entrada avistou um moreno com sorriso branco entrando acompanhado de outro moreno de cabelos cumpridos numa trança.

—Ele chegou Jack. —Diz Sango sorrindo.

—Onde meu Deus!?—Pergunta o amigo olhando para todo lado.

—Fica quieto que você já vai ver.—Diz a morena séria o puxando pelo braço.

 

Rin estava ainda se recuperando o que aconteceu.

—Porque você fez isso? As pessoas vão comentar.—Disse olhando para a festa onde todos dançavam tranquilos e algumas garotas a olhava com inveja evidente.

—Dane-se, não devo satisfação a ninguém. —Diz o prateado sério—Você não gostou?

Rin cora.

—Claro que sim. Não diga bobeiras. Só fiquei surpresa. —Diz a morena constrangida.

—Só confirmei o que estava na cara Rin .Vem vamos dançar. Quero dar notícias para esses jornais! —Disse o prateado a arrastando para a pista.

Esse Sesshoumaru estava realmente surpreendendo Rin.

 

Sango Se aproximou dos dois morenos.

—Oi Kohaku, Ban...—Disse beijando o rosto dos dois.

—Oi Sango—Cumprimenta Kohaku dando um boa olhada nas curvas de Sango. —Que prazer encontra-la aqui. Rin esta aqui também?

Sango apontou para a pista onde estava Rin e Sesshoumaru, Kohaku observou sem nada dizer.

Sango se dirigiu a Bankotsu ignorando o moreno.

—Ban, quero te apresentar um amigo meu.—Chamou Jack que veio até a amiga.—Esse é Jakotsu, mais conhecido como Jack.

O moreno apertou a mão de Jack lhe sorrindo meigo.

—Bankotsu, pode me chamar de Ban. Prazer conhece-lo ? —Disse ainda segurando a mão de Jack que por incrível que pareça corou.

—Prazer—Disse meigo.

Kohaku se retirou indo em direção ao bar onde agora Rin se encontrava ainda na companhia de Seshoumaru..

Sango sorria  ao ver Jack com Ban que conversavam animadamente “Cheque mate”Pensou.

Bankotsu era todos sorrisos.

—Bem, vou ter que ir ao toalete, com licença cuide do Jack para mim Ban.—Disse a morena se retirando.

O moreno sorriu. Olhando cumplice para Jack.

—Pode deixar.—Disse enquanto Sango se retirava dando um volta pelo salão.

A morena deu uma volta pelo salão e não viu Miroku. Entrou mais para dentro o vendo no canto indo em direção a um dos escritórios enquanto falava ao telefone.

Miroku entrou no escritório pois o barulho no salão não estava deixando ele ouvir direito.

—Ta ok, fica de olho, já deve estar chegando. —Disse o moreno encerrando a ligação.

“Droga, o Naraku estava arisco, será que ele não apareceria aquele dia na boate?” Pesou o moreno ao finalizar a conversa com Totousai.

Miroku ouviu a porta do escritório se abrir e Sango entrar no lugar.

Sorriu.

—Oi Sango. —Disse simpático. —Está perdida?

Sango fechou a porta girando a chave. Entrou sorrateira sem responder a pergunta do moreno, indo até Miroku o empurrando de encontro a mesa do escritório.

—Oi Miroku.—A morena tomou a boca de Miroku num beijo sensual.

 

Kohaku se aproximou de Rin e Sesshoumaru no bar.

—Boa noite Rin.—Deu um beijo na mão da morena—Ola Sesshoumaru—Dise acenando com a cabeça ao prateado. Voltando o olhar para Rin—Você esta muito bela senhorita Rin.Me conceda o prazer dessa dança?

Sesshoumaru trincou os dentes. Quem aquele moleque pensava que era.Rin olhou para Seshsoumaru sem saber o que responder.

—Não ve que ela esta em minha companhia Kohaku?—Perguntou Sesshoumaru sério.

Kohaku sorriu.

—Não vejo mal você me emprestar sua secretária para uma dança. Afinal você não é dono dela não é mesmo? —Disse se virando para Rin—Vamos Rin?

Rin estava perdida sem saber o que fazer.

