História Ardente desejo - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kagome Higurashi, Kagura, Kanna, Kouga, Miroku, Sango, Sara Asano, Sesshoumaru
Tags Amor, Inuyasha, Kagome, Miroku, Rin, Romance, Sango, Sesshoumaru, Sesshyrin
Visualizações 369
Palavras 2.073
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente , eu e esse meu coração mole feito manteiga derretida! kkkk não aguentei, tive que postar esse capitulo, eu ia deixar so para a próxima semana, mas eu so boazinha demais. Como vcs pediram eu vou postar mais um.
Apreciem a leitura .

Capítulo 20 - Surpresas


 

Rin sorria enquanto Sesshoumaru contava sobre o seu dia na empresa e como estava irritado com os suecos.

—Você achava que só você era bom negociador .—Disse Rin sorrindo enquanto dava uma garfada em sua comida. Ela havia pedido risoto de camarão e Sesshoumaru File malpassado como sempre.

Ele deu de ombros.

—Não estou acostumado a perder.—Disse com um sorriso de canto.

Seshoumaru estava se sentindo leve ao lado de Rin, ela vinha lhe proporcionando as melhores sensações que ele poderia ter. Cada dia ele descobria mais e mais sobre sua amada. Hoje ele ficou por um fio de dizer a verdade a Rin sobre Kagura, dizer que ela queria lhe passar informações sobre Naraku e por isso havia lhe procurado, mas preferiu não dizer nada, ele não queria que Rin soubesse sobre estarem tão próximos de pegar Naraku, não queria preocupa-la, então inventou uma desculpa qualquer.

Rin chamou sua atenção para si.

—O meu risoto esta maravilhoso, quer experimentar? —Disse com os olhos brilhante olhando o prato de Seshsoumaru.

Seshoumaru riu e abocanhou a garfada que ela lhe oferecia.

—Muito bom, ótimo gosto.—Disse sorrindo enquanto colocava um pedaço do seu file na boca de Rin que mastigou lentamente com os olhos fechados.

—Esta muito bom!—Disse abrindo os olhos.

De repente Rin olhou para o seu prato e sentiu enjoo . Saiu correndo da mesa sem pedir licença deixando um Sesshoumaru confuso para trás. Chegando no banheiro acabou colocando tudo para fora.

—Por  Kami, o que esta acontecendo? —Disse olhando no espelho a sua frente.

Enxaguou a boca se recompondo voltou para a mesa. Sesshoumaru a  fitou interrogativo. Rin se sentou chamando o garçom.

—Por favor retire o meu prato.—Disse apenas.

Sesshoumaru ainda a fitava sem entender.

—Rin, o que houve? —Perguntou preocupado enquanto colocava sua mão sobre a dela.

Rin entrelaçou os dedos do prateado.

—Não foi nada. Apenas me senti enjoada. Acho que foi a comida.

Sesshoumaru franziu o cenho.

—Tem certeza que esta bem? Vou pedir a conta. —Disse Sesshoumaru erguendo a mão para chamar o garçom. Rin segurou a mão do prateado.

—Sim estou bem. Pode degustar o seu almoço, eu estou bem. —Disse convicta.

O almoço decorreu sem mais problemas, enquanto Rin e Sesshoumaru conversavam sobre os mais variados assuntos. O garçom recolheu o prato de Sesshoumaru assim que ele finalizou a refeição. Rin recusou a sobremesa. Enquanto aguardavam a conta, um garçom se aproximou.

—Cortesia da casa.—Disse entregando um biscoito da sorte a Rin e outro a Sesshoumaru. A morena sorriu .

—Obrigada.—O garçom se retirou em seguida.

Sesshoumaru a fitava atenta. Rin sorriu.

—Vamos abrir juntos.—Disse feliz .Sesshoumaru assentiu.—No três.—falou brincalhona—um....dois....três! Rin quebrou o seu biscoito assim como Sesshoumaru.

Porem algo que ela não esperava aconteceu. Na sua mao agora se encontrava um anel solitário no meio dos farelos do biscoito. Ela olhou para Sesshoumaru que sorria.

—Oras! Mas que injustiça, o meu só tinha uma frase.—Disse fingindo não fazer ideia de como aquilo foi parar ali.—Deixa eu ler aqui.Disse erguendo o papel na altura dos olhos.

Rin tinha os olhos rasos e fitava o prateado sorrindo. Sesshoumaru se aproximou e ajoelhou-se ao lado da cadeira da morena tomando a atenção dos resentes.

—Eu sei que você ja disse sim, mas vamos fazer isso direito .—Ele a olhou direto nos olhos castanhos que estavam marejados e sorriam de felicidade — Rin, quer se casar comigo?—Disse Sesshoumaru . Rin já tinha lagrimas escorrendo em sua face, quando deu por si alguns flashs registravam o momento. Segurou a mão de Sesshoumaru e o fez levantar-se o abraçando e lhe dando um beijo demorado.

—Claro que sim!—Disse emocionada.—Sim, Sim Sim!

Sesshoumaru pegou o anel colocando no dedo anelar direito da pequena mão. Em seguida depositou um beijo sobre a pedra.

