1. Spirit Fanfics >
  2. Ardente paixão - Oneshot Jung Hoseok >
  3. Capítulo único

História Ardente paixão - Oneshot Jung Hoseok - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


❣️OOOIII, Tudo bem com vocês? Quem costuma me acompanhar deve tá estranhando já que prometi uma one do Tae, mas assim né... Aniversário do Hope (atrasado rsrs) EEEEE o aniversário do meu amor mais lindo desse universo (atrasado também rsrs): @NinihCole ♥️Te amo, tá?🥺
❣️E avisando! A one do Tae vai sair logo, logo😗✌🏻
❣️Boa leituraaaaa

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Ardente paixão - Oneshot Jung Hoseok - Capítulo 1 - Capítulo único

Eu amo absolutamente tudo nela. É quase impossível descrever com palavras a dimensão dos meus sentimentos. 

Ela costuma falar muito, e eu amava cada palavra que saia de sua boca, até as que se embolavam pela sua euforia de contar a história. 

Ela sempre foi muito desastrada, e eu amava vê-la com aqueles olhinhos emburrados, como na vez que derrubou seu saboroso iogurte. 

Ela sempre soube arrancar um sorriso meu sem fazer o mínimo esforço. Quando estava concentrada, eu a via como uma obra de arte rara e carregada de emoções. Quando estava dormindo, parecia um verdadeiro anjo com seus longos fios espalhados pelo travesseiro. 

Fui um adolescente que era cercado com festas e mais festas. Sempre ia para várias com meus amigos, como convidados ou penetras. Era engraçado. A adrenalina de ser expulso era sempre tão boa, mas nunca senti algo tão forte quando entrei naquela festa do dia 18, ou melhor dizendo, o meu aniversário. Nunca gostei de fazer programações, então sempre costumávamos rodar pelas ruas sem um rumo. Nesse dia entramos em um bairro diferente e de longe já era possível ouvir a música alta que tocava na casa. Eu e meus amigos, com os hormônios à flor da pele, não perdemos tempo e logo estávamos lá, dentro da festa e já com bebidas nas nossas mãos. 

Lembro que aconteceu tudo muito rápido. Meus amigos começaram a se espalhar pela festa e logo eu estava sozinho na pista de dança. Todos eles tinham a intenção de ficar com alguém, porém, eu estava tão satisfeito com a playlist da festa, que preferi ficar no meio de todos. Jamais passaria na minha cabeça que ao entrar naquela festa, estaria no mesmo ambiente que o amor da minha vida. E eu também nunca imaginei que ela iria até mim. Tudo pareceu ocorrer em câmera lenta. Eu tinha acabado de abrir meus olhos e automaticamente eles se fixaram na garota em minha frente. Ela já me olhava com seu cenho franzido e quando percebeu que a notei, veio até mim. 

Até hoje ela faz questão de lembrar desse momento. Quando perguntou quem eu era e respondi a primeira coisa que se passou na minha cabeça... 

 

-Sou o melhor amigo do dono da festa. - Respondi alto. Não tinha notado, mas estava tão encantado com sua beleza que tinha parado de dançar. 

-Sério? - Cruzou os braços rindo. - Que estranho... Eu nem te conheço. 

-Você é a dona da festa? - Engoli em seco e senti minhas bochechas corarem. 

-A dona e aniversariante. - Riu. 

-Hoje também é o seu aniversário? - Perguntei sorridente e ignorando o fato de ter sido descoberto. 

-Como assim “também”? 

-É que também é o meu... 

 

Por mais que eu tenha ficado extremamente envergonhado no início da conversa, aquele momento foi essencial para começar a nos conhecermos. Ficamos juntos a festa inteira. Conversamos sobre assuntos diversos; bebemos até trocarmos as palavras e dançamos juntos, até o nosso primeiro beijo acontecer. Aquele dia foi único para mim e se pudesse revive-lo mais de uma vez, com certeza faria. 

Parecia que cada dia que se passava, ela ocupava mais um lugar gigantesco no meu coração e depois de meses apenas saindo, ficando e nos divertindo, eu a pedi em namoro. E depois de seis anos, eu a pedi em casamento. 

