1. Spirit Fanfics >
  2. Are You Afraid Of The Dark? >
  3. Capitulo 1 - Recomeço.

História Are You Afraid Of The Dark? - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura chuchus <3

Capítulo 1 - Capitulo 1 - Recomeço.


Haneul POV´s

Abro meus olhos ao som do despertador, estranho o quarto a minha volta, mas logo lembro onde estou, me sento na cama desligando o despertador em meu celular, meu corpo reclama com meu ato em preguiça, respiro fundo tomando coragem me levantando da cama, meu corpo se arrepia quando um vento frio bate em meu corpo, percebo que deixei a sacada aberta, caminho até a mesma a fechando rapidamente, passo a mão em meus cabelos fazendo um coque enquanto caminho em direção ao banheiro, me olho no espelho vendo meus olhos inchados e vermelhos, suspiro abrindo a torneira da pia jogando agua em meu rosto. Vocês provavelmente não devem estar entendendo nada, vou explicar por cima tudo que resultou a esse momento. 

Aos meus 10 anos de idade meus pais se divorciaram, o que na época me deixou aliviada, não aguentava ouvir suas discussões por motivos bestas, o amor entre eles simplesmente acabou e depois de tantas brigas meu pai saiu de casa, pedindo divórcio, assim que assinaram a papelada, meu pai se mudou para uma cidadezinha onde reside uma filial da sua empresa e minha mãe ficou com a minha guarda, ela tem a sua própria loja de roupa conseguindo sustentar a casa, além do dinheiro que meu pai mandava todo mês para mim, mesmo longe ele tentava ser presente o máximo possível e eu nunca tive que reclamar dele, ao contrário de minha mãe. 

Um mês após a separação, minha mãe sai todo final de semana me deixando com minha babá Luci, ela saia sexta e só voltava domingo completamente alterada, isso quando não chegava com companhia, aos poucos a mãe que já não era muito presente se tornou a pior mãe do mundo, levava homens estranhos para dentro de casa, me deixava trancada no quarto, ela esqueceu que tinha uma filha. Aos 12 anos eu já sabia me virar sozinha, ia e voltava da escola sozinha, ajudava a Luci a cuidar da casa, pagava as contas e cuidava da minha mãe sempre que ela chegava alterada. 

Tudo teve um rumo pior quando ela arranjou um namorado, o Blake, esse não fazia nada da vida, vivia jogado no sofá da sala vivendo às custas da minha mãe, enchia a cara de droga e quebrava a casa inteira, isso quando não ameaçava me bater ou em minha mãe. Aos meus 16 anos a loja da minha mãe abriu falência por irresponsabilidade da mesma, eu tentava ajudar de todas as formas, porém ela não queria se ajudar, tivemos que mudar de casa para um apartamento menor, vivíamos com o dinheiro da venda da casa e o que meu pai me mandava. Tudo piorou quando agiotas invadiram o apartamento comigo sozinha lá, me ameaçaram e levaram tudo de valor da casa, me deixando trancada em meu quarto até a hora que minha mãe chegou, tivemos uma discussão feia e ela pela primeira vez na vida me bateu, no dia seguinte meu padrasto me colocou para fora de casa. 

Cansada de tudo, depois de anos sem falar com meu pai, eu retornei uma das milhares de suas ligações que ele fazia todos os dias, desabei pelo celular contando tudo que aconteceu durante esses anos sem contato com ele, tirei o enorme peso que carregava em minhas costas, meu pai me mandou ir para um hotel que ele logo chegaria para me buscar e foi o que eu fiz, horas depois ele chegou no hotel e me abraçou, naquele momento me senti segura e amada como não sentia a anos, chorei em seu colo igual quando era criança. 

A partir desse dia eu fui morar com meu pai em uma cidadezinha pequena, onde quase todos os moradores se conheciam, passei uma semana trancada em casa arrumando meu quarto e os documentos para minha nova escola, mesmo estando mais aliviada por estar longe de todos os problemas que a minha mãe e o Blake causam, eu ainda me preocupo de algo acontecer a ela, afinal ela é a minha mãe, não consigo ser fria ao ponto de não me importar mais com ela. 

Hoje é o meu primeiro dia na escola nova, estou preocupa e ansiosa ao mesmo tempo, o medo de não conseguir se enturmar e fazer amigos se faz presente a cada segundo. Me olho no espelho do banheiro e respiro fundo tentando ter pensamentos positivos. 

-Você consegue Haneul, é um novo começo em uma nova vida. 

Falo comigo mesma na frente do espelho sendo positiva, tiro a minha roupa entrando no box, ligo o chuveiro sentindo a água quente entrar em contato ao meu corpo, me banho rapidamente saindo uns minutos depois do banheiro enrolada na toalha, caminho até meu guarda roupa pegando um conjunto de lingerie preta lisa, pego minha calça jeans skinny escura com alguns rasgos ao longo da perna , junto com a camisa da escola e um moletom, visto tudo e me olho no espelho vendo se ficou bom, gosto do resultado e pego minha bota do cano baixo e um salto não tão alto, tenho que favorecer de alguma forma a minha falta de altura, vou para mais perto do espelho pegando minha maquiagem e passo um rímel junto com um gloss rosinha, por último passo o perfume e estou pronta. 

Pego a minha mochila e o meu celular junto ao fone, saio do meu quarto indo para a cozinha, onde meu pai se encontra tomando café e lendo o jornal. 

-Bom Dia Pai. - Falo me aproximando do mesmo e dando um beijo em sua bochecha, ele me olha e sorri. 

-Bom dia princesa, animada para o primeiro dia na escola nova? - pergunta me olhando, faço careta rindo fraco em seguida. 