—Kohaku, por acaso perdeu o amor a vida?—Perguntou Sesshoumaru sério tirando a mão do moreno da mão de Rin.—Eu já disse que ela está comigo, que quando digo que está comigo não fala como minha secretária. Agora nos de licença. —Disse pegando a mão de Rin e se afastando do moreno que ficou com o queixo no chão com a revelação.

 

Enquanto isso no escritório Sango se deleitava nos lábios do moreno.

Miroku se afastou levemente.

—Sangozinha, não acho que seu tio vá aprovar isso. —Disse o moreno com um meio sorriso.Só kami sabia qcomo era difícil se controlar diante do que a morena estava fazendo.

Sango o prendeu mais a mesa.

—Quieto .—Disse tomando a boca do moreno mais uma vez, e dessa vez ele não resistiu.

Aquele jeito de Sango o deixava louco, da última vez teve que se afastar da morena para não cometer uma loucura. Ela era diferente de todas as mulheres que já conheceu e isso estava lhe tirando a sanidade.

 

Enquanto a festa de Inuyasha bombava Totousai estava parado na frente da boate quando viu Naraku sair de um carro e entrar sorrateiramente na dentro do prédio. Logo Totousai bateu varias fotos do moreno antes que ele entrasse. Olhou a tela do celular passando as imagens.

—Agora vamos entrar para ver mais de perto.—Disse saindo do carro e indo para a boate.

Ao entrar o recinto tudo parecia um hotel normal, se perguntou se não havia entrado no lugar errado. Mas bastou entregar seu passe a recepcionista para ser direcionado para o “parque de civersão” o velho entrou a boate e já ficou babando nas dançarinas de poli dance. Ao direcionar o olhar ao bar viu algumas meninas sentadas nas banquetas com as pernas cruzadas. Uma delas, morena alta e com as pernas de fora se aproximou. Totousai babou nas pernas da morena, mas tentou se concentrar na missão que tinha o levado ate ali. Olhou para o bar e viu uma albina. Reconheceu pelas características que aquela deveria ser a informante de Miroku. A morena se aproximou.

—Boa noite, gostaria de uma companhia? Talvez tomar uma bebida com uma das minhas meninas?

Totousai sorriu.

—Claro, gostaria da companhia daquela loirinha pequenina.—Disse apontando para Kanna.

—Sim, será um prazer.—Disse amorena chamando Kanna que veio ate o velho e sentou-se na mesa a sua frente.—Fique a vontade.—Disse a morena se retirando.

Kanna olhou para Totousai e lhe deu um sorriso meigo. O velho se perguntou o que uma garota como ela estaria fazendo num lugar como esse.

—Sou Kyra.—Disse o velho dando seu nome falso.—Gostaria de beber o que doçura?

Kanna sorriu mais estava nervosa. Aquela noite seria a noite em que receberia o homem enviado por Miroku, e esse velho tinha que escolher logo ela para beber com ele e sabe se la o que mais. Estava suando frio.

—Um Martini.—Disse num sussurro.

Totousai percebeu o nervosismo da garota e se lembrou da palavra chave para ela o identificasse. Se perdeu na beleza da loirinha que nem se lembrou do combinado.

—Kazana.—Disse fitando a menina e esperando que ele entendesse.

Ela suspirou alviada.

—Ai graças a Deus é você.—Disse visivelmente aliviada.—Sou Kanna.—Tenho algumas informações importantes, mas precisamos subir para um lugar mais reservado, aqui as paredes tem ouvidos.

O velho acenou em positivo.

—Ok.

Subiram par um dos vários quartos e Kanna trancou a porta atrás de si visivelmente nervosa.

—Quer beber uma cerveja?—Perguntou a albina ao velho.

—Estou bem.—Disse Totousai se sentando em uma poltrona ao canto.

Kanna se aproximou.

—Naraku terá um encontro com um traficante daqui a duas semanas em um galpão há uns dez quilômetros a leste de Tóquio. Provavelmente ele pegara alguma encomenda, alguma garota ou quem sabe até drogas.—Disse kanna sussurrando.—Eu escutei quando Hakodoushi falou, eu estava ouvindo atrás da porta. Meu kami, não sei se posso continuar fazendo isso! Se ele me pega...

A menina estava visivelmente nervosa. Totousai afagou os cabelos da albina

—Ei, calma pequena. —Disse carinhoso.—O que mais você soube?