 

~~~ 

 

Tinha que passar as mãos ao redor do terno a cada segundo que passava para tentar enxugar o suor. Estava tão ansioso e era muito torturante ter que estar bem ali, no altar com todos te encarando sorridentes e eu suando e sem conseguir controlar o nervosismo das minhas pernas. Sempre me diziam que a chegada da noiva era o momento mais emocionante para o noivo, só esqueceram de contar que antes disso, a única coisa que acontecia era a mais pura e desgraçada ansiedade. Tinham me avisada que faltava cinco minutos para ela entrar, mas parecia que já tinha se passado horas. 

Batia o pé no chão constantemente e só foi parar quando a primeira nota da música ecoou pelo local. 

Chegou a hora. 

Endireitei minha postura e olhei atentamente para a entrada, esperando que o meu amor entrasse por lá e então aconteceu. Seu vestido era todo branco com alguns detalhes de renda que valorizavam suas curvas da forma mais perfeita de todas. Não conseguia ao menos piscar. Estava hipnotizado por sua imagem. Seus fios longos e pretos estavam presos em um penteado impecável, sua maquiagem reluzia ainda mais a beleza e delicadeza que era seu rosto. 

Oh, Nicole... Como pode me deixar tão perdidamente apaixonado por ti? 

Meus olhos começaram a marejar e eu pouco me importava em choram em frente a todos. Meu coração parecia pular para fora do peito e todo aquele momento da sua caminha, eu deixarei registrado para sempre na minha memória. 

Sua mão foi entregue para mim e o toque da sua palma fez todo o meu corpo se arrepiar e criar uma vontade de beija-la bem ali, mas me limitei em apenas falar o quão linda ela estava. A cerimônia foi perfeita e os gritos comemorativos logo após o “eu aceito” pareceram sumir quando finalmente pude juntar meus lábios ao seu. 

 

~~~ 

 

-Espera, amor! - Me apressei para alcançar minha linda mulher que simplesmente correu assim que a porta do elevador se abriu. Eu ia logo atrás dela sem conseguir conter a risada para sua animação de chegar à porta do nosso quarto do hotel. - Opa, opa. - Puxei o cartão de sua mão antes que abrisse. 

-O que foi? - Perguntou-me, com seus lindos olhos reluzentes. 

-É regra, esqueceu? - Estralei minhas costas e a carreguei no estilo noiva. - Tenho que entrar no quarto com você no colo. - Fiz o maior esforço para abrir a porta a tendo nos meus braços e só dificultava ainda mais, pois não conseguíamos para de rir de toda aquela situação. 

-Quer que eu te ajude, anjo? - Falou, pegando de volta o cartão de acesso e passando na trava. - Prontinho, senhor cavalheiro. 

-Obrigado, madame. - Entrei no quarto com ela ainda no meu colo e, ainda parados na porta, olhamos admirados o cômodo perfeitamente arrumado. Os lenços da cama de casal eram brancos, tinham quadros belíssimos na parede e uma grande cortina que cobria a vista. - Nossa... - A deixei no chão com delicadeza e fui até a cortina para abri-la. - Certo, isso é muito lindo. - Nicole abraçou minhas costas e tive que me virar um pouco para que ela pudesse apreciar a vista que nem eu. 

-Amor, essa vista é tão linda. - Concentrei minha atenção no seu belo rosto que admirava tudo aquilo e senti um sorriso discreto crescer nos meus lábios. 

-Verdade. - Sussurrei ainda a encarando. 

-Será que nossas malas já estão vindo? - Perguntou, desviando o olhar para o meu. 

-Aquele cara abusado falou que logo apareceria aqui. - Soltei um resmungo quando lembrei do rapaz que pegou nossas malas e teve a cara de pau de elogiar minha mulher com aquele sorriso nojento e “sedutor” comigo ao lado. 

-Tá com ciúmes? - Abriu um sorriso largo e apertou minha cintura me fazendo sentir cocegas. 

-Eu não. - Fiz bico e tentei não ri. - Sou mais bonito que ele. 

-Com certeza você é. - Me deu um selinho e antes que segurasse sua cintura, ouvimos alguém bater na porta. 

-Deve ser o abusado. - Coloquei seu cabelo atrás da orelha e a ouvi gargalhar. - Vou pegar nossas malas e bater nele. 

-Com certeza. Quer que eu ajude? Posso segurar enquanto você bate. - Brincou. 

-Não precisa. Meus músculos resolvem isso. 

Fui até a entrada desfilando e balançando a bunda sabendo que ela me olhava e fiz para fazer graça, mas voltei a minha pose de “durão” quando abri a porta esperando encontrar o mesmo recepcionista de antes, mas era um senhor com idade para ser meu pai. Peguei nossas malas o agradecendo com um sorriso sem graça e ao fechar a porta, ouvi a gargalhada de Nicole se sobressair pelo ambiente. 