—Eu te amo.—Disse dando um selinho na boca da morena

—Eu também te amo ...muito.—Disse emocionada. —Como sabia que eu viria almoçar com você? Foi surpresa.—Disse enquanto se sentava ao lado do prateado.

—Na verdade eu pretendia te trazer para jantar, mas você foi mais rápida.—Disse Seshoumaru maroto.

Rin deu um tapinha na mão do prateado.

—Bobo.

Totousai se aproximou cumprimentando a morena.

—Hoje o jantar foi por minha conta. Minhas felicitações ao casal.—Disse o senhor que ja estava ciente do pedido  apertando a mão de Sesshoumaru e depositando um beijo sobre o dorso da mão de Rin.

 

Rin estava radiante olhando a anel a sua mão, Sesshoumaru se sentia importante por ser o motivo da felicidade da morena. Em breve tudo ficaria na mais completa paz, depois que Naraku for para a cadeia as coisas estarão no seu devido lugar e poderão ser felizes sem preocupações. Pensou.

Sesshoumaru se despediu de Totousai e agradeceu pelo jantar. Os dois seguiram para o carro, o manobrista entregou a chave para Sesshoumaru que abriu a porta para que Rin entrasse. No mesmo instante Rin sentiu se tonta e desfaleceu. Não fosse as mãos fortes de Sesshoumaru a amparasse ela teria caído e batido a cabeça. Sesshoumaru pegou a morena nos braços e a colocou delicadamente no banco do carro.

—Rin!?—Disse afagando o rosto da morena que estava desacordada.—Rin!? Chamou mais uma vez e amorena permanecia desacordada.—Meu kami!

Seshoumaru estava desnorteado, Totousai veio ao seu encontro junto com mais alguns funcionários do restaurante. Enquanto alguns paparazzis batiam algumas fotos. Sesshoumaru geralmente não estava ligando para eles, mas agora eles o estavam incomodando.

—Mais uma foto e eu lhe encho a cara de porradas! —Disse exaltado para um dos fotógrafos. Ele estava preocupado e irritado com o proveito que estavam tirando do estado de Rin para tirar fotos.

Totousai chamava rin delicadamente.

—Talvez ela teve um mal súbito,melhor leva-la a um hospital!—Disse Totousai.

Sesshoumaru passou o cinto de segurança em Rin e saiu  cantando pneu, No caminho para o hospital Rin começou a abrir os olhos lentamente.

—Rin, você está bem?—Perguntou o prateado preocupado.

—Sesshy...—Disse colocando a mão na cabeça.—Estou sim, foi apenas um mal estar.—Disse sentindo-se zonza.

—Rin, você desmaiou!—Disse sério—Vamos para o hospital agora.

Rin nada disse, apenas assentiu. Sesshoumaru estacionou no pátio do hospital indo ate a sua porta abrir. Tirou Rin de la nos braços.

—Não precisa disso, eu posso andar.—Disse achando exagero ser levado nos braços.

Sesshoumaru nada disse apenas continuou andando entrando na recepção e colocando Rin em uma das poltronas. Se dirigiu ate a recepcionista e pediu que chamasse um medico. Dr . Satochi veio ate Sesshoumaru e pediu que trouxesse Rin para a sala de consulta.

O homem se sentou pedindo que Rin se sentasse na cadeira a sua frente.

—Srta Kobayashi. Me diga o que esta sentindo.—Disso o homem enquanto preenchia uma ficha.

—Há alguns dias me sinto cansada, tenho dito episódios de vômitos, tonturas e hoje desmaio.—Disse baixo enquanto Sesshoumaru segurava a mão de Rin firme.

O homem preencheu a ficha e acenou em positivo.

—Deite-se ali por favor.—Apontou a cama .Tudo muito branco e já estava causando tonturas em Rin novamente. Ela se deitou e ele apalpou o abdome.

—Doi?—Perguntou sério. Rin negou.—Pode se levantar. Vamos fazer alguns exames de sangue e depois se preciso posso complementar com exames de Imagem. —Disse enquanto digitava algo no computador. Alguns minutos e uma moça entrou na sala e colheu sangue de Rin .

—Os exames demoram algumas horas. Assim que tiver pronto eu chamo vocês novamente. —Disse o homem.

Rin e Sesshoumaru foram direcionados a uma sala de espera.

—Pode voltar para o trabalho, estou bem.—Disse Rin preocupada.—Posso chamar Sango e Kagome para ficarem comigo.—Disse com um riso fraco.

—Não quero te deixar. —Sesshoumaru tinha uma reunião as quatorze horas, iria desmarcar.—Vou desmarcar a reunião.—Disse sério.

—Não! —Vá, vou ligar agora para Kagome e Sango virem. —Disse decidida. —Não quero que se prejudique, além do mais estou me sentindo bem. Não há de ser nada grave.

Sesshoumaru suspirou, não queria deixa-la.

—Ok, então ligue e assim que chegarem eu vou.—Disse dando por vencido.