-Não é muito legal ser a novata da escola.- o respondo enchendo meu copo com suco de maracujá e pegando uma fatia de bolo, meu pai ri fraco voltando a sua atenção ao jornal, termino de tomar o meu café e me levanto da mesa vendo a moça que trabalha aqui em casa recolher minha louça suja, agradeço a mesma e vou para o banheiro de baixo escovando os dentes e retocando o gloss, saio do banheiro passando pela sala pegando a minha mochila. 

-ESTOU INDO PAI! - grito saindo de casa escutando seu grito de volta desejando boa aula. 

Coloco os meus fones no ouvido e coloco Demons do Imagine Dragons para tocar, caminho calmamente em direção a escola. 

 

------------------ 

Chego no colégio a tempo de ouvir o sinal bater, vejo vários adolescentes da minha idade ou até mais velhos com seus grupinhos de amigos se divertindo, aparentemente essa escola é igual as outras, com seus grupinhos e panelinhas. Entro olhando em volta enquanto pego meu celular entrando no e-mail que informa minhas aulas e meu armário, fico distraída procurando o meu armário e acabo esbarrando em uma menina derrubando os livros dela. 

-Ai meu Deus! Me desculpe! - falo apressada me abaixando pegando os livros toda atrapalhada, escuto a menina rir e se abaixar junto comigo recolhendo suas coisas. 

Pronto, primeiro dia de aula e já estou causando desastres!!! 

-Não tem problema, primeiro dia aqui? - perguntou se levantando junto comigo ao pegarmos tudo. 

-Sim, me desculpa novamente, eu estava procurando o meu armário e acabei não prestando atenção a minha volta. - Falo sem graça colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha. 

-Como eu disse antes, não tem problemas, vem eu te ajudo a achar seu armário. - Fala sorrindo simpática - Você não me disse seu nome. 

-A claro, meu nome é Haneul. 

-Prazer Minhee, vem! - indica a direção com a sua cabeça me fazendo segui-la – Qual o número do seu armário? 

-52 – A respondo olhando rapidamente em meu celular. 

-Seu dia de sorte, é do lado do meu – fala animada parando em frente ao armário, vejo que o meu e ela abre o do lado, coloco a senha e abro vendo alguns livros ali, Minhee olha meu celular por cima do meu ombro e sorri animada. 

-Estamos na mesma sala, venha. 

Fechei meu armário depois de pegar o material necessário a aula e acompanho a menina de cabelos azuis, subimos um lanche de escada e entramos na sala de ciências, Minhee acena para uma menina e vai se sentar ao lado dela, olho pela sala vendo que só sobrou lugar ao lado de um menino na última carteira ao lado da janela, me aproximo da mesma e o menino me olha, sinto um frio na barriga assim que nossos olhares se encontra, seu olhar é frio e misterioso, mas ao mesmo tempo vago, fico desconcertada desviando o olhar sentindo minha bochechar corar. 

-Posso me sentar? - pergunto depois de respirar fundo e o vejo assentir, coloco minha mochila no chão e me sento ao seu lado, logo o professor entra e começa a aula, tento prestar atenção já que estou bem atrasada em relação a sala. 

Pelo canto do olho observo o menino ao meu lado, seu olhar estava preso no professor, sua pele parecia ser macia com um leve bronzeado, seus lábios rosados e convidativos, com uma pintinha charmosa em baixo do mesmo, seus olhos escuros como duas jabuticabas, uma pequena marca de cicatriz em sua maça do rosto que o deixava mais atraente, o vejo ele se mexer incomodado e percebo que estou o encarando tempo demais de forma indiscreta, desvio o olhar voltando a prestar atenção no professor. 

------------------------------------- 

Estamos com um rato a nossa frente para dissecar, visto as luvas e óculos de proteção, torço o nariz olhando o bichinho morto a minha frente, pego o bisturi hesitando um pouco. 

-Quer que eu faça isso? 

Me arrepio ao escutar a sua voz aveludada, assinto sem falar nada passando o bisturi a ele com cuidado, ele pega e sem pensar duas vezes faz um corte cumprido na barriga do bicho, pego o separador dando a ele o vendo abrir o bichinho, suspiro com dó do animalzinho a minha frente. 

Ficar com dó não trará ele de volta Haneul, para de se lamentar e ajuda o garoto. 

-Não precisa fazer isso se não quiser... 

-Não, está tudo bem, eu consigo. 

Falo mais para mim mesma do que para o menino ao meu lado, começo a olhar dentro do rato pegando a pinça e observando órgão por órgão, temos que achar o tumor que está em um desses órgãos, vejo um negócio estranho no pulmão. 

-Achei!!! - falo animada pronta para tirar um pedaço mais o meu parceiro me impede. 

-Não está aí, isso é uma marca de cicatriz de alguma briga ou de como mataram ele, o tumor está aqui – apronta para o fígado do bichinho, olho contrariada e tiro o fígado fora, coloco no telescópio vendo perfeitamente o pequeno tumor ali. 

-É você está certo...- falo desgostosa e vejo um mínimo sorriso convencido aparecer em seu rosto que logo some, guardo direitinho o órgão no frasquinho, olho a hora e percebo que falta cinco minutos para o final da aula. - Não vai dar para fazer o relatório. 

-Deixa que eu faço. - O menino pega a folha e começa a preenche-la rapidamente, ele passa a folha para eu assinar depois de terminar o relatório de forma assustadoramente rápido, assino meu nome e vejo que ele já assinou o seu, escuto o sinal tocar, meu parceiro pega sua mochila e sai rapidamente da sala sem falar nada, o professor passa recolhendo os relatórios, antes que ele pegue consigo ler o nome do meu parceiro... 

 

Jeon Jungkook. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...