-Pensei que ia bater nele, amor. - Correu até mim e começou a apertar minha cintura me fazendo querer rir 

-Vou arrumar as malas. - Fugi das suas mãos brincalhonas e levei as duas malas até o guarda-roupa que tinha ali. - Vida, pode colocar uma música, por favor? 

-Claro. 

 

Fiquei concentrado separando e colocando nossas roupas no lugar ideal e esperando que Nicole colocasse alguma música animada para fazermos tudo do jeito que mais amamos: dançando iguais loucos. De repente uma melodia mais lenta e sensual atingiu meus ouvidos. A música like u de Rosenfeld me fez para o que fazia. 

-Por que não coloca uma mais... - Me virei para olha-la e deixei as peças que segurava caírem no chão. - ...animada. - Às palavras sumiram da minha boca e minha cabeça girou. 

Nicole estava bem ali na minha frente com uma lingerie branca quase transparente e com uma meia que ia até metade de sua coxa. Se eu pudesse descrever com palavras o significado de perfeição, seria ela. 

-Quis te fazer uma surpresa. - Falou tímida e eu fui e aproximando sem dizer nada. - Estava esperando para comermos algo, porém não aguentava mais. - Toquei meus dedos em seu rosto angelical e respire fundo umedecendo os lábios. - Eu quero ser sua por completo, meu amor. 

 

Encarei seus olhos reluzentes e desci minha atenção para sua boca entreaberta que estava pintada com um tom suave de vermelhos. Sorri ansioso e colei seus lábios aos meus, sentindo a mesma sensação de sempre quando a tenho em meus braços, um calor intenso, arrepios pelo corpo e coração disparado. Suas mãos foram para no meu cabelo, e as minhas agarraram sua cintura a trazendo para mais perto de mim. Não era nem de perto a primeira vez que nos beijávamos, mas parecia que estava revivendo aquele dia do nosso aniversário. 

Subi uma de minhas mãos até sua nuca, apertando de leve seus fios e a ouvi soltar um gemido ainda com meus lábios colados aos seus. Voltei a descer minhas mãos, mas dessa vez a peguei no meu colo e levei até a grande cama que tinha no meio daquele quarto. A deitei no colchão macio e fiquei de joelhos admirando todo o seu corpo que parecia ter sido esculpidos e suas belas curvas me tiraram o ar. 

 

-Você... pode tirar a roupa, amor? - Perguntou mordendo os lábios. 

Nada falei, apenas levei minhas mãos até a barra de minha blusa a tirando do meu corpo e logo fiz o mesmo com a calça que usava, ficando apenas com uma boxer preta que marcava meu volume nada discreto. Deitei sobre seu corpo sem transferir todo o meu peso e beijei seu pescoço a ouvindo soltar gemidos manhosos enquanto passava suas unhas nas minhas costas. 

-Eu te amo tanto, anjo. - Sussurrei no seu ouvido antes de morder seu módulo e ela me puxou pela nuca para selar novamente nossos lábios. 

 

Sentia meu corpo esquentar cada vez mais pela excitação e paixão tão incomum que sinto pela minha esposa. Nicole me torturava mordendo meu lábio durante o osculo e ainda quando entrelaçou suas pernas na minha cintura, fazendo nossas intimidades se chorarem em um contato delicioso. 

Desci minha boca para sua bochecha e pescoço e parei quando cheguei em seu peito que subia e descia pela respiração ofegante. A encarei, vendo seus olhos transbordarem de desejo, então levei minhas mãos até suas costas, onde tirei o belo sutiã que usava. Deixei a peça de lado e foquei em seus seios que quis tanto chupar. 

Raspei a ponta da língua em sua pele e comecei a lamber envolta da aréola, depois chupei os mamilos rígidos, fazendo em cada um. Nicole puxava meus fios e soltava pequenos gemidos me levando à beira da insanidade. Voltei a descer com beijos e mordidas pela sua barriga, até sentir o tecido de sua fina calcinha. Coloquei minha mão em cima da sua intimidade sobre o pano, fazendo movimentos circulares, enquanto a ouvia gemer. 

-Posso tirar, amor? - Perguntei rouco, e deixando beijos por dentro da sua coxa sem parar os movimentos. 