Kanna sussurrava .

—Ele recebe muitos homens poderosos para usufruir da boate, ele tem contatos de pessoas importantes, não vai ser fácil pega-lo. A boate esta em nome de Hakodoushi um de seus laranjas. Ele quem assume a bronca toda, mas Naraku quem fica com o lucro. Não sei qual a relação dos dois, mas Hakudoushi e muito fiel a Naraku, ele jamais o entregaria.

—Por isso estou aqui—Disse Totousai—Para pegar Naraku , para conseguir alguma prova. Consegui foto dele entrando na boate, mas isso não é prova nenhuma. Mas se esse encontro no galpão for verdadeiro, isso sim poderia ser a ruina de Naraku...E então, tudo estará acabado assim que Naraku for preso!—Totousai tirou um celular do bolso.—Aqui, preciso que você consiga fotos de Naraku em alguma situação comprometedora.

Kanna estava assustada.

—Não, ele vai me pegar....por favor não posso!

—Confie em mim Kanna, eu vou te proteger. —Disse Totousai sério.—Mas para isso preciso que você me ajude .

A albina suspirou. Enquanto fitava o olhar sincero do senhor a sua frente.

—Ok. Eu vou ajuda-lo.

Kanna perdeu seus pais muito jovem, e devido a isso teve que procurar uma forma de se virar, sendo atraída para a armadilha de Hakodoushi e sendo traficada assim como muitas garotas que estavam ali. Sentiu confiança no homem que estava a sua frente, sentiu esperanças de poder a viver como uma garota normal outra vez. Kanna sorriu para Totousai que sentiu o coração se aquecer pelo sorriso inocente da menina.

—Como veio parar aqui Kanna?—Perguntou Totousai curioso.—Não me conformo que uma garota tão doce tenha escolhido essa vida...

Kanna corou, e contou tudo a Totousai. Como havia vindo parar ali e como sonhava em deixar aquele lugar .A albina tinha lagrimas nos olhos.

—Sim, Miroku me disse que havia muitas garotas traficadas aqui...

—Miroku? Perguntou kanna confusa.

Totousai se deu conta que falara demais.

—Esquece o que eu falei. Eu já vou indo.—Disse sério. Deixando um bolo de dinheiro sobre a mesinha ao lado da cama.

Kanna corou.

—O senhor não vai...querer meus serviços?—Disse Kanna tímida.

O velho sorriu com o jeito meigo da menina.

—Você não merece ser tratada dessa forma. —O homem se dirigiu a porta—Fique bem Kanna.

Totousai sai do quarto passando entre as pessoas pela boate observando tudo. Um vidro fumê dava visão por todo o recinto. Tinha certeza que era lá que Naraku estava. Saiu da boate indo em direção ao carro. Pensou na doce albino que deixou para trás.

—Pobre garota.—Disse pesaroso.

Quando entrou nessa cama de gato Totousai não imaginava que fosse ter um real motivo para utar para que a justiça fosse feita. Mas agora ele tinha.

 

Enquanto isso no escritório do clube Sango e Miroku esquentavam o cômodo.

—Sango, não quero problemas com sua família.—Dizia Miroku enquanto a morena descia os beijos por seu peito onde a camisa se encontrava aberta mostrando os músculos do peitoral definido do moreno.

Sango ignorou as palavras do moreno enquanto mordia o lóbulo  de sua orelha e Miroku dava um pequeno gemido de satisfação. Aquele era um dos seus pontos fracos. Miroku segurou Sango pelos ombros invertendo a posição dos dois.

—Dane-se, eu estou louco para fazer isso a muito tempo! —Disse o moreno fitando a morena nos olhos, ela deu um pequeno sorriso de satisfação enquanto Miroku lhe capturava os lábios macios num beijo faminto.

Segurando Sango pelo quadril ele a colocou sobre a mesa entrando no meio de suas pernas enquanto beijava arduamente os lábios da morena que perdia a respiração e tinha os batimentos do coração acelerados. Descendo as alças do vestido de Sango ele deixou os fartos seios da morena expostos. Empurrando a delicadamente deixou que ela deitasse o tronco sobre a mesa. Se curvando sobre ela ele beijou Sango descendo os lábios experiente pelo pescoço e pelo vale dos seios empinados. Espalmando a mão grande em cada um dos montes os apertou com gosto em seguida capturando um dos mamilos e sugando com vontade.