E assim Rin fez, chamou as amigas que em menos de meia hora chegaram eufóricas. Aquela energia toda incomodava Sesshoumaru que se despediu de Rin com um selinho pedindo que o comunicasse logo. Kagome e Sango sentaram-se ao lado de Rin e afagaram os ombros da morena.

—Está tudo bem?—Perguntou Kagome com os olhos preocupados.

Rin acenou que sim.

Sango lhe agarrou a mão fitando o solitário em seu dedo.

—Não me diga que....

—Sim, ele me pediu em casamento. —Disse contente

—E não ia contar para nós!?—Sango estava irada.

—Eu ia contar, mas é que eu acabei de ganhar esse anel, antes de vir pra cá...—Se justificou.

—Ah sim, então sendo assim nós perdoamos—Disse Kagome feliz pela amiga.

As três conversaram sobre variadas coisas inclusive confirmando a comemoração do aniversario de jack, passado se quase duas horas uma enfermeira veio chamar Rin. Kagome e Sango seguiram a morena para dentro da sala do médico. O homem estava com os olhos na tela do computador e olhou compreensivo para as três garotas. Rin se sentou enquanto Sango e Kagome ficaram de pé logo atrás.

—Está se sentindo melhor? —Perguntou o Dr Satoshi direcionado a Rin.

—Sim, estou ótima. Já passou.—Disse sorrindo.

—Isso é temporário, logo você não sentira mais esses incômodos. —Disse Dr Satochi enquanto digitava no computador.

—O que eu tenho Dr?—Perguntou Rin receosa.

O homem sorriu e lhe entregou uma receita .

—Você está grávida Srta Rin. Ai esta algumas vitaminas e um pedido de ultrassonografia.Procure seu ginecologista de confiança para iniciar o pre-natal. Parabéns!

Rin estava paralisada enquanto Sango e Kagome tinham a mão na boca logo atrás surpresas.

—Gravida? Mas como?—Disse Rin passada com a revelação.

Sango já se manifestou

—Quer que eu te explique como se faz um filho Rin!?—Disse a morena tirando Rin do seu transe.

—Eu sei... Mas...eu não esperava...—Disse sem saber o que fazer Começando a chorar. — Meu kami o que eu vou fazer!? —Dizia a morena em prantos.

Sango e Kagome seguraram seus ombros a direcionando para fora da sala do médico que já estava perdido no meio das três.

—Obrigada Doutor.—Disse Kagome enquanto levava Rin para fora.

—Rin, porque esta desse jeito? Tudo bem que não é algo assim simples, mas vocês vão se casar, qual o problema? Perguntou Sango séria como Rin nunca tinha visto.

Rin soluçava.

—Eu não sei...tenho medo de como Sesshoumaru reagirá, ele nunca me falou de filhos, eu não sei se vou ser capaz de cuidar dessa criança...ai meu kami!

Rin estava desesperada.

—Ele sabia muito bem que transar sem proteção pode acontecer esse tipo de coisa.—Disse a velha Sango—É tão culpa sua quanto dele!

Kagome deu um tapa na prima.

—Rin, fique calma, vai ficar tudo bem. Não precisa ter medo, Sesshoumaru não vai abandona-la. Ele te ama.—Kagome afagava as costas de Rin que estava inconsolável.

—Como eu conto para ele? Me ajudem!—Dizia desesperada.—Nos nem nos casamos ainda!

—Vocês podem adiantar o casamento, para evitar murmurinhos da imprensa. —Dizia Kagome.

O telefone de Rin tocou, na tela viu o número de Sesshoumaru.

—E agora? —Perguntou fitando as amigas.

—Atende! Não precisa contar agora, espere para dizer pessoalmente. —Disse Sango.

Rin atendeu o telefone.

—Oi amor.—Sua voz era um sussurro.

—Oi , e então?—Perguntou Sesshoumaru sério.—Esta tudo bem? — Tinha uma voz preocupada.

Riu suspirou tentando conter o choro.

—Sim.—Disse com a voz embargada.—Era apenas um mal estar como falei, os exames estavam tudo bem.—Disse tentando conter o nervosismo enquanto olhava para as garotas que a encorajavam a se manter calma.

—Que bom, me sinto aliviado. Você já esta indo para casa?—Perguntou Sesshoumaru .

—Sim. Estou indo agora mesmo. Acabei de sair do hospital.

—Vá direto. Você esta desacompanhada. Não acho seguro ficar sozinha. —Disse Sesshoumaru.

—As meninas estão comigo. —Rin disse sorrindo.

Sesshoumaru gargalhou.

—Não valem de muita coisa. —Disse brincalhão.

—Ei eu ouvi isso!—Gritou Sando perto do telefone.

Kagome puxou a prima de perto de Rin.

—Um beijo. Te amo.—Rin se despediu.

Kagome segurou seus ombros a direcionando para dentro do carro.

As três entraram, indo em direção a mansão.

—Você sabe que não vai poder esconder muito tempo. —Disse Sango séria.

Rin fechou os olhos e suspirou.


Notas Finais


Espero que tenham curtido! deixem revews, me digam o que estão achando.
A fic tem mais tres ou quatro capítulos, depende de como vai repercutir
beijos ate o proximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...