-Po-Pode. - Suspirou. 

Desci a peça do seu corpo, a deixando de lado igual o sutiã. Separei suas pernas lentamente e olhei sua intimidade molhada de excitação. Umedeci meus lábios, tendo uma imensa vontade de sentir seu gosto doce na minha boca. Deixei alguns beijos ao redor, a ouvindo resmungar ansiosa, então dei atenção ao seu clitóris inchado e necessitado. Fui fazendo movimente circulares com a língua no seu ponto sensível e agarrei suas coxas, intensificando ainda mais e chupando com gosto toda a sua boceta deliciosa. Passava a minha língua bem rápida em cima do seu clitóris, a fazendo agarrar meus fios de cabelo com força e gemer alto.  

Levei um dedo até o seu interior e o estoquei lentamente, sem parar os movimentos da língua. Ela gemia meu nome e em suspiros avisou que estava perto, então acrescentei mais um dedo e passei a estoca-la um pouco mais rápido, a sentindo molhar todo o meu dedo com seu gozo delicioso. 

Lambi meus lábios e subi para beija-la mais uma vez, compartilhando consigo seu doce sabor. 

-Quero você agora, amor. - Pediu em um suspiro. 

 

Levantei e peguei o pacote de camisinha que estava na minha carteira e tirei minha boxer antes de voltar para a cama, ficando ajoelhado no meio de suas pernas. Nicole me olhava mordendo os lábios e logo se sentou pedindo para colocar a proteção em mim. Suas pequenas mãos desceram a camisinha por todo o meu membro e depois começou a me provocar me masturbando. Joguei minha cabeça para trás com seu toque tão gostoso, mas ela logo parou e deitou-se novamente abrindo as pernas para mim.  

Gemi com aquela visão dos céus e deitei sobre seu corpo, pincelando meu membro em sua entrada, arrancando gemidos seus e a fazendo arranhar minhas costas quando comecei a penetrar bem lentamente. Aquela sensação da sua boceta molhada estava me enlouquecendo.  

Deixei alguns beijos em seu rosto quando entrei por completo e esperei que ela se acostumasse. Seu quadril começou a mexer e bastou aquilo para que iniciasse as penetrações. Fui devagar, sentindo suas paredes me apertarem e depois comecei a ir um pouco mais fundo. 

Comecei a me movimentar rápido, fazendo nós dois gememos ainda mais, sentindo meu pau entrando e saindo com facilidade do seu interior. Quando ela me avisou que já está perto, segurei sua cintura e meti com ainda mais força e logo sentir sua boceta gozando ao mesmo tempo que eu. 

Tirei meu membro de dentro dela e deixei um beijo na sua testa antes de me levantar para jogar a camisinha fora. Voltei para a cama e carreguei minha mulher manhosa até o banheiro e a deixei sentada na pia enquanto ajeitava a banheira. Esperávamos a água se encher trocando alguns beijos e palavras meigas e, quando finalmente acabou, voltei a pega-la no meu colo e a coloquei na água. Me encaixei atrás do seu corpo e tomamos um banho direito por pouco minutos, antes de começarmos uma pequena guerra de espuma que eu estava em desvantagem por sempre me desconcentrar no seu lindo sorriso. 

-AI! - Apertei meu peito fingindo sentir uma dor e ela parou rápido a brincadeira para ir até mim. 

-O que foi?! - Perguntou preocupada e eu apenas levantei meu rosto e olhei no fundo dos seus olhos antes de falar: 

-É que meu coração chega dói com o tamanho do amor que sinto por você. 

-Eca, que meloso. - Gargalhou me dando um tapa no ombro. - Eu te amo. 

-Eu te amo muito, Nicole.


Notas Finais


❣️❣️❣️❣️❣️❣️💍❣️❣️❣️❣️❣️❣️

❣️Acho que essa foi a história mais melosa que já fiz kkkkkk nem amei🥺👉🏻👈🏻
❣️EU QUERO UM HOSEOK MELOSO E GOSTOSO PARA MIM AGORA!!!!!!!
❣️Link da música citada: https://www.youtube.com/watch?v=iyh6_hSxMvo
❣️Gostaram, meus amores? Logo, logo tem maaaaais (Spoilezinhos: 1- Tae 2- Jungkook 3-Jimin)
❣️Beijos e até a próximaaaaa🙆🏻‍♀️
❣️Meu perfil para mais ones: @PuccaAmaNutella


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...