—Você não sabe o quanto eu sonhei com isso. —Disse a morena ofegante.

Miroku sorriu nos seios da morena, ele gostava desse jeito ousado de Sango e essa foi uma das coisas que lhe atraíram nela. Desde o dia em que viu Sango na festa do velho Miuga ele sentiu algo inexplicável, mas se conteve pois ela era sobrinha de Yuri um dos sócios de Sesshoumaru.

 

Jack conversava com Ban animadamente numa das mesas próximas ao bar.

Jack deu uma olhada pelo salão não avistando Sango e deu um sorrisinho de canto. ”Safadinha” Pensou se dando conta que uma hora dessas a morena estava aproveitando a melhor noite da sua vida.

Ban chamou sua atenção para si.

—Então, você tem namorado? —Perguntou Ban.—Pensei que se não for incomodo poderíamos marcar pra jantarmos qualquer dia....

Jack sentiu o coração acelerar.

—Não!—Disse assustado

Ban ficou sem graça.

—Ta bom, me desculpa o convite.—Disse passando a mão na nuca sem jeito.

—Não., eu não tenho namorado.—Disse jack tentando concertar o mais rápido possível o mal entendido.—E sim, eu aceito sair para jantar com você.—Disse feliz da vida.

Ban sorriu aliviado.

—Que bom , então domingo ,pode ser?

—Claro —Disse jack com uma sensação que nunca sentiu antes.

 

Enquanto isso o escritório onde Sango e Miroku estavam pegava fogo.

—Ai Miroku, eu to pegando fogo —Dizia Sango enquanto tirava o resto de roupa que impedia ela de ter um contato mais intimo com o moreno. Miroku tirava a camisa rapidamente em seguida desabotoou a calça e sem tira-la voltou a beijar Sango descendo a boca pela barriga reta encontrando o monte de vênus e beijando o local enquanto seu coração aprecia que ia sair pela boca. Parecia um adolescente. Descendo a boca pela intimidade lisa e bem depilada de Sango ele retirou a calcinha pequena com os dentes.

—Gostei da peça.—Disse o moreno erguendo a calcinha minúscula de renda nos dedos e logo em seguida a jogando em um canto qualquer.—Mas gosto mais do que tem por baixo dela.—Disse enquanto capturava-os pequenos lábios da flor de lótus de Sango na boca experiente. Sango soltou um gemido alto, sorte que som que estava la fora acobertava o som do seu gemido evitando maiores constrangimentos.

Sango agarrou os cabelos fartos do moreno firme em seus dedos enquanto se arqueava permitindo um amior contado entre a boca do seu par e sua intimidade.

—Ai, isso bom demais Miroku!—Gemia a morena feliz da vida

Miroku intensificou o contado amentando as investidas de sua língua enquanto sentia Sango se aproximar cada vez mais de um orgasmo que não demorou muito chegar e amorena tremeu-se inteira se derramando na boca de Miroku.O moreno sentia seu membro vibrar de tanto tesão ao ouvir o gemido alta de Sango.

—Agora eu vou te mostrar a melhor parte .—Disse o moreno tirando o membro ereto de dentro da calça e terminando de tirar a peça a deixando esparramada no chão. Agora ele estava totalmente nu . Sango que já se encontrava sentada na mesa agora apreciava a imagem do moreno como veio ao mundo. Seu abdome bem definido as pernas bem torneadas, os braços fortes. Ele era perfeito. E o membro bem dotado completava a peça. Sango passou a língua nos lábios e se ajoelhou na frente do moreno. Percebendo o que estava por vir ele fechou os olhos. Sango tinha o coração quase saindo pela boca, ela estava nervosa mais já tinha visto isso em filmes, ela poderia fazer isso sem problema. Chegando mais perto segurou o membro duro de Miroku pela base, santo Deus é enorme! Pensou. Lentamente ela introduziu na sua boca quase por inteiro arrancando um gemido de prazer do moreno que segurou seus cabelos levemente a guiando para cada vez mais fundo, a boca macia engolia quase inteiro o seu membro pulsante, ele não via a hora de estar dentro de Sango e sentir o calor daquele corpo perfeito. Sango continuava com movimentos de vai e vem entrando e saindo o membro da sua boca pequena, sem querer raspou os dentes tirando um pequeno gemido de insatisfação de Miroku, para logo em seguida voltar a chupar sem mais problemas. Quando Miroku já estava quase ara gozar se retirou da boca da morena pedindo para que ela ficasse de pé. A segurando delicadamente pela cintura ele pediu que ela se apoiasse na mesa e ficasse com o bumbum empinado para ele. Sango estava suando frio, apesar de saber o que queria estava com medo do contato mais intimo, medo de doer e resolveu abrir o jogo.

—Eu sou virgem!—Disse de um vez—Toma cuidado por favor.—Pediu manhosa.

Miroku estava surpreso. Não que achasse que a morena fosse uma qualquer, mas pela convicção dela, ele pensou que ela já tivesse tido alguma experiência sexual.

—Então, vamos ser mais cuidadosos.—A pegou nos braços e levou até um sofá ao canto da sala, era espaçoso e cabia duas pessoas deitadas sem problema. A deitando delicadamente no sofá ele a beijou carinhosamente e ao mesmo tempo cheio de luxuria fazendo um fogo explodir dentro da morena e ela se agarrar a ele quase se fundindo. Miroku estava por cima enquanto a beijava sem pressa, sugou um dos seios e beijou o pescoço. Correu ate sua carteira e retirou de la um preservativo, não estava preparado para ser pai ainda. Pensou.

Miroku colocou o preservativo

—Eu vou entrar devagar, se doer me diga.—Disse carinhoso. Sango balançou a cabeça em positivo.

Começou a introduzir-se dentro de Sango lentamente arrancando alguns gemidos de dor da morena. Logo estava dentro dela e ficou parado para que ela se acostumasse a beijando a todo momento dando selinhos pelo seu rosto que tinha lagrimas escorrendo devido a dor.

—Calma..—Disse sereno.

Sango apertou o trazendo de encontro a seu corpo como um sinal de que ele poderia se movimentar, lentamente Miroku começou com os movimentos de vai e vem numa dança sensual, não demorou Sango começou a gemer baixinho, mais dessa vez de prazer. Percebendo que a morena se sentia mais confortável ele aumentou a intensidade e não demorou estavam em uma dança sensual unindo os corpos em prazer mutuo. Miroku se movimentava mais e mais rápido soltando gemidos roucos ao pe do ouvido de Sango que se sentia cada vez amis instigada e começou a sentir um prazer intenso a inundando e passou a soltar gemidos cada vez mais altos que era abafados pela música alta do lado de fora. Miroku estava indo a loucura de tão apertada que a morena era, ela nunca havia tirado a virgindade de uma garota antes e a experiência estava sendo totalmente nova para ele. Não demorou muito Sango rasgou suas costas com as unhas gritando alto com mais um orgasmo que chegou de repente. Miroku Não conseguiu se segurar e entrou o mais fundo que conseguiu na morena explodindo de prazer com um orgasmo avassalador. Caindo exausto ao lado de Sango a puxou para um abraço, os dois estavam suados  e respiravam pesadamente.

—Foi o melhor sexo da minha vida.—Disse Sango feliz da vida.

Miroku riu da piada da morena.

—Achei que eu fosse o primeiro.—Disse maroto.

Sango riu e começou a levantar-se para colocar sua roupa de volta.

Miroku segurou seu braço a fazendo parar. Ele nunca pensou que fosse dizer aquilo, mas nada com aquela morena podia ser normal, não é? Ela estava tirando sua sanidade.

Miroku a olhou diretamente nos olhos castanhos que estavam serenos.

—Quer namorar comigo Sangozinha?—Perguntou sério.

Sango nada disse, apenas se curvou e tomou os lábios de Miroku num beijo apaixonado.


Notas Finais


Espero que tenham curtido e convido a todos para dar uma olhada nas minhas outras Fics.

A respeito de ardente desejo , preciso saber se vocês querem que eu continue essa historia ou devo para de escrever! parece que não estao gostando muito pois quase ninguém deixa opniao do que esta achando, podem ser sinceros eu aguento! Deixem seus comentários.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...